A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar

Foi apresentada esta sexta a programação das Festas de Lisboa 2018

Por Renata Lima Lobo
Publicidade

Hoje o Mercado de Arroios já cheirava a Santos Populares. Foi este o local escolhido para apresentar mais uma edição das Festas de Lisboa, entre sardinhas, manjericos, caldo verde, fado e varinas.

Falta precisamente uma semana para o arranque das Festas de Lisboa, que tornam Junho o mês mais esperado do ano para qualquer alfacinha amigo da folia e da cultura.

Uma das grandes novidades é a inauguração do Lu.Ca, o novo teatro municipal totalmente dedicado à criançada, localizado no renovado Teatro Luís de Camões (Ajuda). A programação começa no Dia Mundial da Criança, o mesmo dia do início dos Santos Populares.

A sardinha como símbolo das Festas de Lisboa faz 15 anos (para o ano já pode beber cerveja), mas são os 20 anos da Expo 98 a grande efeméride destas comemorações. Ao longo do Verão está convidado a passar pelo Parque das Nações – dias 1 e 2 de Junho, para assistir ao espectáculo multimédia com fontes e ecrã de água e o regresso dos Olharapos ao local onde já foram felizes; a partir de dia 9 de Junho e até 30 de Setembro, para ver a exposição de 78 fotografias de Bruno Portela que recordam como era a zona antes da Expo 98.

expo 98

©Bruno Portela

O espectáculo de abertura que assinala oficialmente o arranque das Festas de Lisboa acontece a 2 de Junho com a Orquestra Gulbenkian na Praça do Comércio. Consigo leva a Orquestra Geração para interpretar composições de vários períodos da história marcados pela guerra e pela celebração da paz.

Entre a Ribeira das Naus e o B.Leza acontece a programação do festival Lisboa Mistura, que no fim-de-semana do Dia de Portugal (7 a 10 de Junho) celebra a interculturalidade em todas as suas formas, com concertos, DJ sets, oficinas ou conversas.

Outro destaque vai para o Fado no Castelo, onde irão cantar nomes maiores deste Património Imaterial da Humanidade. A entrada é gratuita para quem quiser ouvir Carlos do Carmo (14 de Junho), Carminho (15 de Junho) e Camané (16 de Junho), sempre às 22.00.

Noutro registo, volta o Festival Coros de Verão, este ano com uma grande novidade: o Coro Participativo do Festival Coros de Verão, composto por 200 cantores que se juntam à Orquestra Filarmonia das Beiras para cantar a 9ª Sinfonia de Beethoven no CCB, num evento de entrada gratuita.

Vasco Santana é a inspiração para a Grande Marcha de Lisboa e este ano será ainda homenageado no concerto de encerramento do Com’Paço – Festival de Bandas de Lisboa, a 23 de Junho. O repertório, interpretado por 58 jovens músicos, passará por um medley de temas de A Canção de Lisboa, bem como por alguns nomes da música portuguesa.

O último dia de Junho assinala o encerramento das festas (ohhh) com um grande espectáculo de Gilberto Gil chamado Refavela 40, concebido pelo cantor brasileiro em 2017 em homenagem ao seu álbum Refavela, editado em 1977. O concerto está marcado para as 22.00 no Jardim da Torre de Belém e ao palco sobem alguns convidados, com destaque para Mayra Andrade.

refavela 40, gilberto gil

A imagem das Festas de Lisboa também mudou e ao ilustrador Nuno Saraiva sucede o também ilustrador Rui Sousa. No entanto, Saraiva será este ano responsável pelo desenho dos troféus das Marchas Populares.

Agora planeie o mês que se avizinha consultando a programação completa em culturanarua.pt.

+ Lu.Ca: o novo teatro municipal, só para miúdos, abre para a semana com três dias de festa

+ Expo'98: esta sexta-feira os Olharapos voltam ao Parque das Nações

+ "Vasco é Saudade" vence Grande Marcha de Lisboa

Últimas notícias

    Publicidade