A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Chefs On Fire 2021
José FernandesChefs On Fire 2021

Pop-up do Chefs on Fire chega a Almada em Julho com vista para o rio

Versão mais íntima do festival gastronómico dedicado à cozinha de fogo acontece entre 15 e 17 de Julho em Cacilhas.

Escrito por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Mais pequeno, com apenas dois chefs e dois concertos por dia, mais barato, mas com o mesmo cunho. É assim que o Chefs on Fire se apresenta no primeiro pop-up que organiza em Almada, no Jardim do Rio, em Cacilhas, nos dias 15, 16 e 17 de Julho. Marlene Vieira, que abriu há pouco tempo o Marlene, e André Cruz, do Feitoria, são dois dos nomes confirmados. 

Estava prometido há muito tempo e pouco ainda se sabia, mas esta quarta-feira começa a levantar-se o véu sobre os pop-ups que o festival gastronómico dedicado à cozinha de fogo, premiado pela Time Out como o acontecimento de 2021, promete levar a diferentes cidades do país. Almada é a primeira a receber o evento, numa versão mais exclusiva e que serve de amostra para o que vai acontecer a 17 e 18 de Setembro, na Fiartil no Estoril. 

Ao contrário do que acontece no Chefs on Fire, feito para se aproveitar durante todo o dia, neste pop-up é preciso escolher se prefere almoçar ou jantar, com a garantia de que o menu, feito a quatro mãos, será igual. Já os concertos variam (ao almoço é um e ao jantar é outro).

O primeiro dia (15 de Julho) está assim entregue à dupla Manuel Liebaut e Ronald Sim, do restaurante FOGO de Alexandre Silva. E os concertos ficam por conta de Budda Power Blues (ao almoço) e Filipe Karlsson (ao jantar). Já no dia seguinte, sobem ao palco Cassete Pirata (ao almoço) e Frankie Chavez (ao jantar) e cozinham Marlene Vieira e André Cruz. Por fim, a 17 de Julho, Shay Ola (Queimado) e Anaís Almeida (Kitchenette) serão os chefs de serviço – Tiago Nacarato actua ao almoço e Benjamim fecha a noite. 

“Este formato surgiu da vontade, por um lado, de deixar o Chefs on Fire seguir o seu caminho natural de crescimento sem que isso implicasse alterar a essência do festival numa lotação maior do que aquela que acreditamos ser em cheio no universo do nosso evento”, diz, em comunicado, Gonçalo Castel-Branco, criador do projecto e produtor executivo. “Quando visitámos o Jardim do Rio já com este formato em mente, percebemos que era o primeiro local perfeito para receber o pop-up”, acrescentou ainda.

Os bilhetes para este pop-up já estão à venda e têm o preço de 30€ (incluem quatro doses de comida – um prato de carne, outro de peixe, mais um veggie e uma sobremesa, além de um concerto). No momento da compra, é preciso apenas escolher se quer o almoço (das 12.00 às 17.00) ou o jantar (das 18.00 às 23.00). As bebidas são pagas à parte.

Até Setembro, quando acontece o Chefs on Fire, a organização promete mais pop-ups. Já no Estoril, o festival acontece em pleno e tem como chefs convidados nomes como os estrelados Alexandre Silva (LOCO), João Oliveira (Vista), Henrique Sá Pessoa (Alma), João Rodrigues (ex-Feitoria) e Pedro Almeida (Midori). Há ainda um número recorde de mulheres no cartaz, da chef Louise Bourrat (BouBou’s) a Alana Mostachio (VDB Bistronomie). Na música, Carolina Deslandes e David Fonseca são os cabeças de cartaz. Os bilhetes diários vão dos 95€ (dez doses de comida, cinco bebidas e cinco concertos) aos 65€ (com cinco doses, duas bebidas e cinco concertos). Por 130€, o valor do passe para os dois dias, tem direito a tudo o que inclui o bilhete de 95€ (a dobrar, claro). 

+ Tricky’s: este não é mais um restaurante com vinhos naturais e comida sazonal

+ Leia, grátis, a edição digital da Time Out Portugal desta semana

Últimas notícias

    Publicidade