Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Coisas para fazer em Evoramonte

Coisas para fazer em Evoramonte

Aproveite o fim-de-semana para dar um passeio até Evoramonte e siga a nossa lista de sítios que deve visitar

Por Ágata Xavier |
Publicidade
Evoramonte
Ágata Xavier Evoramonte

Com um nome que pode ser escrito junto ou separado, esta freguesia perto de Évora parece ilustrar um conto da Disney. Há até um castelo com uma arquitectura que parece aglomerar quatro castelos de areia de maneira a formar um quadrado. Estão lá também as típicas muralhas, as várias casas brancas debruadas a amarelo ou azul — algumas delas estão pintadas no chão, pela artista local Inocência, que tem uma loja na rua principal onde vende artigos típicos da região. Siga as nossas sugestões e saiba o que fazer quando for dar uma volta a Evoramonte (ou Évora Monte).

Recomendado: O melhor da Costa Alentejana

Coisas para fazer em Evoramonte

Castelo de Evoramonte
Ágata Xavier
Coisas para fazer

Castelo de Evoramonte

A torre foi mandada construir em 1531 por D. Jaime, Duque de Bragança, numa demonstração eficaz do poder dos Bragança, senhores de tudo o que estava aqui à volta – como Vila Viçosa por exemplo. Imponente e de cariz bélico, impõe-se na paisagem e vê-se num raio de 60 km. Por fora, como que a abraçar o edifício, há um nó em pedra, símbolo da Casa de Bragança que traduz a máxima: “Depois de Vós, Nós” – sendo que Vós é o rei. Crê-se que terá sido uma torre de suporte à caça e a sua construção é atribuída aos irmãos Arruda, os mesmos que desenharam a Torre de Belém – por algumas características arquitectónicas, como os baluartes, pensa-se que seja deles mas não há qualquer documento que o prove.Curiosidade: Diz-se que o desenho é inspirado no do castelo de Chambord e que possa seguir uma planta de Leonardo Da Vinci, mas é pura especulação.

Coisas para fazer

Casas da Sensa

Inocência, a quem chamam Sensa, é a artesã que pega nas pedras que encontra pelo caminho e as transforma em casas tradicionais alentejanas, com rodapés em azul ou amarelo. Começou a fazê-las a três dimensões há três meses e estão todas numeradas e assinadas, com algumas a terem viajado para Singapura, Toronto, Suíça, Bélgica, Brasil ou França. Começou por pintar na rua, no chão, há dois anos e já tem 53 espalhadas por Evoramonte. Contá-las é uma boa maneira de distrair os miúdos.

Publicidade
Viagens

A Place at Evoramonte

O A Place at Evoramonte tem quatro quartos, um deles é uma suíte com casa de banho privada (com direito a uma banheira vitoriana de pés e a vários álbuns do Tintim na parede) e uma vista PALplus sobre a planície – quem precisa de televisão quando se tem um ecrã destes? Há ainda uma área comum com jogos de tabuleiro, um minibar e um terraço onde se podem ver as estrelas enquanto se bebe um copo de vinho (e são vários os produtores que estão a menos de meia hora de distância, como João Portugal Ramos, a Herdade das Servas, Tiago Cabaço ou a Herdade do Freixo).No local onde fica agora a esplanada estava anteriormente um estacionamento de um café. Felizmente inverteram-se os papéis e agora já se pode almoçar ou jantar com uma paisagem desafogada pela frente. É também nesse terraço que os hóspedes podem provar o pequeno-almoço continental até às 11 horas, depois disso a zona passa a estar acessível a quem lá quiser passar.

Coisas para fazer

Andar a Monte

Este projecto familiar de gente nascida e criada em Evoramonte foca-se em experiências e oficinas ligadas ao artesanato e às tradições locais. “Queremos que as pessoas experimentem um Alentejo diferente, o das casas pequenas, da calma e do calor, das cigarras, da cortiça, das oliveiras. Queremos que as pessoas venham provar as nossas sopas de tomate, de beldroegas e de labaças (uma espécie de erva daninha, também conhecida por catacuzes, que ficam magníficas com feijão encarnado)”, explica Matilde, a porta-voz. Oficinas de tinturaria vegetal, tecelagem, cremes e essências (já têm alguns à venda, com ervas e flores da família como alecrim, alfazema ou rosas). Estão abertos desde o Verão e na mesma Rua da Silveirinha, uma galeria de arte com uma loja gourmet onde se fazem provas de vinho e degustações de produtos regionais.

Publicidade

Correr as capelinhas

Existem duas igrejas dentro das muralhas, a da Misericórdia (apenas visitável por marcação) e a de Santa Maria, construída depois do terramoto de 1531 (esquecido pelo de 1755). Não sendo um edifício religioso, mas que pede romaria, não se esqueça de visitar a casa da Convenção, onde foi assinado, em 1834, o documento que pôs fim à guerra entre Absolutistas e Liberais.

Escapadinhas

Herdade do Esporão
©DR
Coisas para fazer

Escapadinhas: sete sugestões de enoturismo no Alentejo

É sobretudo na planície dourada (mais seca e quente), mas também nos declives das serras (mais húmidos) que crescem as vinhas alentejanas — e cada terroir garante um sabor distinto aos vinhos. Em Portalegre, por exemplo, as vinhas estão plantadas nas encostas graníticas da Serra de São Mamede, criando uma espécie de microclima que torna as temperaturas mais baixas que o habitual. Dividida em oito principais sub-regiões vinícolas — Borba, Évora, Moura, Redondo, Granja/Amareleja, Portalegre, Reguengos e Vidigueira — a vinicultura no Alentejo esteve até tarde em segundo plano, por causa da produção de cereais, tendo apenas começado a desenvolver-se nos anos 50 do século passado. Com a região a ser demarcada em 1988, o Alentejo tornou-se numa das zonas mais ricas e interessantes em enoturismo. Conheça as nossas sugestões de enoturismo no Alentejo. 

São Lourenço do Barrocal - Vista Exterior
©Nelson Garrido
Hotéis

Os melhores hotéis no Alentejo para uma escapadinha

Se juntarmos o baixo e o alto, a lembrar um famoso anúncio de detergentes, criamos a maior região portuguesa. Com uma gastronomia rica e paisagens tão variadas como a costa marítima, as planícies ou os vales profundos, o Alentejo já foi conhecido como o celeiro de Portugal. Agora, se separarmos o trigo do joio, é um dos melhores destinos para se passar umas férias desligadas de tudo e todos. De hotéis de cinco estrelas desenhados por gente que guarda um Pritzker em casa, a turismos rurais que nos fazem querer trocar a cidade pelo campo para sempre, são dez as sugestões de sítios onde pode ficar a dormir. Estes são os melhores hotéis no Alentejo para uma escapadinha. 

Publicidade
Pôr-do-sol no restaurante A Choupana
Fotografia:Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes

Atire-se aos pratos e diga que o empurraram. Não pode mesmo perder os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes — porque ir ao Alentejo e não estragar a dieta, não vale. Vila Nova de Milfontes podia muito bem ser Vila Nova do Mil restaurantes, tantas são as mesas à nossa espera. Vá por nós, almoce e jante por aqui. Quer carne ou peixe? Marisco ou só tapas? Petiscos, marisco, peixe ou carne — aqui há de tudo, para todos. Jante junto ao mar ou no meio da vila. Descubra os melhores restaurantes em Vila Nova de Milfontes. 

Publicidade