A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Zero Latency
©Mariana Valle LimaZero Latency

Sítios para viver uma experiência de realidade virtual em Lisboa

Tudo é possível nestas experiências de realidade virtual em Lisboa e arredores. Só precisa do equipamento certo.

Escrito por
Renata Lima Lobo
,
Francisca Dias Real
e
Margarida Coutinho
Publicidade

Viver num universo paralelo, nem que seja por breves minutos, parece uma ideia incrível para fugir deste mundo por instantes. Mais que isso: poder viver uma experiência que não seria possível nesta vida nem na outra é uma das vantagens daquilo a que chamam de realidade virtual. Enquanto não nos for concedido o poder do teletransporte, por exemplo, podemos sempre contentar-nos com estas modernices que, vai-se a ver, e são o futuro. Arme-se com um par de óculos especiais, sozinho ou em grupo, que é sempre mais divertido, e veja o que os outros não vêem.

Recomendado: Aulas de boxe em Lisboa: vamos andar à pêra?

Sítios para viver uma experiência de realidade virtual

  • Coisas para fazer
  • Santa Maria Maior

Já imaginou passar por cima do Castelo de São Jorge ou ver em pormenor a cabeça do Cristo Rei, a 110 metros de altura? É essa a proposta da primeira experiência de realidade virtual 360º da VR Tours, a empresa que agora explora o segundo piso do Lisboa Story Center, no Terreiro do Paço. Com os óculos VR3D, é possível subir para a passarola de Bartolomeu de Gusmão, conhecido como padre voador, e fazer uma viagem de 20 minutos pelos monumentos mais conhecidos de Lisboa, Cascais e Sintra.  A experiência é vivida em cima de uma pequena plataforma hidráulica que acompanha os movimentos bruscos do voo – desde a turbulência a subir um túnel à inclinação a contornar os braços do Cristo Rei. 

  • Coisas para fazer
  • Carnide/Colégio Militar

Além de compras, agora também é possível aventurar-se pelo mundo dos jogos de realidade virtual no Centro Comercial Colombo. O Bowling City, no piso 2 do shopping, tem um espaço dedicado à realidade virtual. No Hologate – Realidade Virtual estão disponíveis sete jogos de realidade virtual e cinco jogos premium como Angry Birds, Simurai Arena, Das Boot VR Escape, Groove Guardians ou Zombyte. De óculos VR postos é possível lutar com zombies, entrar numa luta de bolas de neve ou fazer uma battle de dança com robôs. Os jogos podem ter até quatro participantes e estão pensados para idades compreendidas entre os sete e mais de 16 anos, dependente do jogo. 

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Grande Lisboa

A Marvel Mission já abriu no centro comercial UBBO, antigo Dolce Vita Tejo, na Amadora. O espaço de 1200m2 destaca-se sobretudo por integrar escape rooms, realidade virtual e realidade aumentada em diferentes missões, que vão poder ser usufruídas por toda a família, a partir dos 12 anos (os menores de 16 anos têm de ser acompanhados por um adulto). O centro de lazer e experiências conta ainda com uma loja, uma sala para eventos e uma zona para crianças a partir dos cinco anos, onde será possível celebrar aniversários temáticos, inspirados no Homem-Aranha e no reino de Wakanda, lar do também popular Pantera Negra.

  • Coisas para fazer
  • Jogos e passatempos
  • Grande Lisboa

É um jogo mas parece tão real que nos faz esquecer que estamos fechados numa sala com 200 metros quadrados. É uma verdadeira experiência de realidade virtual imersiva e chegou ao Dolce Vita Tejo no final de 2017. Há seis jogos disponíveis: Engineerium, Singularity, Zombie SurvivalOutbreak OriginsSol Raiders Far Cry VR. Pode jogar sozinho ou em equipa, até ao máximo de oito jogadores, o que torna o acontecimento ainda mais divertido. Durante o tempo de jogo, entre 15 e 30 minutos que parecem durar bem mais dado o número de níveis e missões para cumprir, acreditamos verdadeiramente que estamos no interior de uma nave espacial, no caso de Singularity

Leia a nossa experiência no Zero Latency.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Jogos e passatempos
  • Oeiras
  • preço 1 de 4

O automobilismo é um desporto reservado às elites.Caro, extremamente difícil e bastante perigoso. A única forma de o tornar mais democrático é desmaterializá-lo – isto é, transformá-lo numa experiência virtual. É isso que acontece no Autódromo Virtual de Lisboa, em Carnaxide, onde qualquer ser humano pode viver todas as emoções de corridas de carros sem se preocupar com idas à revisão ou o estacionamento em paralelo. São 18 simuladores e dezenas de pistas e carros à escolha num espaço de 300 metros quadrados. Uma hora no alcatrão virtual custa 10€, o que é um preço muito em conta se pensarmos nas despesas inerentes à manutenção de um carro de alta cilindrada.

  • Atracções
  • Alcântara

A ponte inaugurada em 1966 tem 14 pilares, mas o que nos interessa agora fica na Avenida da Índia, nas traseiras do Village Underground. E leva os visitantes ao interior deste pilar para uma experiência sensorial, incluindo realidade virtual. Com óculos e auscultadores na cabeça, é iniciada uma viagem em 360º que acompanha os técnicos de manutenção até ao ponto mais alto da Ponte 25 de Abril. Só não dá para tirar selfies: afinal, estamos no mundo do faz-de-conta.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Sintra

Quatrocentos anos depois do nascimento do primeiro jornal português, como serão os media? A experiência de realidade virtual do News Museum, em Sintra, antecipa o futuro. Durante oito minutos, o visitante é transportado pelo jornalismo para o local dos acontecimentos. Mas cuidado para não enjoar: a dada altura até vai parecer estar numa passadeira em movimento e é capaz de se pôr a andar para a frente até bater na barra de protecção.

  • Coisas para fazer
  • Jogos e passatempos
  • Alvalade

A Lost Room surge do desejo de tornar a experiência das escape rooms o mais realista possível. Para isso recorreu-se ao uso de inovações tecnológicas para quebrar as últimas barreiras do jogo e colocá-lo não numa sala, mas numa realidade paralela completamente diferente, onde o jogo não tem limites e os participantes serão transportados para ambientes aos quais não teriam acesso de outra forma. Na sala lisboeta onde se aposta na realidade virtual, jogam no máximo quatro pessoas. Basta escolher entre o Cosmos, o Mind Horror, um filme de terror, ou o mais recente escape room inspirado na história da Alice no País das Maravilhas.

Mais que fazer em Lisboa

  • Coisas para fazer

Há cada vez mais e maiores escape games em Lisboa. Os níveis de dificuldade variam e os temas são sempre diferentes. Basta percorrer a Baixa de Lisboa para encontrar diferentes opções, com tramas que envolvem crimes, a Revolução dos Cravos, Fernando Pessoa, os Descobrimentos ou o vinho do Porto. Mas sabia que não há nenhum sobre a Fuga de Peniche, em que dez presos políticos se evadiram de uma prisão de alta segurança? Reúna os amigos, foque-se nas pistas, tente resolver a charada e raspe-se dos quartos que se seguem.

  • Noite

A espera foi tão longa que as próximas semanas se adivinham de puro êxtase e devaneio. Afinal, quem é que não sente falta de uma saída à noite, daquelas à moda antiga, sem lugares sentados ou acepipes na mesa e com as pistas de dança em modo vale tudo. Agora é altura de matar saudades das nossas discotecas (e bares dançantes) favoritas. Do Cais do Sodré ao Bairro Alto, passando pelo roteiro da noite gay e por templos incontornáveis da noite lisboeta, como o Lux, muitos voltaram a abrir as portas. E mais ainda vão reabrir nos próximos meses.

Publicidade
  • Coisas para fazer

É normal que um alfacinha, de gema ou não, se sinta um peixe fora da água quando começa a chover. Só que não precisa de ficar triste só porque o céu está a chorar. Encare a precipitação com calma e faça planos impermeáveis às condições meteorológicas. Tente passar entre os pingos da chuva com estas ideias que ajudam a, no mínimo, tolerar a precipitação em Lisboa. Desde testar a pontaria contra uma horda de zombies virtuais a ir jogar bingo, há muitos planos dentro de portas. Quem diria que, afinal, a chuva pode ter os seus encantos?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade