Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cinco ideias de coisas para fazer na Ericeira

Cinco ideias de coisas para fazer na Ericeira

Faltam-lhe ideias para aproveitar mais da vila? Da meditação ao surf trazemos-lhe cinco sugestões de coisas para fazer na Ericeira

Ericeira
Duarte Drago
Por Tiago Neto |
Publicidade

É difícil arranjar um plano que não envolva necessariamente mar quando metemos o pé na vila dos ouriços. E não o dizemos pejorativamente, até porque "quando em Roma" convém ser romano. Mas a Ericeira tem mais do que ondas para nos fazer mover. Do renovado Parque de Santa Marta, com todas as actividades que nele cabem, ao Mosteiro budista, passando pela casa da cultura ou pela mercearia mais completa do país, há tudo para todos e garantidamente que não se vai conseguir aborrecer. Na lista que se segue deixamos-lhe cinco planos infalíveis para que a passagem pela vila seja o mais variada possível – e, esperamos, inesquecível. São cinco ideias de coisas para fazer na Ericeira.

Recomendado: As melhores coisas para fazer na Costa da Caparica

5 coisas para fazer na Ericeira

Casa da Cultura Jaime Lobo e Silva
©DR
Coisas para fazer, Centros culturais

Visitar a Casa da Cultura Jaime Lobo e Silva

icon-location-pin Mafra/Ericeira

Foi aqui que, em 1919, depois de adquirir 
o edifício, Joaquim Ferreira transformou 
o Clube Recreativo Ericeirense no Grande Casino da Ericeira. Anos mais tarde, em 1924, o casino seria remodelado, ganhando novos contornos, mais luxuosos. Decretado o fecho em 1927, Joaquim Ferreira transforma-o num cine-casino que se serviu também como uma espécie de rádio pública e que teve, inclusive, espectáculos ao estilo Parque Mayer. Nos anos 70 o espaço fecha definitivamente para voltar a abrir em 1995, totalmente renovado, como Casa da Cultura. Baptizado em homenagem ao historiador e músico da Ericeira Jaime Lobo e Silva, o pólo cultural conta com galeria de exposições, biblioteca e auditório.

Tiago Pires
©DR
Coisas para fazer, Aulas e workshops

Fazer-se ao mar com a Tiago Pires Surf School

icon-location-pin Mafra/Ericeira

A escola abriu portas a 10 de Agosto de 2011 e desde então que tem sido um pólo impulsionador de novos talentos no surf nacional. Tiago Pires é o nome por trás 
do projecto e tem consigo uma equipa de instrutores certificados pela Federação Portuguesa de Surf a garantir que, seja qual for a idade ou a experiência nas ondas, os resultados são sempre os melhores. As aulas avulsas (duração de duas horas e até cinco pessoas) ficam-lhe nos 50€ em época alta (Maio-Outubro). Se preferir o pack de aulas, o preço de três em época alta começa nos 130€. Tem ainda como opção as aulas personalizadas (120€/ uma aula, 280€/ três aulas). Para os mais pequenos, entre os seis e os oito, os preços variam entre os 45€ por uma aula e os 160€ por quatro aulas. As aulas são agendadas com um aviso prévio de 24 horas e estão dependentes das condições do mar e das marés.

Publicidade
Parque de Santa Marta
©Duarte Drago
Atracções, Parques e jardins

Passear no Parque de Santa Marta

icon-location-pin Mafra/Ericeira

Reaberto há menos de um ano, o Parque de Santa Marta é um tudo-em-um da vila e torna-se ideal se o plano do dia não passar pelo mar. No conjunto de infraestruturas que o compõe existe sala de música, anfiteatro com vista para o mar, parque de jogo e recreio, ringue de patinagem com possibilidade de aluguer de material, sala de squash e campos de ténis e de mini golfe. A estes juntam-se também as áreas comerciais e
 a mina.

Mosteiro Budista Sumedhārāma
©DR
Atracções, Edifícios e locais religiosos

Fazer um workshop de meditação no Mosteiro Budista Sumedhārāma

icon-location-pin Mafra/Ericeira

Às 05.00 é hora da primeira puja/meditação, seguem-se os cânticos às 06.00 e uma pequena tarefa com a duração de meia hora às 06.30, que consiste na preparação do pequeno-almoço ou na limpeza geral. É assim que começa a rotina no mosteiro budista da Ericeira, o Sumedhãrãma. Se quiser viver a experiência, mediante marcação prévia,
 a estadia é gratuita, e se for a primeira vez, pode ficar até uma semana, participando activamente no quotidiano e fazendo parte de todo o processo diário dos monges. A premissa é simples: interesse genuíno na prática espiritual dentro do contexto budista e capacidade de cooperação com a rotina. Se quiser visitar, as portas também estão abertas. Há meditação conjunta às 05.00 e às 19.30 com uma palestra de Dhamma de um dos monges à sexta, após a puja vespertina. Aos domingos há workshops de meditação das 16.00 às 18.00, orientados por um dos monges residentes.

Publicidade
Loja da Amélia
©Duarte Drago
Compras, Mercearias

Encher a despensa na Loja da Amélia

icon-location-pin Mafra/Ericeira

Amélia Sobrinho, 60 anos, é um nome fácil de reconhecer por entre os ericeirenses, e mesmo quem não é natural da vila sabe que a cara de sorriso constante é uma aposta certeira quando é preciso algo mais elaborado na despensa. Há 16 anos que leva a Loja da Amélia em mãos e foi com ela que a casa ficou maior, depois da falta de espaço precipitar uma expansão. No negócio conta também com o marido, encarregue de escolher os produtos mais frescos e fazê-los chegar à loja, e com os filhos, João e Rita – ele encarregue da parte da garrafeira, ela da contabilidade. Passe pelo espaço e tente não se perder.

Outros roteiros

Casa da Cultura, Comporta
©Manuel Manso
Compras

Um roteiro de lojas na Comporta

Quem viu a Comporta há 10 anos e a vê vai concordar que a localidade está irreconhecível no que toca ao comércio. Como muitos que a frequentam, fez um lifting e tornou-se num pólo de comércio de rua, sempre nas linhas que a caracterizam, que é como quem diz, na moda hippie-chic, bohemian e, como não podia deixar de ser, beach style. O que tem a fazer é garantir que o subsídio de férias está na conta à ordem e aventurar-se entre as várias portas que estão abertas.

Cacilhas
©Duarte Drago
Coisas para fazer

Um roteiro por Cacilhas

Já houve planos para lhe trazer uma Manhattan, mas o projecto  havia de cair por terra. Anos mais tarde, encaixou numa “Lisbon South Bay”, sem nunca se render, e foi seguindo à sua própria pulsação. A ex-freguesia a sul do Tejo está de pé e vibra muito para além dos cacilheiros e gaivotas. Tudo a dez minutos do centro, e sempre com a vantagem de o passe metropolitano já lá chegar. Este é o roteiro obrigatório por Cacilhas.

Publicidade
Mural de André Saraiva
©Ana Luzia
Coisas para fazer

Roteiro de arte grátis em Lisboa

Lisboa é fértil nas mais variadas manifestações artísticas, fora e dentro de portas. São murais, fachadas, esculturas em jardins, intervenções em lojas, paredes de hotéis ou monumentos históricos. Da próxima vez que passear por um jardim, que entrar numa loja de roupa ou que se sentar à mesa para jantar, olhe bem à sua volta. As manifestações de arte estão um pouco por todo o lado em Lisboa e estas têm entrada livre.

Publicidade