Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cerdeira Village: a criatividade mora aqui

Cerdeira Village: a criatividade mora aqui

Na Cerdeira, em plena Serra da Lousã, há um turismo de natureza que também é Escola de Artes e Ofícios

Por Nelma Viana |
Publicidade

As previsões apontam para queda de neve na Serra da Estrela, o que significa que as estradas até à Torre vão estar cortadas. Portugal padece deste mal de não saber funcionar com condições climatéricas extremas (chove, há inundações; neva, cortam-se acessos; está calor, deixa de haver água), mas como também é um país que sabe, como nenhum outro, viver em negação permanente, todo o santo ano lá vai disto de mandar as pessoas à Serra da Estrela como se fosse possível lá chegar. Ora não é direito do cidadão comum poder ir à Serra sem ter de pernoitar no carro à beira da estrada? Pois é.

Recomendado: Paraísos perto de Lisboa

Esta semana a sugestão é que suba a outra serra, a da Lousã, sem medo de ficar pelo caminho. Não prometemos neve mas uma experiência imersiva na natureza e no património em estado puro. Antes de chegar ao centro da Lousã, um pequeno desvio de 9,4 km vai levá-lo a Cerdeira, uma aldeia inserida na rede das Aldeias de Xisto e que há 30 anos não tinha luz nem água. Nem um único habitante.

Foi precisamente lá que Kerstin Thomas, artista plástica alemã, decidiu, em 1988, montar o seu ateliê de trabalho, com a ideia fixa de devolver vida à aldeia e trazer até ela uma comunidade artística relevante. Assim foi. Em casal, com Bernard Langer, começou a recuperar as primeiras casas de xisto e em 2002, com a ajuda de outro casal amigo e de um grupo de trabalhadores locais, a aldeia começou a ganhar forma e a tornar-se habitável. Dez anos mais tarde, a Cerdeira Village é oficialmente inaugurada e com ela traz um movimento artístico inesperado que no ano passado justificou a mudança de nome para Cerdeira – Home of Creativity. Mas já lá vamos.

Publicidade

As duas únicas ruas da aldeia estão praticamente todas ocupadas pelas nove casas de xisto destinadas a alojamento. Por fora permanecem intocadas pela História, com as fachadas em pedra e interiores que, apesar da decoração moderna, souberam preservar a pedra, a argila e os soalhos em pinho originais – conservação exímia que valeu ao projecto a integração na rota internacional do EcoArq. Para duas, quatro, seis ou nove pessoas, as casas estão totalmente equipadas com kitchenette, salamandra e terraço com vista para a serra. O facto de não haver televisão nem internet foi uma escolha consciente para estimular a criatividade dos hóspedes. Assim dito, a pessoa começa logo a hiperventilar enquanto aperta o telemóvel contra o peito, mas nada que não se resolva com uma ida diária ao Café da Videira, um dos espaços comuns da aldeia, com wifi, e que serve de sala de pequenos-almoços e de espaço de convívio.

Tirando esse pequeno pontapé de realidade, a ideia é deixar-se levar pela paisagem e pela veia artística da casa para finalmente pôr em marcha aquele plano de aprender um novo ofício ou competência. A vocação artística é, aliás, um dos pilares do projecto. Os workshops e as residências artísticas existem desde a fundação da casa, mas há um ano o assunto tornou-se ainda mais sério com a abertura da Cerdeira Arts & Crafts School, uma escola de artes com um plano de formação mais ou menos intensivo, com cursos de cerâmica tradicional (e também da técnica japonesa), escrita de viagens, trabalho em madeira (escultura ou construção de uma peça de mobiliário), artes visuais, tecelagem e construção em vime. Há-os para todos os tipos de competência ou falta dela e nas modalidades de curta ou média duração. Por exemplo, entre 21 e 25 de Agosto há um retiro de cinco dias de Desenho na Natureza (315€ por pessoa), com alojamento partilhado incluído. Por sua vez, o workshop de Feltragem de Lã que acontece já nos próximos dias 24 e 25 de Fevereiro, fica despachado em oito horas pelo preço de 126€, com alojamento e materiais incluídos.

 

Publicidade

Não tem de ser artista nem tão pouco ter jeito para os trabalhos manuais, basta querer aprender. E se for o caso de não querer embarcar num fim-de-semana artístico, pode sempre dar corda aos sapatos e meter-se pelos caminhos de ardósia para conhecer os cantos à aldeia. Espreite a biblioteca, a galeria de arte com alguns trabalhos de artistas que passaram pela Cerdeira, o forno comunitário e os ateliês dos residentes. Se nada disto não chegar, fica a dica: na reserva escolha a Casa do Vale, com uma varanda com vista panorâmica sobre o vale da Ribeira da Cerdeira e onde os fins de tarde podem ser acompanhados de um copo de vinho.
Em Julho, a Cerdeira - Home for Creativity organiza a 13ª edição do festival Elementos à Solta que reúne anualmente artistas contemporâneos de diferentes áreas e transforma a aldeia numa galeria a céu aberto.

Hotéis

Cerdeira - Home for Creativity

Como chegar:

Apanhe a A1 sentido Norte e siga pela A23 em direcção a Abrantes/ Castelo Branco / Torres Novas. Saia na IC3 para Tomar.Apanhe a N342 e siga pela rampa para a Lousã.
Na Av. do Brasil apanhe a variante N236 / N342.Vire à direita na Estrada Castanheira e depois da curva acentuada chega à porta da Cerdeira – Home for Creativity.



Outras escapadinhas

Outpost Casa da Arriba
Rodrigo Simões Cardoso
Hotéis

Uma Casa na Arriba

Esta é uma história que esteve quase para não acontecer. Chris Kraus, alemão, vivia em Londres até ao início do ano passado, onde trabalhava no sector bancário. Entretanto, a história do costume, apaixonou-se pelo país e mudou-se para Lisboa. Um dia decidiu que queria uma casa com um campo de basquetebol e em passeio pelas Azenhas do Mar, Sintra, reparou numa casa abandonada à beira da falésia da Praia da Aguda que lhe pareceu ter um cesto lá atrás.

Publicidade
Hotéis

Escapadinha: A Place at Evoramonte

Muito alto, muito louro, muito pouco preocupado com o facto de estar a vestir um kilt escocês no calor do Alentejo. “Roubei-o à família da minha mulher, esta é a cor e o padrão do apelido da família dela e eles não se importam que o use”, diz Mitch Webber, uma das metades do A Place at Evoramonte, um novo alojamento local que surgiu na planície alentejana em Novembro de 2017. 

Publicidade