A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Torre de Belém
Melissa VieiraTorre de Belém

Visite monumentos de Lisboa e do Porto sem sair de casa

Chega de saudade: estes monumentos das zonas do Porto e Lisboa podem ser visitados com a ajuda da plataforma Portugal em 360º.

Escrito por
Renata Lima Lobo
e
Bárbara Baltarejo
Publicidade

Diz a sabedoria popular que só damos importância às coisas quando as perdemos. Felizmente estamos só temporariamente impedidos de visitar alguns dos maiores símbolos da história nacional, como a Torre de Belém, em Lisboa, ou a Torre dos Clérigos, no Porto. Enquanto não nos é possível passar pela porta de entrada pelo nosso próprio pé, podemos matar saudades de mais de 1700 panoramas nacionais na plataforma Portugal em 360º, entre vilas, cidades, castelos, palácios ou patrimómio natural, divididos por tema ou local. Nesta lista encontra monumentos das duas principais áreas metropolitanas do país.

Recomendado: Visitas aos museus de Lisboa dentro de casa

Visite monumentos de Lisboa e do Porto sem sair de casa

É um dos monumentos mais visitados do país e por isso mesmo foi um dos primeiros a encerrar (logo na sexta-feira, 13 de Março). Edificado no século XVI, em 2016 ganhou o estatuto de panteão nacional. Aqui encontra túmulos de distintos portugueses como Camões ou Vasco da Gama. E ainda do rei D. Sebastião, cujos restos mortais foram trazidos por D. Filipe I numa tentativa de acabar com o mito sebastianista. Há quem não acredite que aqui jaz o Desejado.

Erguida durante o reinado de D. Manuel I, começou por ser uma estrutura de defesa da barra do Tejo, juntamente com o baluarte de Cascais e a fortaleza de São Sebastião da Caparica. Online consegue vê-la bem de perto, por dentro e por fora. Os quatro andares dão para o rio, mas é no terraço que a vista é mais desafogada. Enquanto sobe e desce, espreite o claustro, a Sala das Audiências, a Sala do Rei ou a Boca de Fogo.

Publicidade

Remonta ao século XVIII e foi mandado construir pelo rei D. João V, tornando-se no mais importante edifício barroco do país. É aqui que mora a famosa Biblioteca Nacional de Mafra, com um acervo de quase 40 mil volumes. No Portugal em 360º não a pode ver de perto, mas consegue apreciar quase à lupa os seis órgãos históricos da Basílica, uma encomenda especial do rei.

Primeiro Sintra cancelou os eventos, depois fechou os parques e monumentos. Se tinha bilhetes, guarde-os: são válidos até ao fim de 2021. Enquanto espera pela visita, espreite o Palácio da Pena, jóia da vila e umas das principais expressões do romantismo arquitectónico do século XIX em todo o mundo, graças à visão do rei consorte D. Fernando II. Esta é uma das visitas virtuais mais bonitas, por espaços como o Quarto da Rainha, a Sala Indiana, o Salão Nobre e a cozinha, tudo decorado à época. Da varanda, quase dá para respirar o ar puro do Parque da Pena.

Publicidade

Foi concebido para ser residência de Verão da família real, mas acabou por se tornar na primeira habitação de D. Maria I e sua descendência, após o incêndio da Real Barraca da Ajuda, em 1794, para onde a corte se tinha mudado depois do terramoto de 1755. Alguns espaços foram ajustados para receber tão ilustres moradores e é possível ver em 360º divisões como os quartos da Princesa e da Rainha ou a Sala do Trono (não se desiluda: não tem trono nenhum).

As longas filas na Rua das Carmelitas para visitar a mítica livraria portuense desapareceram. A boa notícia é que pode ver a Lello na mesma. O espaço histórico – que recentemente também criou o primeiro “drive thru” livreiro do país, oferecendo livros gratuitamente – está agora de portas abertas a visitas virtuais. Não dá para tirar selfies, mas pelo menos permite matar saudades da belíssima escadaria pintada a vermelho e das estantes do chão ao tecto forradas a livros.

Publicidade

Habituada a dar música aos portuenses e aos turistas que a visitam, a Casa da Música está, por agora, vazia. Em palco não há músicos, no café não há artistas e no exterior desapareceram os skaters. É, portanto, uma boa altura para percorrer os corredores e as salas do edifício concebido pelo arquitecto holandês Rem Koolhaas.

Não passa despercebida na paisagem, quer seja da Ribeira de Gaia ou do Jardim das Oliveiras. É dona de uma das mais bonitas vistas sobre a cidade e está agora a receber internautas, enquanto não pode abrir as portas a visitantes de carne e osso. Esta experiência não serve de exercício físico, até porque não permite subir os 225 degraus até ao topo. Garantimos, no entanto, que o leva até 75 metros de altura, com direito a admirar o rio Douro e o Largo Amor de Perdição, em frente ao Centro Português de Fotografia.

Publicidade

Se a última vez que esteve no Palácio da Bolsa, um dos monumentos mais visitados da cidade, foi para marcar presença no festival Essência do Vinho, é natural que não se lembre a 100% da beleza do espaço. Aproveite então as visitas virtuais para reavivar a memória. Vai poder admirar todos os espaços, das míticas escadarias à sala dos retratos, sem esquecer o Salão Árabe, com ar exótico e coberto por folha de ouro.

É conhecida essencialmente pela fachada em azulejos de tom azul, cenário de muitas fotografias de Instagram. Mas vale a pena explorar o interior, de portas abertas ao culto desde 1768. A visita virtual permite ainda conhecer outros espaços, como a casa mais estreita da cidade do Porto. Fica entre a Igreja do Carmo e a Igreja das Carmelitas e foi remodelada em Abril de 2018. Fun fact: esta casa acolheu reuniões secretas durante as Invasões Francesas, as Guerras Liberais e até durante o Cerco do Porto.

Mais que fazer em casa

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade