Os cocktails de Verão do Red Frog são muito tropicais

O bar de cocktails tem desde a semana passada uma nova carta de Verão. Experimentámos as novidades do Red Frog e até bebemos espuma de choco
Red Frog - Balcão e Barmen
Fotografia: Arlindo Camacho Red Frog
Por Clara Silva |
Publicidade

"Press for cocktails." A campainha do Red Frog diz logo ao que vamos nesta cave na Rua do Salitre, já quase a chegar à Avenida da Liberdade – embora seja provável que em breve o bar se mude para outra morada também no centro da cidade, mas disso logo daremos notícia. Por enquanto são só rumores e não há confirmações. Talvez lá para o Inverno, altura em que o bar voltar a lançar nova carta (são duas por ano). Agora, contentemo-nos com a carta de Verão, mais tropical do que nunca e com uma reinvenção de tikis (cocktails exóticos, inspirados na Polinésia), “mas sem rum”, salienta Paulo Gomes, bartender e dono do bar que recentemente foi nomeado Melhor Bar de Portugal na Lisbon Cocktail Week e que também levou o prémio de Melhor Carta de Bar.

Paulo Gomes é uma espécie de cientista das bebidas e no bar até tem um laboratório com máquinas elaboradas onde faz experiências com ingredientes para os próximos cocktails. Não é de espantar que com este historial surja uma carta como esta, em que o Aloha, uma das surpresas, é feito com gin Monkey 47, vinho goji, arando, durião (um fruto oriental parecido com jaca, que dizem cheirar mesmo muito mal), amêndoa e, como se não bastasse, choco e carvão (custa 12,5€).

Da carta antiga pouco restou, mas ainda dá para matar saudades do The New Bee’s On The Block (com whiskey, pólen e cera de abelha, a 10€), um verdadeiro jardim. Aos ingredientes tropicais e praticamente impossíveis de encontrar por aí juntam-se nomes sugestivos. Papai Tucano, por exemplo, com cachaça Capucana e fruta da Amazónia e água de côco fermentada (12€) ou The Good, The Bad & El Gringo (12,5€), com rum Plantation de ananás, sementes de funcho, tepache, mezcal e vegetais.

Um conselho para os mais esquisitinhos: talvez o melhor seja ir pelos nomes, pedir as bebidas (uma delas, Femme Fatale, tem patchouli) e só depois perceber o que está a beber.

Resfresque-se com a nova carta do Red Frog

Red Frog - Cocktail - Papai Tucano
Fotografia: Manuel Manso

Red Frog - Cocktail
Fotografia: Manuel Manso

Publicidade
Red Frog - Cocktail
Fotografia: Manuel Manso

Os melhores bares em Lisboa

The Insólito
©DR
Noite, Cafés/bares

Os melhores bares em rooftops em Lisboa

A palavra rooftop ainda não é reconhecida pelo dicionário Priberam (a alternativa é rotos ou rolitos), mas cada vez é mais usada no vocabulário alfacinha, com muitas sunset parties em rooftops por essa cidade fora, onde cocktails não faltam. Deixámos as vertigens no rés-do-chão e subimos aos terraços de hotéis, centros comerciais e parques de estacionamento para eleger os melhores.

Pessoas sentadas a beber copos num terraço em Lisboa com vista para o rio
Fotografia: Arlindo Camacho
Hotéis

Os melhores bares de hotel em Lisboa

De Alfama a Belém, há boas razões para explorar os hotéis que se seguem. E já sabe que se beber um copo a mais, tem sempre a opção de fazer check in. Estes são os melhores bares de hotel em Lisboa.

Publicidade
Procopio
© ARLINDO CAMACHO
Noite, Cafés/bares

Os melhores bares históricos em Lisboa

Luís Pinto Coelho morreu em 2012, mas deixou para a história da cidade quatro dos mais emblemáticos bares da noite alfacinha. Foi ele o fundador do Procópio, d'A Paródia, do Fox Trot e do Pavilhão Chinês. Os quatro bares históricos em Lisboa ainda estão a funcionar. E não são os únicos.

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com