Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right A marginal de Almada vai rivalizar com a de Cascais
Notícias / Vida urbana

A marginal de Almada vai rivalizar com a de Cascais

Cidade da Água
Santa-Rita Arquitetos Cidade da Água

Quando chegarmos aos anos 30 deste século, Lisboa também será conhecida como aquela cidade de onde se vê muito bem a novíssima e elegante Margem Sul. A Cidade da Água e o novo Cais do Ginjal são os dois projectos com que Almada vai contribuir para essa mudança.

A Margem Sul será absolutamente diferente na próxima década. O projecto integrado que Almada, Barreiro e Seixal têm para o chamado Arco Ribeirinho Sul (ou Lisbon South Bay, para os investidores estrangeiros) vai reinventar toda a área industrial que se espraia junto ao Tejo.

O Governo quer transformá-la no motor económico do distrito de Setúbal e tem previstos 200 milhões de euros no Plano Nacional de Investimentos 2030, a fazer por privados, para ligar as penínsulas do Seixal e do Barreiro e entre o Barreiro e o Montijo, onde será construído o novo aeroporto, por travessias rodoviárias sobre os braços de rio.

O projecto inclui dois parques empresariais, um no Barreiro e outro no Seixal. Mas é em Almada que será feita a obra de encher o olho: os 115 hectares da Cidade da Água, que abarca o antigo estaleiro da Lisnave, vai criar “uma cidade dentro da cidade”, com habitação, comércio, escritórios, hotéis, centro de congressos, equipamentos públicos e uma marina. Um investimento que  pode atingir os mil milhões de euros e será faseado ao longo de 14 anos.

 

A futura Cidade da Água
Santa-Rita Arquitetos

 

Na margem de Almada virada para Lisboa, será revitalizado nos próximos oito anos o Cais do Ginjal – o passeio entre Cacilhas e o Jardim do Rio ficará bem mais convidativo. O Plano de Pormenor está em fase final de aprovação, mas deve incluir habitação, hotelaria, comércio, serviços, apartamentos turísticos, espaços públicos (mercados das artes e equipamentos de apoio). A câmara planeia investir 80 milhões de euros ao longo de oito anos. O Grupo AFA dará conta do investimento privado na zona: 250 milhões, ao longo do mesmo período.

 

 

O novo Cais do Ginjal
Samuel Torres de Carvalho

 

 Estes são dois dos 50 projectos que vão mudar Lisboa na próxima década e que lhe mostramos na revista desta semana.

+ Xutos & Pontapés: "Não há nada como a malta de Almada"

Projecto vencedor para a Praça de Espanha recupera riacho perdido

Publicidade
Publicidade

Latest news