Um roteiro do fado em Lisboa

Temos museus, tasquinhas, matinés, aulas, fora d'horas, intervenções na calçada portuguesa e até hotéis a rigor. Siga o nosso roteiro do fado em Lisboa
Visitas cantadas no museu do fado
©José Frade
Por Maria Ramos Silva |
Publicidade

Paragens obrigatórias e moradas menos conhecidas para conhecer a canção que é tão nossa. Por aqui encontra fado em Lisboa para bebés, discos, desgarradas castiças, e mais, muito mais. Ora leia em modo de silêncio.  

Fado em Lisboa

Fado no Oceanário
©Teresa Aires
Atracções

Acordes e sardinhas (de aquário) para crianças

icon-location-pin Parque das Nações

Num país com uma extensão de costa destas, e com uma tradição marítima que se perde nos tempos, era praticamente criminoso imaginar que o peixe só tem lugar no prato. O mesmo se aplica à canção nacional, perfeitamente compatível com espaços tão inusitados como este grande aquário no Parque das Nações. No Ocenário de Lisboa, Rosa Fadista adere aos acordes de guitarra e às sardinhas aos molhos e canta para a miudagem até aos quatro anos.

Primeiro e terceiro domingos do mês. 9.00. P25€/bebé e dois adultos (inclui visita livre à exposição permanente do Oceanário, após o concerto).Requer reserva prévia

fado na Casa da amália
©DR
Museus

Na sala de Amália

icon-location-pin Lisboa

Garantem que no número 193 da Rua de São Bento, morada da Casa e Fundação Amália Rodrigues, ficou quase tudo como a ilustre dona deixou o espaço. A cantadeira das cantadeiras viveu meio século nesta casa amarela onde os serões se encheram de fado. As visitas são guiadas, duram uma média de 20 minutos, e levam-no por bustos, bandolins, pinturas de Maluda e muitas outras relíquias. 

Ter-Dom 10.00-13.00 e 14.00-18.00.5€

Publicidade
Bela vinhos e petiscos
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Uma Bela sem senão

icon-location-pin Santa Maria Maior

Há belas adormecidas, mas esta Bela, a de Alfama, está sempre de olho aberto para os petiscos e para as cantorias. Num cantinho de Alfama, há fados ao domingo e poesia às terças-feiras. Pode ser difícil encontrar uma mesa vaga neste reduto típico mas vale a pena dedicar-se a esta causa com tempo.

Camera
Restaurantes

Aos fins-de-semana há matiné fadista

icon-location-pin São Vicente 

Acha que sabe cantar? Melhor, acha que sabe cantar fado? Aos sábados e domingos, num cantinho da Graça, todos os amadores, aspirantes e derivados mostram o que valem ao vivo. Na Tasca do Jaime, os ouvidos também comem. É por isso que os ricos pastéis de bacalhau disputam a atenção com as actuações nestas afamadas matinés. 

16.00-20.00

Publicidade
Visitas cantadas no museu do fado
©José Frade
Museus

Um dia no museu

icon-location-pin Alfama

O património da humanidade ganhou casa própria no ano de 1998, quando o Museu do Fado abriu portas no coração de Alfama. E porque nem só de turistas deve viver este endereço, conheça as colecções cedidas por centenas de intérpretes, autores, músicos, compositores, construtores de instrumentos, investigadores e simples amadores que para aqui convergem com um pouco da sua história.

Entrada no museu:5€

Cuca Roseta no clube do fado
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Alinhe no Clube de Fado

icon-location-pin Santa Maria Maior

Quase que beija a Sé de Lisboa, este Clube de Fado (que em tempos foi estábulo e armazém de azeite) onde a ementa de pratos (recheada de bacalhau, bife ou polvo à Lagareiro) divide atenções com o cardápio de artistas. Em Alfama, Cuca Roseta, Rodrigo Costa Félix ou Maria Ana Bobone são apenas alguns dos nomes a conferir, noite após noite.

Publicidade
Camera
Desporto

Lições de fado

icon-location-pin São Vicente 

O Grupo Desportivo da Mouraria gaba-se de ser a catedral do fado amador e uma espécie de berço do género. Se finalmente arranjou vagar ou coragem para receber umas lições, tome nota. A escola fornece guitarras e violas para os alunos aprenderem e tem professor de canto. Os alunos irão apresentar os seus talentos nas ruas da Mouraria e representar o Grupo por esses eventos e festas fora. Um orgulho.


Aulas terças 20.00-23.00. 30€/mês.

Mural - Mouraria
Fotografia: Arlindo Camacho

Olhe para as paredes

Ainda pela Mouraria, não perca os murais do ilustrador Nuno Saraiva, que em 2016 venceu o prémio do Amadora BD com o álbum Tudo isto é Fado. As figuras de "Fado Vadio" povoam agora as paredes do castiço bairro.

Publicidade
Calcada by Vhils e calceteiros de Lisboa
©Bruno Lopes

Regresso ao futuro com a arte de Vhils

São dois ícones da cidade. Já falámos de Amália, faltava falar da calçada portuguesa, e da intervenção artística que recebeu no ano de 2015. Quando as duas referências se juntam, temos uma imagem com a assinatura de Alexandre Farto, aka Vhils. O rosto da fadista, esculpido pelo artista urbano, encontra-se em frente ao número 31. Do chão de Lisboa para o mundo todo.

Esta intervenção, faz parte do nosso roteiro de arte urbana em Lisboa.

Rua de São Tomé, Alfama.


Espreite o nosso roteiro de arte urbana em Lisboa.

aldina duarte
©Rita Carmo
Restaurantes

Um brinde ao Senhor Vinho

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Projecto de Maria da Fé, de portas abertas desde 1975, é pretexto para uma visita à Lapa. Sabe quando procura um serviço de cozinha aberto até à meia noite e meia e tem dificuldades em encontrá-lo? Aqui, isso não é um problema. Depois é uma questão de render-se ao timbre de Aldina Duarte, Francisco Salvação Barreto, Vanessa Alves ou Joana Baeta. 


Mostrar mais

Coisas para fazer em Lisboa

Figaros Barbershop Lisboa
©DR
Compras

Roteiro Vintage em Lisboa

Já lá vai o tempo em que os lisboetas ficavam de pé atrás com a segunda mão. A moda do vintage chegou, viu e venceu — e não quer arredar pé da cidade. No armário, em todas as divisões da casa, no cabelo, no prato e na ponta do pé, o vintage tem sido adoptado de forma mais ou menos radical e pode aparecer sob a forma de bagatela ou de artigo de luxo. Escolha a década do século passado que faz mais o seu género e procure-a neste roteiro vintage de Lisboa. Vai encontrar muitos tesourinhos — e nada deprimentes.   

Pessoas sentadas observam um painel no Museu de Arte Antiga
Fotografia: Arlindo Camacho
Museus

Os museus de Lisboa que tem mesmo de visitar

Alguns museus ainda funcionam como a arrecadação lá de casa: servem para amontoar tralha. Mas as coisas estão a mudar, a começar pelo impressionante Museu de Arte, Arquitectura e Tecnologia e a acabar na proposta do Governo de fixar a entrada gratuita para quem tem menos de 30 anos de idade. Deixamo-lo com uma visita guiada aos melhores museus de Lisboa, dando razões para redescobrir os clássicos e ideias para explorar colecções surpreendentes.

Publicidade
Passeio de bicicleta promovido pela Massa Crítica
Fotografia:Ana Luzia
Coisas para fazer

37 coisas grátis para fazer em Lisboa

Não sabe o que fazer em Lisboa? De concertos de rock a bailes de forró, de tardes de críquete a noites de tricot, damos-lhe excelentes sugestões para aproveitar tudo quanto é à borla na cidade. São 37 coisas grátis para fazer em Lisboa.   

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com