Mais vale prevenir em Lisboa do que remediar num buraco negro

Stephen Hawking avisou que a Terra só tem mais 100 anos de vida e nós damos-lhe dicas para seguir até ao fim do mundo
Projector do Planetário Calouste Gulbenkian
©Planetário Calouste Gulbenkian Projector do Planetário Calouste Gulbenkian
Por Renata Lima Lobo |
Publicidade

Esta semana o físico-teórico Stephen Hawking deixou o alerta: o mundo acaba daqui a 100 anos e a humanidade precisa de deixar a Terra. Não sabemos se é boa ideia ir estragar outro planeta, mas nada como ficar com um conhecimento mais aprofundado do universo em caso de emergência.

Mais vale prevenir em Lisboa do que remediar num buraco negro

Observatório Astronómico de Lisboa  
©DR
Museus, Ciência e tecnologia

Observatório Astronómico de Lisboa

icon-location-pin Alcântara

O Observatório Astronómico de Lisboa tem cursos dedicados às ciências espaciais, leccionados por professores da Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e por investigadores do Instituto de Astrofísica e Ciências do Espaço. Se quiser saber sobre “montagens equatoriais computorizadas” e outros conceitos tão enigmáticos quanto este, o próximo curso decorre nos quatro sábados entre 13 e 20 de Maio e chama-se Iniciação às Observações Astronónicas (80€). Se “gigantes vermelhas e a fusão do hélio ao carbono” forem mais a sua praia espacial, o curso Iniciação à Astronomia e Astrofísica (80€) começa a 3 de Junho e atira-lhe oito sábados para outro plano até 29 de Julho.

Projector final Planetário
©Bruno Neves/Planetário
Atracções

Planetário Calouste Gulbenkian

icon-location-pin Belém

Mesmo quando não há estrelas no céu, há estrelas no Planetário. Na cúpula de 23 metros é possível ver constelações, luas, planetas, nebulosas, galáxias e outras coisas do infinito. E como desta vez estamos a falar para gente grande, para maiores de 12 anos o Planetário recomenda a sessão "Viagem a um Buraco Negro Entre Marés", que o vai levar através de nebulosas até ao local de nascimento das estrelas (sem ser Hollywood). Uma viagem muito arriscada que o vai ajudar a compreender o universo, marcada para as 14.30 de terças e sábados.

Publicidade
ovni, ufo
©maxime raynal

APO – Associação de Pesquisa OVNI

Quando ficar mais entendido sobre o que se passa para além da estratosfera, pode explorar todas as possibilidades de vida extra-terrestre. Esta associação sem fins lucrativos fundada em 2004 tem como objectivo estudar e divulgar objetos voadores não identificados, usando todos os meios que guiem até uma explicação do fenómeno, palestras incluídas. Estará a verdade lá fora? Andarão eles por aí? Espreite os avistamentos da página oficial de Facebook da APO.

cosmos discovery abre
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

12 peças obrigatórias na Cosmos Discovery

A luz, reduzida, joga-nos para um ambiente taciturno, silencioso, não muito diferente daquilo que deve ser estar a dois passos da Lua. E assim se mantém pelos 2500m2 e mais de 200 artefactos originais da NASA e de outras agências espaciais.  A World Crew Events, que organizou a exposição sobre o corpo humano “Real Bodies”, na Cordoaria Nacional, em 2015, volta a fazer das boas. Agora no Terreiro das Missas, em Belém, onde já foi o “LX on Ice” e outros eventos culturais. Uma coisa é certa, seja mais team Rússia ou team EUA, vai ficar boquiaberto com alguns dos detalhes que vai descobrir nesta exposição. Aliás, o que importa mesmo é que seja team Cosmos. Os bilhetes custam 16€ e ainda não há data de encerramento.

Ver estrelas em Lisboa

Loco 116
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Os restaurantes a quem demos 5 estrelas em 2016

Um ano. Cinquenta e duas revistas. Dezenas de restaurantes. Centenas de estrelas. Mas os críticos da Time Out não se deixaram deslumbrar assim tão facilmente: apenas quatro espaços tiveram direito a avaliação máxima: cinco estrelas. Recorde quais e porquê. 

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com