A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
by Koji
Gabriell Vieira

Konnichiwa, Lisboa. Os novos restaurantes japoneses que o vão pôr à prova

Nos últimos meses apareceram várias novidades na cidade. Estes são os novos restaurantes japoneses em Lisboa

Editado por
Cláudia Lima Carvalho
Publicidade

A vida retoma a (quase) normalidade e as novidades gastronómicas sucedem-se em Lisboa. Nos últimos meses, apareceram na cidade e arredores novos restaurantes japoneses que prometem dar que falar – na verdade, alguns já têm dado e a prova disso é a dificuldade em arranjar mesa. Há propostas arrojadas onde reina a fusão e casas onde manda a tradição, sem grandes espalhafatos. Há preços em conta, mas também contas que podem pesar mais porque os restaurantes não são todos iguais – e ainda bem que assim é. Equipas vencedoras e sucessos internacionais destacam-se em alguns destes novos restaurantes japoneses em Lisboa.

Recomendado: Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Cinco novos restaurantes japoneses a não perder

  • Restaurantes
  • Japonês
  • Santos

É sabida a devoção de São Paulo aos restaurantes japoneses. A história é longa e já soma mais de um século de relações entre os dois países. Hoje, o Brasil tem a maior comunidade japonesa fora do Japão e o resultado disso apresenta-se de várias formas e sabores, se a conversa for gastronomia. O by Koji é disso exemplo. Abriu há quase uma década no Estádio do Morumbi e rapidamente se foi fazendo notar. A marca chega agora a Lisboa pelas mãos de Koji Yokomizo, o chef que lhe dá nome, e de Michel Weber, que depois de viver em São Paulo não quis passar sem esta cozinha em Lisboa. Atrás do balcão, está Shinya Koike, o chef que estava desde 2018 no Bonsai, um clássico da cidade. De um lado ficam as mesas, do outro um grande balcão com vista para a cozinha, separada entre a zona de quentes e frios. Apesar de existirem pratos quentes na carta, é para o sushi que se viram todas as atenções. Não há fogo de vista nem fusão que se sobreponha ao sabor do peixe, que em grande parte vem dos Açores.

  • Restaurantes
  • Japonês
  • Grande Lisboa

O nome é mesmo o que está a pensar: uma referência ao anime e ao manga de teor pornográfico. Mas o Hen.tai, na Amadora, quer ser mais do que isso. Quer ser um restaurante de bom sushi (combinados a partir de 13€) e bom ramen (12€-13€). Se o sushi seria uma aposta segura, o ramen “foi um tiro no escuro”. “Decidimos ver o que dá e a verdade é que deu”, diz Bruno Gomes, chef e responsável pela carta, explicando que após ter estudado a zona percebeu que “na Amadora havia uma oferta muito diminuta de ramen”. Ao almoço, há menus em conta a 11€ e a 12€, que podem incluir bebida e entrada.

Publicidade
  • Restaurantes
  • Cascais

Cascais foi o sítio escolhido por Tiago Penão para realizar um sonho antigo: abrir um restaurante japonês onde pode brilhar em equipa ao mesmo tempo que nos ensina um pouco da sua arte. O nome escolhido é o mesmo do estilo de cozinha japonesa que numa tradução literal significa “cortar e cozinhar”, mas que vai muito para além disso, focando-se na proximidade entre chef e quem à sua frente se senta – à frente porque é à volta de um balcão onde se sentam pouco mais de dez pessoas que tudo acontece. Apesar de ser possível escolher à carta, para quem tem menos apetite ou pouco tempo para a refeição, o ideal é entregar-se a um dos dois menus de degustação, Saikai (50€), o mais pequeno e que significa união, e Danketsu (90€), reencontro em português. Um dos momentos mais marcantes da refeição acontece no sushi: são oito niguiris ao estilo edomae, uma técnica anciã onde todo o peixe passa por uma cura, em sal ou em algas, com um arroz sem adição de açúcar e trabalhado com três vinagres, um branco e dois feitos com o mosto do saké.

  • Restaurantes
  • Japonês
  • Cais do Sodré

O novo restaurante de sushi de fusão no Cais do Sodré abriu há três meses e “foge ao padrão dos restaurantes convencionais”, garante o chef Pedro Barros. “O que comer aqui não vai comer noutro lugar.” O que explica opções arrojadas como hot rolls de pasta de amendoim com goiabada e cebola em conserva (12€), gyosas que em vez de serem cozidas a vapor são fritas (5.50), ou croquetes de peixe e arroz de sushi (7.50€), como forma para evitar o desperdício. A carta contempla mais de 80 opções e um menu all you can eat (30€). A cozinha é aberta e é possível ver o peixe a ser preparado tanto do espaço interior como do pequeno balcão no exterior, onde se sentam apenas três pessoas. Ao lado, há ainda uma esplanada com quatro mesas.

Teresa David
Jornalista
Publicidade
  • Restaurantes
  • Japonês
  • Lisboa
  • preço 2 de 4

Aberto pelas mãos de uma das antigas proprietárias do saudoso Dinastia Tang, em Marvila, o Yamatai levou para o Saldanha o minimalismo japonês, posicionando-se entre os campeões da cidade e a gama média-baixa no que ao sushi diz respeito. O menu cruza coisas do receituário tradicional, como o nasu dengaku (berinjela assada com molho miso) e a fusão de escola nipo-brasileira (o chef consultor e o chef residente são brasileiros), de que é exemplo o hot roll, com salmão e queijo creme. Para os mais esfomeados, há pratos de substância completos, como o katsu donburi (porco panado com arroz), ou massas salteadas, como yakisoba ebi, de legumes e camarão. Mas a opção mais sensata, pelo menos numa primeira visita, será ir pelos combinados, com várias modalidades, assim se queira mais sashimi (peixe cru, apenas), ou mais niguíris (peixe sobre arroz), ou rolos.

Novidades nos serviços de entregas

DAO
DR

DAO

Sebastião Gallego era chef de sushi privado quando a pandemia lhe trocou as voltas. Desafiou o irmão e juntos criaram o DAO, um serviço de sushi ao domicílio que se quer distinguir pela frescura do peixe, mas também pela imagem e pelo packaging. Com loja nas Laranjeiras, o mais central para o raio de entregas, que se estende por oito quilómetros, as encomendas são feitas através de site próprio e não há por onde errar. O menu não é extenso nem há grandes invenções à volta do sushi. Nos combinado há quatro opções (15,60€-22,50€), que podem incluir hosomakis, gunkans, niguiris e sashimi, sendo possível pedir temakis e outras peças à parte.

Rua Tomás da Fonseca, 21 C, Loja 4 (Laranjeiras). Qua-Dom 18.00-22.00

Aruki
©DR

Aruki

Depois da Avenida da Liberdade e de Telheiras, o Aruki chega à linha com uma terceira morada em Oeiras, na Rua de São Paulo. Com a nova loja, o restaurante alarga a área para entregas ao domicílio e passa a servir famílias da Parede até ao Parque das Nações.

Outros novidades da cidade

  • Compras

Reunimos as novas lojas que abriram nos últimos meses para que não perca o fio à meada na hora de renovar o armário, de repensar a decoração da sala ou até mesmo de pensar numa mudança de visual. Há espaços que dão nova vida aos bairros e outras que vão buscar inspiração ao outro lado do mundo ou a outras épocas. Mesmo para aqueles que se preocupam com a sustentabilidade há sítios à espera de visita. As lojas abriram e nós registámos.

  • Noite

A noite lisboeta está a recuperar e a prova disso são os novos hóspedes que vão aparecendo – e ainda bem. As novidades são das mais diversas espécies, com boa música, cocktails e seus derivados ou até cerveja artesanal. Nesta página espere sempre isto: os bares mais frescos da cidade. Por agora, estes são os novos bares em Lisboa que tem mesmo de conhecer.

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade