Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right O melhor de Terry Jones para lá dos Monty Python
terry jones pres 2014
© Andy Gotts

O melhor de Terry Jones para lá dos Monty Python

O membro dos Monty Python que morreu na semana passada realizou vários filmes fora do grupo e assinou muitas séries documentais sobre História

Por Eurico de Barros
Publicidade

Além das três longas-metragens que assinou no seio dos Monty Python, Terry Jones também realizou um punhado de filmes fora do grupo (e nos quais os Python participaram) e desdobrou-se ainda em séries documentais para a televisão, nas quais deu largas a uma das duas grandes paixões: a História, sobretudo da Idade Média, que era a sua especialidade. Nelas, Jones, sempre narrador e apresentador, discorreu sobre temas tão variados como as Cruzadas, as invenções do mundo antigo, o sexo e o amor na antiguidade, a vida na época medieval ou o dia-a-dia na Roma clássica.

Recomendado: Terry Jones, o Monty Python dos sete instrumentos

O melhor de Terry Jones para lá dos Monty Python

'Personal Services' (1987)

Terry Jones pode gabar-se de ter tido um recorde de quatro filmes realizados banidos na República da Irlanda nos anos 70 e 80: os três dos Monty Python e este Personal Services. É uma comédia dramática libertária inspirada pela figura de Cynthia Payne, a proprietária de um bordel em Londres frequentado por uma clientela idosa e com gosto pelo spanking e por usar roupas de mulher, que se meteria também na política. Julie Walters interpreta o papel principal.

'Erik o Viking' (1989)

Uma brilhante, hilariante e imaginativa combinação de filme histórico, fantasia baseada na mitologia nórdica e comédia nonsense, Erik o Viking é a história do viking do título, que viaja com os seus homens até ao Valhalla, para pedir aos deuses que impeçam o fim do mundo. O elenco é tão extravagante como o enredo: Tim Robbins, Mickey Rooney, John Cleese, Eartha Kitt, Jim Broadbent e o próprio Terry Jones no rei de uma ilha chamada Hy-Brasil.
Publicidade

'O Vento nos Salgueiros' (1996)

Uma adaptação com forte inspiração pythoniana do clássico infantil de Kenneth Grahame com animais antropomórficos. Terry Jones foi buscar os seus colegas dos Python John Cleese, Michael Palin e Eric Idle para interpretarem alguns dos papéis do filme, onde os actores dão corpo aos vários animais da história sem recorrer a efeitos especiais mas apenas a maquilhagem. Steve Coogan é o Sr. Toupeira, Jones o Sapo, Idle o Rato, Nicol Williamson o Texugo. Não é por acaso que se transformou num filme de culto.

'As Cruzadas'

Terry Jones dedicou a sua primeira grande série documental histórica, produzida para a BBC, à história das Cruzadas, que conta com erudição, detalhe e sem dispensar algum humor (quase sempre negro). As Cruzadas contou com a colaboração de vários historiadores e é narrada pelo próprio Terry Jones, que recria, nos nossos dias, a viagem da Europa até Jerusalém que era feita pelos cruzados medievais. A série passou em Portugal na RTP2.
Publicidade

'Ancient Inventions' (1998)

Do primeiro lança-chamas à primeira operação ao cérebro, passando por várias inovações urbanas como os esgotos, Terry Jones recorda nesta série em três partes muitas das mais importantes invenções do mundo antigo, várias delas pouco conhecidas ou mesmo completamente ignoradas. Os episódios intitulam-se 'Vida nas Cidades', 'Sexo e Amor' e 'Guerra e Conflitos', e Jones chega mesmo a especular sobre assuntos como a origem do beijo.

'The Surprising History of Rome' (2002)

É um dos vários documentários sobre o mundo clássico, a sua cultura e gentes e os seus costumes que Terry Jones realizou sob o título geral The Surprising History of… Este é inteiramente dedicado à Roma antiga e é, como sempre, narrado e interpretado pelo próprio Jones, que junta ao seu profundo conhecimento do tema o seu magnífico sentido de humor.

Publicidade

'Terry Jones’ Medieval Lives' (2004)

O ilustre medievalista formado em Oxford que era Terry Jones está nas suas sete quintas nesta série em oito episódios que assinou para a BBC, e onde fala sobre a Idade Média através de oito figuras desse tempo, do Camponês ao Rei, passando pela Dama e pelo Menestrel. Jones procura ao mesmo tempo dissipar os mitos, os lugares-comuns negativos e as lendas negras existentes sobre a Idade Média.

'Terry Jones’ Barbarians' (2006)

Nesta série documental com quatro episódios também produzida para a BBC, Terry Jones quer fazer para os povos bárbaros aquilo que em Medieval Lives fez para a Idade Média: contrariar todo o tipo de estereótipos, ideias recebidas e mitos que existem sobre os ditos. Jones analisa a sociedade celta, os Godos, as culturas grega e persa e conclui com o saque de Roma pelas tribos bárbaras.
Publicidade

'Absolutely Anything-Uma Comédia Intergaláctica' (2015)

Esta comédia de ficção científica foi o último filme realizado por Terry Gilliam, e o primeiro em que participam todos os Monty Python desde o último filme do grupo, O Sentido da Vida, em 1983. Simon Pegg interpreta um professor do secundário londrino ao qual um grupo de alienígenas (vozes dos Python) concede poderes sobrenaturais. Do uso que ele lhes der dependerá ou a destruição da Terra, ou a sua inclusão na comunidade galáctica.

Rir é o melhor remédio

Os melhores filmes de comédia

Filmes

A lista de melhores comédias de sempre é discutível (qual não é?), que isto do humor varia muito de pessoa para pessoa. No entanto é garantido serem estes 20 filmes, senão os melhores de sempre, garantidamente uma contínua fonte de gargalhadas, ou sorrisinhos sarcásticos, tanto faz, perante a imaginação cómica ou o puro disparate transformado em arte de fazer rir em qualquer época. 

As melhores séries de comédia

Filmes Comédia

As listas, como quase tudo nesta vida, são relativas. Mas depois de enchermos uma espécie de conselho de administração com loucos de séries televisivas e outros consultadores da redacção da Time Out, chegámos a estas 25. Mais um alerta à tripulação: elas estão ordenadas apenas por ordem alfabética, que não queremos alimentar ainda mais a polémica. Ria-se connosco (e desculpa às que ficaram de fora).

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade