A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Nuno Mendes
Manuel Manso

Nuno Mendes deixou o restaurante do Bairro Alto Hotel

Bruno Rocha, o chef da casa, fica à frente do BAHR, restaurante do Bairro Alto Hotel, assinando também a carta do recém-inaugurado cocktail bar 18.68.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Com uma novidade que já dá que falar em Londres, como acontece habitualmente em tudo onde o seu nome aparece, Nuno Mendes já não é o director criativo do Bairro Alto Hotel, no Largo Camões, cargo que tinha desde 2019, quando o hotel reabriu depois de uma grande remodelação. Bruno Rocha, braço direito do chef, assume as rédeas. 

Já era Bruno Rocha quem chefiava diariamente a cozinha, como chef executivo do BAHR. Nuno Mendes, a viver em Londres, viajava frequentemente para Lisboa. 

Questionado pela Time Out, o chef não respondeu, mas a agência que comunica o hotel confirmou que “o projecto já tem alguma maturidade e [que,] por isso, decidiram percorrer o seu caminho sozinhos mantendo a mesma linha e conceito culinário”. “Nesta fase o Nuno Mendes tem também em mãos novos e diferentes projectos”, acrescenta a mesma resposta, fazendo questão de frisar que se mantém entre ambos uma “excelente relação, sendo esta uma decisão de ambas as partes”. 

Foi no final de Março que o chef abriu em Londres o Lisboeta, que leva o nome do livro que editou em inglês e português. À Time Out, quando em Janeiro o apontávamos como uma das pessoas com quem queríamos jantar este ano, Nuno Mendes explicava que o restaurante era “uma homenagem a Lisboa” numa zona cool da capital inglesa, Fitzrovia, bem perto de Soho. “Um espaço giro, porreiro, onde se vai poder comer e beber muito bem”, sem ser preciso gastar muito dinheiro, dizia. A inspiração são as tascas lisboetas, a celebração é a da cozinha portuguesa, tal como já fazia na Taberna do Mercado. “É um espaço que quero que seja informal, onde se vai poder comer uma bifana, um rissol, uns petiscos fixes.” 

Mas não só. Apesar de a pretensão não ser a alta-cozinha, que já o levou a conquistar a estrela Michelin em dois projectos (Viajante e Mãos, sempre em Londres), o Lisboeta tem no piso inferior uma adega “onde vai ser possível fazer uma coisa mais a sério”. E quer isso dizer jantares temáticos para uma dúzia de pessoas, onde Nuno Mendes espera juntar chefs, produtores de vinhos e amantes de uma boa refeição. “Vai ser uma coisa mais arrojada, é para me divertir e fazer experiências”, contava. 

Na mesma altura, o chef prometia novidades também para Lisboa e Porto. A norte, Nuno Mendes não adiantou qualquer informação, mas na capital a ideia era abrir um restaurante de rua, que estaria incluído no projecto da reabilitação do Bairro Alto Hotel desde o início, mas que a pandemia adiou. A verdade é que o hotel inaugurou nesta quarta-feira um novo espaço, cujo acesso acontece apenas pela rua, e já é Bruno Rocha o responsável oficial pela carta. Trata-se do 18.68, um cocktail bar que ocupa o espaço do antigo quartel da Real Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Lisboa. O nome é precisamente uma alusão ao ano de 1868 quando esta associação, a mais antiga de bombeiros de Portugal, foi criada. De destacar que Bruno Rocha era já o chef que estava à frente do anterior restaurante do Bairro Alto Hotel, o Flores do Bairro, e tem também vindo a somar elogios no meio gastronómico.

+ Cozinha do Feitoria fica entregue a André Cruz, até agora subchef de João Rodrigues

+ Clássico by Olivier. As novidades que nos levam a Ibiza sem sair da Caparica

Últimas notícias

    Publicidade