A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Rama em Flor: o festival feminista e queer já tem programação

Por Carolina Quaresma com editores Time Out Lisboa
Publicidade

O festival comunitário que celebra o feminismo e a cultura queer está de volta. A segunda edição do Rama em Flor aterra em Lisboa entre os dias 27 de Junho e 1 de Julho. Para além da Galeria Zé dos Bois, as Damas, Lounge e a Rua das Gaivotas 6, a edição deste ano conta, ainda, com o Museu do Aljube, a Trienal de Arquitectura de Lisboa, o espaço da UMAR e a Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa como espaços parceiros.

Integrado nas Festas de Lisboa, o Rama em Flor tem como objectivo "juntar artistas, investigadores e activistas locais e internacionais, assim como criar espaços de encontro e debate, aumentar a representatividade feminista e trans, incitar a consciência política, a actividade cívica e estimular a liberdade das identidades e expressões de género", lê-se em comunicado.

O Rama em Flor conta já com um programa repleto de actividades para si: há conversas, música, concertos, ciclos de cinema e, no último dia, no espaço UMAR, das 17.00 às 21.00, há uma feira de Zines. Já lhe tínhamos dito que as The Raincoat estavam confirmadas, mas agora podemos aprovar também a presença de Vaiapraia e as Rainhas do Baile, de Caroline Lêtho, de Deena Abdelwahed, de Intera Collective, de Aurora Pinho, e ainda, a actuação de vários DJs, como Mo Probs, DJ Ajax e Candy Diaz.

Vaiapraia e as Rainhas do Baile
Neuza Rodrigues

Comprometido com celebrar o feminismo e a cultura queer, através de uma programação transdisciplinar e inclusiva, o festival tem como destaque deste ano quatro conversas de entrada gratuita que têm lugar no Museu do Aljube. No dia 27, a primeira conversa é sobre “Gentrificação, direito à habitação e processos de exclusão”, seguindo-se um debate sobre “Recolha de dados de origem étnico racial nos censos”. No dia 28, o foco é “Poesia, Literatura, Intenção e Intervenção Política” e a última conversa, no dia 29, centra-se em conceitos que não vivem separadamente: “Identidade, Género e Violência”. Todos os painéis ainda se encontram em aberto e com nomes a confirmar até ao final do mês.

A maioria das actividades do festival são grátis, mas tenha em atenção que os ciclos de cinema na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa têm o custo de 2€. Já a festa de encerramento custa 25€ (no entanto, caso compre o bilhete em pré-venda, tem um desconto de 5€). Pode comprar os bilhetes aqui.

+ A Caia abriu a primeira loja e tem uma colecção de fatos de banho reversíveis

+ Comoba: comida orgânica, das panquecas aos burritos, a qualquer hora do dia

Últimas notícias

    Publicidade