Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 25 coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

25 coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

As melhores coisas para fazer em Lisboa, sem gastar um tostão.

exposicao as lisboas de nuno sariava
©Nuno Saraiva
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

Grátis é a palavra mágica que todos gostamos de ouvir. Quando tem uma cidade a rebentar pelas costuras de coisas grátis para fazer, a solução certamente não é ficar fechado em casa à espera que lhe chovam ideias no colo. Trazemos-lhe sugestões para aproveitar, à borla, tudo o que Lisboa tem para oferecer esta semana, seja visitar exposições ou mercados, picar o ponto numa festa ou ir a um concerto. Isto tudo e mais um pouco sem ter de abrir os cordões à bolsa. Vai ficar surpreendido com a quantidade de coisas grátis que há para fazer na cidade.

Recomendado: Roteiro de arte urbana em Lisboa

Grátis em Lisboa esta semana

1
Keita Kanazashi
Coisas para fazer

Festa do Japão em Lisboa

icon-location-pin Jardim Vasco da Gama, Belém
icon-calendar

De mão dada com o Japão, fazemos a festa. Acontece dia 22 no Jardim Vasco da Gama, em Belém, mais uma edição da Festa do Japão em Lisboa que pretende celebrar a amizade e cultura entre os dois países. Dar a conhecer a cultura japonesa é o grande objectivo desta iniciativa, inserida na programação das Festas de Lisboa e que se repete todos os anos desde 2011. Recria-se o “matsuri” (ambiente de Festival de Verão do Japão) e este ano também o Festival Tanabata, uma das principais festas populares do país. Os visitantes terão a oportunidade de presenciar concertos de música japonesa (tradicional e pop), demonstrações e workshops das várias expressões culturais do Japão: cosplay, artes marciais, gastronomia japonesa, entre outras surpresas.

2
©CML
Coisas para fazer, Exposições

Água vai! O saneamento na cidade de Lisboa

icon-location-pin CML - Edifício Central do Campo Grande, Campo Grande/Entrecampos/Alvalade
icon-calendar

Sabia que a expressão “Água Vai!” era um aviso obrigatório imposto por edital municipal de 1809, que antecedia o lançamento de águas e dejectos para a via pública? Um encanto. Hoje o serviço de saneamento assegura a recolha, o transporte e o tratamento de águas residuais, domésticas e pluviais e até 28 de Junho pode espreitar esta exposição que conta a história do saneamento da cidade e a sua evolução ao longo dos tempos. 

Publicidade
3
exposicao as lisboas de nuno sariava
©Nuno Saraiva
Coisas para fazer, Exposições

As Lisboas de Nuno Saraiva

icon-location-pin Galeria de Santa Maria Maior, Baixa Pombalina
icon-calendar

Muito boa gente diz que Nuno Saraiva é o ilustrador de Lisboa. O artista é muito mais do que isso, mas a verdade é que agora pegou em 250 “Lisboas” para desenhar esta exposição na Galeria Santa Maria Maior. Conte com as suas criações para as Festas de Lisboa, com guias e mapas ilustrados, ginjinhas, campanhas publicitárias, os desenhos para os seus azulejos da City of All e ilustrações feitas para publicações da nossa praça (Time Out Lisboa incluída).

4
poster
Poster
Arte, Arte ao ar livre

POSTER

icon-location-pin Marvila, Marvila
icon-calendar

A mostra de arte pública, que decorrerá entre 22 de Junho e 22 de Julho, vai transformar novamente Marvila numa galeria a céu aberto, com palavras, fotografias, desenhos e ilustrações espalhadas pelas ruas do bairro. Na última edição, passaram por Marvila posters do fotojornalista Adriano Miranda, dos street artists Gonçalo Mar e Rukkit, da poetisa Paula Cortes, do estúdio de arquitetura Diogo Aguiar Studio e até dos músicos Dead Combo.

+ O melhor de Marvila

Publicidade
5
Hot Club Portugal - Instrumentos
©DR
Música, Jazz

Festival Kids Can

icon-location-pin Hot Clube de Portugal, Avenida da Liberdade/Príncipe Real
icon-calendar

O festival, apresentado como um “European Junior Jazz Festival” congrega jovens praticantes de jazz de toda a Europa e integra três eventos. Quinta-feira: Júnior Jam-Session, com o guitarrista André Santos. Sexta-feira: Big band de alunos da Escola do HCP Sábado: combos do Festival Kids Can.

6
Arraial Pride
©DR
Gay

Arraial Pride

icon-location-pin Terreiro do Paço, Santa Maria Maior
icon-calendar

Aqui não há manjericos ou estrelas pimba em palco – e o Santo António chama-se Variações. O Arraial Pride regressa no sábado ao Terreiro do Paço, no penúltimo fim-de-semana de Junho, como já é da praxe, para 12 horas de celebração do orgulho LGBT+ na cidade. Em 2018, juntou 70 mil pessoas e, a julgar pelo que tem acontecido, o número promete subir a cada edição. Além de barraquinhas com os principais bares e associações arco-íris da cidade, o Arraial Pride tem um Arraialito para os miúdos e vários concertos no palco principal. Para já, o cantor brasileiro Johnny Hooker é o primeiro nome adiantado pela organização.

Publicidade
7
sardinhas concurso 2019
©EGEAC
Coisas para fazer, Aulas e workshops

Atelier Sardinha

icon-location-pin Espaço Trindade, Chiado
icon-calendar

Até ao final de Junho o Atelier Sardinha oferece workshops para crianças e adultos em torno dos materiais e técnicas artísticas como o desenho, pintura, colagem e impressão com a ajuda de artistas portugueses. As sessões são aos sábados e domingos à tarde (com duas sessões por dia) e têm a duração de uma hora cada. Espreite o evento no Facebook para aceder ao formulário de inscrição. Esta actividade está integrada na exposição 100% Sardinha — Fórmulas incertas para uma silhueta mágica que reúne as melhores propostas da última edição do concurso Sardinhas Festas de Lisboa.

8
Irmãos Makossa
©DR
Coisas para fazer

Arraial Composto

icon-location-pin Largo da Rosa, Castelo de São Jorge
icon-calendar

Se é daqueles que não consegue aproveitar os Santos Populares sem pensar na quantidade
de copos de plástico que vai pisando ao longo da noite, então chegou ao arraial certo. O Arraial Composto – Ainda Queremos Ter Planeta em Agosto assume-se como o “mais amigo do ambiente e multicultural de Lisboa”. Organizado pela associação Renovar a Mouraria e pela
 ONG Mouraria Composta, tem preocupações musicais quase tão fortes quanto as ambientais. A festa repete-se todas as sextas e sábados.

Publicidade
9
Irmãos Makossa
©DR
Coisas para fazer

Arraial Composto

icon-location-pin Largo da Rosa, Castelo de São Jorge
icon-calendar

Se é daqueles que não consegue aproveitar os Santos Populares sem pensar na quantidade
de copos de plástico que vai pisando ao longo da noite, então chegou ao arraial certo. O Arraial Composto – Ainda Queremos Ter Planeta em Agosto assume-se como o “mais amigo do ambiente e multicultural de Lisboa”. Organizado pela associação Renovar a Mouraria e pela
ONG Mouraria Composta, tem preocupações musicais quase tão fortes quanto as ambientais. A festa começa já na sexta com Tropicáustica e repete-se todas as sextas e sábados, com destaque para os concertos
de Chalo Correia e Irmãos Makossa (15), Anonima Nuvolari (19) e Julinho da Concertina (28).

10
Village Underground
©DR
Noite

Happy Hour Village Underground

icon-location-pin Village Underground, Alcântara
icon-calendar

Depois da festa de arromba do quinto aniversário, e já com uma nova entrada na Avenida da Índia, o Village Underground ganhou também uma happy-hour à sexta-feira. Nas Village Happy-Hours, cada semana há uma produtora ou editora convidada a tratar da música.
Na semana de Santo António,
 festa antecipa-se para a noite de grande loucura da cidade,
na quarta, com música sempre alternativa. Chegue cedo porque, até às 20.00, na compra de duas cervejas só paga uma.

Publicidade
11
Capa do folheto promocional do pavilhão brasileiro na Tokyo Trade Fair. Fernando Lemos, 1963
©Fernando Lemos
Arte, Design

Fernando Lemos Designer

icon-location-pin Cordoaria Nacional, Belém
icon-calendar

O MUDE continua fora de portas, desta vez a partir de quinta-feira na Cordoaria Nacional com a primeira exposição retrospectiva do trabalho de Fernando Lemos como artista gráfico. O fotógrafo, designer e pintor Fernando Lemos, hoje com 93 anos, tem ainda direito a duas mostras, associadas à exposição, promovidas pela Galeria Ratton que expõe o seu trabalho em azulejo e pela Galeria 111, onde encontra os últimos desenhos, aguarelas e fotografias da sua fase surrealista.

12
procissão de santo antonio
©DR
Coisas para fazer, Exposições

A Procissão de Santo António

icon-location-pin Museu de Lisboa - Santo António, Santa Maria Maior
icon-calendar

É uma das procissões mais importantes do culto local e sai à rua a 13 de Junho desde o século XVIII, no também histórico bairro de Alfama. Mas a procissão que recomendamos nestas páginas é uma exposição do Museu de Lisboa – Santo António que no seu largo representa o cortejo actual, com mais de 300 peças dos Irmãos Baraça, família associada ao galo de Barcelos.

Publicidade
13
empre chegamos ao sítio aonde nos esperam
Arte

Sempre Chegamos ao Sítio Aonde nos Esperam

icon-location-pin Museu de Lisboa - Palácio Pimenta, Campo Grande/Entrecampos/Alvalade
icon-calendar

O colectivo artístico Borderlovers, pelas mãos dos artistas Ivo Bassanti e Pedro Amaral, colou pinturas de grandes dimensões nas paredes dos jardins do Museu de Lisboa – Palácio Pimenta. Partindo da frase de Saramago que dá o nome à exposição, criaram obras alusivas a autores, cenas e locais de Lisboa, numa viagem iconográfica pela história da cultura da cidade, entre finais do século XIX até à actualidade. No sábado Pedro Amaral faz uma visita guiada, só precisa de se inscrever até sexta-feira às 14.00 em info@museudelisboa.pt.

14
Yoga no Parque
©DR
Coisas para fazer

Yoga ao ar livre na Quinta das Conchas

icon-location-pin Quinta das Conchas, Lumiar
icon-calendar

A ideia é juntar duas coisas boas: o desporto e os espaços verdes. Dito isto, vista qualquer coisa confortável e vá experimentar as poses de yoga nos relvados da Quinta  das Conchas. Não precisa de ter toda a flexibilidade do mundo, porque João Genial, o professor, dá a aula para todos os níveis. Aguente-se estoicamente no tapete e no fim relaxe.

Publicidade
15
em voz alta
©Jorge Gonçalves
Coisas para fazer, Eventos literários

Em Voz Alta, os nossos Poetas

icon-location-pin Casa Sommer, Cascais
icon-calendar

Pelo segundo ano consecutivo, a Fundação Dom Luís I junta-se aos Artistas Unidos para homenagear grandes poetas portugueses. Na Casa Sommer, actores como Jorge Silva Melo, Lia Gama, Maria João Luís ou Catarina Wallenstein lêem em voz alta autores incontornáveis da história da literarura nacional, de Camões e Sophia de Melo Breyner a Natália Correia e Mário Cesariny. As sessões decorrem uma vez por mês até ao final do ano (excepto Julho e Agosto), sempre aos sábados e ao final da tarde.  

16
Biblioteca Nacional no Convento de Sao Francisco
©Augusto Bobone/Arquivo Municipal de Lisboa
Coisas para fazer, Exposições

Do Convento ao Campo Grande

icon-location-pin Biblioteca Nacional, Campo Grande/Entrecampos/Alvalade
icon-calendar

A Biblioteca Nacional nasceu em 1837 no antigo Convento de São Francisco (hoje Belas Artes), mas a falta de condições ditou a mudança, apenas em 1969, para o edifício do Campo Grande, um projecto iniciado pelo arquitecto Porfírio Pardal Monteiro. 50 anos depois serão mostrados, pela primeira vez, desenhos de projeto, fotografias, relatos, entre muitos outros materiais.

Publicidade
17
Museu de Lisboa – Teatro Romano
©José Frade
Noite

Hora de Baco

icon-location-pin Museu de Lisboa – Teatro Romano, Santa Maria Maior
icon-calendar

Na última quinta-feira de cada mês, o Teatro Romano – Museu de Lisboa organiza a Hora de Baco, um fim de tarde com música ao vivo, degustação de vinhos (Adega de Pegões) e uma vista incrível para o rio. O melhor? É grátis. Esta semana os Maranus são os convidados, com guitarras acústicas e percussão. É aproveitar os dias (cada vez menos) longos.

18
adamastor
©AML/Jorge Guerra
Arte, Fotografia

Jorge Guerra - Saudade de Pedra

icon-location-pin Arquivo Municipal de Lisboa|Fotográfico, Intendente
icon-calendar

Esta imagem do Miradouro de Santa Catarina em 1966 deve-se a uma breve passagem por Lisboa de Jorge Guerra, fotógrafo português radicado no Canadá. O Arquivo Municipal de Lisboa abriu o baú e tirou um conjunto de 100 fotografias a preto e branco que dão a conhecer uma Lisboa desaparecida no tempo.

Publicidade
19
Ana Jotta na Estacao do Rossio
Fotografia: Manuel Manso
Arte, Arte contemporânea

Ana Jotta na Estação do Rossio

icon-location-pin Estação Ferroviária do Rossio, Santa Maria Maior
icon-calendar

O Museu de Arte Contemporânea de Serralves, no Porto, trouxe até Lisboa a obra "Joana", da portuguesa Ana Jotta. O conjunto de peças penduradas no tecto do primeiro piso da Estação do Rossio pode ser visto até 20 de Junho de 2019, uma iniciativa que resulta de uma parceria entre a Infraestruturas de Portugal (IP) e a Fundação de Serralves. Neste trabalho, Jotta apropriou-se de materiais já existentes, descartados e pobres, como rodas de bicicleta e garrafas de vinho para fazer "uma paródia a um dos maiores símbolos de luxo e de poder — o candelabro, omnipresente em palácios e outras tipologias arquitectónicas ligadas ao poder político e financeiro". Tal como Marcel Duchamp e o seu "ready made", a artista plástica apropria-se dos objectos, que utiliza sem transformações, descontextualizado-os e transformando-os na sua própria arte.  

20
Tango
Fotografia:Ana Luzia
Coisas para fazer

Tango4Fun

icon-calendar

Este é um grupo de prática e ensino regular do tango argentino que não discrimina. Explicamos: as aulas de tango argentino acontecem todas as terças no CastroBeer, no Cais do Sodré, e estão abertas a todas as orientações e a ambos os sexos. Homens com homens, mulheres com mulheres, não há regras para os pares e aqui vai aprender a conduzir e ser conduzido. O tango começa às 21.00 com um recapitular da aula passada e a música prolonga-se depois das 23.00, para ficar a dançar com quem quiser.  

Publicidade
21
Padaria do Povo
Fotografia: Arlindo Camacho
Coisas para fazer

Xadrez na Padaria do Povo

icon-location-pin A Padaria do Povo, Lisboa
icon-calendar

É um café? É um restaurante? É um meeting point para juntar os amigos? A Padaria do Povo é tudo isto e mais alguma coisa. Conhecida pelos jantares de grupo e pela esplanada, saiba que todas as terças há jogatana de xadrez, que normalmente reúne cromos e amadores, frente a frente. Longa vida aos jogos de tabuleiro.

22
urban rollers
©Anna Elisa Knittel
Coisas para fazer

Urban Rollers

icon-calendar

Todas as quintas-feiras às 19.30, uma comunidade de patinadores urbanos lança-se à estrada. Um circuito adequado mesmo para quem ainda não tem muita experiência e quer trocar ideias com quem já rola nisto há muito tempo. E nem a chuva demove este grupo que pode tanto pode rolar até ao Saldanha, como a Alvalade ou à Alta de Lisboa e que acolhe patinadores menos experientes que são ajudados pelos mais antigos nestas andanças, sempre que possível, ao longo das ciclovias. Quando estiver mais seguro em cima dos patins pode-se juntar às mais aceleradas saídas marcadas para às sextas-feiras para viajar por toda a cidade. Ponto de encontro: Campo Grande (junto ao lago) e Galeto.

Publicidade
23
Passeio de bicicleta promovido pela Massa Crítica
Fotografia:Ana Luzia
Coisas para fazer

Massa Crítica

icon-location-pin Parque Eduardo VII, São Sebastião
icon-calendar

Desde 2003 que este grupo de ciclistas se encontra na última sexta-feira de cada mês, pelas 18.30, no Marquês de Pombal, no início do Parque Eduardo VII. Hora de ponta, portanto. A saída está prevista para meia hora depois (com os portugueses convém marcar tudo com alguma folga) e ao longo de duas horas pode pedalar pela cidade com as costas quentes: é o passeio ideal para quem tem bicicleta, mas tem receio de começar a aventurar-se sozinho pelo trânsito da cidade.

Lisboa low cost

estufa fria
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

15 coisas para fazer em Lisboa até 5€

É verdade que é cada vez menos fácil respeitar a fasquia da nota de cinco, mas se puxar pela cabeça ainda descobre muito para fazer na cidade sem ultrapassar este valor. Se já estiver a pensar no próximo nível, espreite a leitura aqui em baixo.  

Publicidade
Projector final Planetário
©Bruno Neves/Planetário
Miúdos

Entreter os miúdos sem gastar um tostão

Ficar em casa com os miúdos pode não custar dinheiro, mas dá cabo dos nervos a muitos crescidos. Problema: nem sempre a conta bancária está para programas culturais e actividades ao ar livre pagas. Solução: museus com entrada gratuita, actividades que não custam um cêntimo ou até um piquenique no parque enquanto a chuva não volta.    

More to explore

Publicidade