Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right As melhores séries românticas para ver na Netflix

As melhores séries românticas para ver na Netflix

Tal como no amor, também na Netflix há opções para todos os gostos. Estas são as melhores séries românticas na Netflix

Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade
Outlander
©DR Outlander

Romances históricos, comédias românticas, histórias caóticas e negras mas também de encantar. No que diz respeito ao amor, o serviço de streaming tem tudo para lhe dar, seja para ver sozinho enroscado no sofá ou para ver agarrado à sua cara metade. O que não faltam são séries românticas para ver na Netflix. Bem sabemos que o conceito de romântico pode variar de pessoa para pessoa e é a pensar nisso que aqui oferecemos uma selecção que acreditamos agradar a gregos e troianos – com toda a certeza, encontrará pelo menos uma série de que gostará. Eis as melhores séries românticas que pode ver neste momento na Netflix.

Recomendado: Dez séries originais Netflix que tem de ver

 

As melhores séries românticas para ver na Netflix

Easy

Cada episódio, uma história, novos personagens. Amor, sexo, tecnologia. Eis uma série romântica dos tempos modernos. A vida como ela é, apaixonante, complexa, divertida e, tantas vezes, caótica. São três temporadas com a cidade de Chicago como pano de fundo. É Chicago, mas às vezes podia ser Lisboa.

 

Foi assim que aconteceu

Não é um título óbvio à partida, mas faz todo o sentido que Foi Assim Que Aconteceu (How I Met Your Mother) entre nesta lista de séries românticas, afinal podemos olhar para toda a série – nove temporadas – como uma grande história de amor. Se traduzirmos à letra o título original, temos a história, que é relatada pela personagem Ted (Josh Radnor) que a cada episódio vai contando aos filhos adolescentes como é que conheceu a mãe. Tudo o que acompanhamos são por isso os seus flashbacks.

Publicidade

Love

Nos seus melhores momentos, Love foi uma comédia romântica quase perfeita, com uma sensibilidade indie e um espectro referencial que ia de Woody Allen a Judd Apatow – um dos criadores, com Lesley Arfin e Paul Rust. Os argumentistas souberam desde o início aproveitar o facto de estarem a contar uma história serializada, e de não terem de se cingir à hora e meia ou duas horas de um filme, e é isso que eleva a série acima das suas referências cinematográficas.

Lovesick

A premissa parece estranha, mas acaba por resultar numa bela comédia romântica, sem tabus: Dylan (Johnny Flynn) descobre que tem clamídia, uma doença sexualmente transmissível, que o obriga a contactar todas as suas antigas parceiras. É ao longo desse caminho que vamos conhecendo a sua vida sentimental, tal como vamos conhecendo melhor os seus melhores amigos, Luke (Daniel Ings) e Evie (Antonia Thomas). E é ao recordar as relações do passado, que Dylan percebe o que correu mal e talvez quem é o seu verdadeiro amor.

Publicidade

Os Bons Amantes

Criada pelo realizador nova-iorquino Spike Lee, a partir do filme do mesmo nome e com o mesmo entrecho que o revelou ao mundo em 1986, Os Bons Amantes (She’s Gotta Have It, na versão original) é uma história de libertação sexual e relações complicadas – amorosas, mas não só. Neste caso, a libertação de Nola Darling, uma mulher negra a viver na Brooklyn cada vez mais gentrificada nos nossos dias.

Outlander

No amor, o timing é tudo. Em Outlander, é mais ainda. Ou não falássemos nós de uma história de amor separada por dois séculos. Claire vivia em 1945 quando foi subitamente transportada para o ano de 1743, onde conheceu Jamie Fraser por quem se apaixonou. Mas não bastava a separação do tempo para abalar o amor, o casal conhece-se num período conturbado, numa Escócia dominada por guerras de clãs. Na Netflix pode ver as quatro temporadas desta história adaptada dos livros de Diana Gabaldon.

Recomendado: Falámos com três actores de Outlander sobre a terceira temporada

Publicidade

Sex Education

Criada por Laurie Nunn para a Netflix, Sex Education é uma comédia adolescente à moda americana, apesar da sua localização e elenco britânicos. Conta a história de Otis Milburn (Asa Butterfield), um adolescente desajeitado e desconfortável com a sua própria sexualidade, mas óptimo a aconselhar os colegas da escola e a resolver os problemas sexuais e amorosos alheios. Até ao dia em que, ele próprio, descobre o amor e se rende aos prazeres carnais.

The End of the F***ing World

A história é negra, mas divertida e romântica. The End of the F***ing World não é uma comédia romântica normal, mas não deixa de nos lembrar os amores adolescentes. É disso mesmo que se trata. Do amor entre Alyssa (Jessica Barden) e James (Alex Lawther). Ele um psicopata que se fartou de matar pequenos animais e decidiu matar uma pessoa, ela uma rapariga insurrecta e descontente. Juntos partem estrada fora, sem rumo ou regras.

Outras sugestões românticas

Filmes

Os melhores filmes românticos

Rodados em Hollywood ou em vários países europeus, na China do pós-guerra ou em Hong Kong, estes 50 filmes têm em comum o facto de estarem subordinados ao tema do amor e pouco mais. A acção decorre em diferentes épocas e momentos, há histórias dramáticas, cómicas, trágicas e muitas que não são bem uma coisa nem outra. O amor nem sempre triunfa. Ainda assim, estes são alguns dos melhores românticos de sempre, desde O Atalante, realizado em 1930 por Jean Vigo, até ao mais recente Amor de Improviso, de Michael Showalter.

Our Souls At Night
©Kerry Brown/Netflix
Filmes

Dez filmes românticos para ver na Netflix

Já se sabe que a oferta cinematográfica na Neflix é muito limitada e relativamente volátil – hoje um determinado filme está lá, amanhã (ou no mês que vem) não sabemos. Mesmo assim, começando por Os Bons Amantes (1986), de Spike Lee, e acabando em Nós, ao Anoitecer (2017), de Ritesh Batra, encontrámos duas mãos cheias de filmes românticos na Netflix que vale a pena ver (ou rever) agarradinho ao mais que tudo ou sozinho e a queixar-se de como o mundo é injusto. Em casa ou num dos melhores hotéis românticos de Lisboa.

Publicidade
Casal a andar de bicicleta em belém
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Coisas românticas para fazer em Lisboa

Passeios de barco ou de bicicleta, jantares românticos, massagens a dois, danças sensuais, leituras à beira-rio, flores e chocolates. Seja às prestações ou para abraçar de uma assentada só, mais ou menos lamechas, com direito a clichés e sem, Lisboa tem alguns dos elixires obrigatórios para um romance sempre muito bem regado e duradouro. Pode ser da luz, do sol de Inverno – e de Verão, na verdade – da arte, dos miradouros, as razões são muitas e boas. Só tem de ter atenção a uma coisa: o que se segue não é aconselhado a corações insensíveis. Descubra as melhores coisas românticas para fazer em Lisboa.

Publicidade