Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Preguiça de ler? Estas séries baseadas em livros dão uma ajuda
Dexter
Dexter

Preguiça de ler? Estas séries baseadas em livros dão uma ajuda

Ponha-se confortável e faça prospecção literária através destas séries baseadas em livros. Depois, com tempo, confirme se a adaptação televisiva faz jus à obra original.

Por Raquel Dias da Silva
Publicidade

Será a série tão boa como o original? Veja estas séries baseadas em livros e depois faça o favor de os ler ou reler. O objectivo é descobrir se cada adaptação televisiva está ao nível da literatura que lhe serviu de ponto de partida. Entre o “mais fiel é impossível” ao “não me lembro disto ter acontecido no original”, passando por o “isto assim, na verdade, tem muito mais graça”, prometemos que há opções para todos os gostos. Só tem de se sentar no sofá, apoderar-se do comando e escolher uma destas 15 propostas. Divirta-se.

Recomendado: Pronto para uma maratona de leitura? Espreite estas sagas literárias

Séries baseadas em livros

1. Dexter

Apesar da história ter seguido um caminho diferente a partir da segunda temporada, a de estreia foi fortemente baseada em Darkly Dreaming Dexter, de Jeff Lindsay. Valendo-se do facto de ser um analista forense em padrões de dispersão de sangue no Departamento de Polícia de Miami, o protagonista Dexter Morgan (Michael C. Hall) actua como uma espécie de vigilante, assassinando criminosos que escaparam à Justiça. Premiada com vários Emmy e Globos de Ouro, a série deverá regressar com dez novos episódios ainda este ano, reintegrando o argumentista Clyde Phillips, que assumiu os papéis de showrunner e produtor executivo durante as primeiras quatro temporadas.

2. Sangue Fresco

Vencedora de um Emmy e de um Globo de Ouro, esta série adapta a colecção de livros de Charlaine Harris, sobre como, numa nova era de evolução científica, os vampiros deixam de ser monstros lendários para se tornarem cidadãos comuns. Mas essa mudança, que aconteceu do dia para a noite, não dispensa uma boa dose de polémica nem impede que, numa pacata cidade do Louisiana, as coisas não corram como esperado. A protagonista é Sookie Stackhouse (Anna Paquin), uma empregada de mesa com poderes telepáticos que se apaixona por Bill Compton (Stephen Moyer), um vampiro.

Publicidade

3. A Guerra dos Tronos

Baseada nos livros de George R. R. Martin, A Guerra dos Tronos (Game of Thrones, no original) não só ganhou 59 Emmys, mais do que qualquer outra série de televisão, como entrou para o Guinness como a série dramática com maior transmissão simultânea ao redor do mundo. O enredo, que acontece nos continentes fictícios de Westeros e Essos, foca-se nas alianças e conflitos entre várias famílias nobres dinásticas, que competem pelo Trono de Ferro dos Sete Reinos. 

4. House of Cards

Adaptação do romance homónimo escrito por Michael Dobbs, este drama, sobre as consequências do poder e da corrupção, acompanha a vida do democrata Francis Underwood (Kevin Spacey), um político imoral que ambiciona governar o mundo e se recusa a ser detido por quem quer que seja. A sua esposa, Claire Underwood (Robin Wright), está também sedenta de sucesso e engendra planos altamente complexos para levar a sua avante.

Publicidade

5. Orange Is The New Black

Adaptação premiada do livro de memórias de Piper Kerman, que relata a sua experiência numa prisão federal por acusações de crime de lavagem de dinheiro e tráfico de drogas, esta série de Jenji Kohan foi a primeira a ser nomeada para os Emmys tanto nas categorias de Comédia como de Drama. E mostra a vida como ela é, atrás das grades. A protagonista, condenada a cumprir 15 meses numa prisão feminina por ter participado num esquema de tráfico de droga internacional, é interpretada por Taylor Schilling.

6. The Man In the High Castle

O livro de Philip K. Dick deu origem a um dos mais aclamados conteúdos originais da Amazon Prime. A série de ficção científica e suspense decorre num universo paralelo distópico, em que as Potências do Eixo venceram os Aliados na Segunda Guerra Mundial. Com a Alemanha nazi e o Japão a controlarem o território norte-americano, o enredo, que começa em 1962, segue personagens cujos destinos se entrelaçam quando entram em contacto com filmes caseiros, que mostram realidades alternativas, incluindo uma onde a Alemanha e o Japão perderam a guerra. O Homem do Castelo Alto, como é conhecido no submundo que luta contra os ocupantes, é o responsável por estes vídeos que são encarados como propaganda mas, na verdade, podem ser muito mais que isso.

Publicidade

7. The Leftovers

Premiada com um Peabody, The Leftovers foi criada por Damon Lindelof e Tom Perrotta para a HBO e é baseada no romance homónimo de Perrotta, que narra a vida na Terra depois da “Partida Repentina”, durante a qual desapareceram 140 milhões de pessoas em simultâneo. Três anos depois desse evento, acompanhamos a tentativa da sociedade em tentar lidar com esta situação improvável e traumática, mostrando a vida daqueles que foram deixados para trás. O protagonista é Kevin Garvey (Justin Theroux), pai de família e chefe de polícia de um pequeno subúrbio nova-iorquino (Mapleton), que se esforça para recuperar a sensação de normalidade diante de uma situação que parece impossível.

8. The Expanse

Depois de três temporadas produzidas pelo SyFy, The Expanse renasceu na Amazon Prime Video. Baseada nos livros homónimos de Daniel Abraham e Ty Franck, que escrevem sob o pseudónimo de James S. A. Corey, a premiada série de ficção científica, com alguns laivos de policial, passa-se num futuro em que o Sistema Solar já foi colonizado pela humanidade e os vários planetas, em guerra entre si, disputam uma poderosa (e perigosa) tecnologia alienígena.

Publicidade

9. Mindhunter

Até que ponto é possível entrar na mente de um psicopata para antecipar os seus próximos passos e até conseguir apanhá-lo? É esta a pergunta que está na base da série criada por Joe Penhall e realizada por David Fincher e Asif Kapadia. Inspirado em Mind Hunter: Inside FBI’s Elite Serial Crime Unit, de Mark Olshaker e John E. Douglas, o drama taciturno situa-se em 1979, em torno de dois agentes do FBI, Holden Ford (Jonathan Groff) e Bill Tench (Holt McCallany), que entrevistam assassinos em série presos para tentar resolver novos casos.

10. American Gods

Adaptando o premiado romance homónimo de Neil Gaiman, American Gods acompanha a luta pela sobrevivência dos velhos deuses, como Odin e Czernobog, que estão em vias de extinção depois de terem sido substituídos, no imaginário popular, pelos novos deuses da globalização, da tecnologia e dos media. Uma aventura onde o mágico e o mundano caminham lado a lado e que, com humor, expõe as obsessões não só dos norte-americanos mas do mundo inteiro.

Publicidade

11. Handmaid’s Tale

Em 1985, Margaret Atwood olhou para a sociedade capitalista e patriarcal em que vivemos, adicionou-lhe ainda mais fervor religioso e teceu uma ficção especulativa e aterradora. Na adaptação ao pequeno ecrã, Elizabeth Moss é a protagonista, uma das servas de Gilead, uma nação fundamentalista cristã e misógina, onde as mulheres férteis são usadas para fins de reprodução e, entre outras coisas, proibidas de ler.

12. Big Little Lies

Com um elenco de luxo, que inclui nomes como Laura Dern, Reese Witherspoon, Nicole Kidman e Shailene Woodley, esta série é baseada no livro homónimo de Liane Moriarty, sobre como um assassinato expõe os problemas da comunidade aparentemente perfeita de Monterey, na Califórnia. Vencedora de oito Emmy e quatro Globos de Ouro, foi anunciada como uma minissérie mas o sucesso foi tal que a HBO fez mais uma leva de episódios, que juntou ao elenco um peso pesado: Mery Streep.

Publicidade

13. Good Omens

Escrito por Neil Gaiman e Terry Pratchett em 1990, o livro de fantasia Good Omens chegou à Amazon Prime Video em 2019, com o próprio Neil Gaiman como um dos showrunners. Ambientada no ano de 2018, a minissérie de seis episódios segue o demónio Crowley (David Tennant) e o anjo Aziraphale (Michael Sheen). Juntos, numa aliança improvável, vão tentar evitar o apocalipse, procurando impedir a vinda do anti-cristo e com ele a batalha final entre o Céu e o Inferno. Tudo porque estão habituados às suas vidas confortáveis em Inglaterra.

14. Mundos Paralelos

Baseada nos livros da trilogia homónima de Philip Pullman, esta série de fantasia acompanha a vida de Lyra (Dafne Keen), uma miúda aparentemente normal, mas corajosa, que vive num mundo alternativo onde todos os humanos têm companheiros animais que são a manifestação da sua alma. A busca da protagonista por um amigo sequestrado não só leva à descoberta de uma conspiração que envolve crianças raptadas como também se torna numa missão para perceber o fenómeno do “pó”, uma partícula misteriosa que poderá estar relacionada com os vários desaparecimentos.

Publicidade

15. The Witcher

Com base nos livros de culto do polaco Andrzej Sapkowski, esta série, que antes de chegar à Netflix fez sucesso como jogo de vídeo, conta a história de Geralt de Rivia (Henry Cavill), um solitário feiticeiro e caçador de monstros, que se vê forçado a juntar forças com a poderosa feiticeira Yennefer (Anya Chalotra) e a jovem princesa Cirilla (Freya Allan), guardiã de um importante segredo. De resto, conte com reinos, castelos, reis e rainhas. Guerras, batalhas épicas e muito sangue. Mortes inesperadas. Nudez e grandes banquetes. Sotaques diferentes e línguas de outros mundos.

Mais séries para ver

As melhores séries de 2020
Netflix; HBO; TVCine; RTP

As 20 melhores séries de 2020

Filmes

O melhor é nem fazer as contas. Basta olhar para a almofada côncava do sofá para sabermos que em 2020 passámos muito tempo, certamente demasiado, a olhar para a televisão. O streaming foi o nosso melhor amigo neste ano doentio, e isso nota-se nestas escolhas: a Netflix e a HBO disputam ombro a ombro as preferências desta casa.

'Gambito de dama'
Foto: Netflix

As melhores séries na Netflix

Filmes

Chegou timidamente aos nossos ecrãs mas hoje seria difícil imaginarmo-nos sem ela. Entre conteúdos originais de grande qualidade e outros que foram aproveitados (ou mesmo ressuscitados), a Netflix parece não querer abrandar no número de entretenimento disponibilizado e está, continuamente, a trazer-nos apostas dignas de binge watching.

Publicidade
Beatriz Batarda, Albano Jerónimo
DR

O que é nacional é bom: 12 séries portuguesas para ver e recordar

Filmes

Longe vão os tempos em que a ficção na televisão nacional se resumia sobretudo às telenovelas. Nos últimos anos, a produção nacional de séries cresceu e provou que o formato pode funcionar. Conta-me Como Foi, adaptação do original espanhol Cuéntame Cómo Pasó, marcou em 2007 o início da mudança. Sara, de Bruno Nogueira, ou Sul, de Ivo M. Ferreira, confirmaram que o panorama nacional mudou de vez.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade