Dez filmes sobre comes e bebes que foram nomeados para os Óscares

A comida e a bebida são temas para filmes tão legítimos como quaisquer outros. A prová-lo, uma dezena de títulos que não só foram nomeados para os Óscares, como em alguns casos ganharam estatuetas
The 25 best feelgood movies on Netflix: Ratatouille (2007)
Por Eurico de Barros |
Publicidade

A Festa de Babette, Ratatui, Chocolate, Sideways, O Banquete de Casamento ou Julie & Julia são algumas das fitas sobre comida, bebida, restaurantes e receitas que foram aos Óscares. Alguns não passaram de indicações, outros levaram a estatueta para casa – provavelmente para a guardar numa prateleira da cozinha. Veja estes 10 filmes nomeados para os Óscares, e bom apetite. 

Dez filmes sobre comes e bebes que foram aos Óscares

Camera

‘Adeus, Amigos’, de Barry Levinson (1982)

A primeira longa-metragem de Barry Levinson passa-se num típico diner de Baltimore, no final dos anos 50, onde se juntam seis amigos na casa dos 20, à beira de entrar na idade madura e de começar a tomar decisões sobre que rumo vão dar às suas vidas. Naturalmente, come-se e bebe-se muito (essencialmente, comida de diner americano) ao longo deste filme, que deu a Levinson uma nomeação para Óscar de Melhor Argumento Original.

Camera

‘A Festa de Babette’, de Gabriel Axel (1987)

Óscar de Melhor Filme Estrangeiro para este filme do dinamarquês Gabriel Axel, adaptado de um conto da sua compatriota Karen Blixen. Esta história de uma exilada francesa (Stéphane Audran) que, no século XIX, é acolhida por duas irmãs dinamarquesas, que vivem austera e frugalmente, e lhes agradece com uma sumptuosa refeição, é uma celebração da boa mesa e de como a comida pode trazer alegria e sensações totalmente novas àqueles que raramente as experimentam.

Publicidade
Camera

‘O Banquete de Casamento’, de Ang Lee (1993)

Um variado e apetitoso banquete de matrimónio está no centro desta comédia dramática do taiwanês Ang Lee. Mas se a comida é da melhor, o casamento é um logro. Um homossexual americano e outro chinês vivem juntos em Nova Iorque, e para enganarem os pais deste, que vêm de visita aos EUA, combinam que ele vai fazer um casamento de conveniência com uma imigrante que se quer legalizar. Nomeado para Óscar de Melhor Filme Estrangeiro.

Camera

‘Comer Beber Homem Mulher’, de Ang Lee (1994)

Ang Lee voltou a ter uma nomeação para o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro um ano depois de O Banquete de Casamento, graças a esta fita sobre um chef taiwanês que vive com as três filhas solteiras. Todos os domingos, pai e filhas juntam-se à mesa para um elaborado jantar, que já se transformou num ritual familiar. Lee usa a comida como uma metáfora para a crescente separação e falta de comunicação entre o chef (que está a perder o paladar) e o trio de raparigas.

Publicidade
Camera

‘Chocolate’, de Lasse Hallstrom (2000)

Cinco nomeações para os Óscares (incluindo Melhor Filme) teve esta fábula de Lasse Hallstrom baseada no livro homónimo de Joanne Harris, mas acabou por não ganhar nenhum. Uma mulher (Juliette Binoche) e a filha de seis anos abrem uma loja de chocolates numa vilazinha francesa. A princípio, são recebidas com desconfiança, mas depois os deliciosos chocolates começam a surtir o seu efeito nos membros da muito tacanha e pouco tolerante comunidade.

Camera

‘Pedaços de uma Vida’, de Peter Hedges (2003)

O jantar do Dia de Acção de Graças, uma tradição americana, domina esta comédia dramática. Em Nova Iorque, uma rapariga (Katie Holmes) está a preparar o jantar do Dia de Acção de Graças para a mãe e o resto da família, que vêm de fora da cidade. O fogão avaria-se e a rapariga tem que ir à procura de uma vizinha que a deixe cozinhar o peru no fogão dela. Patricia Clarkson foi nomeada para o Óscar de Melhor Actriz Secundária no papel da mãe.

Publicidade
Camera

‘Trinta Dias de Fast Food’, de Morgan Spurlock (2004)

O documentarista Morgan Spurlock teve uma nomeação para o Óscar de Melhor Documentário de Longa-Metragem com este trabalho onde investiga os efeitos nocivos da fast food nos consumidores, transformando-se para o efeito numa cobaia humana. Spurlock passou um mês inteiro a comer em McDonald’s, três refeições por dia, provando todos os itens da ementa, e foi devidamente acompanhado por três médicos, cada um da sua especialidade.

Camera

‘Sideways’, de Alexander Payne (2004)

Uma semana antes de se casar, Jack (Thomas Haden Church) e o seu amigo e padrinho Miles (Paul Giamatti) vão fazer o circuito das vinhas da Califórnia. Entretanto, conhecem duas simpáticas e atraentes amigas. Esta comédia dramática sobre vinho e as frustrações, angústias e ridículos da meia-idade, ganhou os Óscares de Melhor Filme e Argumento Adaptado. Haden Church (Actor Secundário), Alexander Payne (Realizador) e Virginia Madsen (Actriz Secundária) também foram nomeados.

Publicidade
Camera

‘Ratatoui’, de Brad Bird e Jan Pinkawa (2007)

Comida e ratos não vão nada bem juntos na vida real, mas combinam tão bem como bife e batatas fritas nesta deliciosa animação digital da Pixar/Disney, que recebeu o Óscar de Melhor Filme Animado de Longa-Metragem e teve mais quatro nomeações, incluindo Argumento Original e Banda Sonora. Remy é um ratinho francês que quer ser chef, uma ambição que não quadra nada com a sua espécie, e acaba por ir parar ao restaurante do cozinheiro que mais admira.

Camera

‘Julie & Julia’, de Nora Ephron (2009)

Meryl Streep interpreta a carismática e inovadora cozinheira americana Julia Child, e Amy Adams personifica a blogger de culinária Julie Powell, que em 2002 se propôs confeccionar todas as receitas contidas no primeiro livro daquela. A acção deste filme de Nora Ephron alterna entre o pós-II Guerra Mundial, contando a história de Julia Child e do marido, e o início deste século, acompanhando Julia Powell. Meryl Streep foi nomeada para o Óscar de Melhor Actriz pelo seu brilhante papel.

Filmes

Óscares: dez discursos polémicos

O escândalo rebentou, as denúncias multiplicaram-se e a onda de contestação e apoio assaltou Hollywood com a hashtag #metoo à cabeça. Nos Globos de Ouro já se ouviram discursos fortes, como o de Oprah, e a passadeira vermelha fez-se em tons de negro como forma de protesto. É por isso de esperar discursos controversos na cerimónia dos Óscares deste ano, que acontece a 4 de Março. O que, a bem dizer, até já começa a ser uma tradição. Se nas últimas edições tem sido vulgar, certo é a coisa ter começado há décadas, como vemos nestes dez exemplos.

Filmes

Filmes na Netflix que ganharam o Óscar de Melhor Filme

Todos os filmes desta lista ganharam o Óscar de Melhor Filme. Estão na Netflix e são bons à primeira, à segunda e à terceira. Não se esqueça que o catálogo do serviço de streaming vai sofrendo alterações e por isso alguns filmes desaparecem ao fim de algum tempo. Aproveite para rever agora estes que lhe sugerimos.

Publicidade
Filmes, Animação

Filmes de animação que ganharam um Óscar

Tem até ao dia 4 de Março, data da 90ª cerimónia dos Óscares, para sentar a família toda no sofá e fazer uma maratona pelos filmes de animação que ganharam a estatueta dourada nos últimos 16 anos. Comédia, suspense, drama, musical, western – vale tudo, desde que meta desenhos animados. Recomendado: Os filmes mais esperados até aos Óscares

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com