A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Queimado no Palms
Mariana Valle LimaAlcachofras com sardinha curada e pimentão marinado

Cozinha de fogo do Queimado invade o Palms, na Costa da Caparica

O Queimado já teve várias vidas, mas é aqui que conhecemos a sua versão mais fresca e descontraída.

Escrito por
Teresa David
Publicidade

Quando se dedicava à música e ao design, ainda antes de enveredar pelo mundo da cozinha, o britânico Shay Ola – o “chef acidental”, como lhe chamam em terras de Sua Majestade – já atiçava brasas de vez em quando. “O meu primeiro amor foram os churrascos, a cozinha de fogo”, revela. Não é de estranhar, portanto, que no restaurante que acaba de se instalar no espaço colorido do Palms Dr. Bernard, na Costa da Caparica, cheguem à mesa ingredientes cozinhados ou terminados no carvão, mas com uma subtileza que deixa brilhar o peixe e os vegetais. “Tentamos não fazer do fogo o protagonista dos nossos pratos. Queremos que seja subtil, criativo”, explica o chef nómada, membro do colectivo gastronómico New Kids On The Block. 

Queimado no Palms
Mariana Valle LimaShay Ola

É neste sítio à beira-mar plantado, com as cores rosa e azul a enfeitarem-lhe paredes, que conhecemos a versão mais descontraída do Queimado, mas a história não começa aqui. É que o Queimado já teve várias vidas – a primeira no Bairro Alto, corria o ano 2019. “Estava a correr bem, mas porque o espaço era muito pequeno deixou de ser viável com todas as restrições da pandemia. O meu passado como chef estava relacionado com eventos pop-up, por isso pareceu-me uma coisa natural a fazer – um conceito sob rodas. Estivemos num hotel na rua da Madalena durante cerca de seis meses, no Verão do ano passado, e agora tivemos a possibilidade de ocupar o espaço aqui na Caparica”, esclarece. Na Caparica, repete-se a fórmula, com a diferença de que “há mais em peixe, marisco e vegetais, para condizer melhor com o ambiente”, ressalta. 

Queimado no Palms
Mariana Valle Limatomates grelhados, com rodelas de ameixa e daikon

Nas opções de peixe, vai então encontrar pratos como alcachofras com sardinha curada e pimentão marinado (7€), mexilhão com kohlrabi e óleo de cogumelo shiitake (8€), ou lírio acompanhado com morango e pepino (12€). Nos vegetais, destaca-se a courgette com queijo fresco e ervas aromáticas (7€), tomates grelhados, com rodelas de ameixa e daikon (8€) ou a couve coração grelhada regada com molho X.O – um molho picante feito a partir de frutos do mar – e coentros (8€). Na carne, o cachaço de porco preto, acompanhado com berbigão e batatas (15€) é uma boa opção. A terminar, um refrescante sorvete de melão e lúcia-lima (5€). Para acompanhar tudo isto, há vinhos e cerveja, mas as estrelas são mesmo os cocktails,. É o caso do pink floyd (10€), com mezcal, morango, baunilha e menta, e do quatro vientos (8€), feito com rum Pampero, ananás, lima, menta e soda. Entre as opções sem álcool há dois sabores de kefir à disposição – pêssego e chá branco ou hibisco e cardamomo (3,80€). Todo o menu está disponível de manhã à noite, mas entre as 13.00 e as 15.00 há um menu especial (18€) que inclui dois pratos do dia à escolha do chef e uma bebida. 

Queimado no Palms
Mariana Valle LimaCachaço de porco preto, acompanhado com berbigão e batatas

O Queimado é agora o restaurante do Palms, mas aqui também é possível pedir pizzas para levar para a praia. “O Queimado é a maior coisa que acontece aqui. As pizzas já existiam e eles [Palms] decidiram mantê-las, mas são mais para take-away”, sublinha Shay Ola. As propostas gastronómicas são um dos motivos para visitar o Palms, mas a programação cultural, a decorrer habitualmente ao fim-de-semana com mercados e DJ sets, é outro.  

Palms Dr Bernard
DR

Além do Queimado, o chef Shay Ola assina o Rove, no hotel Le Consulat, Bairro Alto. “O Rove é mais focado nas bebidas, não tanto na comida, por isso é mais fácil andar de um lado para o outro. O Rove esteve fechado nas últimas duas semanas para férias, por isso tem sido bastante tranquilo conciliar as coisas”, esclarece. O Queimado vai ocupar o Palms até Novembro, mas ainda não há certezas se a estadia se prolongará. “Talvez possamos abrir no Inverno, mas ainda não tomámos uma decisão. Voltaremos no próximo Verão, mas o plano até ao momento é levar o Queimado para outros sítios. Já tenho um pop-up marcado para Berlim, e depois tenho outros sítios pensados”, revela.

Rua Muralha da Praia, Apoio 6, Praia Norte (Costa da Caparica). Qua-Dom 13.00-00.00

+ Toda a sorte para La Mala Suerte, o novo bar no centro de Cascais

+ Mozzafiato, o novo inquilino da Rua Amarela em Cascais

Últimas notícias

    Publicidade