Um chef em casa? É para já

Nem sempre comer em casa é sinónimo de sacar de comida de caixas de alumínio. Estes seis serviços vão a casa dos outros e levam a festa atrás. E com jeitinho ainda lhe dão umas dicas.
jantar supper star
Fotografia: Manuel Manso Supper Stars
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Passamos a vida a dizer que o que faz em casa é consigo e o que faz na rua é com a Time Out, mas desta vez decidimos meter o bedelho na sua cozinha. Para fazer um figurão entre amigos, safar um jantar de cerimónia, ou ter uma noite diferente, opte por um chef em casa. Estes fazem-lhe a papinha toda (incluindo a limpeza final). 

Um chef em casa? É para já

IBO - Camarões Selvagens à Laurentina com Chutney de Banana
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Pan-africano

Ibo

icon-location-pin Cais do Sodré

Houve uns quantos clientes habituais que começaram a dizer ao IBO que bom mesmo era ter tudo o que há no restaurante só que no conforto do lar e na alegria das festas caseiras. Sendo assim, o chef vai a casa e termina lá qualquer prato das especialidades moçambicanas da carta, dos camarões selvagens à laurentina (21€) ao caril de caranguejo desfiado (33€) ou ao camarão tigre grelhado com molho piripíri (31€). O serviço é sempre personalizado – combinam-se os tempos do serviço, o que se faz em casa do cliente segundo o espaço, até que horas o chef pode ou não ficar. O preço também é acordado, segundo a deslocação e os pratos por pessoa.

Rua da Cintura do Porto de Lisboa, Armazém A (Cais do Sodré). 96 133 2024/ 21 342 3611.

El Taco Chingón
Fotografia: Manuel Manso

El Taco Chingón

Pedro Leitão não lhe leva só o chef (ele próprio) a sua casa. Leva os sombreros, as mascaras de lucha libre, outras decorações temáticas e até um barman que faz margaritas, cocktails originais e serve cervejas mexicanas. A ideia surgiu-lhe quando voltou do México apaixonado por tacos: foi só fechar as receitas dos tacos campechano, com uma mistura de maminha, linguiça e torresmos; dos tacos al pastor, com carne de porco temperada com achiote, condimento típico deste prato; ou dos tacos com carnitas – entrecosto, cachaço e carne de vaca. Na bagagem ainda leva guacamole ou frijoles refritos, uma pasta de feijão frito (18 euros por pessoa, 40 euros com barman e bar aberto). Pedro faz-lhe a festa onde for preciso (até fora da grande Lisboa) e leva uma playlist very typical.

Marcações através do site www.eltacochingon.pt/tacosemcasa ou do facebook

Publicidade
workshop comida saudavel
©DR

Cru com Pinta

Desde que abriu a sua Cru Kitchen, Inês Simas tem feito alguma força para que os convidados vão ao Restelo conhecer a sua nova casa, mas continua a ir às cozinhas dos outros fazer workshops seguidos de jantares e ensinar como viver a vida sem cozinhar alimentos. A partir de oito pessoas, ensina a fazer um carpaccio, um tártaro e um ceviche para entrada, prato principal e sobremesa. Se quiser especializar o grupo de amigos em alguma destas iguarias, Inês tem uma mão cheia de receitas para resolver o assunto. É possível fazer uma refeição só de ceviches, de tártaros ou de carpaccios: uma entrada de vegetais, um prato principal com peixe cru e uma sobremesa com frutas e algumas espumas. Vá afiando as facas de corte e pondo a mesa para o jantar pós-aulas.

Cru Kitchen, Rua Domingos Tendeiro, 40 (Restelo). Marcações através do site www.crucompinta.com.

besushi
©DR

Besushi

Um belo dia, quatro amigos (três deles peritos na arte de fazer sushi) tiveram uma epifania: abrir um restaurante em Carcavelos com peixe e marisco fresco.“Começou por ter uma grande componente de home delivery e take-away”, conta Francisco Martins, um dos sócios. O negócio correu tão bem que não tardaram em abrir um pequeno espaço em Entrecampos. Daí foi um salto até começarem a ir cozinhar a casa das pessoas. “Já fazíamos sushi há seis ou sete anos, trabalhámos com chefs experientes, por isso só tivemos de pôr os nossos conhecimentos em prática”. Só tem de juntar 10 amigos para, a partir de 21 euros por pessoa, ter uma farra japonesa sem tirar os pés de casa. 

Para reservar: besushi.pt ou 21 588 5051.

Publicidade
jantar supper star
Fotografia: Manuel Manso

Supper Stars

A Supper Stars é uma a plataforma online que reúne chefs (como se folheasse um catálogo), e proporciona “experiências gastronómicas” em casa das pessoas. “Queremos simplificar a vida aos nossos clientes. A ideia é que eles não tenham que se preocupar com nada, apenas com os seus convidados. Os chefs chegam, cozinham, servem e no fim arrumam tudo”, explica Margarida Correia, que, juntamente com Tiago Correia, é uma das sócias do projecto. “Queremos ter tantos chefs quantos restaurantes existem em Lisboa. E o mais engraçado é que podes escolher por especialidade. Uns fazem uma cozinha mais asiática, outros são peritos em comida italiana e por aí fora.” Os preços arrancam nos 35€/pessoa e o grupo tem de contar com pelo menos seis amigos.

Reservas: www.thesupperstars.com.

ostra marisqueira azul
Fotografia: Ana Luzia

Mariscadas em Casa

Foi durante uma tarde de Verão, enquanto Marco Resende preparava uma mariscada para os amigos, que alguém lhe disse que ele devia dedicar-se ao negócio de cozinhar para os outros. A ideia ficou a marinar e só foi posta em prática quando Tomás Cortez e Luís Jardim, os outros dois sócios, entraram na equação (afinal, três foi a conta que Deus fez). Durante meses cozinharam para amigos e afinaram receitas para depois começarem a servir generosos tachos de arroz de polvo, marisco ou lavagante, cozinhados na casa dos clientes. 

Reservas para mariscadas.emcasa@gmail.com. (mínimo 8 pessoas; preços entre os 20 e os 35€ por pessoa)

Outras ideias para juntar os amigos

Rio Maravilha
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores sítios para jantares de grupo em Lisboa

O jantar de curso, o convívio da empresa, a festa de Natal do regimento, a despedida de solteiro ou a celebração do aniversário, tudo são bons pretextos para uma jantarada. Dos que gostam de comida asiática aos que só comem a da avó, para grupos grandes ou pequenos, há de tudo e para todos.

vertente natural
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Coisas radicais para fazer em Lisboa

Aviso prévio: este artigo é impróprio para cardíacos. Os níveis de adrenalina prometem subir só de ler. É que visitar uma casa de terror, fazer coastering, ir a um restaurante clandestino, saltar de asa delta ou passear pela serra de Sintra à noite não é para meninos. Destemidos da cidade: aqui estão coisas radicais para fazer em Lisboa. E riscar da bucket list.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com