Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Atenção, continuamos a tentar dar-lhe a informação mais actualizada. Mas os tempos são instáveis, por isso confirme sempre antes de sair de casa.

Kanazawa
©Manuel Manso

Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Peixe cru, petiscos, caldinhos e pratos quentes de sabores exóticos. Prove tudo num dos melhores restaurantes japoneses em Lisboa.

Por Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

A cozinha japonesa apareceu em Lisboa nos anos 1980 mas só nos anos 2000 atingiu o seu boom. Nos últimos anos a oferta de restaurantes tem crescido em larga escala por toda a cidade, em parte por culpa dos buffets de sushi que democratizaram a relação dos portugueses com estas pecinhas de arroz e peixe cru. Nem tudo o que abriu, porém, tem a qualidade de matéria-prima desejada ou mãos que a saibam tratar como merece. E desengane-se se pensa que comida japonesa é só sushi. Na lista que se segue provamos-lhe que há muito mais a descobrir. São os melhores restaurantes japoneses em Lisboa.

Recomendado: Nestes restaurantes pan-asiáticos em Lisboa cabe a Ásia toda

Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Afuri
Afuri
Duarte Drago

1. Afuri

Restaurantes Japonês Chiado

Afuri é uma marca consolidada em Tóquio, onde tem 11 restaurantes, e que em 2016 começou a expandir-se via Portland. O Instagram do paraíso hipster da América encheu-se imediatamente do yuzu ramen que dá fama ao Afuri, e o mais provável é que as finas texturas deste prato de assinatura comecem a brotar nos telemóveis e a abrir-nos o apetite. Chegou a Lisboa no fim de Agosto de 2018 e a ementa é forte nos ramens (tem uma versão vegan também), tem um par de pratos de grelhados e inclui os inevitáveis nigiris, sashimis e sushi rolls.

 

Ajitama Ramen Bistro
Ajitama Ramen Bistro
©Manuel Manso

2. Ajitama Ramen Bistro

Restaurantes Asiático contemporâneo Grande Lisboa

A brincadeira do supper club de ramen de António Carvalhão e João Ferreira correu tão bem que acabou em restaurante à séria. Entretanto estiveram 17 dias no Japão num curso intensivo com o sensei Takeshi Koitani, no curso de Ramen Chefs da Rajuku, uma das melhores escolas do país, e voltaram mais prós, preparados para abrir o Ajitama Ramen Bistro, na Avenida Duque de Loulé. Aqui têm um menu muito mais completo, com entradas e cinco ramens diferentes, apresentados no menu do menos intenso para o mais, uma escala que nada tem a ver com picante mas sim com o sabor do caldo. Aconselhamos a acompanhar tudo com um dos sete cocktails, da Sakerinha de morango a algumas reinterpretações de bebidas clássicas mas com destilados japoneses, como o Mojichu, a versão japonesa do mojito, com shoshu e ginger beer. 

Publicidade
Aron Sushi - Mercado 31 Janeiro
Aron Sushi - Mercado 31 Janeiro
©DR

3. Aron Sushi

Restaurantes Japonês São Sebastião

Aron Vargas, um dos discípulos de Takashi Yoshitake (Aya), já tinha um belíssimo restaurante ao pé da Gulbenkian, mas decidiu duplicar a receita no Mercado 31 de Janeiro, onde montou uma tasca japonesa com duas salas pequenas. O peixe vem, claro, das bancas mesmo ali ao lado e tem desde opções mais clássicas a outras criações do chef. O forte é o sushi e o sashimi, mas não deixe de provar o Ika mentaiko, uma maravilha feita de lulas e pasta de ovas de bacalhau. 

SushiCafé Avenida - Nigiri Erik Schneider
SushiCafé Avenida - Nigiri Erik Schneider
©Agência Zero

4. Avenida SushiCafé

Restaurantes Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Trocou o nome e o apelido em 2017, de forma a distanciar-se mais daquilo que faz o resto do grupo Sushicafé em Lisboa. Afinal, esta é a jóia da coroa da empresa e o sítio onde o chef Daniel Rente põe a sua criatividade toda em pleno funcionamento. Com a mudança de nome vieram juntar-se às peças mais tradicionais outras aventuras que misturam a gastronomia japonesa com sabores internacionais e matéria-prima nacional. Vai um sashimi em pedra de sal dos Himalaias? Ou um maki com caranguejo no interior e wagyu por fora?

Publicidade
Aya Bistrôt
Aya Bistrôt
©Manuel Manso

5. Aya Bistrôt

Restaurantes Japonês Grande Lisboa

O Aya passa completamente despercebido numa rua da Cova da Piedade: tem aparência de snack bar e só os caracteres japoneses na montra indicam outra coisa. Na cozinha está Cícero, sushiman brasileiro discípulo de Takashi Yoshitake, que faz aqui uma cozinha tradicional japonesa utilizando bom peixe fresco – o crítico da Time Out Alfredo Lacerda deu-lhe quatro estrelas muito por culpa do peixe bem trabalhado e dos preços, mais acessíveis do que os grandes de Lisboa.

Bonsai Balcão
Bonsai Balcão
©Ana Luzia

6. Bonsai

Restaurantes Japonês Chiado/Cais do Sodré

No topo das preferências, continua a estar o velhinho Bonsai, da Rua da Rosa, no Bairro Alto. Depois do comando de Lucas Azevedo, agora é Shinya Koike a assumir a cozinha, mas como sempre tem acontecido não é de esperar uma alteração nem no perfil da cozinha, nem no som que que soa baixinho, ou nas portas de correr para a rua, sempre fechadas. O menu de almoço subiu de preço (12€), mas continua a ser um bom negócio, tal como o sushi e o sashimi. 

Publicidade
Restaurante Confraria Lx
Restaurante Confraria Lx
©Ana Luzia

7. Confraria Lx

Restaurantes Japonês Cais do Sodré

Depois de ter conquistado Cascais, a marca Confraria estendeu a qualidade ao Cais do Sodré, para onde a equipa de sushimen tratou de trazer as melhores receitas da casa. No piso térreo do Lx Boutique Hotel, no Cais do Sodré, o sushi tradicional e de fusão convive bem com diversas opções inspiradas na gastronomia ocidental: do usuzukuri de salmão, um carpaccio temperado com lima, molho ponzu trufado e pequenas porções de gelatina de maracujá, ao ceviche limeño, que junta marisco, peixe branco, batata doce e leite de tigre. Não esqueça a sobremesa: peça a tarte tatin (5,50€).

Go Juu - Sashimi
Go Juu - Sashimi
©DR

8. Go Juu

Restaurantes Japonês Avenidas Novas

Apesar de passar despercebido, tem lugar cativo na lista dos melhores japoneses de Lisboa e há razões para isso. Desde que abriu em 2015, pelas mãos de uma equipa de antigos discípulos do Aya, que continua a respeitar a cozinha tradicional japonesa, com produtos sempre frescos, um empratamento delicado e um serviço a que não se pode apontar uma falha. Este santuário da cozinha do Sol Nascente abre ao público para almoços, enquanto que os jantares, de quinta a sábado, são essencialmente reservados para receber os membros do Clube Go Juu.

Publicidade
Hikidashi
Hikidashi
©Ana Luzia

9. Hikidashi – Taberna Japonesa

Restaurantes Japonês Campo de Ourique

É um dos japoneses mais autênticos da cidade, com um belíssimo e longo balcão de madeira que ocupa todo o restaurante e permite ir acompanhando o trabalho dos sushimen. A comandar a trupe está Agnaldo Ferreira, que abriu esta taberna japonesa em Campo de Ourique para trabalhar matéria- prima de qualidade e distinguir e mostrar o que é sushi tradicional e a verdadeira fusão. Nos pratos frios, além das fatias de peixe fresco em sashimi, niguiris ou chirashi, há um tártaro de salmão que não pode deixar passar, com mostarda kizami e gema de ovo de codorniz. Nos quentes vá para o naco de toro grelhado ou o wagyu.

Izanagi
Izanagi
©Duarte Drago

10. Izanagi

Restaurantes Japonês Alcântara

A aposta continua a trazer o Japão a Lisboa mas a tripla Nuno Sénica, José Barros e Daniel Rente, os nomes responsáveis pelo Izanagi, decidiu dinamizar ainda mais a oferta. Ao sushi, prata da casa, juntaram-se as especialidades da robata, o grelhado ao estilo japonês, com opções que vão do sashimi ao magret de pato, passando pelo miso cod ou pelo wakame. Tudo isto pode ser provado na esplanada com o rio como pano de fundo. É difícil fazer melhor.

Publicidade
Restaurante, JNcQUOI Asia
Restaurante, JNcQUOI Asia
©Inês Félix

11. JNcQUOI Asia

Restaurantes Asiático contemporâneo Avenida da Liberdade

O dinossauro deu lugar ao dragão, a decoração respira motivos asiáticos, profundamente embebidos na presença portuguesa pelo Oriente e a cozinha, aberta, faz chegar sabores de todo o continente. Ao todo são quatro espaços distintos: cocktail bar, restaurante, terraço e sushi bar. Foi este último, aliás, uma das razões que Alfredo Lacerda, o crítico da Time Out, apontou para as quatro estrelas que deu ao JNcQUOI Asia. Usuzukuri de lírio (20€), sashimi de atum Akami (19€/4 unidades) ou o combinado de sushi e sashimi (54€) são boas apostas. Tudo pela mão do chef Miguel Bértolo.

Kai
Kai
©Inês Félix

12. Kai

Restaurantes Japonês São Sebastião

Abriu na recém-inaugurada Torre de Picoas e leva ao alto a cozinha japonesa tradicional. A premissa é que não haja fusão nem apetrechos ocidentais, e a garanti-lo está Henry Park, o chef japonês que chegou do Dubai para fazer um elogio ao peixe da nossa costa. As mesas estão pensadas apenas para nove pessoas, um contraste com o balcão, que comporta 20 lugares. Na carta há menu executivo de almoço (25€), com sopa miso, niguiris, katsu don (costeleta de porco, repolho napa e arroz) ou kai chirashi (com peixe escolhido pelo chef em cama de arroz), que pode ser à la carte. As opções estendem-se depois aos niguiris e sashimis de atum gordo (10€/duas unidades), salmão (5€/duas unidades), pargo (8€/duas unidades) ou enguia (10€/duas unidades), aos makis como o negitoro maki (13€), tekka maki (19€) e o salmon maki (8€). 

Publicidade
Restaurante Kampai
Restaurante Kampai
©Ana Luzia

13. Kampai

Restaurantes Japonês Marvila

Antes de os Açores entrarem na rota de viagem de muitos portugueses (obrigada Ryanair), já a sua matéria-prima tinha entrado na rota deste restaurante na fronteira entre São Bento e a Estrela, com portas abertas desde 2010. Grande parte dos peixes servidos, quer em sashimi, quer em chirashi, niguiri ou temaki, vêm do arquipélago açoriano. Ora isso significa cruzar-se com lírios, atuns, pargos e encharéus que os sushimen trabalham da forma mais pura possível. Nota: tem um parque de estacionamento para clientes.

 

Restaurante Kanazawa
Restaurante Kanazawa
©Arlindo Camacho

14. Kanazawa

Restaurantes Belém

O chef português há mais anos a trabalhar a cozinha japonesa aceitou o desafio deste restaurante de oito lugares ao balcão apenas e mantém a mesma linha de cozinha kaiseki desde o primeiro minuto. Aqui trabalha a sazonalidade e a proximidade com o cliente em quatro menus de degustação, que mudam mês a mês. Desde Fevereiro de 2020 tem também almoços, servidos de terça-feira a sábado, entre as 12.00 e as 15.00, sem necessidade de fazer reserva. Há três opções, todas muito completas e em doses generosas, que incluem logo à partida uma entrada e um pratinho de picles caseiros.  

 

Publicidade
Kapitan Ramen
Kapitan Ramen
©Inês Félix

15. Kapitan Ramen

Restaurantes Japonês Lisboa

Basta transpor a porta do Kapitan Ramen Bistro e o menu está logo ali, à esquerda, num quadro de ardósia. Tem várias entradas para escolher – como as gyozas, o edamame, o frango kaarage –, mas a especialidade da casa é o ramen, tonkotsu, de caldo suave, feito com osso de porco e noodles finos e consistentes (13,15€). "Foi pensado", diz Chen Cheng, uma das duas sócias. No menu há ainda o takoyaki, bolinhas de farinha de trigo fritas, e a tamago, a omelete japonesa, um dos best sellers da casa.

Restaurante Midori, Penha Longa
Restaurante Midori, Penha Longa
©DR

16. Midori

Restaurantes Japonês Sintra

E eis que, ao fim de 25 anos, o Midori mudou e ganhou uma estrela Michelin. Dos cento e muitos lugares sobram apenas 18, da sala gigantesca ficou apenas um pedaço, mais intimista, com umas vidraças para poder apreciar os jardins do Penha Longa. À frente da cozinha, porém, mantém-se o chef Pedro Almeida, que apostou em refeições kaiseki, ou seja, de pequenos pratos tradicionais japoneses, tanto em menus de degustação, como à la carte, mas com muita rotatividade. A cozinha é “japonesa, de inspiração portuguesa.

Publicidade
Restaurante Miss Japa
Restaurante Miss Japa
©Miss Japa

17. Miss Jappa

Restaurantes Princípe Real

A casa no Princípe Real tem vindo a adaptar-se aos tempos mas isso só lhe traz vida. Pratos para partilha, clássicos ou não tão clássicos, há de tudo. Se não souber o que escolher, vá à confiança para um sushi Miss Jappa 12 peças (14,50€), ou um sushi to sashimi 20 peças (21€). O combinado especial do chef, de 22 peças (26,50€) também não desaponta.

Nómada, restaurante
Nómada, restaurante
©Ana Luzia

18. Nómada

Restaurantes Fusão Avenidas Novas

Nómada é outro valor seguro da fusão, na zona do Campo Pequeno, que refresca o peixe com um vinagrete de hortelã, coentros e maracujá. O restaurante foi aberto por ex-funcionários do Sushic (o espaço em Almada entretanto falecido) e tem-se afirmado como uma casa de eleição para brincar com peixes crus, braseados ou marinados, molhos e frutas tropicais.

Publicidade
Rabo d'Pêxe
Rabo d'Pêxe
©Inês Félix

19. Rabo d'Pêxe

Restaurantes Avenidas Novas

Pode trazer ao Rabo d’Pêxe (sim, para pronunciar à açoriana) o seu avô a quem a ideia da comida crua causa arrepios e dividir um peixe. Como? Escolhe o exemplar na montra à entrada e eles fazem metade em sushi, metade na grelha. Há também combinados de sushi, pratos surf and turf e uma esplanada coberta no Inverno idílica para dias de frio.

Shun Open Kitchen
Shun Open Kitchen
©Manuel Manso

20. Shun Open Kitchen

Restaurantes Japonês Campo de Ourique

João Bívar abriu o Shun Open Kitchen em Campo de Ourique no início de 2020. Tem 20 lugares mas são os sete ao balcão que são os meninos dos seus olhos. O balcão é em mármore claro e tem apenas uma divisão baixa entre o espaço do cliente e a bancada de trabalho, com tudo à vista. Se ficar nas mãos do sushimen – e nesse caso estamos a falar de um preço por cabeça entre os 40 e os 50 euros –, o mais provável é chegar-lhe à mesa um set de 25 fatias de sashimi, gunkans especiais e sets de nigiris.

Publicidade
Soão
Soão
©Manuel Manso

21. Soão – Taberna Asiática

Restaurantes Asiático contemporâneo Alvalade

Não é exclusivamente japonês, mas esta taberna asiática tem como chef executivo Luís Cardoso, ex-pupilo de Takashi Yoshitake (o fundador do Aya, referência incontornável da gastronomia japonesa em Portugal). Uma parte da carta é dedicada por inteiro ao sushi e sashimi. 

Tasca Kome
Tasca Kome
©Rafael G Antunes

22. Tasca Kome

Restaurantes Baixa Pombalina

No meio de tantos restaurantes para inglês ver da Baixa, está instalada a Tasca Kome para português ver. O trabalho de Yuko Yamamoto, japonesa radicada em Portugal há mais de uma década, vai muito para além do sushi e estende-se a pratos tradicionais do Japão, feitos com os produtos de mercado da época. São já famosas as takoyaki (bolas de polvo fritas), o zukedon de salmão (salmão marinado sobre arroz de sushi) ou o ika somen (sashimi de lula).

Publicidade
Tomo - Sala
Tomo - Sala
©Joana Freitas

23. Tomo

Restaurantes Japonês Oeiras

O Tomo foi a sua primeira morada em nome próprio de Tomoaki Kanazawa em Lisboa, um sítio onde muitos iam para o ver ao balcão manejar a faca e inventar criações. Passou-o aos antigos colaboradores, que seguiram a linha de japonês tradicional, onde ainda se comem um dos melhores pratos de sushi to sashimi de Lisboa (a partir dos 29,50€). E há menus de almoço a partir dos 16€.

Unique Sushi Lab
Unique Sushi Lab
©Manuel Manso

24. Unique Sushi Lab

Restaurantes Japonês Avenida da Liberdade/Príncipe Real

A cozinha japonesa em Lisboa já evoluiu dos combinados básicos apenas com salmão, atum e peixe branco, por isso o sushiman brasileiro Johnny Keep não receou quando pôs niguiris de amêijoa japonesa, de enguia braseada com ovo de codorniz ou de ouriço mar na carta deste Unique Sushi Lab, a três passos da Avenida da Liberdade. Para provar um bocadinho de tudo, entre especialidades do chef e propostas do dia, há menus de combinados a começar nos 15,95.

Publicidade
yakuza
yakuza
©DR

25. Yakuza

Restaurantes Japonês Princípe Real

Já lá vão uns anos desde que Olivier decidiu meter-se nos caminhos do sushi. Primeiro com o Yakuza do Tivoli Forum, depois num espaço partilhado com o Olivier Avenida e a seguir num bonito restaurante no Príncipe Real. O Yakuza tem várias salas à escolha, um enorme balcão para quem gosta de ver os sushimen em acção e uma ementa cheia de fusões e especialidades com assinatura do chef. Destaque para os gunkans, aqui bem criativos, para o sashimi de otoro e para os pratos na robata. Ao almoço tem um menu executivo a preço acessível.

Mais Japão em Lisboa

chutnify
©Francisco Santos

Os melhores restaurantes indianos em Lisboa

Restaurantes Indiano

Uma das primeiras referências dos portugueses no que respeita à cozinha étnica foram os restaurantes indianos. E não há como os contornar. Nos restaurantes desta lista não faltam chamuças, caris ou pães naan quentinhos. Cada um com as suas especialidades, um mais moderno e perito em fazer dosas (que são uns crepes gigantes); outros mais clássicos e prontos para darem aos comensais o que querem.

Ramen Afuri
©Mariana Valle Lima

Os melhores sítios para comer ramen em Lisboa

Restaurantes

Dantes, para comer um bom ramen teria de ser obrigatoriamente durante os meses de tempo frio e conjugar bem a sua agenda com a do Bonsai. Entretanto os lisboetas começaram a estar mais atentos, e a arriscar mais, no que toca a comidas do mundo, e apareceram alguns sítios com bom ramen em Lisboa.

Publicidade
Canto
©Duarte Drago

Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Restaurantes

A restauração floresce a grande velocidade na capital. Aliás, a nossa cidade tem uma diversidade cada vez maior no que à restauração diz respeito. E é mesmo caso para dizer: venham eles. Queremos toda a comida do mundo, chefs a abrir restaurantes de fine dining ou conceitos mais democráticos com caldinhos, muito peixe, japoneses a ensinarem-nos que esta gastronomia não é só peixe cru e sushi, boa comida portuguesa. Ou até comida que nos trata da alma e traz bom astral. Queremos ficar sentados no restaurante a conversar e apreciar as vistas ou pegar e levar para casa. Fizemos-lhe um guia com os melhores novos restaurantes em Lisboa abertos nos últimos meses. Não se sinta desactualizado e marque já mesa – é só escolher a gastronomia que mais lhe apetece hoje. Recomendado: Os melhores restaurantes em Lisboa

Recomendado

    Também poderá gostar

      Publicidade