Cinco concertos imperdíveis no Caixa Alfama

Alfama é um bairro com tradição fadista, que entre sexta-feira e sábado acolhe mais uma edição do festival Caixa Alfama
Gisela João
©Estelle Valente Gisela João
Publicidade

São dez palcos (entre pequenas colectividades e espaços icónicos de Alfama), dois dias de fado e um eventual roteiro pelo bairro que lhe vai soar a santos populares. Eis o Caixa Alfama, que este ano se realiza entre sexta-feira e sábado e é um dos festivais mais distintos do país, onde a habitual sujeira vira calçada portuguesa e o terreno plano é trocado pelas subidas (e descidas) vertiginosas de Alfama.

Estes cinco concertos cheiram a Lisboa.

Cinco concertos imperdíveis no Caixa Alfama

Camera

António Zambujo

É capaz de ser o mais popular cantor de fado, em Portugal, nos dias que correm. Contudo, é mais do que um fadista. Sempre foi. Nos primeiros álbuns, levava a canção de Lisboa a passear pelo Alentejo antes de embarcar num cruzeiro transatlântico rumo ao Brasil. Hoje percorre os caminhos da música popular portuguesa.

Palco Caixa, Sex 00.10

Camera

Júlio Resende

Apesar de (ainda) ser conhecido principalmente como pianista de jazz, Júlio Resende tem vindo a impor-se no fado. Um processo que se tornou evidente com o álbum Amália por Júlio Resende, de 2013, e continuou no disco ao vivo Fado & Further (2015) e nas colaborações com cantoras como Gisela João ou Cuca Roseta.

Largo das Alcaçarias, Sáb 22.00

Publicidade
Camera

Marco Rodrigues

O fadista e guitarrista Marco Rodrigues sobe ao palco principal um dia depois da edição de Copo Meio Cheio. É um disco mais pop, que tem dedo de letristas e compositores sem qualquer relação com o fado, como Carlão, Diogo Piçarra, Luísa Sobral, Capicua, Agir ou Boss AC, entre outros.

Palco Caixa, Sáb 22.50

Camera

Paulo Bragança

Deu que falar nos anos 90, quando se apresentou com uma voz andrógina e uma apresentação arrojada e singular, a cantar em palco descalço e a fazer versões de Nick Cave and the Bad Seeds. Ao fim de quatro discos, saiu de cena, mudou-se para Irlanda e deixámos de ouvir a sua voz. Mas voltou recentemente aos palcos, e vai passar por Alfama.

Largo das Alcaçarias, Sáb 23.00

Publicidade
Camera

Gisela João

Desde a edição do primeiro álbum em seu nome, em 2013, Gisela João ainda não parou. De cantar e encantar, de levar o seu fado a conhecedores e a quem, normalmente, não tem paciência para o género. E ao contrário de muitas, fê-lo sem nunca se afastar do fado, mesmo quando os temas que canta têm outras proveniências.

Palco Caixa, Sáb 00.10

Mais fado

Visitas cantadas no museu do fado
©José Frade
Coisas para fazer

Um roteiro do fado em Lisboa

Paragens obrigatórias e moradas menos conhecidas. Por aqui encontra fado em Lisboa para bebés, discos, desgarradas castiças, e mais, muito mais. Ora leia em modo de silêncio.  

Cuca Roseta
D.R.
Música

Pelas vielas de Alfama com Cuca Roseta

No Largo do Chafariz de Dentro ensaia-se uma ópera e na Rua de São Miguel ouve-se Zouk Love. Mas ainda é o fado que espalha os seus odores em todos os recantos do bairro. Para Cuca Roseta, que nos guia neste passeio, Alfama representa a sua descoberta e a sua afirmação.

Publicidade
cristina branco
©Joana Linda
Música, Fado

Cristina Branco: "Passei muitos anos a tentar adaptar-me"

Eterna nómada musical, a fadista Cristina Branco é uma das mais aventureiras exploradoras da canção portuguesa. No álbum Branco continua a descobrir a liberdade de poder ser várias pessoas através da música e das palavras de autores de diferentes gerações como Sérgio Godinho, Mário Laginha, Jorge Cruz, André Henriques, Filipe Sambado e Luís Severo.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com