Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores filmes de luta no cinema

Os melhores filmes de luta no cinema

Com as mãos ou de arma em punho, há sequências de combate memoráveis nos melhores filmes de luta no cinema. Conheça-as.

Karate Kid
©IMDB Ralph Macchio e Pat Morita em Karate Kid
Por Tiago Neto |
Publicidade

Definir aquilo que podemos considerar como "filmes de luta" não é fácil. Há filmes que o são em parte, há filmes que o são num todo, há filmes com cenas de luta memoráveis, sequências inesquecíveis e filmes que, de argumento e execução tão fracos, acabamos por descartar. Aqui, o assunto luta serve de muitas formas. Há artes marciais, wrestling, boxe, luta de rua, há histórias que se constroem em torno dos punhos, há veracidade e ficção e ambas. A premissa foi combinar argumento e execução para chegar a uma obra digna, seja ela de produção megalómana Hollywoodesca ou independente, na lista que se segue tem opções para todos os gostos. Fique a conhecer os melhores filmes de luta no cinema.

Recomendado: Os melhores filmes de skate que chegaram ao cinema

Os melhores filmes de luta no cinema

1

"Belarmino", Fernando Lopes (1964)

Retrato de um lutador de boxe, Belarmino, a primeira longa metragem do cineasta Fernando Lopes, mistura o estilo documental com biografia debruçando-se sobre a vida de Belarmino Fragoso. Ao longo de 75 minutos percorremos a Lisboa do pugilista enquanto viajamos pela ascenção e queda da sua carreira profissional. 

2

"O Dragão Ataca", Robert Clouse (1973)

Em Enter The Dragon, um dos clássicos do cinema de artes marciais, Bruce Lee interpreta um sujeito determinado a ajudar a capturar o traficante de narcóticos cujo gangue foi responsável pela morte da irmã. Mas consegui-lo não é tarefa fácil e, por isso, Lee recorre à ajuda de Roper (John Saxon) e Williams (Jim Kelly, campeão americano de Karaté). 

Publicidade
3

"Rocky", John G. Avildsen (1976)

Rocky Balboa (Sylvester Stallone), um pugilista da classe trabalhadora da Filadélfia, é arbitrariamente escolhido para enfrentar o campeão mundial de pesos pesados Apollo Creed (Carl Weathers) quando o adversário invicto está lesionado. Pelo meio, enquanto treinava com o ex-contendor de peso-galo, Mickey Goldmill (Burgess Meredith), Rocky inicia um relacionamento com Adrian (Talia Shire), a irmã do seu amigo Paulie (Burt Young). O filme, um dos grandes clássicos do cinema, venceu três Óscares.

4

"Touro Enraivecido", Martin Scorsese (1980)

Jake La Motta (De Niro), um pugilista de pesos médios que se apaixonou por uma rapariga do Bronx, sobe através das fileiras para conseguir a sua primeira chance do título da categoria. Mas a incapacidade de expressar os seus sentimentos chega ao ringue e, eventualmente, toma conta da sua vida. É aqui que entra numa espiral descendente que o pode levar a perder tudo.

Publicidade
5

"Momento da Verdade", John G. Avildsen (1984)

Daniel (Ralph Macchio) muda-se com a mãe Lucille (Randee Heller) para o sul da Califórnia mas é rapidamente alvo de um grupo de bullys ligados ao dojo Kobra Kai. Felizmente, Daniel faz amizade com Miyagi (Noriyuki "Pat" Morita), um reparador despretensioso que é mestre de artes marciais. Miyagi acaba por se tornar um mentor para Daniel e prepara-o para um confronto que procura solucionar os problemas do jovem através do karaté.

6

"Ran – Os Senhores da Guerra", Akira Kurosawa (1985)

Aos setenta anos de idade, após anos de consolidação do seu império, Hidetora Ichimonji (Tatsuya Nakadai) decide abdicar e dividir o seu domínio entre os seus três filhos. Taro (Akira Terao), o mais velho, governará. Jiro (Jinpachi Nezu), o segundo, e Saburo (Daisuke Ryu) assumirão o comando do Segundo e Terceiro Castelos, esperado-se que obedeçam e apoiem o seu irmão mais velho. Mas nem tudo é assim tão fácil.

Publicidade
7

"Clube de Combate", David Fincher (1999)

Primeira regra: não se fala do Fight Club. Segunda regra: não se fala do Fight Club. Terceira regra: quando alguém diz "stop", a luta está terminada. É assim que um dos mais aclamados filmes da sétima arte funciona. A história leva-nos à cabeça do narrador (Edward Norton), da sua existência dual e da forma como a personagem de Tyler Durden (Pitt) desconstrói e desafia a sociedade normativa um combate de cada vez. 

8

"O Tigre e o Dragão", Ang Lee (2000)

Na dinastia Qing do século XIX na China, um guerreiro (Chow Yun-Fat) entrega a sua espada, Green Destiny, à sua amada (Michelle Yeoh) para que esta a guarde em segurança. Mas a espada acaba por ser roubada, o que desencadeia uma perseguição desenfreada. A busca leva à Casa de Yu, onde a história assume um nível totalmente diferente.

Publicidade
9

"Snatch – Porcos e Diamantes", Guy Ritchie (2000)

Neste clássico de Guy Ritchie há de tudo: enganos, mal-entendidos, traições, porcos, cães, assaltos, tudo cuidadosamente (pouco) pleaneado. O filme cruza histórias de vários personagens, de criminosos a especialistas em diamantes, mas o pugilismo – a que Pitt se entrega irrepreensivelmente – é o tema central. 

10

"Ali", Michael Mann (2001)

Sagacidade, atleticismo, raiva e graça interior, Muhammad Ali mudou para sempre a paisagem americana com a sua história. Desafiando os preconceitos da sociedade da altura, o campeão enfrentou a lei, as convenções, o status quo e a guerra – bem como os punhos dos adversários. E neste Ali, é Will Smith quem nos traz de volta a narrativa, numa prestação que lhe valeu a nomeação para Óscar de melhor actor.

Publicidade
11

"Oldboy – Velho Amigo", Chan-wook Park (2003)

Dae-Su Oh (Min-sik Choi) é um bêbedo detestável cuja caução foi novamente paga por um amigo. Entretanto, a sorte termina e o homem acaba sequestrado, acordando numa cela onde permanecerá os próximos 15 anos drogado e inconsciente. De repente, o inesperado acontece e Dae acaba por ser libertado. Mas há uma condição: deve encontrar o seu captor. É este o mote de uma vingança terrível e que, pelo meio, nos leva a uma cena de combate lindíssima.

12

"Kill Bill - A Vingança (vol. 1)", Quentin Tarantino (2003)

Uma ex-assassina conhecida como A Noiva (Uma Thurman), acorda de um coma quatro anos depois do seu amante Bill (David Carradine)a ter tentado matar no dia do seu casamento. Impulsionada por um desejo insaciável de vingança, ela promete perseguir todos aqueles que foram responsáveis por lhe arruinar a vida. Depois de elaborar uma lista, a noiva inicia uma senda que a fará enfrentar inimigos poderosos e inesperados.

Publicidade
13

"Million Dollar Baby - Sonhos Vencidos", Clint Eastwood (2004)

Frankie Dunn (Clint Eastwood) é um anti-social treinador de boxe de Los Angeles que tem no seu velho amigo e associado Eddie "Scrap Iron" Dupris (Morgan Freeman) a única pessoa em quem confiar. Quando Maggie Fitzgerald (Hilary Swank) chega ao ginásio de Frankie à procura da sua experiência, ele recusa treiná-la. Mas eventualmente acaba por ceder e os dois formam um vínculo que lhes mudará irrevogavelmente a vida.

14

"Danny The Dog – Força Destruidora", Louis Leterrier (2005)

Bart (Bob Hoskins), um patrão do crime, cria Danny (Jet Li) – um órfão sem grande conhecimento da realidade além do talento para lutar – e usa-o como máquina de fazer dinheiro. A certa altura o plano passa por inscrever Danny num torneio de luta para se poder aposentar com o dinheiro do prémio, mas um tiroteio interrompe as intenções. Danny foge e descobre abrigo com Sam (Morgan Freeman). Longe do controlo abusivo de Bart, Danny aprende a viver como um humano e começa a investigar o seu passado. 

Publicidade
15

"Cinderella Man", Ron Howard (2005)

James J. Braddock (Russell Crowe), ex-pugilista, trabalha como mão ocasional durante a Grande Depressão. Até que o seu ex-empresário, Joe Gould (Paul Giamatti), lhe oferece a oportunidade de voltar ao ringue. Depois de uma reviravolta inesperada no combate, Braddock volta ao desporto a tempo inteiro, contra a vontade de Mae (Renée Zellweger), a sua mulher. Apelidado de "The Cinderella Man" pela sua história de ascenção, Braddock está agora de olho no actual campeão, o temível Max Baer (Craig Bierko). 

16

"O Wrestler", Darren Aronofsky (2008)

Há muito que Randy "The Ram" Robinson (Mickey Rourke) passou o seu pico, ainda que regresse ao circuito de wrestling profissional. Contudo, depois de uma tareia particularmente brutal, Randy decide arrumar a carreira, perseguir um relacionamento sério com uma stripper, (Marisa Tomei) e tentar reconectar-se com a filha (Evan Rachel Wood). Mas é-lhe difícil resistir à atração e acaba por decidir voltar. O filme recebeu a nomeação para dois Óscares e marcou o regresso de Rourke à ribalta.

Publicidade
17

"Ip Man", Wilson Yip (2008)

Ip Man, ou Yip Man, traz-nos a história verídica de um mestre de artes marciais que, durante a invasão japonesa de 1937, é forçado a deixar a sua casa e a trabalhar para sustentar a família. Vendo ali uma oportunidade, relutantemente concorda em treinar outros na arte do Wing Chun, uma modalidade de autodefesa. Foi ele o mentor de Bruce Lee.

18

"The Fighter – Último Round", David O. Russell (2010)

Para Micky Ward (Mark Wahlberg), o boxe é um assunto de família: a sua mãe é a sua empresária, o seu meio-irmão, Dicky (Christian Bale), outrora um pugilista promissor, é o seu treinador – ainda que pouco fidedigno. Apesar do trabalho árduo de Micky, os combates continuam a ser perdidos, e quando a última luta quase que o deixa sem vida, está na altura de seguir o conselho da sua namorada e deixar a família. É então que Micky se torna um candidato ao título mundial, devolvendo-lhe – e à família – uma hipótese de redenção.

Publicidade
19

"Warrior – Combate Entre Irmãos", Gavin O'Connor (2011)

Tommy (Tom Hardy), um ex-fuzileiro com um passado trágico, volta para casa e pede ao seu pai (Nick Nolte), um alcoólatra em recuperação e ex-treinador de wrestling, que o treine para "Sparta", o maior torneio de MMA alguma vez realizado. Mas quando Brendan (Joel Edgerton), o irmão mais fraco, luta para entrar no torneio, os dois irmãos vão finalmente enfrentar as forças que os separam.

20

"Kung Fury", David Sandberg (2015)

Pode parecer estranho, certamente que se distancia de grande parte dos títulos desta lista, mas Kung Fury, uma curta-metragem sueca de acção e de artes marciais, é uma das melhores surpresas do género. Combinando loucura com CGI e outros elementos que pouco sentido fazem, esta obra da autoria de David Sandberg é uma homenagem às artes marciais dos anos 80 e aos filmes de acção policial. E sim, a banda sonora é de David Hasselhoff. 

Publicidade
21

"Southpaw – Coração de Aço", Antoine Fuqua (2015)

Billy "The Great" Hope (Jake Gyllenhaal), o actual campeão júnior de boxe de pesos médios, tem uma carreira impressionante, uma esposa e filha amorosas e um estilo de vida luxuoso. No entanto, quando a tragédia o atinge, Billy é atirado para o fundo do poço, perdendo a sua família, a sua casa e o seu agente. É em Tick Willis (Forest Whitaker), um ex-lutador que treina os pugilistas amadores mais duros da cidade que este acaba por encontrar salvação. Com seu futuro em jogo, Hope luta agora para recuperar a confiança daqueles que mais ama.

Mais do grande ecrã

The Neon Demon
©IMDB
Filmes

Os melhores filmes de moda que desfilaram no grande ecrã

Foi no princípio do século XX quando Coco Chanel mexeu nas regras. As saias deram lugar às calças, os coletes, os fatos, toda a indumentária habitualmente associada aos homens abraçou uma democracia que viria a ser irreversível. Publicações como a Harper's Bazaar ou a Vogue deram força à causa, num bastião que continuamente trazia novidades e que ajudou a moldar mentalidades.

exorcist 4.JPG
©DR
Filmes

Os 100 melhores filmes de terror de sempre

Escolher os melhores filmes de terror de todos os tempos é assustador, a todos os níveis. Especialmente tendo em conta a atenção que o género tem recebido em anos recentes, à custa de filmes como Foge ou Hereditário. Parece que, depois de anos nas margens, o cinema de terror está a passar por um momento de adulação crítica. 

Publicidade
Adam Sandler
©IMDB
Filmes

Os melhores filmes de Adam Sandler

É inevitavelmente associado à vertente cómica e tem boas razões para isso. Ao longo de três décadas de carreira, Adam Richard Sandler trouxe-nos mais material para rir do que muita sitcom e, apesar de nem sempre ser favoravelmente visto pela crítica, o nova iorquino continua a desdobrar-se em ideias que nos levam às lágrimas. 

Publicidade