Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores filmes de Bong Joon-Ho
Bong Joon-ho
Netflix

Os melhores filmes de Bong Joon-Ho

Depois da consagração do realizador sul-coreano nos Óscares, recordamos todos os filmes de Bong Joon-Ho.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Bong Joon-Ho é um dos mais celebrados realizadores sul-coreanos dos últimos anos. E em 2020 fez história nos Óscares. Menos de um ano depois de vencer a Palma de ouro em Cannes, Parasitas tornou-se a primeira longa-metragem falada numa língua que não o inglês a conquistar o Óscar de melhor filme – e arrecadou três outros troféus, incluindo o de melhor realizador. Foi a consagração de um cineasta que se vem a destacar desde o início do século, graças a uma série de filmes politizados e progressistas. O primeiro, Flandersui gae, estreou-se em 2000, e desde então rodou mais seis películas.

Recomendado: Oito filmes coreanos imprescindíveis

Uma foto da Time Out Magazine

A Time In Portugal já está disponível

Pode ler a última edição no conforto do seu sofá

Ler a revista

Os melhores filmes de Bong Joon-Ho

Flandersui gae (2000)

Bong Joon-Ho já tinha assinado alguns argumentos no ano 2000, quando finalmente realizou a sua primeira longa-metragem, Flandersui gae (Barking Dogs Never Bite, na tradução inglesa), que também escreveu. É a história, num registo entre a comédia e a sátira social, de um professor universitário no desemprego que começa a raptar e a fazer mal aos cães da vizinhança, e da rapariga que investiga estes desaparecimento.

Salinui chueok (2003)

A segunda longa-metragem do realizador sul-coreano é uma obra-prima. Se não acreditam, perguntem a Quentin Tarantino, que ainda hoje não se cansa de gabar este Salinui chueok (Memories of Murder, em inglês). É baseado na história real de uma série de homicídios numa aldeia sul-coreana, nos anos 80. Ao mesmo tempo divertido e assustador, é um filme intenso.

Publicidade

The Host – A Criatura (2006)

À primeira vista, The Host – A Criatura é um filme de monstros. Mas, em última análise, é uma crítica ao governo sul-coreano e às suas burocracias, e principalmente à aliança com os Estados Unidos e às formas como a mesma prejudica aquela nação asiática – não é por acaso que o filme foi elogiado pelas autoridades da República Popular Democrática da Coreia.

Mother – Uma Força Única (2009)

Quando o filho de 27 anos, mas ainda completamente dependente da sua mãe, é condenado pelo homicídio de uma rapariga, a mãe vê-se obrigada a provar a inocência do jovem e a encontrar o verdadeiro culpado. Mas em vez de destacar a dimensão policial da história, Bong prefere concentrar-se na relação complicada da mãe com o filho, neste filme negro e violento.

Publicidade

O Expresso do Amanhã (2013)

Bong Joon-ho dirigiu o seu primeiro filme em inglês em 2013. Esta alegoria sci-fi, adaptada do romance gráfico francês Le Transperceneige e protagonizada pelo americano Chris Evans, é uma história de violência e luta de classes, que se desenvolve numa futura idade do gelo, onde o que resta da humanidade sobrevive num comboio gigantesco que anda constantemente à volta mundo.

Okja (2017)

Durante dez anos, Mikha (An Seo Hyun) criou um estranho e enorme animal, uma espécie de porca gigante, a quem deu o nome de Okja, na sua casa nas montanhas da Coreia do Sul. As duas viviam pacificamente até ao dia em que uma grande multinacional vê em Okja uma forma de ganhar dinheiro, levando-a para Nova Iorque, onde a CEO Lucy Mirando (Tilda Swinton) tem grandes planos para o animal. É então que a menina empreende uma perigosa missão de resgate.

Publicidade

Parasitas (2019)

Parte drama familiar de fundo social, parte comédia negra satírica, parte filme de terror político, este filme põe em cena as tensões, idiossincrasias, desigualdades e fantasmas colectivos da Coreia do Sul. Uma família pobre que vive de pequenos trabalhos e esquemas consegue infiltrar-se na luxuosa casa de uma família rica, e tudo corre bem até a história dar uma reviravolta quebra-costas. O cineasta dá a esta história local uma ressonância universal.

Os melhores filmes de...

Spike Lee

Filmes

Apesar do engajamento político de Spike Lee e da estridência da sua expressão cinematográfica, o seu mais recente filme, BlacKkKlansman: O Infiltrado, acaba por ser bastante moderado. Isso podia não ser um problema, se não fosse também um filme menor do realizador, sem a tensão nem a pertinência de películas como Não Dês Bronca, de 1989, ou A Última Hora, de 2002, entre outros marcos da sua obra. Recordamos os melhores filmes do celebrado cineasta americano, no activo desde o final dos anos 70.

IT'S GOOD TO BE KING Spielberg gets the royal treatment.
Photo: Turner Classic Movies

Steven Spielberg

Filmes

Talentoso, sem dúvida, mas carente de densidade artística, disse dele a famosa crítica de cinema Pauline Kael. E se, por um tempo, Steven Spielberg não ligou e se entregou de alma e coração a criar êxitos de bilheteira, verdade é que o resto da sua carreira é uma busca por essa densidade artística via abordagem aos “grandes temas”. Sete exemplos dizem que às vezes conseguiu.

Publicidade

Quentin Tarantino

Filmes

Leonardo Di Caprio, Brad Pitt e Margot Robbie são os principais intérpretes de Era Uma Vez em... Hollywood – a nova realização de Quentin Tarantino, passada na Hollywood de finais dos agitados anos 60 e durante uma era de ouro do cinema americano. Nesta lista dos restantes filmes que Tarantino assinou até agora, desde que se estreou em grande estilo com Cães Danados, em 1992, apresentamos uma classificação dos mesmos em ordem decrescente, que abre com Jackie Brown e Pulp Fiction e encerra com Django Libertado e Sacanas Sem Lei.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade