Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right 24 coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

24 coisas grátis para fazer em Lisboa esta semana

As melhores coisas para fazer em Lisboa, sem gastar um tostão.

Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade
filipe sambado
©Raquel Serra Filipe Sambado

Grátis é a palavra mágica que todos gostamos de ouvir. Quando tem uma cidade a rebentar pelas costuras de coisas grátis para fazer, a solução certamente não é ficar fechado em casa à espera que lhe chovam ideias no colo. Trazemos-lhe sugestões para aproveitar, à borla, tudo o que Lisboa tem para oferecer esta semana, seja visitar exposições ou mercados, picar o ponto numa festa ou ir a um concerto. Isto tudo e mais um pouco sem ter de abrir os cordões à bolsa. Vai ficar surpreendido com a quantidade de coisas grátis que há para fazer na cidade.

Recomendado: 13 sítios em Lisboa que são mais do que parecem

Grátis em Lisboa esta semana

1
A Ilha de Nim
Filmes

O Livro Dentro do Filme

Palácio dos Marqueses de Fronteira, Sete Rios/Praça de Espanha

A Fundação das Casas de Fronteira e Alorna organiza este ciclo no Palácio Fronteira que cruza o mundo do livro com o da imagem em movimento. É na verdade um mini-ciclo composto por duas sessões de cinema. A última acontece  a 22 de Janeiro com A Ilha de Nim (2008) de Jennifer Blackett e Mark Levi, a partir do livro de Wendy Orr. A entrada é gratuita, mas pede inscrição em fcfa-cultura@fronteira-alorna.pt.

2
Helena Lapas na Galeria Ratton
©Helena Lapas
Arte

Poética das Superfícies e Marcas do Tempo

Galeria Ratton, Chiado/Cais do Sodré

Helena Lapas apresenta-se pela quarta bez na Galeria Ratton. A artista plástica apresenta uma obra especial, a sua primeira em cerâmica, numa parceria com a Oficina de Moscaicos (Brasil) que transporta para outro suporte um pormenor de uma tapeçaria de Lapas. A 25 de Janeiro há visita guiada às 15.00 ao som do violoncelo de Pavel Gomiziakov.

Publicidade
3
Estée Lauder - Hypnosis Session
©Michela De Mattei
Arte, Filme e vídeo

Nuovo Cinema Galleria

Galeria Vera Cortês, Alvalade

A nova exposição da Galeria Vera Cortês divulga trabalhos em vídeo de 15 artistas, repensando o espaço expositivo da galeria até Março. Como é muita coisa, a exposição está dividida em três sessões temáticas compostas por vídeos projectados em loop, cada uma pontuada com um evento no final. A inauguração é a 23 de Janeiro (22.00) e apresenta a performance "Corpo Azul" do Grupo Dança Imaginal com paisagem sonora ao vivo de Artur Pispalhas.

4
Filipe Sambado
Música

Filipe Sambado

Fnac do Chiado, Chiado

O cantor e compositor Filipe Sambado dá a ouvir algumas canções do seu novo álbum, Revezo. É um disco pop musculado e moderno, mas herdeiro de Fausto e da música popular portuguesa.

Publicidade
5
jasmim
Música, Folk, country e blues

Jasmim

Com Calma - Espaço Cultural, Benfica/Monsanto

O cantor e compositor português que conhecemos como Jasmim continua a dar a ouvir Culto da Brisa (2019), álbum de estreia onde a folk anglo-americana e a música popular portuguesa se complementam.

6
Rita Braga
©Barbara Anastacio
Música, Folk, country e blues

Rita Braga

Lounge, Cais do Sodré

Rita Braga é uma idiossincrática cantora e compositora folk. O mais recente disco da portuguesa, Bird On The Moon, foi lançado em 2018 pela editora francesa Lunadélia Records.

Publicidade
7
Citizen Jane: batalha pela cidade
©Matt Tyrnauer
Filmes

Ciclo Visões da Arquitetura

Museu do Dinheiro, Baixa Pombalina

O Museu do Dinheiro, em colaboração com a Zero em Comportamento, apresenta um ciclo de cinema onde é arquitectura é a principal protagonista, entre visões utópicas, distópicas e mais em contacto com a realidade. A 25 de Janeiro pode ver Citizen Jane: batalha pela cidade (2016), de Matt Tyrnauer, um filme que segue a luta da escritora Jane Jacobs para salvar a zona histórica de Nova Iorque nos anos 60. A entrada é livre, mas pede marcação: info@museudodinheiro.pt ou 21 321 3240.

8
Museu do Dinheiro
©Arlindo Camacho
Miúdos

Arquitecturas imaginadas

Museu do Dinheiro, Baixa Pombalina

O que é uma cidade? Precisamos de avenidas, ruas, praças, jardins, passeios, prédios, casas, museus, escolas, hospitais e lojas, mas quem é que decide abrir uma janela ou plantar uma árvore? Quem nunca pensou “se fosse eu faria de outra forma?!” Pois bem, nesta oficina os mais novos vestem a pele de arquitetos, sentam-se ao estirador e soltam a imaginação para, numa maquete comunitária gigante, criarem uma nova cidade.

Publicidade
9
swingerra
©DR
Arte, Filme e vídeo

Estás Vendo Coisas

Galeria da Boavista, Chiado/Cais do Sodré

A dupla artística brasileira Bárbara Wagner e Benjamim de Burca inaugura quinta-feira na Galeria da Boabista a sua primeira exposição individual em Portugal com duas vídeo-instalações sobre a ligação das condições socioeconómicas a expressões de cultura popular.

10
alfacinhas
©Jorge Gonçalves Silva
Arte, Fotografia

Alfacinhas

Biblioteca Municipal Orlando Ribeiro, Lumiar

É uma espécie ameaçada e os avistamentos cada vez mais raros. Mas nas suas deambulações por Lisboa, o fotógrafo Jorge Gonçalves Silva registou em imagem moradores dos antigos bairros de Lisboa e algumas das mais representativas tradições de Lisboa. Para ver na Biblioteca Orlando Ribeiro.

Publicidade
11
patio da agua de inverno
©EPAL
Notícias, Vida urbana

Water, Tea & Coffee Spot

É a versão de Inverno do Pátio da Água e está aberta ao público na Avenida da Liberdade até ao dia 31 de Janeiro de 2020. A esplanada da EPAL na Avenida da Liberdade oferece café e chá feitos com água da torneira, uma iniciativa que junta a EPAL à marca portuguesa Delta numa acção em defesa da sustentabilidade ambiental. O pagamento faz-se com sorrisos e o portão está aberto de segunda a sexta-feira entre as 11.30 e as 19.00 – não vale ir carrancudo.

12
revista contemporanea
©DR
Coisas para fazer, Exposições

Revistas Modernistas em Portugal

Biblioteca Nacional, Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

Até ao final de Janeiro pode verr esta exposição da Biblioteca Nacional que destaca as revistas do primeiro modernismo português, entre a implementação da República e da Ditadura Militar (1910-1926). Conheça mais de perto as publicações Portugal Futurista, Contemporânea, A Águia ou Seara Nova.

Publicidade
13
bonecos salgados
©DR
Arte, Escultura

Bonecos Salgados

A máxima “fazer muito com pouco” encaixa que nem uma luva no tema ambiente. Um bom exemplo é esta exposição de esculturas feitas com lixo encontrado nas praias, desenhadas por Ricardo Nicolau. Para ver no LU.CA, onde vai ainda encontrar três bancos de exterior, junto à fachada, também feitos com material reciclado.

14
A Nova Babilónia (1929), de Grigori Kozintsev e Leonid Trauberg
©DR
Filmes

Ciclo de Cinema Mudo

Casa da Achada - Centro Mário Dionísio, Castelo de São Jorge

Após um ciclo dedicado ao conto, a Casa da Achada começa uma nova década a olhar para o período homólogo do século XX. No Ciclo de Cinema Mudo serão exibidos, em Janeiro, quatro filmes mudos dos outros anos 20 que sempre deram muito que falar. A 27 de Janeiro é exibido o drama histórico A Nova Babilónia (1929), de Grigori Kozintsev e Leonid Trauberg

Publicidade
15
Lisboa – Pelas curvas da cidade
©Olivier Perrin
Arte, Fotografia

Lisboa - Pelas curvas da cidade

Lisbon Gallery, Lisboa

A Lisbon Gallery já foi itinerante, mas agora assentou arraiais na Estefânia. Nesta loja e galeria de fotografia que desafia à (re)descoberta da beleza da cidade através de trabalhos de qualidade a preços acessíveis, o fotógrafo francês Olivier Perrin, radicado em Lisboa, foi o eleito para a primeira exposição: uma Lisboa feita de linhas, de curvas, ângulos e volumes.

16
Maquete de Pardal Monteiro
©DR
Arte

Pardal Monteiro (1897-1957) - Arquitetura, pura e simplesmente

Museu do Dinheiro, Baixa Pombalina

Sabia que a sede do Banco de Portugal, antiga Igreja de São Julião e hoje Museu do Dinheiro, poderia ter sido diferente? Porfírio Pardal Monteiro, modernista e um dos mais relevantes arquitectos do século XX, fez em 1936 uma proposta que nunca viu a luz do dia. A maquete, agora restaurada, é um dos destaques da exposição temporária do Museu do Dinheiro.

Publicidade
17
Anémic Cinema de Marcel Duchamp
©Anemic Cinema de Marcel Duchamp, 1926
Arte, Filme e vídeo

Loops.Lisboa

Museu de Arte Contemporânea do Chiado, Chiado

Para além do cinema e da videoarte, o loop é, ele próprio, uma ferramenta artística. O Temps d’Images prolonga-se com o Loops.Lisboa, no Museu de Arte Contemporânea, onde ficam instaladas as obras Anémic Cinéma (1926), de Marcel Duchamp, e Good Boy Bad Boy (1985), de Bruce Nauman. A 5.ª edição do Loops apresenta estas duas obras seminais da história da imagem em movimento, em que cada uma delas representa momentos marcadamente distintos desta trajectória. Anémic Cinéma pode ser considerado o primeiro filme de Duchamp, com um perfil dadaísta e experimental. A instalação Good Boy Bad Boy (1985), de Nauman, marcou o retorno à linguagem de vídeo deste artista, mais de dez anos depois do seu último trabalho neste formato.

18
Arte

Antes do Início e Depois do Fim: Júlio Pomar e Hugo Canoilas

Atelier-Museu Júlio Pomar, Chiado/Cais do Sodré

Em mais um programa que procura cruzar a obra de Júlio Pomar com a de outros artistas, o Atelier-Museu recebe, a partir desta sexta, a exposição “Antes do Início e Depois do Fim: Júlio Pomar e Hugo Canoilas”, com trabalhos de Hugo Canoilas e curadoria de Sara Antónia Matos. A exposição é pensada como uma intervenção específica no espaço, e ao longo do tempo vai sofrendo metamorfoses, tal e qual como acontece na natureza – um dos focos da mostra. Aqui problematiza-se a relação entre a arte e a ideia de extinção e de biodiversidade, expondo por um lado a enorme diversidade de animais que Júlio Pomar representou ao longo de mais de 70 anos na sua obra, e por outro um diálogo com as obras de Hugo Canoilas, de figuração por vezes pré-histórica ou pré-apocalíptica, numa tentativa crítica de pensar sobre a sociedade. A entrada é livre para residentes em Lisboa.

Publicidade
19
José de Guimarães
Arte

Volta ao Mundo

Biblioteca Nacional, Campo Grande/Entrecampos/Alvalade

José de Guimarães é uma figura incontornável da história das artes plásticas portuguesas. E por isso é imperdível esta exposição que está agora patente na Biblioteca Nacional de Portugal (BNP) e que propõe uma viagem à volta do mundo através das obras do artista fortemente influenciado pela arte africana nos primeiros anos de produção artística, mas que em décadas de trabalho desenvolveu séries completas dedicadas às culturas chinesa, japonesa, mexicana, à arte de Rubens ou à literatura de Camões. Agora celebra 60 anos de carreira (e 80 de vida em Novembro) e a BNP dedica-lhe uma exposição antológica que inclui parte do acervo doado pelo próprio à BNP desde o início dos anos 1970, num total de 346 obras. A curadoria é de Raquel Henriques da Silva, directora do Museu do Neo-Realismo, em Vila Franca de Xira.

20
mercados
Fotografia: Matheus Cenali/ Unsplash
Atracções, Parques e jardins

Mercado Agrobio

Vários locais

Aproveite o início do fim-de-semana para encher a sua casa com os produtos biológicos mais frescos e saborosos de promover produtos biológicos. Este acontece todos os sábados, das 09.00 às 14.00, em Algés (Jardim de Algés), Almada (Praça das Forças Armadas), Carcavelos Quinta da Alagoa), Cascais (Praça Marechal Carmona), Campo Pequeno (Jardim do Campo Pequeno), Parque das Nações (Torre Vasco da Gama e Alameda dos Oceanos), São Vicente (Jardim Botto Machado), Loures (Avenida das Descobertas – Infantado) e Oeiras (Jardim de Oeiras).

Publicidade
21
Concubina manchu Ulanara China
©DR
Arte

Um Rei e Três Imperadores

Museu de São Roque, Chiado

Este retrato da concubina manchu Ulanara China (1750-1760) é uma das peças que pode ver nesta exposição do Museu de São Roque sobre Portugal, a China e Macau no tempo de D. João V, que correspondeu ao reinados de três imperadores da dinastia Qing. E um período marcante em Macau como porto internacional de comércio entre dois impérios, o português e o chinês.

22
kalanda
©Lorenzo Ferrarini
Filmes, Documentários

Cinéma du Désert

Largo Residências, Intendente

O Cinema du Desert é um cinema móvel alimentado a documentários e animações que viaja por todo o mundo desde 2009. Até Maio tem paragem no LARGO Residências, no Intendente, com sessões marcadas em todas segundas e quintas-feiras do mês. Sessões de cinema que começam sempre com uma curta e prosseguem com uma ou duas longas documentais e debate, alguns brindados com a presença dos realizadores.

Publicidade
23
Yoga no Parque
©DR
Coisas para fazer

Yoga ao ar livre na Quinta das Conchas

Quinta das Conchas, Lumiar

A ideia é juntar duas coisas boas: o desporto e os espaços verdes. Dito isto, vista qualquer coisa confortável e vá experimentar as poses de yoga nos relvados da Quinta das Conchas. Não precisa de ter toda a flexibilidade do mundo, porque João Genial, o professor, dá a aula para todos os níveis. Acontecem durante todo o ano (a não ser que chova) às 10.30. Aguente-se estoicamente no tapete e no fim relaxe.

Lisboa low cost

estufa fria
Fotografia: Manuel Manso
Coisas para fazer

15 coisas para fazer em Lisboa até 5€

É verdade que é cada vez menos fácil respeitar a fasquia da nota de cinco, mas se puxar pela cabeça ainda descobre muito para fazer na cidade sem ultrapassar este valor. Se já estiver a pensar no próximo nível, espreite a leitura aqui em baixo.  

Publicidade
Projector final Planetário
©Bruno Neves/Planetário
Miúdos

Entreter os miúdos sem gastar um tostão

Ficar em casa com os miúdos pode não custar dinheiro, mas dá cabo dos nervos a muitos crescidos. Problema: nem sempre a conta bancária está para programas culturais e actividades ao ar livre pagas. Solução: museus com entrada gratuita, actividades que não custam um cêntimo ou até um piquenique no parque enquanto a chuva não volta.    

Publicidade