A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Pichas Murchas

As ruas com nomes mais estranhos em Lisboa

Há nomes que não lembram nem ao diabo. Descubra a história por detrás das ruas com nomes mais estranhos em Lisboa.

Escrito por
Luís Leal Miranda
e
Renata Lima Lobo
Publicidade

Todas as cidades têm uma Rua Direita, uma Almirante Reis ou uma 5 de Outubro. Mas uma Triste-Feia, por exemplo, só nós. Já para não falar no Jardim das Pichas Murchas que tantas fotografias arranca de quem por ali passa. Mas afinal quem é que se lembrou de nomes assim? O que significam eles? Confesse que já pensou nisso várias vezes. Não dê mais voltas à cabeça, estamos cá para o ajudar. Gostava de descobrir a história por detrás das ruas com os nomes mais estranhos em Lisboa? Então tome nota.

Recomendado: Descubra onde é isto e teste se é um verdadeiro lisboeta (parte 4)

As ruas com nomes mais estranhos em Lisboa

A Triste-Feia

A Triste-Feia

Curiosidade: não é uma rua, nem uma travessa, nem uma avenida. É só a Triste-Feia. O topónimo mais miserável de Lisboa fica em Alcântara, entre a Rua Costa e a Rua Maria Pia, por detrás da estação Alcântara-Terra. A origem do nome não é muito clara, mas deve-se a uma mulher triste, e por isso feia; ou feia, e por isso triste.

Azinhaga da Bruxa

É uma estreita azinhaga localizada no Beato, junto ao Bairro da Madredeus, uma das sobreviventes que ainda evocam o passado rural de freguesias como o Beato, Marvila ou os Olivais. Quanto ao nome, podia ser até ser uma referência a uma pessoa não muito agradável, mas segundo a secção de toponímia da Câmara Municipal de Lisboa o nome pode mesmo ter alguma relação com uma bruxa que aqui viveu ou com prática de bruxaria. Seja como for, não a vá conhecer durante a noite.

Publicidade

Beco da Bicha

O beco que liga a Rua de São Miguel à Rua da Regueira, em Alfama, é bem antigo. O seu nome já aparecia em registos paroquiais anteriores ao Terramoto de 1755, só que como "Beco da Bixa". Seria esta uma rua com comércio e longas bichas? Ou seria esta a morada de uma cobra, também considerada bicha no dicionário português?

Cunhal das Bolas

Não é rua, não é largo, não é betesga. É um arruamento que liga a Rua da Rosa à Luz Soriano. Um cunhal, diz o dicionário, é uma esquina ou um "ângulo saliente formado por duas paredes de um edifício". Portanto, metade deste topónimo está esclarecido. E é das bolas, porque os cunhais deste antigo palácio do século XVI (hoje Hospital de S. Luís dos Franceses), estão decorados com meias esferas em relevo.

Publicidade
Escadinhas da Porta do Carro

Escadinhas da Porta do Carro

Este intrigante lanço de escadas liga a Rua de São Lázaro à Travessa do Hospital e desemboca na entrada do Hospital de São José que dá actualmente acesso directo às Urgências. Esta entrada tem o nome de Porta do Carro. Porquê? Ora essa, porque até aos anos 20 do século passado a morgue ficava no local onde agora funciona o serviço de urgência, e era por ali que entrava o carro mortuário que conduziria os defuntos atés aos cemitérios.

Jardim das Pichas Murchas
Fotografia: Ana Luzia

Jardim das Pichas Murchas

Não é um jardim e não tem nada de murcho ou que possa murchar. Mas em tempos este pequeno largo na Rua de São Tomé, perto do Castelo, juntava a terceira idade do bairro em plena contemplação. Ora um calceteiro, de seu nome Carlos Vinagre, começou a chamar àquele sítio o jardim das pichas murchas, dada a quantidade de sistemas reprodutores ociosos que se sentavam naqueles bancos. O nome pegou, e nem mesmo uma tentativa da junta de mudar o nome demoveu os populares da zona, que defenderam sempre este topónimo.

Publicidade

Travessa dos Buracos

Pelo que pudemos apurar, este arruamento localizado no centro histórico dos Olivais não tem buracos, pelo menos nos dias que correm. Certo é que em tempos idos aqui existiu a chamada Quinta dos Buracos, a origem toponímica desta velha travessa. O edifício da quinta ainda existe, embora esteja devoluto, e foi num dos seus quartos que o revolucionário republicano José Maria Nunes montou um laboratório de engenhos explosivos.

Mais sobre Lisboa

  • Atracções

Responda rápido, por favor: qual é a pata direita do cavalo de D. José? Se precisa de ir ao Terreiro do Paço confirmar é porque preciso mesmo da nossa ajuda. Aqui na Time Out gostamos de sugerir pratos e restaurantes, mas não somos os melhores do mundo a alimentar as dúvidas. Se anda com uma pulga atrás da orelha com alguma questão sobre a cidade, talvez a consiga catar por aqui.

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade