Melhores discos do ano 2017: Jazz

Tubistas noruegueses em excursão pelo Curdistão, saxofonistas canadianos disfarçados de gorila... foi assim o jazz em 2017

©Jimmy KatzVijay Iyer

O público é escasso – excepto para esse pegajoso ludíbrio que é o smooth jazz – e os media só falam dele para chorar lágrimas de crocodilo pelo desaparecimento de alguma velha glória dos anos 50, mas o jazz está mais vivo do que nunca e os lançamentos de discos crescem em número e diversidade. Há muito que os EUA perderam o estatuto de super-potência indiscutível e são apenas um protagonista entre outros num mundo multipolar (em que a Escandinávia, o Canadá ou a Suíça também têm voz) e de fronteiras cada vez mais irrelevantes.

Melhores Discos do ano 2017: Jazz

Tim Berne’s Snakeoil: Incidentals (ECM/Distrijazz)

Tim Berne’s Snakeoil: Incidentals (ECM/Distrijazz)

Ao quinto álbum, o quinteto Snakeoil, do saxofonista Tim Berne, atingiu um entrosamento perfeito. As suas faixas desenrolam-se lentamente, revelando uma paisagem sonora rica em eventos e em permanente mutação.

[“Incidentals Contact”, uma das composições do álbum Incidentals, em versão ao vivo registada no centro de artes Roulette, Nova Iorque, 2013]

Gorilla Mask: Iron Lung (Clean Feed)

Gorilla Mask: Iron Lung (Clean Feed)

O trio do saxofonista canadiano Peter van Huffel é um exemplo de como a agressividade, quando orientada pela inteligência e condimentada pela subversão, pode gerar música formidável.

[“Chained”]

Publicidade
Daniel Herskedal: The Roc (Edition Records/Karonte)

Daniel Herskedal: The Roc (Edition Records/Karonte)

Uma improvável aliança de tuba, viola, violoncelo, piano e percussão esbate fronteiras entre jazz e tradições do Médio Oriente, num disco que ombreia com os melhores de Abou-Khalil e García-Fons.

Vijay Iyer Sextet: Far from over (ECM/Distrijazz)

Vijay Iyer Sextet: Far from over (ECM/Distrijazz)

O pianista adicionou três sopradores de elite ao seu trio, alimentou o sexteto com composições complexas e irrequietas e logrou o seu melhor disco na ECM.

Publicidade
Dave Liebman & Joe Lovano: Compassion: The Music of John Coltrane (Resonance/Distrijazz)

Dave Liebman & Joe Lovano: Compassion: The Music of John Coltrane (Resonance/Distrijazz)

Uma variante do super-grupo Saxophone Summit realizou uma gravação para a BBC em 2007 para assinalar o 40.º aniversário da morte de Coltrane. O registo, inédito, foi agora lançado por uma editora especializada em “trabalho arqueológico”.

Marius Neset & London Sinfonietta: Snowmelt (ACT/Karonte)

Marius Neset & London Sinfonietta: Snowmelt (ACT/Karonte)

A aliança do saxofonista norueguês Marius Neset com um trio de jazz de alta voltagem e a London Sinfonietta traz sofisticação e um colorido deslumbrante sem comprometer a espontaneidade do jazz.

Publicidade
Aaron Parks: Find the Way (ECM/Distrijazz)

Aaron Parks: Find the Way (ECM/Distrijazz)

No seu 2.º disco na ECM, o pianista aliou-se aos veteranos Ben Street (contrabaixo) e Billy Hart (bateria) para gerar música diáfana e imponderável.

[“Isle of Everything” e “Hold Music” (uma das composições de Find the Way), em versões ao vivo no Jimmy Glass Jazz Bar, 2017 (com qualidade de som muito longe da ideal)]

Aki Rissanen: Another North (Edition Records/Karonte)

Aki Rissanen: Another North (Edition Records/Karonte)

O título é justificado, pois o 2.º CD do trio do pianista finlandês contraria a imagem corrente do jazz nórdico, depurado, planante e contemplativo; em vez disso há ritmos quebrados e uma incessante turbulência.

Publicidade
Colin Vallon: Danse (ECM/Distrijazz)

Colin Vallon: Danse (ECM/Distrijazz)

Mais um disco magistral do trio do pianista suíço, que prossegue a exploração de um lirismo depurado e fluido. É uma dança em sonhos, que nunca chega a tocar com os pés no chão.

[“Tsunami”]

John Zorn/Brian Marsella Trio: The Book of Angels vol.31: Buer (Tzadik)

John Zorn/Brian Marsella Trio: The Book of Angels vol.31: Buer (Tzadik)

Brian Marsella (piano), Trevor Dunn (contrabaixo) e Kenny Wollesen (bateria) injectam vigor renovado nas composições de sabor klezmer de Zorn. Um dos CDs mais azougados desta longa saga.

[“Parymel”]

Publicidade

Best of 2017

Os melhores filmes de 2017

Cada final de ano, na altura dos habituais balanços, e no que ao cinema diz respeito, chegamos sempre à mesma conclusão. Começámos pouco optimistas em relação à qualidade dos filmes que íamos ver; e acabámos com a satisfação de que vimos suficientes bons filmes para elaborar uma lista com os dez melhores, e ainda ficam de fora uns quantos que também lá cabiam perfeitamente. 

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Os melhores filmes portugueses de 2017

O ano de 2017 assistiu à estreia de vários filmes portugueses com muita qualidade. Na ficção, como Fátima, de João Canijo, São Jorge, de Marco Martins, ou Fábrica de Nada, de Pedro Pinho. E no campo do documentário, onde se destacaram Ama-San, de Cláudia Varejão, e Nos Interstícios da Realidade ou o Cinema de António de Macedo, de João Monteiro.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Os melhores discos internacionais de 2017

Mais um ano, mais uma remessa de grandes discos e músicas, para todos os gostos e feitios. Da frescura rock lo-fi de Mac DeMarco ao indie rock de Thurston Moore, passando pela pop vanguardista de Benjamin Clementine ou o hip-hop de Vince Staples, Young Thug ou Kendrick Lamar.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Os melhores discos portugueses de 2017

A música portuguesa vive dias bons. Com bandas e artistas a falarem a sua língua e a produzirem canções que reflectem o país e o presente. Do indie rock português das Pega Monstro e Putas Bêbadas às batidas afromecânicas de Nídia e DJ Lycox, passando pela folk lisboeta de Éme e Luís Severo, o hip-hop de Slow J e os Orelha Negra ou o fado de Camané. Estes foram os melhores discos do ano.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Comentários

0 comments