Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Coisas grátis para fazer em Lisboa

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Parque Florestal de Monsanto
©Arlindo Camacho Parque Florestal de Monsanto

Coisas grátis para fazer em Lisboa

Não ter dinheiro não é desculpa para não sair de casa. Estas são algumas das melhores coisas grátis para fazer em Lisboa.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Não sabe o que fazer em Lisboa? De passeios pelo Parque Florestal de Monsanto até ver as vistas de outro ângulo, temos uma grande variedade de sugestões para aproveitar tudo quanto é à borla na cidade. São dezenas de coisas grátis para fazer em Lisboa: afinal não queremos que deixe de aproveitar o melhor que a cidade tem apenas por ter a carteira mais vazia. Há muito para fazer à borla em Lisboa. Não acredita? Então espreite a lista que se segue. Não se vai arrepender. Já lhe dissemos que é grátis?

Recomendado: Coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

Coisas grátis para fazer em Lisboa

Parque José Gomes Ferreira
Parque José Gomes Ferreira
©David Cliford

1. Respirar ar puro na Mata de Alvalade

Coisas para fazer Alvalade

O Parque José Gomes Ferreira é mais conhecido como Mata de Alvalade, mas nem por isso deixa de ser um sítio incrível para passar uma tarde, com ou sem a família atrás. Além de ser um dos melhores parques de Lisboa para se fazer um piquenique, tem árvores por todo o lado, incluindo oliveiras e alfarrobeiras. Melhor do que estender a toalha mesmo sobre a relva, no meio das flores, só digerir a refeição a pedalar na pista ciclável.

Parque Florestal de Monsanto
Parque Florestal de Monsanto
Fotografia: Manuel Botelho/ Domínio Público

2. Fazer a Rota da Biodiversidade em Monsanto

Coisas para fazer Benfica/Monsanto

Existem muito mais de uma centena de espécies de fauna e flora para descobrir no Parque Monsanto, em Lisboa, onde também uma visita ao Panorâmico. O percurso chama-se Rota da Biodiversidade e tem 14 km, mas pode escolher pequenos troços para percorrer em família, a pé ou de bicicleta. Basta descarregar o mapa da rota e as fichas das aves, répteis, mamíferos e flora que poderá encontrar.

Publicidade
Esculturas Infinitas
Esculturas Infinitas
Pedro Pina

3. Visitar uma destas exposições gratuitas em Lisboa

Arte

Preza a arte mas custa-lhe dar dinheiro por ela? Aliás, custa-lhe dar dinheiro para a poder ver? Uma entrada num museu ou numa galeria sai-lhe quase sempre dos bolsos, mas ainda há exposições gratuitas em Lisboa para quem anda sempre à procura de uma borla. Das duas uma: ou aproveita aqueles dias em que os museus promovem entradas gratuitas ou segue estas nossas sugestões de exposições gratuitas em Lisboa onde não pagará nem um cêntimo para apreciar uma obra de arte – o mais provável é acabar o dia a descobrir novos artistas.

Mosteiro dos Jerónimos
Mosteiro dos Jerónimos
Fotografia: Arlindo Camacho

4. Ir acender uma velinha à Igreja dos Mosteiro dos Jerónimos

Atracções Belém

Mandado erigir pelo rei D. Manuel I em memória do Infante D. Henrique, o Mosteiro dos Jerónimos é Monumento Nacional desde 1907 e Património Cultural da Humanidade desde 1983. Apesar de ser preciso pagar bilhete para visitar as outras áreas do mosteiro, a Igreja de Santa Maria de Belém é de acesso livre. Lá dentro encontram-se, entre outros, os túmulos de Luís de Camões, Vasco da Gama e do rei D. Sebastião, cujos restos mortais foram trazidos por D. Filipe I numa tentativa de aniquilar o mito sebastianista. Mas são poucos os que acreditam que se trata efectivamente do corpo do rei desejado.

Publicidade
Casa do Alentejo
Casa do Alentejo
©DR

5. Apreciar a arquitecura da Casa do Alentejo

Restaurantes Santa Maria Maior

A Casa de Alentejo é a verdadeira casa da região do Alentejo em Lisboa. O edifício do antigo Palácio Alverca merece, só por si, uma visita, graças à bonita decoração com traços neo-árabes, já para não falar da colecção de azujelos e pinturas. Palco de apresentações de livros, sessões de poesia e até exposições, tem um restaurante com duas salas impressionantes. Mas infelizmente corre o risco de encerrar actividade, na sequência das restrições impostas para combater a actual pandemia. Por isso, se lá for apreciar a arquitectura sem pagar um tostão, considere ficar para o almoço.

Igreja de São Vicente de Fora
Igreja de São Vicente de Fora
© Lydia Evans / Time Out

6. Fazer este roteiro de arte sacra

Atracções Edifícios e locais religiosos

Há precisamente 120 igrejas para descobrir na cidade. Foi difícil, mas conseguimos escolher os templos católicos que nem o mais convicto ateu pode contornar. Não servem apenas para rezar. As igrejas são odes à arquitectura e guardam muitas histórias entre vitrais, azulejos, pinturas e talhas douradas. Não é possível viver em Lisboa e não conhecer pelo menos estas dez igrejas, sempre de porta aberta para que possa entrar sem pedir permissão. Siga este roteiro de igrejas em Lisboa para ficar mais perto do céu, sem tirar os pés da terra.

Publicidade
Santuário da Peninha
Santuário da Peninha
Fotografia: Ricardo Salvo

7. Ver as estrelas

Coisas para fazer

Se o stargazing, como lhe chamam lá fora, não é novidade para si, talvez prefira afastar-se das luzes urbanas, mas não tem de se afastar assim tanto da capital. Lembre-se: o mais importante é divertir-se e aprender umas histórias sobre as constelações para animar as noites mais longas. Aí vão os melhores sítios para ver as estrelas em Lisboa e arredores.

Cabine de Leitura
Cabine de Leitura
Fotografia: Ana Luzia

8. Troque o livro que acabou de ler por outro

Atracções Bibliotecas, arquivos e fundações Areeiro/Alameda

A história da Cabine de Leitura podia dar um policial do género “Os Ladrões de Livros” ou coisa parecida – e talvez lá encontre um título parecido. Quando a minibiblioteca abriu ao público em plena Praça de Londres, em Abril de 2015, os livros começaram a desaparecer às dezenas – para depois aparecerem na Feira da Ladra, o conto do vigário, já se sabe. Por causa disso, a Cabine costuma ter sempre um voluntário a controlar os livros. Os horários não são lá muito certos, mas pode procurá-los na página de Facebook do projecto. Ainda assim, e apesar do espaço ser apertado, aqui encontram-se boas leituras. “As pessoas só deixam os livros de que gostam e não aqueles que andam lá para casa e que são para dar”, garante Carlos Moura-Carvalho, um dos responsáveis. É simples e grátis, basta trocar o livro que acabou de ler por outro.

Cabine de Leitura, Praça de Londres, 10. 

Publicidade
Galeria de Arte Urbana, Largo do Oliveirinha
Galeria de Arte Urbana, Largo do Oliveirinha
Fotografia:Ana Luzia

9. Pinte uma parede sem ser preso

Se quer dar uma de graffiter, fique a saber que pode pintar uma parede sem ter problemas com as autoridades. Isto, claro, se pintar no sítio certo. Inspire-se a olhar para os painéis da Galeria de Arte Urbana, na Calçada da Glória e no Largo do Oliveirinha. Depois, pegue nas latas e comece a pensar em fazer o seu próprio mural. Ou pelo menos uns rabiscos. É perto do Largo, na Travessa do Fala-Só, que encontra duas paredes de “pintura livre”. Vai reparar nelas facilmente, já que estão cheias de tags e frases ao acaso, pintadas umas em cima das outras. No fim, tire uma foto à sua obra de arte, até porque mais cedo ou mais tarde alguém vai tapá-la. Descubra outras superfícies de livre acesso aqui.

Inspire-se no nosso roteiro perfeito pela arte urbana em Lisboa

Miradouro Panorâmico do Monsanto
Miradouro Panorâmico do Monsanto
©Francisco Santos

10. Tenha a cidade aos seus pés

Atracções Torres e miradouros Benfica/Monsanto

Foi restaurante de luxo, bingo, discoteca, edifício de escritórios e armazém. Agora, o Panorâmico de Monsanto, desenhado pelo arquitecto Chaves da Costa tem uma nova vida – uma vida bem mais pacata: faz de miradouro, aquela que foi sempre a sua vocação secundária. A vista de 360º para toda a cidade e a localização privilegiada, no Alto da Serafina, fazem deste prédio devoluto o melhor sítio para ver as vistas em Monsanto. Para quê mentir? É a melhor vista de toda a cidade.

Publicidade
Aplicação Wifimap
Aplicação Wifimap
©Wifimap

11. Apanhe o wi-fi do vizinho

Quem diz do vizinho, diz do café onde está agora sentado ou do restaurante onde vai jantar. Não precisa de pedir a password, a app Wi-Fi Map memoriza quase todos os acessos às redes das redondezas e mostra-as num mapa para saber exactamente onde deve estacionar o seu computador e começar a trabalhar. As passwords são inseridas pelos próprios utilizadores da aplicação, por isso sinta-se à vontade para acrescentar mais senhas para acesso gratuito à rede.

Home_Stretch_Jeff Drongowski
Home_Stretch_Jeff Drongowski
©Jeff Drongowski

12. Corra atrás destes grupos

Hora do Esquilo: Para quem gosta realmente de acordar cedo para correr, o treino organizado pela Monsanto Running Team acontece todos os dias da semana, das 06.00 às 07.00, com o grupo do costume. O ponto de encontro é o parque de estacionamento da Estrada do Penedo, em Monsanto. Para participar, só tem de se lembrar de levar máscara (para usar antes e depois do treino) e manter a distância social recomendada (na via pública não são permitidos ajuntamentos com mais de seis pessoas).

Correr Lisboa: Este grupo de corrida organiza treinos de segunda a quinta-feira, distribuídos pela Pista de Atletismo Professor Moniz Pereira, pela Cidade Universitária, Odivelas ou pelo Parque das Nações.

Publicidade
Massa crítica
Massa crítica
Fotografia: Ana Luzia

13. Siga a massa crítica

Se já tem bicicleta mas não gosta de pedalar sozinho, siga a Massa Crítica. O grupo de ciclistas costuma encontrar-se todas as últimas sextas de cada mês desde 2003 para passeios nocturnos. O ponto de encontro é no Marquês de Pombal, junto ao Parque Eduardo VII, a partir das 18.00, e a saída está prevista para as 19.00. O passeio costuma demorar duas horas. 

A skater on the edge of the bowl section of the Round Rock Skatepark at the grand opening on July 20, 2007.
A skater on the edge of the bowl section of the Round Rock Skatepark at the grand opening on July 20, 2007.
©cityofroundrock

14. Peça um skate emprestado e aprenda uns truques

Atracções Parques e jardins Marvila

Inaugurado no fim de 2013, o skatepark do Vale de Chelas é um dos melhores sítios para ver craques deslizar em piscinas vazias e fazer manobras em corrimãos – uma alternativa à concorrida Praça da Figueira, uma espécie de mini skatepark não oficial. Uma tarde que passa a correr e, se estiver enturmado, talvez até lhe possam ensinar alguns truques.

Skatepark do Vale de Chelas. Paragem de metro mais próxima: Bela Vista.

Publicidade
Massagem
Massagem
©Nick Web

15. Deixe as costas nas mãos de alguém

Se confia nas mãos dos alunos finalistas do Instituto de Medicina Tradicional, pode inscrever-se para uma massagem completamente grátis. As massagens fazem parte das aulas práticas dos alunos de vários cursos e estão disponíveis em três modalidades: massagem de relaxamento, shiatsu e tui-na, uma técnica chinesa que pode substituir a acupunctura. Apesar de haver marquesas e cortinas, lembre-se de que não está num spa e sim numa sala de aula, com um professor a avaliar a técnica do massajador. São eles que decidem quando lhe vão fazer a massagem, por isso, convém ter um horário flexível. Ainda assim, é grátis. 

Instituto de Medicina Tradicional, Rua Alfredo Trindade (Campo Grande). Marcações: 21 330 4965

Yoga
Yoga
©DR

16. Experimente uma aula de yoga

Ser diletante tem várias vantagens: por exemplo, a de experimentar aulas grátis de várias modalidades, sem no final de contas se decidir por nenhuma – nem pagar a mensalidade de nenhuma. Pode começar com uma coisa mais espiritual e tentar uma aula de yoga no Yoga no Bairro, num pátio em Campo de Ourique, onde não lhe vão cobrar nada pela primeira visita. O ideal, e se quer ser um pelintra à séria, é continuar a fazer primeiras aulas de tudo o que lhe passar pela cabeça. Mas pode ser que o yoga o convença. 

Yoga no Bairro, Rua Coelho da Rocha, 69, Pavilhão 9. Aulas de grupo em vários horários. www.yoganobairro.com

Publicidade
Pilha de Livros
Pilha de Livros
©DR

17. Não leia sozinho

Junte-se a um destes clubes de leitura:

Clube de Leitores de Marvila: com o apoio da Rede de Bibliotecas de Lisboa, a editora Imaginauta criou este clube de leitura, que todos os meses se reúne à volta de um tema com várias recomendações de obras, de preferência disponíveis na Biblioteca de Marvila, onde decorrem as sessões todas as últimas quintas-feiras do mês, pelas 19.00. Rua António Gedeão

Clube de leitura da Livraria Ler: chama-se Ler na LER e abraça livros de todos os géneros e nacionalidades. Mas a literatura portuguesa sai privilegiada e os nossos autores às vezes também se juntam ao clube.
Rua Almeida e Sousa, 24-C

Bookshop Bivar: há encontros de leitura anunciados atempadamente no Facebook e lançamentos de livros em inglês. Rua de Ponta Delgada, 34-A

Comunidade de Leitores da Tigre de Papel: Sempre com um mês de antecedência avisam qual o livro que será divulgado na sessão seguinte. Assim todos têm tempo para ler e reflectir sobre a leitura no último sábado de cada mês. E todos os livros da conversa estão à venda na livraria. Rua do Arco do Cego. 

Publicidade
Ténis
Ténis
©Aron Mayo

19. Jogue ténis no bate-bolas do Jamor

Desporto Oeiras

Uma coisa é certa: a parede vai sair sempre a ganhar, por isso este desporto não é aconselhável a quem tem mau perder. Ainda assim, e em vez de bater com a cabeça nas paredes num dia sem nada para fazer, bata com uma bola de ténis na parede bate-bolas do Jamor.

Maquillhagem
Maquillhagem
©DR

20. Maquilhe-se no El Corte Inglés

Compras São Sebastião

Antes de sair para um date com a sua cara-metade, passe pelo piso térreo do centro comercial para “testar” os novos batons das lojas de maquilhagem. Com sorte, e mesmo sem comprar nada, alguma funcionária vai querer mostrar-lhe os outros produtos da mesma marca e sai de lá pronta para ser pedida em casamento.

Publicidade
exercício
exercício
Manuel Manso

21. Gaste calorias sem gastar dinheiro

Coisas para fazer

Não gosta de se fechar no ginásio? Não há orçamento para personal trainers? Paredões, espaços verdes... Compense os excessos (calóricos e financeiros) nestes ginásios ao ar livre em Lisboa. Qual vai ser a sua desculpa? Deixe-se disso e dê à perna, aos braços e ao corpo no geral para chegar ao Verão saudável e apresentável.

Ó Galeria
Ó Galeria
Fotografia: Arlindo Camacho

22. Explore as galerias de arte mais alternativas

Arte Galerias

Museus e centros de difusão de arte contemporânea são o pão nosso de cada dia no habitual roteiro cultural dos lisboetas. Mas, onde andam os artistas emergentes? Esses que não correm as bocas do mundo? Nestas galerias, está claro. Entre talentos emergentes e nomes consagrados, conheça os lugares menos óbvios das galerias de arte em Lisboa.

Publicidade
árvore do jardim do principe real
árvore do jardim do principe real
Fotografia: Manuel Manso

23. Namore na Árvore do Príncipe Real

Atracções Parques e jardins Princípe Real

Tem razão, estimado leitor, namorar, por norma, não custa nada. Ou, por outra, não custa dinheiro nenhum. Este mítico cipreste do Buçaco tem mais de 140 anos e uma copa de cerca de 25 metros de diâmetro e é um óptimo refúgio (à sombra e com vários bancos) para se prolongar na arte do namoro (se calhar não põe é a língua fora da boca nem tira a máscara, e fica-se pela conversa romântica). O Jardim do Príncipe Real merece.

miradouro do monte
miradouro do monte
©Arlindo Camacho

24. Conheça Lisboa de outro ângulo

Atracções Torres e miradouros São Vicente 

O Miradouro de Nossa Senhora do Monte é o ponto mais alto de Lisboa e é melhor ainda do que um mapa da cidade, com um painel de azulejos que permite localizar os principais monumentos. Com vista da Baixa às Avenidas Novas, é dos miradouros menos visitados e mais românticos. Vai ter um bebé? Aproveite para rezar na capela: a lenda diz que garante partos tranquilos.

Saiba de mais coisas grátis para fazer em Lisboa

Mais coisas para fazer em Lisboa

MAAT
Fotografia: Arlindo Camacho

Guia para não pagar entrada nos museus em Lisboa

Museus

Há museus completamente gratuitos em Lisboa (já os listámos) e depois há outros que não dão o braço a torcer e onde vai ter sempre de se chegar à frente e abrir a carteira. Mas ainda há um meio termo, aqueles que dão tréguas em pelo menos um dos dias da semana ou do mês, para que possa entrar sem gastar dinheiro. Seja ao sábado, no primeiro domingo do mês ou depois de uma certa hora – há opções para tudo e não há grandes desculpas para não aderir a estas borlas. 

Parque Florestal de Monsanto
©Arlindo Camacho

Os melhores passeios em Lisboa para fazer esta semana

Coisas para fazer

Quanto ao kit de sobrevivência, calçado e roupa confortável são a recomendação da praxe, à qual acresce agora o álcool-gel e uma máscara, para qualquer eventualidade. Junte a família ou um grupo de amigos e desfrute destes passeios e caminhadas, ao mesmo tempo que aprende umas coisas e pratica algum exercício. E não se esqueça de andar longe dos outros, à distância e sem atropelos.

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade