Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Filmes baseados em livros para ver na Netflix
Victoria And Abdul
Fotografia: Peter Mountain / Focus Features Victoria & Abdul (2017)

Filmes baseados em livros para ver na Netflix

Adora ler, mas gosta ainda mais de ver as histórias no grande ecrã? Descubra estes filmes baseados em livros na Netflix

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

Se pensou em Harry Potter ou em O Senhor dos Anéis, tire o cavalinho da chuva, porque fomos à procura de títulos menos óbvios. Desde o clássico Boneca de Luxo (1961) ao recente A Sua Última Vontade (2020), apostamos em como não fazia ideia que alguns destes títulos são adaptações de livros e até de livros sobre histórias verídicas, como a de um jovem abandonado na adolescência que se viria a tornar uma estrela do futebol. Curioso? Só tem de se fechar em casa a conferir se “o livro é melhor que o filme”. Se ainda não leu os livros, bem, o melhor é começar agora.

Recomendado: Nove séries baseadas em livros

Filmes baseados em livros

1. Boneca de Luxo (1961)

Adaptada do romance homónimo de Truman Capote, esta comédia romântica narra a história de Holly Golightly (Audrey Hepburn), uma mulher que sonha em casar com um homem rico e tornar-se actriz em Hollywood, motivo pelo qual se mudou para a cidade de Nova Iorque. Paul Varjak (George Peppard) é o seu mais recente vizinho, um escritor cuja carreira literária se encontra em standby e que vive intrigado com o comportamento de Holly, desde as suas atitudes até à razão que a leva a visitar um antigo chefe de gangsters (Alan Reed) que está preso. Nomeado para cinco Óscares, venceu dois: o de Melhor Música Original, atribuído à famosa canção “Moon River”, de Henry Mancini e Johnny Mercer, e o de Melhor Banda Sonora.

2. O Grande Peixe (2003)

Adaptado do romance de Daniel Wallace, é a história de Edward Bloom (Ewan McGregor e Albert Finney), um homem que passou a vida a contar as viagens que fez à volta do mundo enquanto jovem, mas que agora limitado ao seu leito de morte ouve essas mesmas histórias – aventuras em que nunca se conseguia distinguir o que acontecera do que pertencia ao território da imaginação – serem contadas pela única pessoa que nunca se deixou seduzir por elas: o seu filho. Realizado por Tim Burton, o filme foi nomeado para vários prémios, incluindo um Óscar e Globos de Ouro. A banda sonora recebeu ainda uma nomeação para os Grammy.

Publicidade

3. Duas Irmãs, Um Rei (2008)

Baseado no bestseller de Philippa Gregory, o filme de Justin Chadwick, com argumento de Peter Morgan, adapta o relato fictício da vida das irmãs Bolena, Ana (Natalie Portman) e Maria (Scarlett Johansson), que competem pelo amor e atenção de Henrique VIII (Eric Bana), depois de se espalhar o boato de que o rei já não partilha o leito com a mulher. Manipuladas pelo pai e pelo tio para fazerem a corte ao rei e assim reforçarem a posição social e económica da família, as irmãs acabam por se envolver numa luta por afectos, numa Inglaterra que se começa a dividir.

4. Um Sonho Possível (2009)

Baseado no livro de Michael Lewis, este drama biográfico conta a história verídica do jogador de futebol americano Michael Oher (Quinton Aaron) que viria a tornar-se numa estrela. Abandonado à sua sorte na adolescência, Michael foi ajudado por Leigh Anne Tuohy (Sandra Bullock), uma mulher da classe alta, decidida e autoritária, que acaba por tornar o que poderia ter sido unicamente um gesto de generosidade num momento de viragem nas suas vidas. Com argumento e realização de John Lee Hancock, Um Sonho Possível foi nomeado para Melhor Filme pela Academia de Hollywood e Sandra Bullock arrebatou o Óscar de Melhor Actriz, entre outros prémios.

Publicidade

5. A Descoberta do Primeiro Amor (2010)

Julianna Baker (Madeline Carroll) e Bryce Loski (Callan McAuliffe) conheceram-se em crianças, quando Julie tinha uma paixão por Bryce, mas na altura o jovem, ainda envergonhado, não estava propriamente interessado. Durante seis anos na mesma escola e a viver à distância de uma passadeira, o romance parece estar longe de acontecer, até Bryce perceber finalmente o que quer. Com realização de Rob Reiner, este filme sobre a descoberta do primeiro amor é ambientado nos anos 1957–1963, em vez dos anos 1994–2000 como no livro de Wendelin Van Draanen que adapta ao grande ecrã.

6. Vitória e Abdul (2017)

Com argumento e realização de Stephen Frears, que adapta a obra com o mesmo nome, escrita por Shrabani Basu, este filme debruça-se sobre a relação de amizade entre o indiano Abdul Karim, que é enviado para Inglaterra para servir no Jubileu de Ouro, e a Rainha Victoria, conhecida pelo seu isolamento desde o falecimento do príncipe Alberto, seu marido e conselheiro. O elenco conta com Ali Fazal, Tim Pigott-Smith, Eddie Izzard e Judi Dench – que retoma o papel que já antes interpretara no filme Sua Majestade, Mrs. Brown (1997), de John Madden.

Publicidade

7. Às Cegas (2018)

Sandra Bullock é a protagonista deste thriller intenso, baseado no romance de Josh Malerman, que termina de forma bastante mais sombria do que a história realizada por Susanne Bier. A personagem principal é Malorie (Bullock), que fica fica presa numa casa com vários estranhos, até fugir com as duas crianças que entretanto nasceram (uma é sua). Nesta jornada até um sítio seguro, o único de que ouviu falar, Malorie é obrigada a fazer uma perigosa travessia num rio, dentro de um barco a remos, sempre de olhos vendados, para tentar sobreviver num mundo apocalíptico: o planeta foi invadido por uma força misteriosa e quem a vê comete suicídio.

8. Mogli: A Lenda da Selva (2018)

O clássico do britânico Rudyard Kipling inspirou um popular filme de animação da Disney, em 1967, e voltou a ser adaptado em 2016 pelos mesmo estúdios, agora com actores de carne e osso e gráficos gerados por computador. Mas esta adaptação de 2018, realizada por Andy Serkis, é a mais fiel até hoje. Depois dos seus pais serem mortos pelo temível tigre Shere Khan, Mogli (Rohan Chand) é educado por lobos juntamente com o urso Baloo e a pantera Bagheera. Vítima de preconceito, nunca se integra totalmente e vive sempre entre dois mundos aos quais não pertence verdadeiramente.

Publicidade

9. O Rapaz Que Prendeu o Vento (2019)

É a história verídica de William Kamkwamba, também o autor do livro homónimo, um rapaz de 13 anos que, inspirado por um livro de ciências que encontrou na biblioteca escolar, aprende a construir uma turbina eólica para salvar a sua aldeia da fome. Apesar de viver na mais absoluta pobreza e ter abandonado a escola por falta de meios, o seu feito, que se tornou notícia em todo o mundo, retrata os problemas que afligem o continente africano e sugere que as melhores soluções não partem necessariamente da ajuda dos países ricos.

10. A Sua Última Vontade (2020)

Anne Hathaway e Ben Affleck protagonizam este thriller político da realizadora Dee Rees, que estreou em Janeiro deste ano em Sundance e entretanto chegou à Netflix. Adaptada da obra de Joan Didion, publicada em 1996, a história acompanha uma repórter implacável (Hathaway) que se torna parte da história que está a tentar desvendar quando ajuda o seu pai num negócio de armas na América Central. Mergulhada no submundo do crime, num enredo em que muitas vezes não é claro até que ponto cada uma das personagens está envolvida, acaba por conhecer Treat Morrison (Ben Affleck), um homem ligado a poderosas figuras políticas.

Mais filmes para uma sessão de cinema caseira

Woody y Buzz Lightyear en Toy Story
Foto: Pixar

Os melhores filmes para toda a família

Miúdos

Estes filmes não são para crianças. São filmes para toda a família. Seja pequena ou numerosa, toda a família tem de ver (ou rever) estes 20 títulos obrigatórios para filhos, pais e até avós. Há filmes para todos os gostos e muitas décadas. E não vai arrepender-se se optar por filmes mais antigos. Mesmo se isso significar aventurar-se por ficção-científica que já perdeu actualidade, mas não perdeu o pé no que importa: uma boa história.

The Two Popes
©IMDB

Os filmes originais Netflix que tem de ver

Filmes

Era quase impossível encontrar melhor timing para lhe darmos conteúdo deste. Sim, deste que requer pouco mais do que agarrar no comando, sentar-se ou deitar-se, ajeitar as almofadas, escolher o conteúdo e carregar. Por isso, o melhor que tem a fazer é mesmo deixar que lhe façamos a papa toda ao nível das sugestões e aproveitar toda esta ficção que lhe chega da gigante do streaming.

Publicidade
Televisão, Série, The Office
©DR

Filmes e séries para chorar a rir

Filmes

Se a realidade não convida a risos, a ficção continua a dar-nos razões suficientes para aligeirar o quotidiano e esquecer os problemas, por momentos que sejam. Concorda? É que não há falta de conteúdo digno de chorar a rir, agarrado aos abdominais, e garantimos que é tão ou mais eficaz do que aquela série de exercícios que anda a fazer em casa para tentar conservar a forma. 

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade