A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Alfama
©Duarte DragoMiradouro das Portas do Sol

As melhores coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

As melhores coisas para fazer em Lisboa, sem gastar um tostão.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
e
Renata Lima Lobo
Publicidade

Grátis é a palavra mágica que todos gostamos de ouvir. Felizmente, uma das vantagens de viver em Lisboa (e são bastantes) é ter à disposição um calendário de iniciativas gratuitas que lhe dá poucos argumentos para ficar a preguiçar em casa. Por isso mesmo, todas as semanas, trazemos-lhe sugestões para aproveitar, à borla, tudo o que Lisboa tem para oferecer, ou seja, eventos de que pode usufruir sem ter de abrir os cordões à bolsa. Vai ficar surpreendido com a quantidade de coisas grátis que há para fazer em Lisboa.

Recomendado: Sítios em Lisboa que são mais do que parecem

Grátis em Lisboa esta semana

  • Arte
  • Alfama

A Casa da Liberdade - Mário Cesariny celebrou oito anos de existência a 2 de Novembro. No mesmo dia, perfaziam 15 anos desde a última exposição de Mário Cesariny de Vasconcelos, realizada na Perve Galeria. No mês de Novembro, assinalaram-se ainda 15 anos desde a morte do poeta e pintor. Por ocasião destas datas, foi inaugurada exposição individual de Ivo Bassanti, PopArt & Freedom. Com curadoria de Carlos Cabral Nunes, director artístico da Perve Galeria, as peças expostas reflectem uma forte influência do movimento pop e da cultura de liberdade expressa nas cores intensas e nas suas diversas narrativas neo-libertárias.

  • Arte
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Produzida em Berlim, Whistle, Whistle é a série de trabalhos mais recente de Teresa Murta. A artista mantém na sua prática pictórica a luta entre o mundo interior e exterior. As imagens, conceitos e memórias que exibe têm, na cadência das suas camadas, uma sequência em que o aparente tumulto de formas e paleta cromática sugere um contexto de questionamento sobre a pertença de cada objecto que compõe os seus quadros.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Chiado

A primeira extracção da lotaria aconteceu aqui há 233 anos, uma ideia de D. Maria I para angariar dinheiro para as causas sociais através da Santa Casa da Misericórdia. Agora, aos domingos, as portas da Sala de Extrações da Lotaria Nacional abrem-se para uma visita comentada. Para andar à roda desta visita, só precisa de fazer uma inscrição, já que a participação é gratuita, embora o grupo esteja limitado a um total de 15 pessoas.

  • Arte
  • Intendente

Utilizando a paisagem para fazer a reconstituição de um legado histórico perdido na memória colectiva, Valter Vinagre retrata os vários eventos das Guerras Peninsulares, ocorridos de Norte a Sul do país. Almeida, Bussaco, Chaves, Porto, Amarante, Évora e Olhão, juntamente com as Linhas de Torres Vedras, foram alguns dos locais fotografados ao longo de cinco anos, sempre com respeito pelo calendário dos acontecimentos que fizeram a história das três Invasões.

Publicidade
  • Arte
  • Fotografia
  • Intendente

Muitos ainda se lembram de como era Lisboa no início dos 80s, num país onde a democracia tinha praticamente acabado de chegar. Para esta exposição no Arquivo Municipal de Lisboa, o jornalista e crítico cinematográfico José Vieira Mendes seleccionou um conjunto de imagens por si registadas entre 1982 e 1983 na sua primeira câmara fotográfica, uma reflex 35 mm que ainda guarda consigo. Para recordar, ou descobrir, uma Lisboa de outras modas, registada a preto e branco, entre o Cais das Colunas, o Cais do Sodré ou a Feira da Ladra.

  • Filmes
  • Marvila

O Casa Amarela Cineclube tem morada na Sala Visconti da Fábrica do Braço de Prata e começa o ano com um ciclo dedicado a Andy Warhol, o grande ícone da pop art cujo universo criativo também se expandia para à sétima arte. As sessões acontecem nos finais de tarde de domingo durante o mês de Janeiro, num ciclo "tão peculiar e provocativo quanto a figura do seu autor", descreve o cineclube. Os filmes são todos legendados em inglês e a entrada é gratuita.

Publicidade
  • Filmes
  • Castelo de São Jorge

Durante o mês de Janeiro, as sessões de cinema à segunda-feira na Casa da Achada andam à volta de vários temas começamos pela letra P, como “plágios, “paródias, “patentes” e “piratas. São quatro filmes que fazem parte deste ciclo que inclui, por exemplo, Piratas, de Roman Polanski, e Gato Preto, Gato Branco, de Emir Kusturica.

  • Arte
  • Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Com curadoria do académico e arquitecto Juan Bordes, Goya Fisionomista integra o programa da Mostra de Espanha. Reúne 40 gravuras de Goya pertencentes às séries Los Caprichos (Ed. 1970), Los Disparates (Ed. 1930) e Los Desastres (Ed. 1930), impressões digitais, reproduções das ilustrações dos séculos XVIII e XIX, e um audiovisual, cujo fio condutor é uma pesquisa sobre as fontes iconográficas que inspiraram o artista aragonês a criar uma obra tão original e à frente do seu tempo. Para ver até 17 de Fevereiro na sala de exposições do Instituto Cervantes.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Marvila

O projecto Letreiro Galeria salva velhos tesouros lisboetas e inaugurou uma nova exposição a 4 de Dezembro, com alguns dos exemplares da colecção reunida ao longo dos últimos anos, desta vez no parque de estacionamento do Prata Riverside Village, em Marvila. Inspirado no nome de um dos letreiros deste espólio, a exposição é composta por cerca de 70 letreiros comerciais do século XX. Mais uma vez, a grande atracção é mesmo a nostalgia dos antigos néons de Lisboa, cada vez mais escassos nos dias que correm.

  • Arte
  • Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Partindo do pressuposto da impermanência da matéria, esta exposição reúne quatro artistas que exploram o pendor transformador do mundo natural. Geum Beollae 금벌레, Isabel Carvalho, Joana Escoval e Nobuko Tsuchiya 土屋 信, apresentam novas comissões escultóricas e instalações que se cruzam num circuito elemental desenhado no Pavilhão Branco, em ressonância com a envolvência do jardim circundante.

Publicidade
  • Arte
  • Chiado/Cais do Sodré

O azulejo é uma parte fundamental das artes decorativas portuguesas. E há mais de três décadas que a Galeria Ratton, uma das mais originais de Lisboa, convida artistas plásticos a pintar sobre azulejo, estejam ou não familiarizados com o suporte e sejam eles conhecidos, como Júlio Pomar ou Paula Rego, ou emergentes, como as quatro convidadas para participar na primeira residência artística “Poeticamente Habita o Homem Sobre a Terra”. Os resultados podem ser vistos na Galeria Ratton até 11 de Março.

  • Coisas para fazer
  • Mercados e feiras
  • Santos

É no Terrapleno de Santos, um espaço aberto e ao ar livre, que está montada esta Feira de Inverno, aberta todos os dias entre as 12.00 e as duas da manhã. Embora prometa algumas surpresas, a Junta de Freguesia da Estrela instalou, para já, espaços de venda de artesanato e produtos regionais, assim como jogos tradicionais, carrosséis e carrinhos de choque.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Benfica/Monsanto

O Palácio Baldaya, em Benfica, recebe, até ao dia 20 de Março, a exposição "Benfica – O Lugar que somos". Fruto de uma colaboração entre a Junta de Freguesia de Benfica, a Direcção de Património Cultural do Sport Lisboa e Benfica e o Gabinete de Estudos Olisiponenses, a mostra revela não só "os edifícios e terrenos partilhados" ao longo do tempo como o impacto do clube (que, aquando da sua fundação, era apenas Sport Lisboa) no desenvolvimento da freguesia.

  • Coisas para fazer
  • Exposições
  • Baixa Pombalina

A nova exposição temporária do Museu do Dinheiro dá a conhecer alguns aspectos do quotidiano de Lisboa no século XVI, partindo de achados de escavações arqueológicas realizadas na antiga igreja de S. Julião, onde hoje funciona o museu. Objectos da época e também uma Lisboa desenhada à pena por Simão de Miranda são outros elementos que ajudam a contar esta história de uma época em que circulavam por Lisboa mercadorias de todo o mundo, fruto do império colonial e das rotas marítimas abertas entre vários continentes.

Lisboa low cost

  • Museus

Não é ao domingo de manhã, sábado à tarde ou segunda de madrugada. Estes museus são de entrada gratuita sempre que a porta está aberta ao público ou recebem-no a troco de nada, sob marcação, para uma visita. E a busca pela descoberta de um museu gratuito também pode significar a descoberta de um museu que nem sempre está na ribalta. Fomos à procura dos museus grátis em Lisboa e arredores e descobrimos algumas pérolas museológicas. Da sala de operações do Movimento das Forças Armadas ao museu que respira dinheiro, há muito para aprender sem gastar um tostão.

  • Museus

Há museus completamente gratuitos em Lisboa (já os listámos) e depois há outros que não dão o braço a torcer e onde vai ter sempre de se chegar à frente e abrir a carteira. Mas ainda há um meio termo, aqueles que dão tréguas em pelo menos um dos dias da semana ou do mês, para que possa entrar sem gastar dinheiro. Seja ao sábado, no primeiro domingo do mês ou depois de uma certa hora – há opções para tudo e não há grandes desculpas para não aderir a estas borlas. Está pronto para apontar estas dicas?

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade