Os sete edifícios mais bonitos de Sydney

Conhecer alguns dos edifícios mais emblemáticos de Sydney é também conhecer a cidade. Dos mais antigos aos mais contemporâneos, alguns bem controversos.

Photograph: Creative Commons

No que ao património arquitectónico diz respeito, Sydney nem sempre tratou bem os seus edifícios. Ao longo do tempo, a cidade nem sempre soube preservar os seus espaços , mas não nos podemos esquecer nunca que é aqui que fica um dos mais famosos edifícios do mundo. Há ainda museus e casas coloniais, por vezes nem sempre conhecidos. Faça um tour pelos edifícios mais bonitos de Sydney e descubra como há mais para lá da Opera House – e não somos nós que o dizemos, são os nossos colegas da Time Out Sydney. Não deixe de passar por lá se está a planear viajar até ao outro lado do mundo. 

 

Os sete edifícios mais bonitos de Sydney

Queen Victoria Building (QVB)

Queen Victoria Building (QVB)

É um projecto de George McRae, que queria que o edifício se parecesse com um palácio bizantino. O QVB ocupa um quarteirão inteiro na George Street e durante muito tempo dominou a linha do horizonte de Sydney com o seu dramático tecto abobadado – uma cúpula de vidro revestida de cobre. A obra ficou completa em 1898 e desde então já teve muitas vidas. Hoje tem mais de 200 lojas, incluindo cafés e restaurantes.

Sydney Opera House

Sydney Opera House

É quase um milagre que o design visionário de Jørn Utzon tenha sido escolhido na sonolenta Austrália de 1957 – embora não seja tão surpreendente que Utzon tenha sido depois despedido e o projecto tenha ficado comprometido. Continua a ser uma visão impressionante, 45 anos depois. Há várias visitas guiadas na Opera House que lhe dão a conhecer toda a história do edifício.

Publicidade
Dr Chau Chak Wing Building

Dr Chau Chak Wing Building

Depois de cinco anos de especulação sobre o design, este edifício de Frank Gehry abriu em Fevereiro de 2015, altura em que foi descrito pelo governador-geral da Austrália, Peter Cosgrove, como “o mais bonito saco de papel amarrotado alguma vez visto”. O Dr Chau Chak Wing Building é a casa da University of Technology Sydney’s Business School.

Vaucluse House

Vaucluse House

A mais antiga casa-museu da Austrália fica numa propriedade do século XIX, rodeada por dez hectares de terra, com praia privada, e tudo em Vaucluse Bay. De 1827 a 53 e de 1861 a 62 foi a opulenta casa do explorador e autor William Charles Wentworth – a casa mantém-se hoje como naquela época, como se Wentworth ainda lá vivesse.

Publicidade
Rose Seidler House

Rose Seidler House

Harry Seidler construiu esta casa, entre 1948 e 1950, para os pais. O ambicioso arquitecto viajou de Nova Iorque, onde trabalhava com o guru da Bauhaus Marcel Breuer, especificamente para construir esta casa. Foi considerada então a primeira manifestação da arquitectura doméstica moderna do meio do século. Os pais, Max e Rose Seidler, viveram aqui até 1967. Está aberta ao público todos os domingos.

One Central Park

One Central Park

Este edifício de vidro coberto de plantas é de 2013 e foi desenhado por Jean Nouvel e pelo botânico Patrick Blanc. É o primeiro deste tipo na Austrália graças ao seu heliostato ecológico – um espelho plano que reflecte a luz solar, conservando e produzindo energia solar para o edifício. Este edifício contém apartamentos, lojas, restaurantes e uma sala de cima.

Publicidade
Sirius

Sirius

Imagine que alguém quer demolir o Barbican Center em Londres para substituí- -lo por apartamentos de luxo. É essa a situação que o Sirius, de 1979, um edifício habitacional, enfrenta. Há muito tempo um crítico contemporâneo dizia que o Sirius “parecia desenhado por um grupo de drogados saído da Laranja Mecânica” – talvez por isso gostemos tanto dele. Infelizmente tem os dias contados. Os moradores já foram expulsos, mas ainda é possível admirá-lo da rua.

Agência de viagens Time Out

Os cinco melhores mercados de Londres

Já existem mercados em Londres desde pelo menos a Idade Média - e felizmente para nós, com o tempo inconstante desta cidade, alguns deles são cobertos. Os gostos mudaram-se ao longo dos tempos e agora os mercados de Londres têm de tudo um pouco, desde agricultores e mercados de moda a uma série de mercados dedicados à comida de rua. Os mercados locais também são de se visitar, mas vamos dedicar-nos aos maiores e mais famosos mercados de Londres, por agora. De flores no Columbia Road Flower Market a comida gourmet em Borough, estes são os mercados a visitar em Londres. 

Ler mais
Por Nick Levine

Dez monumentos em Paris que tem mesmo de ver

A Torre Eiffel, o Arco do Triunfo, a catedral de Notre-Dame, o Louvre... Estamos de acordo, mas os monumentos obrigatórios em Paris não se ficam por aí. Dizemos-lhe dez monumentos que devia conhecer na capital francesa e que provavelmente, até agora, não estavam na sua lista de prioridades. E não somos nós que dizemos, é a Time Out Paris.

Ler mais
Publicidade

Oito lugares a não perder em Barcelona

Dizemos-lhe oito lugares a não perder em Barcelona, mas a lista completa da Time Out Barcelona contempla 50 paragens obrigatórias. É difícil fazer uma lista com todos os monumentos (museus, parques, praças, jardins, achados arqueológicos, edifícios reconhecidos, mercados...) que uma cidade tem. Mas os nossos colegas de Barcelona fizeram um esforço para nos darem os lugares imprescindíveis, tanto para turistas como para todos os que vivem na cidade. 

Ler mais
Por Erica Aspas

Comentários