Filmes de animação que não pode perder na Netflix

Do 'Panda do Kung Fu' ao terror inspirado em Tim Burton, explorámos o excelente catálogo de filmes para crianças na Netflix.

Kung Fu Panda para ver na Netflix

Há muitos filmes para crianças na Netflix, mas o cinema de animação há muito que não é apenas para os mais pequenos. Os filmes animados tornaram-se num dos géneros mais populares em todo o mundo, onde trabalham algumas das melhores mentes criativas do cinema, e onde a inspiração cómica, um registo habitual, é muitas vezes genial. Conheça os melhores filmes de animação disponíveis na Netflix Portugal.

 

 

Filmes de animação que não pode perder na Netflix

O Estranho Mundo de Jack (1993)

O Estranho Mundo de Jack (1993)

O realizador é Henry Selick, mas tudo por detrás deste bizarro encantamento natalício tem escrito Tim Burton: o poema original, o universo “subterrâneo”, a fascinação pela luz, a técnica de animação, e a produção, que garante o controlo de tudo. E tudo é muito, nesta fábula musical e encantatoriamente alucinada, onde o aborrecimento e um acidente levam Jack Skellington, da sua original Cidade do Halloween, até à Cidade do Natal. Tão encantado fica, tão obcecado, mesmo, perante a luz e a cor e a alegria e os presentes, que decide usurpar a festa e introduzi-la na sua cinzenta cidade. Infelizmente, Jack não compreendeu bem o conceito de Natal. Porém, a coisa compõe-se.

Shrek (2001)

Shrek (2001)

A história de um ogre e de um burro em missão de resgate de uma princesa das garras de um dragão temível, que afinal é do sexo feminino e tem uma paixão pelo asno, e depois de um príncipe de baixa estatura e carácter ainda mais rasteiro, o primeiro filme da série Shrek, realizado por Andrew Adamson e Vicky Jenson, é uma deliciosa comédia de animação que foi muito justamente um sucesso global. Tem várias continuações, todas disponíveis na Netflix e todas de uma qualidade, se não igual, pelo menos muito próxima da do original. 

Publicidade
O Panda do Kung Fu (2008)

O Panda do Kung Fu (2008)

Porque a vida também feita de animais fofinhos, lutas muito vagamente orientais e piadas em rajada. Dentro do género, o filme de Mark Osborne e John Stevenson continua a ser imbatível. A história é de um panda gordo e preguiçoso, Po, que por um daqueles acasos do destino e das comédias de animação se vê no lugar de um mestre do Kung Fu, o grande Dragão Guerreiro, e fica com o futuro de uma comunidade inteira nas suas, enfim, patas. Seria para um público mais adulto um prazer culpado se não fosse tudo tão divertido. O Netflix tem também disponível a continuação, mas o original é o melhor.

Monstros vs Aliens (2009)

Monstros vs Aliens (2009)

Susan é atingida por um meteorito no dia do seu casamento, e em resultado do acidente começa (naturalmente) a transformar-se num gigante com mais de 15 metros. Ao mesmo tempo, o governo americano está a braços com um super-cérebro alienígena que quer (naturalmente) controlar a Terra. Juntando dois mais dois, as autoridades mobilizam Susan para salvar o planeta e a civilização tal como a conhecemos. Conrad Vernon, produtor da série Shrek e realizador, entre outros, de Salsicha Party é o cérebro 100 por cento humano por detrás deste divertidíssimo Monstros vs Aliens.

Publicidade
A Origem dos Guardiões (2012)

A Origem dos Guardiões (2012)

Quando o espírito maligno Pitch lança um ataque à Terra, os Guardiões – compostos pelo Pai Natal, o Coelho da Páscoa, a Fada dos Dentes e outros ilustres do imaginário colectivo – unem-se para proteger a inocência das crianças por todo o mundo. Chris Pine, Alec Baldwin, Jude Law, Hugh Jackman ou Isla Fisher são alguns dos actores que emprestam a voz às personagens desta produção da Dreamworks nomeada para Melhor Filme de Animação nos Globos de Ouro norte-americanos.

A Vida Secreta dos Nossos Bichos (2016)

A Vida Secreta dos Nossos Bichos (2016)

Um delirante filme para toda a família onde o humor é o ingrediente principal. Neste filme, quando os humanos saem de casa e deixam os animais sozinhos, eles assumem a sua verdadeira personalidade. Este é o ponto de partida deste filme realizado por Chris Renaud (de Gru - o Maldisposto) e Yarrow Cheney que conta a história de Max, um pequeno cão mimado que tem um valente ataque de ciúmes quando a sua tutora Katie lhe arranja um irmão… o gigante Duke.

Publicidade
Zootrópolis (2016)

Zootrópolis (2016)

Num mundo imaginário habitado por animais antropomórficos, uma coelha chamada Judy sonha ser polícia, uma profissão normalmente destinada a poderosos predadores e um estereótipo que a pequena Judy quer mudar em Zootrópolis. Inicialmente é destacada para a Divisão de Trânsito, mas com a ajuda do vigarista Nick, uma raposa matreira, tem uma missão importante para si e para a comunidade: procurar uma lontra que desapareceu juntamente com outros treze predadores. Este filme foi vencedor da penúltima edição dos Óscares na categoria Melhor Filme de Animação, pois claro.

Angry Birds (2016)

Angry Birds (2016)

É a grande oportunidade para todos perceberem porque raio é que a passarada anda sempre tão furiosa. A figura central é Red (o pássaro com menos poderes no famoso jogo, mas onde também ocupa um lugar de destaque) que é sentenciado a aulas de gestão de raiva. Até que um dia a ilha onde vive esta plural e talentosa comunidade de pássaros é invadida por porcos que inicialmente tentam conquistar o território com falinhas mansas.

Publicidade

Mais Netflix

Cinco filmes românticos que estão na Netflix

Escolhemos uma mão cheia de filmes românticos na Netflix para ver agarradinho ao mais que tudo ou para reclamar como o mundo é injusto. Em casa ou num dos melhores hotéis românticos de Lisboa.

Ler mais
Por Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

Cinco conteúdos em português que tem de ver na Netflix

O desafio começou por fazer uma lista com os conteúdos portugueses disponíveis no serviço de streaming, mas rapidamente percebemos que a oferta é ainda muito limitada. Assim sendo, dizemos-lhe o que vale a pena ver, feito por cá ou do lado de lá do Atlântico, mas sempre em português.

Ler mais
Por Cláudia Lima Carvalho

Comentários

0 comments