Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right A comédia de Christian Clavier em oito papéis
Christian Clavier
DR Christian Clavier

A comédia de Christian Clavier em oito papéis

O popular actor cómico francês tem mais um filme em Portugal, 'Bem-Vindos a África!', e evocamos algumas das suas melhores interpretações

Por Eurico de Barros
Publicidade

Christian Clavier é o mais popular actor cómico francês contemporâneo, com uma carreira que vem dos anos 70 e que abrange cinema e televisão. Considerado por muitos como o mais legítimo herdeiro de Louis de Funès, Clavier cultiva um tipo de comédia física e histriónica com muita tradição no género, e em França, tendo-se destacado, entre muitos outros papéis, pela sua personificação de Astérix, o pequeno guerreiro gaulês criado por Goscinny e Uderzo, nos dois primeiros filmes de imagem real feitos a partir desta série de banda desenhada. Recordamos aqui esta e sete outras interpretações deste incansável actor.

Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

A comédia de Christian Clavier em oito papéis

‘Barracas na Praia’, de Patrice Leconte (1978)

Christian Clavier começou a sua já bem longa carreira de actor cómico na celebrada trupe de café-concerto Splendid, que foi “importada” para o cinema com enorme sucesso nesta comédia passada num Club Med em África (Les Bronzés, no original), e a que se seguiriam outras. Clavier interpreta um médico à procura de engates.

‘Pai Natal: Sarilhos’, de Jean-Marie Poiré (1982)

Mais uma comédia com toda a pandilha do Splendid, passada na Véspera de Natal numa linha de prevenção de suicídios operada por um casal de choninhas neuróticos. Clavier está a matar no papel de Katia, um travesti com instintos suicidas que vai parar às instalações da linha e envolve-se numa enorme confusão com outras personagens.

Publicidade

‘Papy Fait de la Résistance’, de Jean-Marie Poiré (1983)

Nunca exibida em Portugal e passada na França ocupada pelos alemães na II Guerra Mundial, esta comédia satírica (mais uma com os Splendid) põe em cena uma família de músicos clássicos que querem resistir ao ocupante, mas só conseguem fazer asneiras. Clavier personifica o coca-bichinhos e desastrado Michel Taupin.

‘Os Visitantes’, de Jean-Marie Poiré (1993)

Um cavaleiro medieval (Jean Reno) e o seu servo (Christian Clavier) são propulsionados por artes mágicas para o século XX. O filme, que teve duas continuações e uma versão americana, é um clássico da comédia francesa, e Clavier é fabuloso no duplo papel do mal-cheiroso, estridente e ínvio Jacquouille la Fripouille, e do seu snobe e melindroso descendente Jacquot.
Publicidade

‘La Soif de l’Or’, de Gérard Oury (1993)

Dirigido pelo veterano Gérard Oury, Christian Clavier tem um dos seus melhores papéis no cinema nesta comédia (que ficou inédita em Portugal), interpretando Urbain Donnadieu, um avarento que, juntamente com a avó, quer levar clandestinamente todo o ouro que acumularam para a Suíça, e dentro da casa onde o têm escondido! Ao longo do caminho, Clavier dá um delirante recital de slapstick.

‘Astérix & Obélix Contra César’, de Claude Zidi (1999)

Se Gérard Depardieu nasceu para interpretar Obélix, então Christian Clavier nasceu para interpretar Astérix, e ambos não podiam estar melhor neste primeiro filme de imagem real com as personagens criadas por Goscinny e Uderzo. Clavier voltaria a Astérix no filme seguinte da série, Astérix e Obélix: Missão Cleópatra (2002), deixando-o depois a outros actores. Mas o melhor Astérix foi ele, sem a menor dúvida.

Publicidade

‘Não Incomodar’, de Patrice Leconte (2014)

Adaptada de uma peça de teatro de boulevard, esta fita tem Christian Clavier no papel de um próspero dentista, apreciador de jazz e de vinil, que compra um álbum raro e o quer ouvir em paz. Só que o mundo em seu redor parece conspirar para que ele não o consiga. Clavier põe aqui em cena a figura do homem da classe média contra o qual tudo e todos parecem conspirar, e que tem repetido em muitas das suas comédias de mais sucesso.

‘Que Mal Fiz eu a Deus?’, de Philippe de Chauveron (2014)

Um dos colossais sucessos de bilheteira que ajudaram a fazer a carreira de Christian Clavier e a construir o seu estatuto de “rei” da comédia popular em França, odiada pela crítica mas plebiscitada pelo público. É a história de um casal afluente, católico e conservador, cujas quatro filhas casam com outros tantos homens de raças e religiões diferentes. Clavier personifica o atarantado pai, em registo politicamente incorrectíssimo.

Os melhores filmes com...

Jim e Andy
DR

Jim Carrey

Filmes

Jim Carrey começou a fazer stand-up e a entrar em filmes nos 80s. Em 1994 tornou-se uma estrela, à boleia dos sucessos de Ace Ventura – Detective Animal, de Tom Shadyac, A Máscara, de Chuck Russell, e Doidos à Solta, de Peter Farrelly. E, durante algum tempo, foi mesmo um dos actores mais bem pagos de Hollywood.

Jean Seberg

Filmes

Jean Seberg nasceu nos Estados Unidos, mas foi em França, sob o olhar de Jean-Luc Godard, que se tornou um ícone. No entanto, o seu activismo político colocou-na na mira do FBI, que tentou (e conseguiu) destruir a sua imagem, a sua vida, e a sua carreira. Morreu em 1979, com 40 anos.

Publicidade
Filme, Cinema, A Casa da Senhora Peregrine para Crianças Peculiares (2016)
©Twentieth Century Fox Film Corporation

Eva Green

Filmes

Eva Green foi modelo, estudou representação e fez algum teatro, antes de chamar a atenção de Bernardo Bertolucci, que lhe deu o primeiro papel no cinema em Os Sonhadores (2003). A partir daí, nunca mais parou, e tornou-se na quinta actriz francesa a ser uma "Bond Girl", em 007: Casino Royale (2006).

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade