Os cocktails de Verão do Red Frog são muito tropicais

O bar de cocktails tem desde a semana passada uma nova carta de Verão. Experimentámos as novidades do Red Frog e até bebemos espuma de choco

Fotografia: Arlindo CamachoRed Frog

"Press for cocktails." A campainha do Red Frog diz logo ao que vamos nesta cave na Rua do Salitre, já quase a chegar à Avenida da Liberdade – embora seja provável que em breve o bar se mude para outra morada também no centro da cidade, mas disso logo daremos notícia. Por enquanto são só rumores e não há confirmações. Talvez lá para o Inverno, altura em que o bar voltar a lançar nova carta (são duas por ano). Agora, contentemo-nos com a carta de Verão, mais tropical do que nunca e com uma reinvenção de tikis (cocktails exóticos, inspirados na Polinésia), “mas sem rum”, salienta Paulo Gomes, bartender e dono do bar que recentemente foi nomeado Melhor Bar de Portugal na Lisbon Cocktail Week e que também levou o prémio de Melhor Carta de Bar.

Paulo Gomes é uma espécie de cientista das bebidas e no bar até tem um laboratório com máquinas elaboradas onde faz experiências com ingredientes para os próximos cocktails. Não é de espantar que com este historial surja uma carta como esta, em que o Aloha, uma das surpresas, é feito com gin Monkey 47, vinho goji, arando, durião (um fruto oriental parecido com jaca, que dizem cheirar mesmo muito mal), amêndoa e, como se não bastasse, choco e carvão (custa 12,5€).

Da carta antiga pouco restou, mas ainda dá para matar saudades do The New Bee’s On The Block (com whiskey, pólen e cera de abelha, a 10€), um verdadeiro jardim. Aos ingredientes tropicais e praticamente impossíveis de encontrar por aí juntam-se nomes sugestivos. Papai Tucano, por exemplo, com cachaça Capucana e fruta da Amazónia e água de côco fermentada (12€) ou The Good, The Bad & El Gringo (12,5€), com rum Plantation de ananás, sementes de funcho, tepache, mezcal e vegetais.

Um conselho para os mais esquisitinhos: talvez o melhor seja ir pelos nomes, pedir as bebidas (uma delas, Femme Fatale, tem patchouli) e só depois perceber o que está a beber.

Resfresque-se com a nova carta do Red Frog

Fotografia: Manuel Manso
1/3
Fotografia: Manuel Manso
2/3
Fotografia: Manuel Manso
3/3

Os melhores bares em Lisboa

Os melhores bares em rooftops em Lisboa

A palavra rooftop ainda não é reconhecida pelo dicionário Priberam (a alternativa é rotos ou rolitos), mas cada vez é mais usada no vocabulário alfacinha, com muitas sunset parties em rooftops por essa cidade fora, onde cocktails não faltam. Deixámos as vertigens no rés-do-chão e subimos aos terraços de hotéis, centros comerciais e parques de estacionamento para eleger os melhores.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Os melhores bares de hotel em Lisboa

De Alfama a Belém, há boas razões para explorar os hotéis que se seguem. E já sabe que se beber um copo a mais, tem sempre a opção de fazer check in. Estes são os melhores bares de hotel em Lisboa.

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Os melhores bares históricos em Lisboa

Luís Pinto Coelho morreu em 2012, mas deixou para a história da cidade quatro dos mais emblemáticos bares da noite alfacinha. Foi ele o fundador do Procópio, d'A Paródia, do Fox Trot e do Pavilhão Chinês. Os quatro bares históricos em Lisboa ainda estão a funcionar. E não são os únicos.

Ler mais
Por Clara Silva

Comentários

0 comments