Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Escape Rooms em Lisboa. Acha que consegue escapar?

Escape Rooms em Lisboa. Acha que consegue escapar?

Crimes, lições de História, intrigas, espionagem e Illuminati. Há escape rooms em Lisboa para todos os gostos

locked riddles
©Luciano De polo
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Os escape games chegaram timidamente a Lisboa em 2014. Cinco anos depois, as nossas duas mãos não chegam para contar todas as salas que existem na cidade. São cada vez mais, maiores, mais diversificadas e difíceis estas armadilhas para intelectuais masoquistas. Os níveis de dificuldade variam e os temas são sempre diferentes. Basta percorrer a Baixa de Lisboa para encontrar diferentes opções, com tramas que envolvem crimes, a Revolução dos Cravos, Fernando Pessoa, os Descobrimentos ou o vinho do Porto. Mas sabia que não há nenhum sobre a Fuga de Peniche, em que dez presos políticos se evadiram de uma prisão de alta segurança? Reúna os amigos, foque-se nas pistas, tente resolver a charada e raspe-se dos quartos que se seguem.

6 Dicas básicas para sobreviver a uma sala

Agir contra os nossos instintos. A maçaneta não roda? E se a girar no sentido contrário? As escape rooms estão cheias destas armadilhas contra-intuitivas, mas muito simples.

Trabalhar em equipa. Dividam-se por cada parte da sala (ou divisão) e distribuam tarefas. Duas cabeças pensam melhor que uma, sobretudo se estiverem em partes diferentes.

Ser prático. Se já descobriram os dois dígitos de uma combinação de três, não tentem decifrar o número que falta. Simplesmente cheguem lá por tentativa e erro. 

Levar um amigo bom a matemática. O raciocínio lógico não é assim tão abundante quanto isso e é muito útil em qualquer sala de fuga.

Usar bem o inventário. Por regra, cada objecto ou pista tem uma única utilização. Se já serviu o seu propósito, pode ser arrumado.

Evitar grupos grandes. Um grupo de quatro a cinco pessoas é ideal. Mais gente só vai dar confusão.

Pensar simples. A solução mais básica é, muitas vezes, a solução certa. Se der por si a fazer funções, derivadas e integrais, é porque está a ir longe de mais.

Recomendado: Ideias para aproveitar os 220 dias de sol em Lisboa

Escape Rooms em Lisboa. Acha que consegue escapar?

Coisas para fazer

Mercadinho do Povo

icon-location-pin Grande Lisboa

As regras são as mesmas da versão mais tradicional, mas há álcool à mistura. Uma das salas é inspirada no filme A Ressaca, onde os protagonistas, depois de uma noite em Las Vegas, acordam na manhã seguinte sem qualquer recordação, mas com a vida do avesso. Cada participante tem direito a um shot antes do arranque do jogo. Pelo meio, à medida que são decifradas pistas, há mais shots surpresa e descontos para os bares do mercado. Com dificuldade para principiantes, o único desafio é manter-se sóbrio o suficiente para saber o que está a fazer. As salas são adaptadas a pessoas com mobilidade reduzida, uma vez que não têm labirintos e a entrada respeita as medidas para as cadeiras de rodas. Depois de escapar da sala, pode ir beber mais uns copos, nos bares ou na tasca do Mercadinho.

Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Escape Rossio

icon-location-pin Santa Maria Maior

Se gosta de uma intriga danbrowniana sobre a sociedade secreta dos Iluminati, tem de ir a este escape room. O projecto é o resultado do trabalho de uma associação de produtores de jogos de realidade alternativa e entusiastas desta temática. O espaço de jogo desenrola-se num ambiente clássico de uma casa situada nos antigos dormitórios dos Monges da Igreja de São Domingos no Rossio, parte que resistiu ao célebre incêndio que fez ruir a Igreja no dia 13 de Agosto de 1958. No que foram outrora os aposentos de um antigo mosteiro dominicano em pleno Rossio, pode estar escondido o maior segredo de todos os tempos.

Publicidade
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Lisbon Escape Game

icon-location-pin Santa Maria Maior

A Lisboa dos anos 40 e da fervilhante e sedutora actividade dos espiões é o pano de fundo no Lisbon Escape Game, perfeito para quem quer desenlaçar uma trama de espionagem. Em A Casa do Espião, a Segunda Guerra Mundial está ao rubro e algumas das mais importantes decisões do mundo estão prestes a ser tomadas. Mas há mais. Numa segunda sala, Portugal continua a viver mergulhado num regime autoritário, governado com “mão de ferro”, e a amante do espião brilhante está no centro da trama. Ambos os jogos são ficcionais, mas baseados em factos verdadeiros e históricos de que Lisboa foi em tempos uma misteriosa cidade de espiões. A ideia é descobrir um pouco mais sobre esses tempos e experimentar a vida de um agente duplo.

Coisas para fazer

Lx Escape

icon-location-pin Alcântara

São 60 minutos a reunir pistas e resolver charadas. Neste escape room, ou jogo de fuga, o destaque vai para a temática burlesca. Há três salas. Na sala Red, Sally ressurge das cinzas aos 27 anos num popular clube de burlesco. Na sala Rain, Sally é encontrada morta na casa de banho do clube onde actuava. Na sala Sally, já estamos no futuro, no ano de 2167 e, numa das desactivadas salas do antigo cabaret onde Sally actuava, surgem sons e vozes estranhas. Aceite estes desafios e junte um grupo de amigos ou faça uma sugestão de team building na sua empresa.

Publicidade
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Game Over

icon-location-pin Bairro Alto

Há seis salas de fuga com cenários de fundo dos filmes Saw, Templo Proibido de Montezuma, Top Secret, Game of Thrones, Walking Death e The Jack The Ripper. Adrenalina é a palavra de ordem para quem aceita o desafio de escapar a estas salas sem que o tempo se esgote, sendo que cada sessão dura 60 minutos. Este escape room está desenhado para grupos de duas a sete pessoas, tendo também programas especiais para receber team buildings ou festas de aniversário. Reúna os amigos, foque-se nas pistas, tente resolver a charada e raspe-se dos quartos mais stressantes da cidade.

Safarka Escape Room
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Safarka Escape Room

icon-location-pin Campo de Ourique

Entrar num quarto de propósito só para fugir dele. O conceito de escape room não deixa Lisboa fugir e este mete mais gente ao barulho. Chama-se Safarka Escape Room e aterrou em Campo de Ourique. E é bem capaz de ser o jogo de fuga mais realista desta banda: para já é o único de Lisboa com direito a actores profissionais durante todo o enredo. A história começa em Campo de Ourique, mas a proposta é que viaje até às profundezas do planeta Terra para uma viagem (ou safarka na língua somali) que tem como ponto de partida a descoberta de uma pirâmide no subsolo da Somália, no longínquo ano de... 1990. A boa notícia para uns, má para outros, é que os diferentes jogos disponíveis colocam à prova não só a compreensão espacial, mas conhecimentos nas áreas da química, inglês e matemática, o que o torna um enigma de elevado grau de dificuldade.

Publicidade
puzzle room
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Puzzle Room

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Ficar fechado numa casa cheia de surpresas. É este o plano no Puzzle Room, um escape room concebido para grupos de duas a sete pessoas. Já sabe que terá que resolver quebra-cabeças e apelar à sua enormíssima capacidade intelectual para superar todos os desafios (e fazer um brilharete). Acrescente-se que o pano de fundo é sempre a história de Lisboa e os seus múltiplos encantos, que podem ser desvendados em seis puzzles diferentes. Se preferir, pode marcar um aniversário ou optar por um team building na sua empresa.

escape the room
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Escape The Room

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Escape The Room é sinónimo de "live escape game". Está desenhado para grupos (até seis ou dez pessoas, consoante o desafio), à semelhança dos demais. Mais uma vez, tem 60 minutos para se tentar raspar do quarto em que está preso. Pode escolher entre três desafios. O  “O Vírus Hoffan” é bom para iniciantes. Depois, tem o jogo "Drácula" e "O Serial Killer" (o único para grupos até dez pessoas) para craques do pensamento criativo e lógico.

Publicidade
escape hunt lisboa
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Escape Hunt Lisboa

icon-location-pin Baixa Pombalina

Veste o papel de um verdadeiro Sherlock Holmes, junta família e amigos. O Mistério de Pessoa, o Terramoto de 1755 ou a Introdução a uma Sociedade Secreta prometem animar as hostes — e fazê-las suar, se disso for caso. O The Escape Hunt gaba-se de ser a atracção número um no ranking do TripAdvisor em diferentes cidades. Na sucursal alfacinha, apresenta seis salas divididas por três temas. Estão abertos 365 dias por ano, sete dias por semana, formando grupos de dois a cinco jogadores. 

mission to escape
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Mission to Escape

icon-location-pin Lisboa

Se anda à procura dos jogos do Mystery Escape Game, pare a busca. A casa mudou de nome, tem novas missões, mas mantém o espírito e a equipa. No Mission to Escape, os desafios agora são seis com temáticas tão distintas como Prison Escape, Templar’s Codex, Ocean’s 5 — The Robbery, The White House, O Sarcófago e O Testamento, estes dois últimos jogos no pólo de Benfica (na Rua Doutor Joaquim Manso, 12A). 

Publicidade
Lost Room - Escape Game
©DR
Coisas para fazer, Jogos e passatempos

Lost Room

icon-location-pin São Sebastião

Lost Room surge do desejo de tornar a experiência das escape rooms o mais realista possível. Para isso recorreu-se ao uso de inovações tecnológicas para quebrar as últimas barreiras do jogo e colocá-lo não numa sala, mas numa realidade paralela completamente diferente, onde o jogo não tem limites e os participantes serão transportados para ambientes aos quais não teriam acesso de outra forma. Na sala lisboeta onde se aposta na realidade virtual, jogam no máximo seis pessoas. Basta escolher entre o Cosmos 
e o Mind Horror, um filme de terror. Brevemente, será lançado um novo escape room, inspirado na história da Alice no País das Maravilhas.

Coisas para fazer

Escape2Win

icon-location-pin Ajuda

Os jogos são para todas as idades, entre dois a seis ou dois a dez jogadores e têm a duração habitual de uma hora. No pólo da Ajuda, há três escape rooms para escolher: Escape The Bomb (35€/duas pessoas-60€/seis pessoas), onde terás de desactivar uma bomba e evitar uma Terceira Guerra Mundial; Asylum (de 40€/duas pessoas a 110€/dez pessoas), onde se corre o risco de perder a alma para sempre juntamente com as vozes atormentadas dos fantasmas dos residentes de um antigo manicómio; e Asylum Dark (de 40€/duas pessoas a 110€/dez pessoas), uma versão mais assustadora de Asylum com pouca luminosidade e alguns sustos. Já no pólo de Algés há apenas um, mas promete: depois do grupo partilhar um cogumelo mágico, vai parar em Mad World, uma sala inspirada na Alice do País das Maravilhas (de 40€/duas pessoas a 80€/sete pessoas). Para sair, têm de encontrar um antídoto. 

Publicidade
Centro de Realidade Virtual
Manuel Manso
Coisas para fazer

Centro de Realidade Virtual

icon-location-pin Parque das Nações

Nem tudo é o que parece. E aqui as coisas só o são quando puser uns óculos XPTO que o transportam para outra realidade. O Centro de Realidade Virtual abriu no Parque das Nações e tem um leque de mais de duas dezenas de experiências para poder viver sozinho ou em grupo (até quatro pessoas). Entre as diferentes propostas, encontra um escape room virtual, onde há movimentação livre e onde “os desafios e enigmas são bastante criativos e impossíveis de fazer na realidade”, conta Nuno que, no futuro, quer desenvolver escape rooms com cenários tipicamente portugueses – imagina-se a partir numa caravela? Pode optar por jogar 30 (20€), 45 (25€) ou 60 minutos (30€), mas se marcar através do site tem um desconto para aproveitar.

Arme-se em turista em Lisboa

turista
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

As 35 melhores Mentiras Para Contar a Turistas

Nesta lista que lhe preparámos de mentiras para contar a turistas em Lisboa encontra pedaços de uma olisipografia apócrifa ou 35 razões para fazer crescer o nariz de Pinóquio. Se preferir ver os turistas à distância de uns binóculos, sugerimos seis sítios para evitar turistas em Lisboa. Ou então, revire os olhos com 20 perguntas bizarras que os turistas fazem.

Publicidade
Eléctrico 24
João Barata/JFC
Coisas para fazer

Os melhores passeios em transportes públicos

Nem sempre pensamos nos transportes públicos para passeios, mas a verdade é que tanto os autocarros como os eléctricos e até os barcos são uma óptima forma de conhecer Lisboa — não é por acaso que andam sempre cheios de turistas. Arme-se também em turista, pelo menos uma vez e ponha estes passeios na sua lista de coisas a fazer na cidade.

Publicidade