Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Óscares 2019

Óscares 2019

Tudo o que precisa de saber para estar preparado para os Óscares, incluindo nomeações, previsões, críticas de filmes e entrevistas

Oscars, Academy Awards
Fotografia: Sarah Hadley

Dos filmes que nunca deveriam ter ganho uma estatueta dourada aos nomeados mais improváveis, trazemos-lhe tudo o que precisa de saber sobre os Óscares em 2019. Entre o melhor filme, o melhor actor ou a melhor actriz, fique a par dos candidatos mais fortes aos cobiçados prémios da indústria cinematográfica norte-americana.

Quando são os Óscares?
A cerimónia irá decorrer na noite de 24 de Fevereiro de 2019.
Onde será o evento?
A entrega de prémios terá lugar no Dolby Theatre, em Hollywood, onde acontece anualmente desde 2002.
Quando é que as nomeações são reveladas?
A 22 de Janeiro ficámos a saber quem são os candidatos.
Quem vai apresentar a 91ª edição da cerimónia?
Vai ser a primeira cerimónia em três décadas sem um apresentador destacado. A última foi a 61ª edição, em 1989.

RECOMENDADO: Os melhores filmes de 2018

A caminho dos Óscares 2019

Em noite de surpresas, o prémio maior foi para Green Book
Notícias

Em noite de surpresas, o prémio maior foi para Green Book

Foi uma noite de surpresas, com a maior de todas a ser guardada para o fim: Green Book – Um Guia Para a Vida venceu o Óscar de Melhor Filme, deixando para trás o favorito Roma. O filme de Peter Farrelly valeu ainda a Mahershala Ali a estatueta de Melhor Actor Secundário. Sem o habitual, e tantas vezes controverso, apresentador, depois de a Academia ter afastado Kevin Hart por declarações homofóbicas, a noite de Óscares deste domingo foi diferente com a diversidade em cima do palco e com os prémios a serem distribuídos pelos vários filmes. Se olharmos para os números, não deixa de ser surpreendente que Bohemian Rhapsody, o filme sobre a vida de Freddy Mercury que tanto apaixonou os fãs de Queen como chateou os críticos, seja o grande vencedor com quatro Óscares. O filme que teve o seu realizador despedido, depois de várias acusações de abuso sexual, valeu a Rami Malek o Óscar de Melhor Actor. Bryan Singer, no entanto, nunca foi mencionado. Logo atrás, ficaram Black Panther, Green Book e Roma com três estatuetas. Pela primeira vez, o México venceu o Óscar de Melhor Filme Estrangeiro com Roma, de Alfonso Cuarón. O filme da Netflix era um dos grande favoritos aos prémios com dez nomeações, a par de A Favorita, mas acabou por arrecadar apenas três. Ainda assim, as memórias de infância de Cuarón numa clara homenagem à empregada doméstica que o ajudou a criar valeram-lhe o Óscar de Melhor Realizador. Roma venceu ainda na categoria de Melhor Fotografia. Nunca a Netflix tinha co

E o Óscar devia ir para...
Filmes

E o Óscar devia ir para...

Eurico de Barros e Joshua Rothkopf, crítico da Time Out Nova Iorque, fazem apostas sobre os vencedores desta edição dos Óscares, que acontece já neste domingo em Los Angeles, e discutem sobre quem merecia ganhar cada estatueta. Esquecendo a justiça, os dois críticos apostam ainda nos vencedores – eles nem mereciam, mas quase de certeza que vão ganhar, dizem. Mas como isto tem sempre alguma coisa de aleatório, decidimos criar um jogo do bingo para o entreter nas partes chatas da noite. A Favorita, de Yorgos Lanthimos, e Roma, de Alfonso Cuarón, são os favoritos aos prémios mais importantes de Hollywood com dez nomeações cada. Recomendado: Os injustiçados das nomeações aos Óscares

Conheça os nomeados a Melhor Filme
Filmes

Conheça os nomeados a Melhor Filme

Mais uma vez, esta é aquela altura do ano em que os cinéfilos se preparam para uma longa noite em frente à televisão para verificarem se as suas previsões se confirmam. Para já, A Favorita, de Yorgos Lanthimos, e Roma, de Alfonso Cuarón, cada um com dez nomeações, são os filmes na linha da frente, com Assim Nasce Uma Estrela, de Bradley Cooper, e Vice, de Adam McKay, na sua pegada, ambos com oito nomeações. Logo atrás está a única verdadeira surpresa, Black Panther, realizado por Ryan Coogler, nomeado em sete categorias. Mas isto nunca se sabe para que lado se vira o júri… Conheça os nomeados a Melhor Filme.  Recomendado: Guia para os Óscares 2019

O melhor filme estrangeiro
Filmes

O melhor filme estrangeiro

O Melhor Filme Estrangeiro é o parente pobre na cerimónia de entrega de Óscares. Ainda assim, poucos são os países que não apresentam candidatos, e ainda menos os cineastas que não gostariam de uma estatueta na mão. Entre dezenas de candidatos, caíram no goto do júri cinco nomeados de diferentes latitudes estéticas e geográficas. Há um, no entanto, que se tem destacado: Roma, de Alfonso Cuarón. O filme da Netflix é um dos grandes favoritos aos Óscares deste ano. Além de nomeado para Melhor Filme Estrangeiro, Roma concorre ainda nos prémios principais (Melhor Filme e Realizador).  Recomendado: Os injustiçados das nomeações aos Óscares

Estas são as nomeadas para melhor actriz
Filmes

Estas são as nomeadas para melhor actriz

Uma cantora, uma desconhecida, uma veterana, uma cara da comédia agora num papel dramático e uma actriz que depois de anos no meio conseguiu finalmente o seu grande protagonismo. São assim, em traços gerais, as nomeadas na categoria de melhor actriz para a edição dos Óscares deste ano. Olivia Colman, Lady Gaga, Melissa McCarthy, Glenn Close e Yalitza Aparício são as escolhidas da Academia. Conheça as cinco nomeadas aos Óscares na categoria de Melhor Actriz. A vencedora é anunciada a 24 de Fevereiro. Recomendado: Óscares 2019 – estes são os nomeados para melhor actor

Estes são os nomeados para melhor actor
Filmes

Estes são os nomeados para melhor actor

É uma lista de pesos pesados, embora com duas estreias para Rami Malek e Willem Dafoe, já nomeado no passado na categoria secundária da representação, mas nunca na principal. Juntamente com Malek (Bohemian Rhapsody) e Dafoe (À Porta da Eternidade), estão na corrida Christian Bale, por Vice, Bradley Cooper, por Assim Nasce Uma Estrela e Viggo Mortensen, por Green Book – Um Guia para a Vida. Dos cinco, só Cooper dá vida a uma personagem fictícia, todos os outros são retratos reais de figuras tão conhecidas como Freddy Mercury, Vincent Van Gogh ou Dick Cheney. Conheça os cinco nomeados aos Óscares na categoria de Melhor Actor. O vencedor é anunciado a 24 de Fevereiro. Recomendado: Os injustiçados das nomeações aos Óscares

Os injustiçados das nomeações aos Óscares
Filmes

Os injustiçados das nomeações aos Óscares

É inevitável. Todos os anos há faltas, omissões e esquecimentos de lamentar, incompreensíveis, ou pura e simplesmente injustos na lista dos indicados aos Óscares da Academia. A lista deste ano não é excepção, muito pelo contrário. Robert Redford e O Cavalheiro com Arma, Clint Eastwood e Correio de Droga, Bradley Cooper (na categoria de Melhor Realizador por Assim Nasce uma Estrela, em vez estar nomeado como Melhor Actor), Emily Blunt, John David Washington (como Melhor Actor em BlaKkKlansman: O Infiltrado) e o aclamadíssimo filme sul-coreano Burning, de Lee Chang-dong (em Melhor Filme Estrangeiro), são ausências verdadeiramente gritantes. Recomendado: Oito grandes realizadores que nunca ganharam Óscares

Os melhores filmes de Bradley Cooper
Filmes

Os melhores filmes de Bradley Cooper

Um dos nomes mais activos e notados de uma nova geração de intérpretes do cinema americanos, Bradley Cooper já trabalhou sob a direcção de cineastas como Clint Eastwood, Cameron Crowe e David O. Russell, e é um actor capaz de se mexer entre os grandes estúdios e o cinema independente Ei-lo em sete filmes fundamentais para o entendimento da sua ascensão em Hollywood, recentemente coroada pela realização e interpretação de Assim Nasce Uma Estrela, ao lado de Lady Gaga. A que se seguirá Bernstein, que vai também realizar e onde personificará o maestro e compositor Leonard Bernstein.  Recomendado: Filmes em cartaz esta semana

Os filmes essenciais de Willem Dafoe
Filmes

Os filmes essenciais de Willem Dafoe

Frequentador de filmes independentes como de grandes produções de estúdio e de fitas europeias de autor, Willem Dafoe é um actor para todas as estações, que não se deixou estereotipar nos papéis de vilão, como ameaçava suceder no início da sua carreira no cinema.  Agora está nomeado para o Óscar de Melhor Actor pela sua interpretação em The Florida Project. Recomendado: Entrevista a Willem Dafoe: "As pessoas agora estão a engatar-se a elas próprias."

Os melhores filmes de Spike Lee
Filmes

Os melhores filmes de Spike Lee

Apesar do engajamento político de Spike Lee e da estridência da sua expressão cinematográfica, o seu mais recente filme, BlacKkKlansman: O Infiltrado, acaba por ser bastante moderado. Isso podia não ser um problema, se não fosse também um filme menor do realizador, sem a tensão nem a pertinência de películas como Não Dês Bronca, de 1989, ou A Última Hora, de 2002, entre outros marcos da sua obra. Recordamos os melhores filmes do clelebrado cineasta americano, no activo desde o final dos anos 70. Recomendado: O Ku Klux Klan no cinema

Mostrar mais

Especial MEO

Jogue o Bingo dos Óscares 2019 e habilite-se a ganhar um prémio
Filmes

Jogue o Bingo dos Óscares 2019 e habilite-se a ganhar um prémio

Está a planear ver os Óscares com os amigos? Ou sozinho com um balde de pipocas? Independentemente de ser um espectador regular ou ocasional, o Bingo Óscares 2019 é o jogo perfeito para não perder pitada da cerimónia, não adormecer a meio e ainda se habilitar a ganhar um prémio.  E para garantir que tem as melhores hipóteses de fazer Bingo, temos 10 boletins à sua disposição. É só imprimir e jogar durante a cerimónia, na noite de 24 de Fevereiro. E se quiser companhia, siga-nos através do @timeoutlisboa no Instagram onde vamos estar a jogar em directo. Escolha um boletim da lista abaixo, imprima e boa sorte! Bingo Óscares 1 Bingo Óscares 2 Bingo Óscares 3 Bingo Óscares 4 Bingo Óscares 5 Bingo Óscares 6 Bingo Óscares 7 Bingo Óscares 8 Bingo Óscares 9 Bingo Óscares 10Fez "Bingo"? Partilhe nas suas stories do Instagram com a hashtag #meooscares19 e habilite-se a ganhar um dos três packs de prémios MEO que temos para lhe oferecer, que inclui uma mochila, uma bolsa para o telefone, um porta-chaves, um power bank e uns auscultadores. Os vencedores serão escolhidos aleatoriamente através da ferramenta randomg.org entre todas as stories submetidas com a hashtag, em modo público, durante o dia 25 de Fevereiro.

Que tipo de espectador dos Óscares és tu?
Filmes

Que tipo de espectador dos Óscares és tu?

És um Oscarmaníaco ou um espectador casual que está ali só para comentar os vestidos, ouvir as canções ou ver caras de actores conhecidos e dizer “ah, este pensava que já tinha morrido!”? Responde ao inquérito e descobre qual és tu. Loading... // (function(i,s,o,g,r,a,m){var ql=document.querySelectorAll('A[quiz],DIV[quiz],A[data-quiz],DIV[data-quiz]'); if(ql){if(ql.length){for(var k=0;k

Óscares 2019: as nossas críticas

Roma

Roma

Alfonso Cuarón ganhou o Festival de Veneza com este filme.

A Time Out diz
4 /5 estrelas
Black Panther

Black Panther

Criado em 1966 por Stan Lee e Jack kirby, que beberam no espírito dos tempos, inspirando-se na eclosão do movimento pelos direitos civis nos EUA e no aparecimento de grupos ultra-radicais como os Panteras Negras, Black Panther foi o primeiro herói negro dos comics com superpoderes. Depois de ter aparecido ao lado dos Vingadores em Capitão América: Guerra Civil (2016), Black Panther surge agora autonomizado neste filme de Ryan Coogler (autor do excelente Creed: O Legado de Rocky) e de novo interpretado por Chadwick Boseman.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
BlacKkKlansman - O Infiltrado

BlacKkKlansman - O Infiltrado

Apesar de ser balizado por duas manifestações do típico fervor activista de Spike Lee (a abrir, um discurso racista de um supremacista branco ficcional, interpretado por Alec Baldwin, e a fechar, imagens dos distúrbios raciais em Charlotsville e a inevitável bandarilhada em Donald Trump), o seu novo filme, BlacKkKlansman: O Infiltrado, é surpreendentemente moderado, tendo em conta o radicalismo político do realizador e a estridência da sua respectiva expressão cinematográfica.

A Time Out diz
2 /5 estrelas
Bohemian Rhapsody

Bohemian Rhapsody

Desde que em 2010 este projecto de um filme sobre Freddie Mercury e os Queen foi anunciado, que os problemas de produção nunca mais pararam. Entra e sai de realizador, dança de argumentistas, troca do actor que ia interpretar Mercury (nomeadamente, Sacha Baron Cohen), etc. Bohemian Rhapsody acabou finalmente por ser feito, assinado por Bryan Singer (que abandonou a rodagem antes do final e foi substituído por Dexter Fletcher) e com Rami Malek no papel de Mercury. Tendo Brian May e Roger Taylor como produtores executivos e consultores criativos, tal como Jim Beach, o manager do grupo, a controlar o projecto desde o início, Bohemian Rhapsody é exactamente o que se poderia esperar.

A Time Out diz
2 /5 estrelas
Green Book – Um Guia Para a Vida

Green Book – Um Guia Para a Vida

Este é mais um filme baseado em factos reais. Em 1962, Don Shirley, um culto e sofisticado pianista negro, foi em digressão pelo Sul dos EUA com o seu trio. E levou como motorista e guarda-costas Anthony Vallelonga, ou Tony Lips, segurança de clubes nocturnos de Nova Iorque e típico italo-americano do Bronx. E ficaram amigos até à morte de ambos, em 2013.

A Time Out diz
2 /5 estrelas
Assim Nasce Uma Estrela

Assim Nasce Uma Estrela

Quem viu o segundo remake de Nasceu Uma Estrela, realizado por Frank Pierson em 1976, lembra-se que o filme é um hino ao colossal narcisismo de Barbra Streisand – que, além de personificar a heroína, também produziu esta versão, com Jon Peters, o ex-cabeleireiro de Hollywood que se tornou seu amante e gestor de carreira. Kris Kristofferson, com quem Streisand contracena, passa o filme a apanhar bonés e a ouvi-la cantar.

A Time Out diz
2 /5 estrelas
Cold War - Guerra Fria

Cold War - Guerra Fria

Ao contrário do que o título possa indicar, o novo filme do polaco Paweł Pawlikowski, Óscar de Melhor Filme Estrangeiro com Ida (já antes, em Inglaterra, onde vive desde jovem, tinha assinado obras dignas de registo como A Última Oportunidade ou Amor de Verão), não é um thriller de espionagem ou político.

A Time Out diz
5 /5 estrelas
A Mulher

A Mulher

Estamos em 1992 e o escritor americano Joseph Castleman acaba de ganhar o Nobel da Literatura, que celebra com a sua discreta e meticulosa mulher, Joan (Glenn Close). O casal ruma a Estocolmo, para a cerimónia da entrega do prémio, acompanhado do filho, David (Max Irons), também ele escritor e ansioso pela aprovação do pai, e seguidos por Nathaniel Bone (Christian Slater), que quer escrever a biografia do nobelizado.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
No Coração da Escuridão

No Coração da Escuridão

Um homen solitário, torturano e que não vê qualquer sentido ou utilidade naquilo que faz, decide recorrer à violência como forma de corrigir aquilo que entender serem os males do mundo e castigar os responsáveis por eles, assumindo assim uma aura de anjo vingador e sacrificial.

A Time Out diz
2 /5 estrelas
Shoplifters - Uma Família de Pequenos Ladrões

Shoplifters - Uma Família de Pequenos Ladrões

A família, e as várias formas que ela pode assumir para lá daquela que é estruturante das sociedades humanas e aceite tradicionalmente como modelo, são os dois grandes temas da obra do japonês Hirokazu Kore-eda, desde a sua primeira longa-metragem, Maborosi (1995).

A Time Out diz
4 /5 estrelas
The Incredibles 2 - Os Super-Heróis

The Incredibles 2 - Os Super-Heróis

Foram precisos 14 anos para Brad Bird fazer a continuação do seu brilhante The Incredibles – Os Super-Heróis (2004). Tardou, mas os Parr estão finalmente de volta em The Incredibles 2 – Os Super-Heróis. Só que agora a família tem que se resignar a ser anónima e quotidiana como as outras, porque os governos de todo o mundo proibiram os super-heróis. Mas um multimilionário e a sua irmã perita em tecnologia decidem fazer lóbi contra este estado de coisas, e escolhem Helen Parr, vulgo a Mulher-Elástica, como cabeça de cartaz super-heróica. O que deixa Bob, vulgo o Sr. Incrível, em casa, entre o humilhado e o resignado, a tratar do bebé Jack-Jack, que revela ter mais superpoderes do que a Benetton tem combinações de cores, a debater- se com a Nova Matemática que o filho Dash está a dar na escola, e com os problemas amorosos da filha Violet.

A Time Out diz
5 /5 estrelas
Ralph vs Internet

Ralph vs Internet

Passaram seis anos desde que Ralph salvou o salão de jogos da vingança de Turbo. O mundo, não apenas o dos videojogos, evoluiu entretanto e Rich Moore, agora partilhando a realização com Phil Johnston (que, com ele, criara o argumento de Força Ralph), atira o protagonista para o emocionante e aventuroso ciberespaço, criando uma sequela que nada deve ao original em graça, e – não fora este um filme com a chancela Disney – moral.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
Homem-Aranha: No Universo Aranha

Homem-Aranha: No Universo Aranha

Já tínhamos o Homen-Aranha de carne e osso e efeitos digitais, temos agora o Homem- Aranha em animação por computador, porque os grandes estúdios de Hollywood não perdem uma oportunidade para fazer mais uns dólares. E sucede que Homem-Aranha: No Universo Aranha parece um congresso, porque além do nosso conhecido Homem-Aranha de Peter Parker, e do seu sucessor, o Homem-Aranha étnico, teen e cool do jovem Miles Morales, há ainda o Homem-Aranha sósia de Peter Parker, o Homem-Aranha Noir à policial dos anos 30 (e com a voz de Nicolas Cage), a Mulher- Aranha adolescente, a Menina-Aranha (e o seu fiel robô) em estilo anime e o Homem-Aranha porcino saído dos cartoons. Foram todos trazidos inadvertidamente das suas respectivas dimensões paralelas pelo acelerador de partículas do maciço Rei do Crime, que destabilizou o espaço-tempo e ameaça estoirar com o nosso universo, e todos os que lhe são simultâneos. Por isso, eles têm que juntar forças para evitar o fim de absolutamente tudo o que existe.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
O Regresso de Mary Poppins

O Regresso de Mary Poppins

Em 2013, o filme Ao Encontro de Mr. Banks contou a história da dificuldade que Walt Disney (interpretado por Tom Hanks) teve para conseguir convencer a escritora P.L. Travers (Emma Thompson), a criadora de Mary Poppins, em ceder-lhe os direitos de adaptação ao cinema dos seus livros, e rodar Mary Poppins (1964), que se tornaria num dos títulos clássicos e mais bem-amados da Disney e daria a Julie Andrews o Óscar de Melhor Actriz (o filme ganhou mais quatro). Walt Disney quis, logo a seguir, fazer uma continuação, mas dessa vez não conseguiu persuadir Travers a dar-lhe a devida autorização. Nos anos 80, o então presidente da Disney, Jeffrey Katzenberg, abordou de novo a escritora com o mesmo projecto, mas ela voltou a recusar. Só em 2015 o estúdio conseguiu ter luz verde dos herdeiros de P.L. Travers para rodar a tão desejada continuação de Mary Poppins. A realização foi entregue a Rob Marshall (Chicago, Caminhos da Floresta), com Emily Blunt no papel da ama mágica.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
O Primeiro Homem na Lua

O Primeiro Homem na Lua

O homem chegou à Lua a 20 de Julho de 1969, mas foi preciso esperar quase meio século para que se fizesse o primeiro filme sobre essa proeza histórica. Em rigor, esta fita de Damien Chazelle é menos sobre a viagem da Apollo XI do que sobre o primeiro homem a pisar a superfície lunar, Neil Armstrong, como reza o título.

A Time Out diz
3 /5 estrelas
Ilha dos Cães

Ilha dos Cães

As pessoas que gostam mais de gatos do que de cães têm toda a razão para torcer o nariz ao relambório que Wes Anderson faz à espécie canina nesta sua segunda longa-metragem animada, após a muito superior O Fantástico Senhor Raposo (2009), onde associa a gataria a todos os vilões da história, passada no Japão, num futuro próximo, quando o presidente da Câmara da cidade fictícia de Megasaki envia todos os cães, atacados por um vírus contagioso, para uma ilha onde só há lixo e ruínas industriais. O enredo simplório e previsível é em parte compensado pela mestria visual de Anderson, que combina o desenho, a animação de modelos imagem a imagem e os efeitos digitais sob a égide da estética da arte nipónica, da tradicional às manga, e exibe a sua obsessão pontilhista pelos detalhes e a sua fixação pela encenação geométrica.

A Time Out diz
3 /5 estrelas

Tudo o que precisa de saber sobre os Óscares

Erros que ficaram para a história na entrega dos Óscares
Filmes

Erros que ficaram para a história na entrega dos Óscares

A história dos Óscares também é feita de erros. O mais recente, e sem dúvida o mais grave, foi a troca do envelope na entrega do prémio de Melhor Filme em 2017. Um lapso que, ainda por cima, demorou algum tempo a ser rectificado, e só quando a equipa de  La La Land – A Melodia do Amor já estava em palco e os discursos de agradecimento iam a meio é que a produção explicou aos envolvidos que, afinal, Moonlight é que tinha vencido. Mas ao longo dos anos houve mais problemas e complicações. Recordamos outras gafes, entre trocas de nomes e homens nus. E esperamos que não aconteça nada parecido nos Óscares de 2019. Recomendado: Óscares 2019 – "A Favorita" e "Roma" destacam-se com dez nomeações cada

Os dez musicais que ganharam o Óscar de Melhor Filme
Filmes

Os dez musicais que ganharam o Óscar de Melhor Filme

Desde a primeira cerimónia de entrega dos Óscares, em Maio de 1929, até hoje, apenas dez musicais venceram o ambicionado Óscar de Melhor Filme. Entre os vencedores, estão clássicos como Um Americano em Paris (1951) e Gigi (1958), ambos de Vincente Minnelli, My Fair Lady (1964), de George Cukor, ou Música no Coração (1965), de Robert Wise. Mas nos últimos 50 anos só um filme (Chicago, de Rob Marsall) arrebatou a principal estatueta da Academia de Hollywood. E ainda não vão ser os Óscares de 2019 a mudar estas contas. O que só prova que o género já conheceu melhores dias. Recomendado: Comédias que ganharam o Óscar de Melhor Filme

As únicas comédias que ganharam o Óscar de Melhor Filme
Filmes

As únicas comédias que ganharam o Óscar de Melhor Filme

Os Óscares – como a maior parte das cerimónias de prémios – tendem a privilegiar um certo tipo de filmes, mais sérios, por assim dizer, em detrimento de quase tudo o resto. É claro que há sempre excepções, e estas preferências vão mudando com o tempo, mas as comédias raramente estiveram nas boas graças da Academia de Hollywood. E é pouco provável que esta tendência se inverta nos Óscares de 2019. Afinal, ao longo dos anos, só seis filmes cómicos levaram para casa o cobiçado Óscar de Melhor Filme. Frank Capra, Leo McCarey, Billy Wilder, Tony Richardson e Woody Allen foram os realizadores dos filmes premiados. Recomendado: Os dez musicais que ganharam o Óscar de Melhor Filme

Grandes actores e actrizes que nunca ganharam o Óscar
Filmes

Grandes actores e actrizes que nunca ganharam o Óscar

Numa cidade em que o estatuto de A List diz muito, Hollywood continua a ser implacável com algumas das caras mais conhecidas da indústria. Na cidade dos anjos contam-se histórias que traduzem amores e desamores da condição humana, histórias de força e superação, histórias de desastre e redenção, para que nos seja possível suportar a existência. Mas, no fim, há mais em jogo do que uma linha que nos estremece ou um monólogo que nos acompanha como bíblia para o resto dos dias. A estatueta dourada é a bitola que separa o que é bom do que é divino, mas nem sempre é consensual. Esta é a lista dos actores e actrizes que nunca ganharam o Óscar. Recomendado: Os 50 melhores filmes clássicos de sempre

Oito grandes realizadores que nunca ganharam Óscares
Filmes

Oito grandes realizadores que nunca ganharam Óscares

Já se sabe que nem sempre os melhores realizadores (e os melhores actores e os melhores filmes...) são aqueles que ganham os Óscares, e já por muitas ocasiões as estatuetas de Hollywood foram parar às pessoas erradas, deixando de mãos a abanar quem as merecia. Neste aspecto, os Óscares de 2019 não hão-de ser excepção. Todavia, às vezes, estas injustiças acabam por ser corrigidas, com realizadores que não foram premiados pelas suas obras-primas a ganharem o Óscar anos mais tarde, ainda que por filmes menores. Noutros casos é tarde demais para corrigir o erro, e no máximo pode atribuir-se um Óscar Honorário. Foi o que aconteceu a cineastas do gabarito como Howard Hawks, Ernst Lubitsch e outros figurões. Recomendado: Grandes actores e actrizes que nunca ganharam o Óscar

As actrizes e os actores com mais Óscares
Filmes

As actrizes e os actores com mais Óscares

Foram muitos os actores e actrizes que, desde 1929, data da primeira cerimónia dos prémios, ganharam um Óscar. Pouco mais de 40 conseguiram levar para casa duas estatuetas da Academia das Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood ao longo da sua carreira. Mas mais do que isso? Quase nenhuns. Katharine Hepburn é a actriz mais premiada, tendo recebido quatro Óscares de Melhor Actriz entre 1934 (por Glória de Um Dia) e 1982 (por A Casa do Lago). Depois vêm Daniel Day-Lewis, Meryl Streep, Jack Nicholson, Ingrid Bergman e Walter Brennan – o único que nunca foi eleito melhor actor principal, vencendo apenas por papéis secundários. São muito poucos os actores com mais Óscares. É um clube muito restrito e é pouco provável que alguém se junte a ele quando tudo acontecer nos Óscares de 2019. Talvez para o ano. Recomendado: Grandes actores e actrizes que nunca ganharam o Óscar

Cinco músicos nomeados para os Óscares
Filmes

Cinco músicos nomeados para os Óscares

Em Mudbound - As Lamas do Mississípi, Mary J. Blige interpreta uma mãe de família que enfrenta o racismo e sofre os efeitos da Segunda Guerra Mundial num Mississippi rural. A lista que se segue dá-lhe outros exemplos de músicos com sucesso na hora de se vestirem de actores, de tal forma que que chegaram mesmo a uma nomeação para os Óscares. Não contamos aqui, claro está, todas as nomeações para canções originais e banda-sonora, quase sempre dominada e ganha por músicos.

Filmes gays nos Óscares: os dez mais marcantes a concorrer à estatueta dourada
Gay

Filmes gays nos Óscares: os dez mais marcantes a concorrer à estatueta dourada

É uma época de ouro para o cinema LGBT+. Filmes como Moonlight, Chama-me Pelo Teu Nome ou Um Homem Singular trouxeram uma representação muito necessária para o grande ecrã, ao mesmo tempo que proporcionam experiências cinematográficas surpreendentes. A democratização das questões de género e da orientação sexual é um tópico que ganha cada vez mais força e a Academia vai reconhecendo o talento — ainda que a plenitude ainda não tenha sido alcançada. Saia do armário connosco, instale-se confortavelmente no sofá e recorde os filmes gays nos Óscares que marcaram a indústria dos sonhos. Recomendado: Dez filmes gays essenciais

Filmes de animação que ganharam um Óscar
Filmes

Filmes de animação que ganharam um Óscar

Tem até ao dia 4 de Março, data da 90ª cerimónia dos Óscares, para sentar a família toda no sofá e fazer uma maratona pelos filmes de animação que ganharam a estatueta dourada nos últimos 16 anos. Comédia, suspense, drama, musical, western – vale tudo, desde que meta desenhos animados. Recomendado: Os filmes mais esperados até aos Óscares

Oito filmes que ganharam o Óscar de Melhor Guarda-roupa
Filmes

Oito filmes que ganharam o Óscar de Melhor Guarda-roupa

Chegados aos Óscares 2018, retomamos alguns filmes mais bem-vestidos de sempre e confirmamos a tendência: nada como um enredo de época para conquistar quem tem a palavra final. 

Mostrar mais

Arquivo: Óscares 2018

"A Forma da Água" é o grande vencedor dos Óscares
Notícias

"A Forma da Água" é o grande vencedor dos Óscares

O filme de Guillermo del Toro levou para casa quatro estatuetas douradas, incluindo as de Melhor Filme e Melhor Realizador, e partilhou a noite com momentos que vão ficar para a história dos Óscares, como o vencedor mais velho de sempre ou o primeiro trans a ser distinguido pela Academia. Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Banda Sonora e Melhor Direcção de Arte: eis os quatro Óscares que A Forma de Água venceu. Dunkirk ficou logo a seguir, com três estatuetas em categorias técnicas: Melhor Montagem, Melhor Edição Sonora e Melhor Mistura de Som. Frances McDormand, como os críticos da Time Out Lisboa apostaram, ganhou o prémio de Melhor Actriz do ano, e Gary Oldman, pela interpretação de Churchill em A Hora Mais Negra, foi distinguido com o galardão de Melhor Actor. Nos secundários, a Academia distinguiu Sam Rockwell pelo papel em Três Cartazes à Beira da Estrada e Allison Janney, por Eu,Tonya. Coco, da Pixar, é o Filme de Animação do ano.  "Se esta noite está nomeado mas não está a fazer história, temos pena..." Quem o disse foi o apresentador Jimmy Kimmel – e, de facto, a 90ª cerimónia será inesquecível por várias razões: Uma Mulher Fantástica transformou-se no primeiro filme protagonizado por uma actriz transgénero a ganhar um Óscar (o de Melhor Filme Estrangeiro); com 89 anos, James Ivory tornou-se o homem mais velho de sempre a ser distinguido, pelo Argumento Adaptado de Chama-me Pelo Teu Nome; e a estatueta de Melhor Argumento Original foi para Jordan Peele (Corr

Óscares 2018: Dez momentos electrificantes numa cerimónia morna
Notícias

Óscares 2018: Dez momentos electrificantes numa cerimónia morna

Nada alguma vez se vai comparar com a colossal confusão de há um ano, o engano no anúncio do Óscar para Melhor Filme que acrescentou o termo EnvelopeGate ao léxico cultural de Hollywood. Mas se é verdade que na noite passada não assistimos a qualquer calamidade – talvez porque seria demasiado previsível – a cerimónia dos Óscares conteve ainda assim uma mão cheia de momentos a puxar à ovação, na sua maioria a merecer os hashtags #Metoo e #Timesup e de alguma forma relacionados com as muitas ramificações da queda de Harvey Weinstein. Eis dez momentos sobre os quais se andará a falar nas próximas 24 horas.       "This is for my old buddy Phil Hoffman" (“Esta é para o meu velho amigo Phil Hoffman"), disse Sam Rockwell no final do discurso de agradecimento pelo Óscar de Melhor Actor Secundário em Três Cartazes à Beira da Estrada, já com a música em crescendo e a convidá-lo a sair de cena. Foi muito rápido, muita gente pode nem ter dado por isso, mas a reacção ruidosa da plateia foi significativa: ainda estamos todos a fazer o luto pelos papéis que Philip Seymour Hoffman, prematuramente desaparecido, não protagonizou. "Representation matters," (“A representação conta/importa”): disse o realizador de Coco, Lee Unkrich, depois de receber o Óscar por Melhor Filme de Animação. Com grande à-vontade no pódio (já lá tinha estado para receber o Óscar por Toy Story 3), Unkrich agradeceu ao povo do México e às suas “"infindavelmente belas cultura e tradições”. Significativamente, o seu

Óscares 2018: os palpites dos críticos da Time Out Lisboa
Filmes

Óscares 2018: os palpites dos críticos da Time Out Lisboa

Não perca o nosso Especial Óscares 2018

'A Forma da Água' lidera corrida aos Óscares com 13 nomeações
Notícias

'A Forma da Água' lidera corrida aos Óscares com 13 nomeações

A Forma da Água, de Guillermo del Toro, é o filme mais nomeado para a edição deste ano dos Óscares, que acontece a 4 de Março. O filme que já valeu ao mexicano o Globo de Ouro de Melhor Realizador surge bem à frente de Três Cartazes à Beira da Estrada, até aqui apontando como o grande favorito. O filme de Martin McDonagh tem sete indicações. Dunkirk, de Christopher Nolan, somou oito nomeações. A pouco mais de um mês da grande cerimónia, foram esta terça-feira anunciados os nomeados para Óscares. Com alguma surpresa, A Forma da Água, que ainda neste fim-de-semana foi premiado pelos produtores de Hollywood, tornou-se no filme mais nomeado este ano. Melhor Filme, Melhor Realizador, Melhor Actriz (Sally Hawkins), Melhor Actor e Actriz Secundários (Richard Jenkins e Octavia Spencer), Melhor Argumento e Melhor Banda Sonora (Alexandre Desplat) são algumas das indicações. O filme estreia-se em Portugal a 1 de Fevereiro. Logo atrás, está Dunkirk com oito nomeações, inclusive Melhor Filme e Melhor Realizador. Já Três Cartazes à Beira da Estrada, que tem conquistado quase todos os prémios que antecedem os Óscares, está nomeado em sete categorias. A comédia negra está nomeada para Melhor Filme, mas não para Melhor Realizador. Frances McDormand, a grande favorita ao Óscar de Melhor Actriz, não falhou a nomeação. Na corrida ao Óscar de Melhor Filme estão ainda Chama-me pelo Teu Nome, A Hora Mais Negra, Get Out, Lady Bird, Phantom Thread e The Post. Entre os filmes mais nome

Óscares 2018: conheça os nomeados na categoria de Melhor Filme
Filmes

Óscares 2018: conheça os nomeados na categoria de Melhor Filme

Vendo as nomeações de maneira aritmético-desportiva, A Forma da Água segue à frentee Três Cartazes à Beira da Estrada está na sua peugada. O que pode muito bem nãoquerer dizer nada. Surpresas podem acontecer, pelo que nada é garantido. Exceptoserem estas as nove películas nomeadas para Óscar de Melhor Filme.

Óscares 2018: E o Melhor Filme de Animação é…
Filmes

Óscares 2018: E o Melhor Filme de Animação é…

Apesar dos Óscares especiais para Branca de Neve e os Sete Anões, Quem Tramou Roger Rabbit e Toy Story, ou a nomeação para Melhor Filme de A Bela e o Monstro, foram precisas sete décadas para os profissionais de animação verem reconhecido o seu trabalho. E desde Shrek grande foi a evolução, vísivel na lista de nomeados. Recomendado: Especial Óscares 2018

Óscares 2018: cante connosco a Melhor Canção Original
Filmes

Óscares 2018: cante connosco a Melhor Canção Original

Este Óscar deve premiar canções que tenham um papel real no filme (A Whole New World, em Aladino, por exemplo). Nem sempre acontece. Talvez aconteça este ano. Seja como for, embora atribuído aos compositores, não é indiferente quem canta os temas nomeados. E há intérpretes de peso nesta edição. Recomendado: Óscares 2018

Óscares 2018: Categorias técnicas ou a corrida dos desconhecidos
Filmes

Óscares 2018: Categorias técnicas ou a corrida dos desconhecidos

Melhor Mistura de Som são Óscares de que só os profissionais querem saber. Porém, sem estes elementos, por vezes fundamentais à intriga e à narrativa, o cinema seria diferente. Faça-se justiça. E aqui vão eles. Recomendado: Especial Óscares 2018

Óscares 2018: E o Melhor Documentário é…
Filmes

Óscares 2018: E o Melhor Documentário é…

A crise económica de 2008, a vida nas pequenas comunidades, a dopagem no desporto russo, a Guerra da Síria, ou o papel da Justiça na discriminação racial são os temas dos cinco filmes nomeados. Obras que, apesar de uma excepção, contrariam a tendência de confundir realidade com ficção, fixando no documentário realista as suas intenções. Recomendado: Tudo sobre os Óscares

Óscares 2018: e o Melhor Filme Estrangeiro é…
Filmes

Óscares 2018: e o Melhor Filme Estrangeiro é…

Um Óscar é um Óscar, e mesmo para os que, na Europa, acham o de Melhor Filme Estrangeiro sinal de paternalismo de Hollywood, nunca é indiferente o vencedor, ou os perdedores. Entre dezenas de candidatos, caíram no goto do júri cinco nomeados de diferentes latitudes estéticas e geográficas. Cinco desafios em desfile já a seguir.

Mostrar mais