Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Festival Play: estes filmes não são para meninos

Festival Play: estes filmes não são para meninos

São para miúdos e para gente crescida com bom gosto. O Festival Play está de volta ao Cinema São Jorge e à Cinemateca Júnior.

Por Francisca Dias Real |
Publicidade

A boa saúde do Festival Play continua a ser atestada por esta altura, todos os anos. A 6.ª edição arranca este sábado, dia 16, e estende-se até 24 de Fevereiro, no fim-de-semana seguinte. É uma avalanche de cinema, curtas e longas-metragens, e de ateliês para as famílias que ocupam o Cinema São Jorge e a Cinemateca Júnior. O PLAY – Festival de Cinema Infantil e Juvenil de Lisboa divide-se em quatro categorias – bebés, 3-5, 6-9 e 10-13 anos –, mas, aqui entre nós, é uma excelente oportunidade de passar um bom bocado a ver animação da boa, usando os miúdos como desculpa. O que aqui lhe damos são apenas algumas das boas razões para não perder esta edição. 

Recomendado:  Monstra à solta: o que o festival de cinema traz a Lisboa

Vamos ver o quê?

Kokosha

Bebés: 1 – 2 anos

As sessões para crianças de 1 e 2 anos são de entrada livre e foram criadas para oferecerem um primeiro contacto aos bebés com o cinema, estimulá-los com sessões de 15 minutos (e de caminho entreter os adultos que os acompanhem). Tome nota de algumas: Entre Linhas conta a história de uma zebra em busca de um amor às riscas, num mundo onde todos têm uma cara metade (17 às 17.30; 23 às 9.30 e 24 às 10.00); Kokosha apresenta, em quatro minutos, a vida de um pequeno crocodilo que vive dentro de um apartamento, mas age como se estivesse num mundo subaquático (17 às 18.00 e 23 às 10.00); Nadar é uma curta sobre perseverança – uma senhora idosa ainda deseja aprender a nadar e superar o medo da água, e não desiste nunca (16 às 10.00 e 24 às 18.00).

3 – 5 anos

Nesta secção há 43 curtas prontas a entrarem em órbita na Sala 1 do São Jorge. Big Wolf Little Wolf é uma delas e vem ensinar os putos a aprender a conviver com os outros, mesmo quando estar (ou brincar) sozinho parece melhor que o resto (16 às 11.15 e 17 às 17.30). O Senhor Papel Sai à Rua é uma curta animada belga que acompanha o desenrascanço de um senhor que, recortando papel, contra o sol ou um cão contra a solidão (Sáb 17.30; 24 15.00). Depois há quem saiba negociar: em Basil onde vais tu?, o menino vai ao mercado para vender o cavalo e acaba a trocar o animal por outro, e assim sucessivamente (Dom 16.15; 23 14.30; 24 11.15). Em Aglae a vaca Tagarela – uma vaca que falava pelos cotovelos sem deixar os amigos abrir a boca – os miúdos vão perceber que não podem ser sempre o centro das atenções (Sáb 15.00; 24 17.00). 

Publicidade

6 – 9 anos

Passada a idade dos porquês, as curtas começam a ser mais complexas. Em Dorothy, a Vagabunda, quatro vacas malhadas passeiam no campo e deparam-se com outra, de cor diferente e de pêlos longos – está na hora de aceitar as diferenças (Sáb 15.00; 23 11.30). Noutro lote de curtas, poderá ver Kuap, que conta a história de um girino que não conseguiu tornar-se sapo e, por isso, é deixado para trás. No fim, porém, acaba por superar a rejeição (Dom 11.30; 24 15.00). Na mesma sessão, é projectado Flipped, uma curta egípcia onde se vive um mundo ao contrário: as crianças são os pais e os adultos os filhos. Noutras histórias, A Tartaruga Dourada traduz uma narrativa sobre desejos e como alcançá-los. A tartaruga com a casca de ouro é apanhada na rede de um pescador e promete ao pescador que todos os seus desejos se tornarão realidade se ele a libertar (Dom 15.00; 24 11.30).

Jim Knopf & Lukas der Lokomotivführer
Conny Klein

10 – 13 anos

Jim Knopf e Lucas, o Maquinista é uma longa-metragem e serve de destaque à secção dos mais crescidos. Será projectada no domingo, dia 17, às 16.30, e revela como a pequena ilha de Morrowland, com apenas quatro habitantes, mudou drasticamente com a chegada de uma encomenda misteriosa: um bebé, o Jim. Na secção de curtas-metragens, fique atento à A Inclusão torna o mundo mais vibrante (Sáb 16.30; 23 15.00), um filme de um rapaz que ajuda a mãe, invisual, ao longo de uma visita a uma galeria de arte, uma forma diferente de ver o mundo. Na mesma sessão, há ainda Mãos de Ferro, que mostra como uma menina de 12 anos se prepara para os duros testes de uma equipa olímpica chinesa de halterofilismo, mas terá ajuda de alguém inesperado. Pode ainda ver Apaixonado pelo Cinema, que ilustra as tentativas falhadas de um pequeno amante de cinema ao ver um filme, até que ele se contenta em ouvir apenas o som do outro lado da sala de cinema. Como é que o miúdo se vai safar para ver o seu filme favorito?

Publicidade
b fachada
© Mané Pacheco

Cine-Concerto

Além de tudo isto, um dos maiores destaques do festival é o cine-concerto que nesta edição está nas mãos e na voz de B Fachada, que esculpe ao vivo a banda sonora de dois clássicos russos – O Ursinho e As Férias do Bonifácio –, realizados pelo autor de culto Fyodor Khitrukno. O cine-concerto acontece no dia 23, às 17.00 no São Jorge (7€).

E mais?

Miúdos, Eventos cinematográficos

Cinemateca Júnior

icon-location-pin Santa Maria Maior

A Cinemateca Júnior também serve de palco ao PLAY com duas sessões de curtas especiais. Viagem à Lua é a deste sábado: uma sessão dedicada ao astro lunar, uma vez que 2019 será o ano da celebração dos 50 anos do primeiro passo do homem na Lua. A partir das 15.00 veja Viagem à Lua, de Segundo de Chomón, O Menino e a Lua, de Rino Alaimo, Estória do Gato e da Lua, de Pedro Serrazina, e Wallace & Gromit – Um Dia de Folga, de Nick Park. No dia 23, às 15.00, haverá uma homenagem aos realizadores checos Breislav Pojar e Miroslav Stepánek com uma sessão de três curtas que acompanham os ursos Monsieur & Monsieur.

Filmes

Cinema São Jorge

icon-location-pin Avenida da Liberdade

E para os pequenos cinéfilos não vai nada, nada, nada? Tudo. Até ateliês, todos no São Jorge. Este sábado, no São Jorge, deixe os miúdos recriar uma cena de filme (15.00; 7€) com direito a guião e cenário onde eles serão os actores. No domingo, há um workshop de filmes a preto e branco – como são feitos os cenários? Os gaiatos ficam a conhecer o processo fílmico de escolher um tema, as marionetas e filmar tudo de pernas para o ar (11.30; 7€). No dia 23, sábado, inscreva os putos num ateliê de animação tipográfica: aqui vão criar a sua personagem animada feita a partir de carimbos de letras, usando depois a técnica frame a frame para lhes dar vida (11.00; 7€). A 24 de Fevereiro deixe-os fazer voz de desenho animado com um ateliê de dobragens (11.00 e 15.00; 7€). Às vezes as vozes são meigas, às vezes são ásperas, que voz tem o seu miúdo? Além disso, há ainda um ateliê na Cinemateca Júnior, a 23 (cinemateca.junior@cinemateca. pt; 11.00; 2,65€). Quantas Histórias Cabem no Som? é uma oficina que desafia as crianças a desenharem narrativas consoante os sons que ouvem, retirados de vários filmes. No fim, juntando os desenhos de todos, será que dá um filme animado?

Filmes para miúdos

Filmes, Animação

Filmes de animação que ganharam um Óscar

Tem até ao dia 4 de Março, data da 90ª cerimónia dos Óscares, para sentar a família toda no sofá e fazer uma maratona pelos filmes de animação que ganharam a estatueta dourada nos últimos 16 anos. Comédia, suspense, drama, musical, western – vale tudo, desde que meta desenhos animados. 

Filmes

Os filmes indispensáveis de Isao Takahata

O Túmulo dos Pirilampos e O Conto da Princesa Kaguya, a sua última obra, são dois dos vários clássicos da animação que Isao Takahata, amigo, colaborador e parceiro de Hayao Miyazaki, e também criador de Marco e Conan, o Rapaz do Futuro na televisão, deixou para a posteridade. 

Publicidade
Filmes

Os piores e os melhores filmes da Disney

Será que os filmes da Disney são sensatos, divertidos e visualmente interessantes – perfeitos para toda a família? Ou são uma lamechice que só serve para fazer lavagem cerebral às crianças? Todas a gente tem uma opinião sobre os mais de 50 filmes de animação que foram lançados ao longo dos anos pela empresa fundada por Walt Disney, a começar pela Branca de Neve, em 1937, até à galinha dos ovos de ouro que foi Frozen: O Reino do Gelo. Mas quais são afinal os que merecem um lugar de destaque na prateleira? E quais os que mais valia serem esquecidos? Elencámos os piores e os melhores filmes de animação da Disney. 

Publicidade