Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Seis maneiras de aproveitar o mês Pride
Arraial Pride, Orgulho LGBT+
©DR Arraial Pride

Seis maneiras de aproveitar o mês Pride

Junho é mês de hastear a bandeira arco-íris na varanda. Temos seis sugestões.

Por Clara Silva
Publicidade

É altura de a hastear a bandeira arco-íris na varanda. Mais uma vez, algumas celebrações foram canceladas, mas Junho é o mês Pride e o orgulho continua a festejar-se de várias formas, em Lisboa e no resto do mundo. Seja participando nos eventos arco-íris mais importantes da cidade, onde vale sempre a pena estar, ou até celebrando sem sair de casa, vai poder aproveitar este mês à grande (e sem arrependimentos). Siga as nossas sugestões que incluem uma marcha pela Avenida da Liberdade, campanhas queer, um quiz e festas virtuais.

Recomendado: Lisboa assume-se como Zona de Liberdade LGBTIQ

Seis maneiras de aproveitar o mês Pride

LGBT+, Marcha Orgulho Gay, World Pride Copenhagen
LGBT+, Marcha Orgulho Gay, World Pride Copenhagen
©DR

1. Marchar, Marchar

A 22.ª Marcha do Orgulho LGBTI+ de Lisboa está marcada para 19 de Junho, às 18.00. Adiada em 2020, a marcha acontece agora pela primeira vez na Avenida da Liberdade – do Marquês de Pombal aos Restauradores –, com medidas de segurança ainda por anunciar (deverão ser semelhantes ao desfile de 25 de Abril, para garantir distanciamento). “Desconfinar direitos, afastar preconceitos” é o lema desta edição, a “relembrar que a luta pelos direitos de todas as pessoas continua viva, desconfinada e com toda a força”. Várias associações LGBT+ fazem parte da comissão organizadora, como a ILGA Portugal, a rede ex aequo, a AMPLOS, a Queer Tropical, a Por Todas Nós ou a OPUS Diversidades.

LGBT+, Arraial Pride
LGBT+, Arraial Pride
©DR

2. Não esquecer o 26 de Junho

O Arraial Pride deveria acontecer a 26 de Junho no Terreiro do Paço, mas foi novamente cancelado, uma vez que estava inserido nas comemorações das Festas de Lisboa. No entanto, a ILGA Portugal não quer deixar passar mais um ano sem assinalar a data com presença física. Como adiantou a semana passada à Time Out, está em negociações com a Câmara para que haja algum marco na cidade, como “luzes ou uma estrutura” no mesmo local. O Arraial Pride acontece todos os anos no último sábado de Junho com entrada livre e é a maior festa LGBTI+ do país. Em 2019, último ano em que aconteceu, juntou perto de 75 mil pessoas em concertos, bares, bancas de comida, acções de sensibilização, um espaço para os miúdos e workshops.

Publicidade
Performance, Drag Queens, Sangria e Segredos com Drag Queens
Performance, Drag Queens, Sangria e Segredos com Drag Queens
©DR

3. Celebrar online

Entre 12 e 22 de Agosto o Word Pride volta a acontecer presencialmente, com festa nas ruas de Malmö e Copenhaga, na Dinamarca, o país escolhido para a edição deste ano da maior parada LGBT+ do mundo. Quem não conseguir estar presente pode acompanhar os festejos online em várias plataformas, do YouTube ao Instagram. Para assistir a alguns concertos ou eventos é preciso fazer registo com antecedência no site do World Pride. A ILGA Portugal também tem vários eventos online agendados para este mês, ainda por anunciar. Já a Drag Taste, empresa nacional líder nas experiências online (número 1 das experiências digitais Airbnb do mundo), continua com as suas actividades com drag queens, ideais para grupos. A mais recente é a “Bingo and Secrets With Drag Taste”, um bingo online e colorido todos os dias da semana e em vários horários.

Roupa, Vans, Pride
Roupa, Vans, Pride
©DR

4. Vestir-se a rigor

Tal como noutros anos, várias marcas lançam este mês as suas colecções Pride, algumas com lucros a reverter a favor de associações LGBT+ de vários países. A LEGO lançou pela primeira vez, a 1 de Junho, um brinquedo Pride, o “Todos São Incríveis”, uma espécie de altar de celebração da diversidade (35,99€). Além de lançar uma colecção de roupa Pride, a Vans juntou-se ao projecto “Where Love Is Illegal” para dar cor a 45 montras de lojas pela Europa com artistas da comunidade LGBT+. Em Portugal, os escolhidos foram a ilustradora Joana Estrela e o tatuador Taylor Catclaw. A Levi’s também reuniu um grupo de artistas da comunidade LGBT+ portuguesa para a sua próxima campanha, que deverá ser lançada no fim do mês. Já a Primark, numa parceria com a ILGA World (com uma doação de 170 mil euros para a associação), lançou este mês a sua campanha Pride, Feeling Proud. São 36 peças para todas as idades e a partir de 3 euros, que incluem vestidos de lantejoulas, blusões de ganga e até um casaco para cães.

Publicidade
LGBT+, Bandeira
LGBT+, Bandeira
©DR

5. Testar conhecimentos

Sabe o que quer dizer cada letra da sigla LGBTQIA? Sabe em que dia e ano aconteceu a revolta de Stonewall, em Nova Iorque? Em que ano foi legalizado o casamento entre pessoas do mesmo sexo em Portugal? É melhor estudar a matéria para o próximo Queer Quiz do colectivo Queer as Fuck, no Valsa, em Lisboa. Está marcado para 18 de Junho e os lugares costumam ser limitados a três ou quatro pessoas por mesa. As reservas são feitas através de e-mail. Ao longo do ano, o Queer As Fuck organiza várias actividades, presenciais e online, e tem um clube de literatura, o Queer Books.

Televisão, Séries, Comédia, Drama, Masters of None (2015)
Televisão, Séries, Comédia, Drama, Masters of None (2015)
©DR

6. Ver filmes e séries LGBT+

Plataformas de streaming como a Netflix, HBO e a Filmin têm as suas colecções LGBT+ e até a Disney+ tem uma curta-metragem com a primeira personagem da Pixar assumidamente gay, Out (Sair), ideal para ver com os miúdos. Na HBO, o destaque vai para It’s a Sin, série deste ano sobre o aparecimento do VIH na Londres dos anos 80, e para Veneno, sobre La Veneno, ícone trans que marcou a evolução do movimento LGBT nos anos 60 em Espanha. Na Netflix, o catálogo é vasto, e a mais recente série é a terceira temporada de Master Of None, de Aziz Ansari, agora centrada exclusivamente na relação lésbica entre Denise (Lena Waithe) e a namorada (Naomi Ackie). Na Filmin, o catálogo LGBT+ inclui filmes de Xavier Dolan, A Vida de Adèle, de Abdelatiff Kechiche, clássicos como Mulholland Drive, de David Lynch, ou o mais recente A Viagem de Monalisa, um documentário sobre o escritor e performer chileno Iván Monalisa.

À procura de um plano colorido?

Os melhores filmes gay

Filmes

Pedro Almodóvar, Gus van Sant, Wong Kar-wai, Kimberly Peirce e Ang Lee: a história dos melhores filmes gay é feita de alguns dos grandes nomes do cinema. Descubra os melhores entre os melhores do género queer na Sétima Arte e repare como um mundo nos separa hoje do que era o cinema homossexual nos anos 90 do século passado.

Televisão, Concurso, RuPaul’s Drag Race
©DR

Oito séries LGBT+ para ver ou rever

Gay

Há cada vez mais e melhores conteúdos para o público LGBT+ nas plataformas de streaming. Desde novidades ainda frescas como It’s A Sin ou Veneno, ambas da HBO, a clássicos modernos como Transparent, uma das melhores produções originais da Amazon Prime Video, ou apenas episódios perfeitos para binge watching durante o confinamento – como os das 12 temporadas de RuPaul’s Drag Race, que podem ser vistos na Netflix. Escolhemos oito séries LGBT+ para ver ou rever.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade