15 livros infantis da colheita de 2018

Reunimos as melhores sugestões de literatura infantil saídas do primeiro semestre de 2018. Para miúdos de todos os feitios
Horizonte
Horizonte
Por Maria Ramos Silva |
Publicidade

Crianças inconformadas e destemidas, com espírito de explorador e queda para a música. Cada miúdo é como cada qual, e ao longo desta lista encontra sugestões para diferentes idades e personalidades. A melhor parte é que os mais novos não serão os únicos a perder-se de amores por estas páginas cheias de cores, com histórias e ilustrações de encher o olho. É muito provável que os pais vão na mesma cantiga, porque boa parte destess exemplares são autênticas obras de arte, dignas de coleccionador. Regresse à infância com estas sugestões de literatura infantil, saídas do primeiro semestre de 2018.  

Recomendado: Livrarias para crianças em Lisboa que tem mesmo de visitar

Livros infantis para todos os miúdos

1

Para pô-los a dormir

Boa Noite a Todos, Orfeu Mini, 8,91€

Nesta terra todos estão a cair de sono. Todos? Bom, há sempre alguém que resiste às investidas de João Pestana e neste caso falamos de um Ursinho cheio de espertina. Se os miúdos fazem fita para ir para a cama, facilite o processo com Boa Noite a Todos, uma história criada para embalar até os ouvintes mais irrequietos. Chris Haughton, o mesmo autor de Mamã?, assina o texto e ilustrações.

2

Para treinar a coragem

O João e os Monstros, Bruaá, 12,16€

As palavras são de António Gouveia, as ilustrações de Beatrice Cerocchi, o protagonismo de João, o menino que sabe que sabe que ter medo assiste a todos e que nenhum mal vem ao mundo por isso. Monstros debaixo da cama? O João ensina a contornar os maiores receios e desperta uma pequena grande coragem nos leitores de todas as idades.

Publicidade
3

Para conhecer a cidade

The New Voyager in Lisboa, O Editorial, 10€

Depois de outras cidades, eis 31 locais imperdíveis em Lisboa e Sintra, com direito a ilustrações de Rafaela Rodrigues. Afinal, os olhos dos miúdos, aqueles a quem se destina este guia, também comem. Da ligação ao mar à história, das vistas à gastronomia, The New Voyager in Lisbon mostra o melhor da cidade numa apresentação pensada para o público infantil. O guia foi criado em 2014 pela jornalista francesa e viajante Emma Swinscoe quando vivia em Los Angeles, inspirada pela curiosidade das filhas. A versão nacional foi impressa em Lisboa e editada por Álvaro Ramos, criador da agência de conteúdos O Editorial e co-fundador da Cabana, a loja online dedicada a produtos made in Portugal e além-mar.

4
Horizonte

Para surrealizar por aí

Horizonte, Orfeu Mini, 13,05€

É assim que a ilustradora Carolina Celas se apresenta ao grande público, num livro que se enche de imagens maravilhosas de um universo que pisca o olho à poesia e ao universo surreal. Também há ternura e doçura quanto baste, claro está, e em pano de fundo, sempre o Horizonte, aquele que nos rodeia e sempre nos escapa, por mais que o tentemos agarrar.

Publicidade
5

Para pais à beira da loucura

O Bebé que... fez uma Birra, Nuvem de Letras, 9,81€

Rui Zink e Manuel João Ramos tratam uma evidência: todos os bebés fazem birras, e alguns adultos também. Mas, enfim, há birras mais insuportáveis que outras e esta parece ser terrível (falamos dos bebés), de tal forma que os pais não sabem o que fazer. Importa saber como começou, claro, mas, mais que isso, vale a pena descobrir se terá fim. Seja como for, adultos, este (também) é para vocês.

6

Para inconformados

Um Capuchinho Vermelho, Orfeu Negro, 8,91€

Foram muitos séculos a partilhar o sofrimento com a menina de capinha vermelha, criação do folclore europeu cujas raízes remontam ao século XX, popularizada por Charles Perrault e pelos irmãos Grimm. E se acha que faltava ali uma boa dose de empoderamento (para usar uma expressão tão dos nossos dias), ou se sempre torceu por um volte face revanchista, é hora de tirar a barriga de misérias e voltar a ler Capuchinho Vermelho. Ou melhor, Um Capuchinho Vermelho. E o lobo que se cuide.

Publicidade
7

Para treinar a generosidade

O Coração Apaixonado do Baobá, Gato-Bravo

Osias André, ilustrador moçambicano, assina este O Coração Apaixonado do Baobá, nome de uma árvore lendária de porta bastante avantajado e memória elefantina. Um ser mágico que se destaca pelo seu tronco acolhedor e coração generoso, com capacidade para abrigar quem precisa de um tecto provisório.

8

Para aspirantes a músicos

A Orquestra, Planeta Tangerina, 14,31€

O grande formato proposto por Chloé Perarnau lança o desafio de descobrir uma espécie de Wally, guiando os leitores por cidades do mundo e instrumentos musicais. Acontece que há um concerto marcado e os membros desta orquestra desapareceram sem deixar rasto. Foram de férias, foi o que, de tal forma que até remetem postais para o pobre do maestro, que decide partir à procura dos músicos.

Publicidade
9

Para aventureiros

Atlas das Viagens e dos Exploradores, Planeta Tangerina, 22,14€

Isabel Minhós Martins e Bernardo P. Carvalho guiam-nos por estas Viagens de Monges, Naturalistas e Outros Viajantes de Todos os Tempos e Lugares, o longo subtítulo deste álbum ilustrado. Objectivo: conhecer melhor o planeta em que vivemos e as gentes que nos rodeiam. Há personagens, claro, mas também destinos e mapas, bem como aventuras para dar e vender.

10
O Quadrado

Para formá-los nas formas

Quadrado, Orfeu Negro, 14€

Depois do incrível Triângulo, chega o Quadrado, o segundo título da trilogia das formas, de Mac Barnett e com as ilustrações de Jon Klassen. Claro que esta história não ficaria perfeita sem o Círculo, amigo do Quadrado, que bem tenta criar uma coisa ao nível da perfeição mas, enfim, um quadrado é um quadrado. Chega a 15 de Junho às livrarias, com selo Orfeu.

Publicidade
11

Para pequenos grandes poetas

Uma Rosa na Tromba de um Elefante, Orfeu Mini, 13,05€

O encanto sobre as crianças vem de longe, mais concretamente de 1971, quando a flor desabrochou pela mão da editora Afrodite. Mais de 40 anos sobre esse lançamento inaugural, a Orfeu Mini, chancela da Orfeu Negro, reeditou este título do poeta Antonio José Forte (1931-1988), que promete continuar a enfeitiçar os mais novos e a fazer a ponte entre gerações. "Poeta da alegria de viver e do humor surreal, gostava de cidades, elefantes e bicicletas", assim resume o cartão de visita na contracapa, e não se esqueceu de todas estas referências num álbum que marca a estreia na edição da ilustradora portuense Mariana Malhão.

12

Para cultivar a diversidade

Um Dia de Neve, Orfeu Mini, 12,60€

Oportuno, este clássico do ilustrador norte-americano Ezra Jack Keats de 1962 é um marco da diversidade racial na literatura para crianças. É Pedro, o primeiro protagonista afro-americano, a grande referência deste enredo até agora inédito em Portugal, e lançado em Fevereiro pela Orfeu. Uma história de amizade para todas as estações do ano.

Publicidade
13

Para leitores determinados

Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes II, Nuvem de Tinta

A aventura da mulher que conseguia "derrubar qualquer cowboy com um único murro" é apenas uma das inúmeras que compõem o segundo volume destas Histórias de Adormecer para Raparigas Rebeldes, uma edição Nuvem de Tinta em que o glamour, as facilidades e os finais felizes nem sempre são convocados, para não falar que ninguém perde sapatos em escadarias nem espera por beijos de príncipes. Mais ou menos famosas, geólogas, maratonistas, espias, juízas, guardas florestais e actrizes, entre muitas outras áreas, são revisitadas desde o final do século XIX aos nossos dias. Francesca Cavallo e Elena Favilli, italianas fixadas na Califórnia, fundadoras do grupo de media Timbuktu, são as autoras do livro, ilustrado por diferentes mulheres.

14

Para dar à costa

O Regresso da Baleia, Orfeu MIni, 12,15€

Benji Davies, autor, ilustrador e director de animação, deu-nos A Baleia, que entretanto chegou à sua segunda edição. Eis que há outras novidades a pairar na costa com O Regresso da Baleia. Prepare-os para a sequela da história de Noé, o menino que vive à beira-mar com o seu pai e seis gatos.

Publicidade
15

Para puxar pela imaginação

Há um Tigre no Jardim, Fábula, 12,60€

Imaginação é ingrediente essencial quando nos dizem que Há um Tigre no Jardim. E quem diz uma fera desta natureza, diz um urso-polar que gosta de pescar ou mesmo plantas que gostam de comer girafas de peluche. O céu é o limite nesta relação fantástica entre uma avó e a pequena Nora, que nos convida a voar sem sair do lugar.

Coisas para fazer com os miúdos

museu dos doces, the sweet art museum, marvila
Fotografia: Manuel Manso
Miúdos

Seis novidades para levar as crianças em Lisboa

Há uma nova cidade para explorar. Lisboa está mais vibrante que nunca e transforma-se a cada mês que passa. E não é só pelas inaugurações e aberturas, pelos restaurantes com novos conceitos e pela agenda cada vez mais preenchida, mas também pelos novos projectos que vêem a luz do dia – muitos deles a pensar nos pequenos munícipes. Se os miúdos lá em casa são difíceis de satisfazer e gostam de estar em cima do acontecimento, eis uma lista de seis novidades que não podem perder. 

Actividades para crianças no Museu Berado
©Museu Berardo
Miúdos

Museus para crianças em Lisboa? São mais que as mães e bem divertidos

É uma grande injustiça dizer que a palavra museu cheira a mofo. Mas se começou por arrastar os miúdos para uma exposição interminável que só interessou aos pais... é bem possível que o programa enfrente alguma resistência. Não desanime. Fomos à procura dos melhores museus para crianças em Lisboa. Para ir ao passado e ao futuro, sem sair do presente. Se preferir também lhes pode dar a conhecer os cinco museus mais estranhos de Lisboa.

Publicidade
Maria do Mar Shop
Fotografia: Arlindo Camacho
Miúdos

As melhores lojas para crianças em Lisboa

Não se faça de difícil: visitar lojas de crianças não é um pesadelo assim tão horrível – a maioria dos pais até gosta. Afinal, qual é o coração empedernido que resiste a um vestido cheio de laços e folhos, ao triciclo de madeira ou àquele papel de parede com estrelinhas a fazer pendant com as cortinas? A Time Out foi à procura das melhores lojas para crianças em Lisboa. Chegou a casa com a conta depenada e o coração cheio.

Publicidade