A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
  1. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  2. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  3. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  4. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  5. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  6. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  7. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  8. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  9. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  10. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  11. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  12. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  13. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  14. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  15. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  16. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  17. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  18. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix
  19. Jardim Botânico Tropical
    Fotografia: Inês Félix

Descubra como ficou o Jardim Botânico Tropical

O Jardim Botânico Tropical fechou para obras em Janeiro de 2019. Com a Primavera à porta, reabriu ainda mais bonito.

https://media.timeout.com/images/105796494/image.jpg
Escrito por
Raquel Dias da Silva
Publicidade

Ano novo, vida nova: encerrado há um ano, o Jardim Botânico Tropical, em Belém, está novamente de portas abertas. Monumento nacional desde 2007, tem cerca de sete hectares e mais de seis centenas de espécies botânicas, maioritariamente de origem tropical e subtropical.

Depois da conclusão da primeira fase do Programa de Recuperação e Beneficiação, que prevê uma intervenção paisagística e do património edificado, todos os elementos relacionados com o abastecimento e reciclagem de água se encontram renovados, desde o Lago Principal aos riachos do Jardim Oriental e aos canais de circulação. Foi também recuperada a área verde, feita a higienização da estatuária existente no local e aberto ao público o Jardim dos Catos, um espaço patrimonial, material e imaterial, com enorme valor.

A intervenção nos edifícios históricos terá início ainda este ano, estando também prevista a construção de um edifício de raiz, para ampliar a visibilidade e atractividade do jardim, reunindo as Reservas de Espécimes Biológicos conservados em meio líquido, que se encontram armazenadas em diferentes locais e instituições.

Aberto todos os dias do ano, excepto nos feriados 25 de Dezembro e 1 de Janeiro, o Jardim Botânico Tropical, em Belém, pode ser visitado entre as 09.00 e as 17.00, de Outubro a Março, e entre as 09.00 e as 20.00, de Abril a Setembro. Com entrada grátis para menores de dez anos, o preço dos bilhetes varia entre os 2€ (estudantes, menores de 18 anos e maiores de 65 anos), 4€ (adultos) e 10€ (famílias com dois adultos e duas crianças).

Recomendado: Seja um naturalista: passeios e workshops para respirar ar puro

Ode à natureza

  • Atracções
  • Parques e jardins

Em Lisboa há parques para todos os gostos e nós escolhemos os melhores para brincar com os miúdos, ler um livro ou fazer um piquenique, independentemente da altura do ano. Afinal todos os dias são bons para uma pausa num destes parques e jardins de Lisboa.

  • Hotéis

A verdade é que passar férias num parque de campismo já não é o que era. Há cada vez mais e melhores opções. E são muitos os encantos em dormir no meio da natureza, do ar puro à oportunidade de adormecer com uma banda sonora natural. Desde parques dedicados ao ecoturismo até aos glampings, o difícil será escolher.

Publicidade
  • Hotéis

Está cada vez mais preocupado com o ambiente? Na hora de planear férias, há muitas formas de ser sustentável. Os eco resorts, por exemplo, são construídos com materiais sustentáveis e reciclados, conservam mais água e têm iluminação com eficiência energética. Optar por estes alojamentos, em vez das unidades hoteleiras tradicionais, permite-lhe reduzir a sua pegada ecológica e conectar-se com a natureza.

  • Coisas para fazer

Custa admitir, mas tem de ser: é raro darmos conta da paisagem lá em cima, a não ser quando as notícias sobre fenómenos astronómicos pontuais invadem as redes sociais. De repente, não há ninguém que não queira olhar para o céu, mas a beleza celestial está disponível o ano inteiro. A Atalaia, no Montijo, ou o Santuário da Peninha, são apenas duas das muitas sugestões feitas por quem namora com o céu há pelo menos umas dez chuvas de estrelas.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade