Dicionário rápido de bar

Continua sem saber o que é um rooftop? Anda às voltas com os mocktails? Inicie-se no léxico mais relevante da estação com este guia instantâneo para fazer boa figura num bar

Fotografia: Manuel Manso

Rooftop: Na verdade, um bar num rooftop é o mesmo que um bar num terraço, mas não soaria tão trendy, principalmente com estas sunset parties cheias de gente cool. O termo é bastante usado por pessoas que não conseguem terminar uma frase sem usar uma expressão noutra língua. Whatever.

Brewpub: Uma mistura das palavras brewery e pub. É um bar onde se pode embebedar sem problemas com cerveja artesanal, produzida ali mesmo. É à confiança.

Mocktails: Cocktails para meninos, sem álcool.

Tiki: Cocktails exóticos, inspirados na Polinésia e normalmente feitos de rum, que vão pôr todas as mesas ao redor a olhar em direcção ao seu pedido. O Mai Tai é um dos mais conhecidos.

Shaker: Aquele instrumento que todos os bartenders têm. Saber agitá-lo e conseguir abri-lo com uma pancada seca é uma proeza, principalmente para quem se está a aperfeiçoar nas caipirinhas caseiras.

Shaken, not stirred: Uma famosa frase de James Bond para pedir o seu martini. Por favor não tenha ideias de usá-la num date.

Taproom: A sala das torneiras. É onde se pode provar a cerveja produzida artesanalmente numa fábrica. Em Marvila, se alguma vez lá for parar, experimente a da Dois Corvos.

Growler: No plural pode ser uma banda de rock psicadélico que esteve recentemente no Primavera Sound. Mas nestas andanças de bar é o nome dado à garrafa que se usa para transportar cerveja artesanal acabada de sair da torneira.

Flair: É a arte do exibicionismo atrás do balcão. Por outras palavras, é aquele malabarismo que os seus amigos tentam fazer na passagem de ano com garrafas cheias e que dá sempre mau resultado.

On The Rocks: Termo usado para uma bebida servida com cubos de gelo. O Sex On The Beach, por exemplo, serve-se on the rocks, por isso já lhe damos aqui uma piadinha para o Verão.

E agora que sabe tudo, bons copos

Os melhores bares históricos em Lisboa

Luís Pinto Coelho morreu em 2012, mas deixou para a história da cidade quatro dos mais emblemáticos bares da noite alfacinha. Foi ele o fundador do Procópio, d'A Paródia, do Fox Trot e do Pavilhão Chinês, que decorou com peças de uma colecção de velharias e objectos que acumulou desde a adolescência. Os quatro bares históricos em Lisboa ainda estão a funcionar. Ao mesmo estilo, apareceu também perto da Avenida de Roma o Old Vic, com mobília vinda de Inglaterra e inspirado num bar londrino, com clientes seleccionados. O actual proprietário aprendeu a fazer cocktails em cruzeiros. Já o exótico Bora-Bora serve cocktails em copos com caras que deitam fumo desde 1982, ano em que nasceu na Alameda. No Bairro Alto, o Snob, também à porta fechada, era o escritório de políticos e jornalistas. Em baixo, fique a saber mais sobre estes sete bares, os melhores bares históricos em Lisboa.

Ler mais
Por Clara Silva

Os melhores bares em rooftops em Lisboa

A palavra rooftop ainda não é reconhecida pelo dicionário Priberam (a alternativa é rotos ou rolitos), mas cada vez é mais usada no vocabulário alfacinha, com muitas sunset parties em rooftops por essa cidade fora, onde cocktails não faltam. Deixámos as vertigens no rés-do-chão e subimos aos terraços de hotéis, centros comerciais e parques de estacionamento para eleger os melhores bares em rooftops em Lisboa.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Os bares com melhor vista em Lisboa

Este artigo não é recomendável a pessoas com vertigens. E também não é recomendável a quem não gosta de ver o pôr-do-sol com um cocktail na mão. Descanse os olhos do computador, do telemóvel e dos seus colegas de trabalho e lave as vistas num destes bares. De um bar de hotel com uma piscina épica ao parque de estacionamento mais trendy da cidade, a olhar para a ponte, a ver navios ou a olhar para o castelo, damos-lhe uma lista dos bares com a melhor vista em Lisboa.

Ler mais
Por Clara Silva

Comentários

0 comments