Documentários Netflix
©DR

Os melhores documentários na Netflix

São uma das grandes apostas do serviço de streaming. E estes são alguns dos melhores documentários na Netflix que tem de ver.

Publicidade

Nem só de grandes séries se faz a gigante do streaming. Os documentários são, nos últimos anos, outras das razões do sucesso da Netflix e parecem despertar cada vez mais atenção; pelo factor humano, pela curiosidade, porque as grandes histórias precisam sempre de ser contadas, mas nem sempre precisamos de um filme ou, lá está, de uma série. A crueza da realidade é muitas vezes a receita necessária ao sucesso, e o registo documental é o epicentro desse olhar. Estes são os 21 documentários na Netflix que tem mesmo de ver.

Recomendado: Quinze minisséries da Netflix de ver e chorar por mais

Os melhores documentários na Netflix

1. A 13.ª Emenda

A 13.ª Emenda da Constituição dos Estados Unidos, aprovada em 1865, pôs fim à escravatura. É daí que vem o nome deste excelente documentário de Ava DuVernay para a Netflix, que observa a intersecção entre raça, justiça e encarceramento em massa nos EUA. O filme foi premiado com um Emmy e esteve nomeado para o Óscar de Melhor Documentário. É também possível ver o documentário de forma gratuita, já que a Netflix o disponibilizou na sua conta de YouTube.

2. A Sabedoria do Polvo

Nomeado aos Óscares, o documentário de Pippa Ehrilich e de James Reed, lançado em 2020 na plataforma de streaming, conta a história do documentarista sul-africano Craig Foster e da sua relação com um polvo. À medida que os dias vão passando e os mergulhos se sucedem, o molusco cria uma relação de confiança com o mergulhador e são postas a descoberto as capacidades cognitivas e de sobrevivência deste animal tão pouco entendido. Dessa curiosidade pelo animal, nasce uma relação de amizade narrada pelo próprio Foster, que é não mais do que uma metáfora para a vida e para a necessidade de respeitar o que está no nosso entorno.

Publicidade

3. Amar-me-ão Quando Eu Morrer

Em Novembro de 2018, no mesmo dia em que estreou finalmente Outro Lado do Vento (The Other Side of The Wind), filme perdido e inacabado de Orson Welles, a Netflix estreou também They'll Love Me When I'm Dead, um documentário de Morgan Neville sobre a rodagem daquele filme. Uma pequena, mas muito interessante janela para a obra e o fim da vida de um dos mais importantes realizadores norte-americanos.

4. Casting JonBenet: A Pequena Rainha da Beleza

JonBenét Ramsey, modelo e participante em concursos de beleza, morreu em 1996. Tinha seis anos. O caso nunca foi resolvido, apesar do seu mediatismo, e duas décadas depois Kitty Green foi à procura de respostas. Basicamente, fez um casting para um suposto filme sobre o crime e foi falando com os participantes e actores sobre o caso. Casting JonBenet: A Pequena Rainha da Beleza é o resultado dessas conversas, um documentário engenhoso e vanguardista.

Publicidade

5. Crip Camp: Uma Revolução na Inclusão

Nomeado para o Óscar de Melhor Documentário e produzido pelo casal Obama, o filme dirigido por James Lebrechet e Nicole Newnham põe o foco em Camp Jened, um acampamento de Verão no estado de Nova Iorque, que funcionou entre 1951 e 1977. Durante esses anos, este local proporcionou algumas das vivências mais marcantes para pessoas com diversidade funcional. O documentário recupera vídeos da época, cruzando-os com entrevistas feitas aos campistas e com testemunhos recentes de alguns participantes e monitores no campo de férias.

6. Ícaro

Ícaro foi o sétimo filme distribuído pela Netflix a ser nomeado para o Óscar de Melhor Documentário. E o primeiro a ganhar na categoria. Realizado por Bryan Fogel, o filme parte de uma investigação sobre o uso de doping no ciclismo, mas transforma-se em algo maior quando Grigory Rodchenkov, um dos entrevistados, revela a existência de um grande programa de doping olímpico na Rússia.

Publicidade

7. Jim e Andy

Durante a rodagem de Homem na Lua, o biopic de Andy Kaufman realizado por Milos Forman, Jim Carrey perdeu-se e desapareceu na personagem. Naqueles meses de 98/99, não existiu Jim, apenas Andy. Jim & Andy: The Great Beyond – Featuring a Very Special, Contractually Obligated Mention of Tony Clifton (é este o título original do filme e é todo um programa), de Chris Smith, centra-se nesse período, alternando imagens da rodagem do filme de 1999 com entrevistas actuais a Jim Carrey, numa meditação sobre fama, arte e representação.

8. Nada é Privado: O Escândalo da Cambridge Analytica

A empresa britânica Cambridge Analytica recolheu, sem consentimento, informações que foram utilizadas em campanhas políticas, nomeadamente na de Donald Trump, quando concorria à Presidência dos Estados Unidos, e no referendo do Brexit. Karim Amer e Jehane Noujaim decidiram contar, ao longo de duas horas, de que forma foram utilizados os dados de milhões de pessoas para fins políticos. 

Publicidade

9. O Dilema das Redes Sociais

Facebook, Twitter, Instagram, Snapchat, são tudo palavras que entraram no nosso léxico. Mas será que entendemos o que verdadeiramente representam e como influenciam as nossas vidas? Realizado por Jeff Orlowski, este filme tenta explicar como as redes sociais manipulam os seus utilizadores para gerarem riqueza. Mas não só. Qual é o impacto das redes sociais na influência política, na saúde mental ou na disseminação de mensagens de grupos supremacistas brancos? São algumas das questões que este documentário analisa.

10. O Efeito Martha Mitchell

Em 1972, cinco homens foram presos após terem entrado na sede do Comité Nacional do Partido Democrata, em Washington D.C., para instalar escutas a mando de um conjunto de pessoas influentes em torno da recandidatura de Nixon à Presidência. Este escândalo ficou conhecido como Watergate e Martha Mitchell, esposa do braço direito de Nixon, John Mitchell, foi a primeira pessoa a dizer à imprensa que algo lhe cheirava a esturro quando reparou que um dos homens que tinha sido apanhado na sede dos democratas era James McCord, ex-agente da CIA e seu guarda-costas pessoal. Estava convencida que o próprio presidente estaria envolvido no caso e tentou denunciar a corrupção na Casa Branca, sofrendo na pele as consequências das suas premonitórias palavras. Foi calada. Mas, afinal, Martha tinha razão. Esta é uma curta-metragem documental, de 40 minutos, e conseguiu uma nomeação para um Óscar.

Publicidade
  • Filmes
  • Filme

Há muitos anos que Pamela Anderson é um símbolo sexual. Mas poucas vezes nos demos ao trabalho de olhar para além do físico desta estrela. O que é uma pena, porque ela tem muito para dizer (e está muito certo). Nos últimos anos, a actriz canadiana tomou as rédeas da sua própria história. E o documentário Pamela Anderson, Uma História de Amor, de Ryan White, é mais uma oportunidade para conhecer a vida de Anderson pela sua voz, com a ajuda de muitas imagens e textos do seu arquivo pessoal, informação que desta vez foi divulgada com o seu consentimento – ao contrário de certa sex tape, lembram-se? Viram-na? Foi uma violação.

12. Período: O Estigma da Menstruação

Roma, de Alfonso Cuarón, não foi o único filme da Netflix premiado nos Óscares de 2019. Período: O Estigma da Menstruação, de Rayka Zehtabchi, também venceu na categoria de melhor curta documental. O filme acompanha um grupo de mulheres que fabrica pensos higiénicos a baixo custo e luta pela sua independência financeira e contra, lá está, o estigma da menstruação na Índia rural.

Publicidade

13. Raghu – O Elefante Adoptado

Um casal indígena que vive no sul da Índia, Bomman e Bellie, adopta um elefante bebé órfão e baptiza-o Raghu. Esta curta-metragem documental, nomeada para um Óscar, regista o amor entre a família e este gigante gentil que transforma as suas vidas para sempre, numa obra que é também uma lição de respeito pelos animais e pelo planeta. Este é o primeiro filme da fotojornalista indiana Kartiki Gonsalves, que cinco anos antes da estreia do documentário se cruzou sem planear com Raghu e sua família, quando o elefante tinha alguns meses de vida.

14. Rolling Thunder Revue

Em 1975, um cameraman pergunta a Bob Dylan, no final de um empolgante concerto da sua digressão Rolling Thunder Revue, como é que foi. "Como foi o quê?", responde o famoso músico oblíquo. Quando lhe pediram para comentar sobre a mesma digressão agora, Dylan diz que não se trata de nada – é apenas algo que aconteceu há 40 anos. Mas será que aconteceu mesmo? É este o mote, a partir de uma das figuras mais adoradas da música, que faz este documentário de Martin Scorsese mexer.

Publicidade

15. Sly

Ele é Rambo, ele é Cobra, ele é Rocky. Aos 50 anos de carreira, e cerca de uma centena de filmes depois, Sylvester Stalone (que também responde pelo diminutivo Sly) conta a sua história, recheada de personagens icónicas, a maioria das quais ligadas aos filmes de acção. Mas há, como é sabido, profundidade além-músculos e Sly tem dado provas de ser mais do que um bom protagonista, com destaque para Rocky (1976), que lhe valeu duas nomeações ao Óscar (actor e argumento), uma produção que acabou por vencer nesse ano o galardão para Melhor Filme. Stallone voltou a ser nomeado na categoria de actor em 2017, pelo mesmo papel, mas em Creed: O Legado de Rocky. Este documentário conta ainda com depoimentos de várias pessoas que com ele se cruzaram, nomeadamente o seu grande concorrente, mas também amigo, Arnold Schwarzenegger.

16. The Pez Outlaw

Os rebuçados PEZ foram criados na Áustria há quase um século, mas os famosos dispensadores da guloseima surgiram apenas após a II Guerra Mundial e não demoraram muito a conquistar o mundo, em particular os EUA, onde foi construída uma fábrica nos anos 70 do século passado. Ora, esta brincadeira é considerada ouro para muitos coleccionadores em busca de edições raras dos dispensadores PEZ. O que nos anos 90 levou o norte-americano Steve Glew a contrabandear raros exemplares da Europa de Leste para os EUA, ganhando milhões de dólares. Mas os manda-chuva da PEZ norte-americana quiseram aniquilar este sonho.

Publicidade

17. The White Helmets

A Síria está em guerra civil desde 2011/2012 e os bombardeamentos já mataram milhares de civis. The White Helmets filma os socorristas da Defesa Civil Síria – um grupo que a Rússia e a Síria acusam de ter ligações à Frente al-Nusra (antiga Al-Qaeda na Síria) – que todos os dias arriscam a vida para resgatar as vítimas destes ataques. Realizado por Orlando von Einsiedel, foi o primeiro filme da Netflix premiado com um Óscar.

18. Uma Fábrica Americana

É a primeira produção da Higher Ground, a empresa criada por Michelle e Barack Obama. Realizado por Steven Bognar e Julia Reichert, o documentário centra-se nos trabalhadores norte-americanos da fábrica da General Motors que encerrou em 2008 e foi adquirida por uma empresa chinesa que produz vidros para automóveis. Ao longo de duas horas, assistimos aos choques culturais entre as pessoas destas duas potências mundiais. 

Publicidade

19. Winter on Fire: Ukraine's Fight for Freedom

Indicado ao Óscar em 2016, Winter on Fire: Ukraine's Fight for Freedom apresenta aos telespectadores uma história de cidadãos comuns que enfrentam brigadas de choque controladas pelo então Presidente da Ucrânia, Viktor Yanukovych, apoiado pelo Presidente russo, Vladimir Putin. Um documentário sobre a agitação na Ucrânia durante os anos de 2013 e 2014, à medida que as manifestações estudantis que apoiam a integração europeia se transformaram numa revolução violenta que pedia a renúncia de Yanukovych.

20. Wham!

George Michael morreu em 2016 com apenas 53 anos. Mas será para sempre um dos grandes nomes da cultura pop, não só pela sua carreira a solo, mas também graças à fundação da sua primeira aventura artística: a dupla Wham!, que formou em 1982 com o seu melhor amigo Andrew Ridgeley e que gerou temas de grande sucesso como "Club Tropicana", "Wake Me Up Before You Go Go", "Freedom", "I’m Your Man" ou"Last Christmas". E são os Wham!, uma parceria que durou quatro anos, que estão debaixo de foco neste documentário de Chris Smith (Jim e Andy). Com muitas imagens de arquivo, onde se vêem também artistas como Bono, David Bowie, Boy George, Elton John, entre muitos outros, esta produção inclui ainda bastantes imagens inéditas dos arquivos pessoais de George e Andrew.

Publicidade

21. What Happened, Miss Simone?

Mais um filme nomeado para o Óscar de Melhor Documentário. Desta feita, sobre a vida da cantora norte-americana Nina Simone. Realizado por Liz Garbus, e com produção executiva de Lisa Simone Kelly, o filme combina, com urgência e paixão, imagens de arquivo da cantora e entrevistas com as suas filhas e amigos.
  • Filmes

Desde 2022 que a HBO Portugal deu lugar à HBO Max. A mudança de nome foi acompanhada por um site renovado e apps mais funcionais, mas o cardápio de séries é basicamente o mesmo, que já era excelente, e vai continuar a crescer – o catálogo dos filmes, porém, foi muito e bem reforçado. Entre as centenas de séries disponíveis no serviço de streaming, há pelo menos 20 que toda a gente precisa de ver pelo menos uma vez na vida. Desde clássicos como Os Sopranos a adições recentes como The Last of Us, sem esquecer A Guerra dos Tronos, estas são as séries na HBO Max que tem de ver.

  • Filmes

O serviço de streaming e video on demand espanhol chegou a Portugal em 2016, quase uma década após ter nascido, munido de cinema independente e grandes clássicos da sétima arte. Mas aqui falamos de séries, num catálogo que resgata produções britânicas incontornáveis como The Office ou Blackadder, e que mais recentemente inclui produções originais Filmin, como é o caso da série Autodefesa. E Portugal não foge à lista, com Aleixo Psi e outras produções nacionais presentes da plataforma de nuestros hermanos. E são muitos os tesouros que os verdadeiros cinéfilos aqui podem encontrar.

Publicidade
  • Filmes
  • Comédia

As listas, como quase tudo nesta vida, são relativas. Mas depois de enchermos uma espécie de conselho de administração com loucos de séries televisivas e outros consultores da redacção da Time Out, chegámos a estas 25. Portanto, se vai começar a disparar insultos e a pedir justificações para as suas séries de comédia preferidas não estarem aqui avisamos já que não vai ter sucesso. Podiam ser outras, mas são estas. E pedimos desculpa às que ficaram de fora. Ah, espere, mais um alerta à tripulação: estas séries de comédia estão ordenadas apenas por ordem alfabética, que não queremos alimentar ainda mais a polémica. Ria-se connosco.

Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade