Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Os melhores sítios para comer ramen em Lisboa

Os melhores sítios para comer ramen em Lisboa

Os melhores sítios para comer ramen em Lisboa e combater o frio com o fumegante caldo japonês com noodles.

Ajitama ramen bistro
©Manuel Manso
Por Inês Garcia e Ricardo Dias Felner |
Publicidade

Dantes, para comer um bom ramen teria de ser obrigatoriamente durante os meses de tempo frio (verdade seja dita continua a ser quando sabe melhor) e conjugar bem a sua agenda com a do Bonsai, o restaurante no Bairro Alto que continua a fazer a sopa japonesa – e bem – aos sábados. Entretanto os lisboetas começaram a estar mais atentos, e a arriscar mais, no que toca a comidas do mundo, e apareceram alguns sítios com bom ramen em Lisboa.

O segredo desta sopa que veio do Japão para aquecer os alfacinhas está no caldo e nestes restaurantes em Lisboa há várias versões, todas boas para nos aquecer a alma.

Recomendado: Os melhores restaurantes japoneses em Lisboa

Os melhores sítios para comer ramen em Lisboa

Ajitama Ramen Bistro
©Inês Félix
Restaurantes, Asiático contemporâneo

Ajitama Ramen Bistro

icon-location-pin Grande Lisboa

A brincadeira do supper club de ramen de António Carvalhão e João Ferreira correu tão bem que acabou em restaurante à séria. Entretanto estiveram 17 dias no Japão num curso intensivo com o sensei Takeshi Koitani, no curso de Ramen Chefs da Rajuku, uma das melhores escolas do país, e voltaram mais prós, preparados para abrir o Ajitama Ramen Bistro, na Avenida Duque de Loulé. Aqui têm um menu muito mais completo, com entradas e cinco ramens diferentes, apresentados no menu do menos intenso para o mais intenso, uma escala que nada tem a ver com picante mas sim com o sabor do caldo. Além do ramen, têm dois outros pratos japoneses, um caril japonês e o gyudon, com carne de vaca fatiada com base de arroz japonês. Aconselhamos a acompanhar tudo com um dos sete cocktails, da Sakerinha de morango a algumas reinterpretações de bebidas clássicas mas com destilados japoneses, como o Mojichu, a versão japonesa do mojito, com shoshu e ginger beer.  

Bonsai Balcão
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Japonês

Bonsai

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

A sopa japonesa do Bonsai apenas é servida aos sábados, de 15 em 15 dias, e já é uma instituição. Demora 96 horas a fazer (a confecção arranca na terça), tem um caldo de ossos e carne na base, leva alho francês, cogumelos shitake, dashi e gengibre, barriba de porco, ovos e ainda ingredientes da época, como milho, bambu e miso. O elemento distintivo é o tare, aqui com miso, ou seja, pasta de feijão fermentado. Por vezes, há mudanças no tipo de ramen, consoante a estação do ano. Vá-se mantendo actualizado na página de Facebook. Não há muitas doses – reserve a sua nos dias antes (15€).

Publicidade
Afuri
Duarte Drago
Restaurantes, Japonês

Afuri

icon-location-pin Chiado

A cadeia Afuri, com origem em Tóquio, onde é muito respeitada, decidiu instalar-se na Europa e escolheu Lisboa para iniciar a expansão. Uma das suas principais armas é o tonkotsu shio ramen, feita de um caldo potente, com a tradicional barriga de porco no topo, mais rebentos de soja, óleo de alho preto, cebolo, picles de gengibre e ovo. Para um sabor mais cítrico e leve, peça o yuzu ratan (13€).

Panda Cantina
© Duarte Drago
Restaurantes, Chinês

Panda Cantina

icon-location-pin Baixa Pombalina

Chegou à Rua da Prata em Outubro de 2018 e a popularidade tem aumentado num boca-a-boca que rapidamente se propagou. O Panda Cantina é um pedaço da região de Sichuan, na China, plantado no centro de Lisboa que quer fazer do tradicional a marca da casa. Aqui é tudo caseiro, os noodles são feitos na casa, os caldos e as carnes levam várias horas de preparação e a sobremesa é, também ela, preparada na cozinha. O menu é simples, apenas com três variedades de ramen chinês a provar: porco, vaca e tofu (7,80), com opção de escolha do nível de picante, de 1 a 5 (o três é um meio termo bem bom). O menu (9,60€), com sobremesa e bebida incluídas, dá-nos a carta de entrada num leque de escolhas.

Publicidade
Restaurante  KOPPU - Ramen Concept Food
Foto:Ana Luzia
Restaurantes

Koppu – Ramen Concept Food

icon-location-pin Princípe Real

O Koppu tem um ambiente calmo e dez tipos de ramen, do tonkotsu, com um caldo especial de 16 horas (14,50€), ao tan tan tamen de galinha, shio ramen chashu de galinha e versões vegetarianas do shoyo ramen e do miso ramen (12€). A esta lista juntam-se dois tsukemen, sem caldo: o tan men (11,50€) e o tsukemen de galinha ou porco. Há opções de extras para qualquer um dos ramens – pode pedir mais massa, mais caldo, mais ovo marinado, mais cogumelos shiitake, e por aí fora.

Izakaya Tokkuru
Fotografia: Duarte Drago
Restaurantes, Japonês

Izakaya Tokkuri

icon-location-pin Bairro Alto

Os chefs Vítor Adão (ex-100 Maneiras, actual Quinta do Arneiro) e Lucas Azevedo (ex-Bonsai) estão a tomar conta da cozinha do restaurante japonês que abriu em Agosto de 2018. Este take over da cozinha do Izakaya Tokkuri funcionará em versão pop-up – tanto pode durar um mês como prolongar-se um ano inteiro e todo o menu que existia até aqui, escrito num quadro de ardósia, com pratos pequenos, de partilha, típicos japoneses, deixou de existir. Há pratos que vão cruzar a cozinha japonesa com a portuguesa, evidenciando as influências e percurso dos dois chefs, mas o ramen vai ser uma presença forte.

Publicidade
Restaurantes, Japonês

Kokoro Ramen Bar

icon-location-pin Lisboa

O Kokoro é um pequeno ramen bar em Arroios com 16 lugares que tem sempre fila à porta para provar as três opções de ramen bastante simples mas com caldos saborosos e competentes a preços bem acessíveis, entre os 7€ e os 8,50€. Pode escolher entre o shoyu, com frango, o tonkotsu, com entremeada, ou o vegetariano.

Restaurantes, Japonês

Ori

icon-location-pin Grande Lisboa

A cidade de Sapporo, no Japão, é uma das capitais mundiais do ramen, contando com mais de 3000 restaurantes especializados. O ramen mais popular leva uma base de miso e tem quase sempre milho por cima, os noodles e, claro, rebentos de soja. Nesta versão, há também uma tira de entremeada cozinhada em molho teryaki, mas o que interessa é o caldo, que é óptimo. Os noodles são fraquinhos e por vezes demasiado cozidos e farinhentos. Diga que não os quer muito cozidos mas peça o caldo bem a ferver! Menu com limonada ou chá: 9,50€. 

Os melhores sítios para comer...

Cherie Paloma - Huevos Rancheros
©Manuel Manso
Restaurantes

Huevos rancheros

Um prato com ovos entra logo à partida na categoria de comfort food. Estes não são típicos portugueses mas entram já em vantagem nessa lista. Aconchegam qualquer estômago, quer decida comê-los ao pequeno-almoço, como se faz no México, quer os coma a qualquer outra hora do dia. À tortilha de milho que serve de base juntam-se os ovos fritos, cobertos com molho de tomate picante. A acompanhar estão habitualmente o feijão, o arroz mexicano ou fatias de abacate, a colorir e a dar pujança ao prato. 

Kin
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Pan-asiático

Spring rolls

É um salgadinho asiático que entretanto já foi adoptado por todo o mundo. Estes spring rolls têm uma massa que parece a de um crepe, bem fininho, e a forma é a de um rolo (os spring rolls vietnamitas, por sua vez, são enrolados em massa de arroz). O recheio destes rolinhos primavera pode ser vegetariano ou com carne salteada no wok com legumes.

Publicidade
Mano a Mano - Lasanha
©DR
Restaurantes, Italiano

Lasanha

Um tabuleiro carregadinho de lascas de massa fresca intercaladas com molho de tomate, muito queijo, e carne picada é o expoente máximo da comfort food. Se há povo que sabe falar de comida de conforto é precisamente o italiano, com os seus pratos de massa e pizzas com mais ou menos gordura mas muito queijo, sempre prontos a tratar de nos levantar o espírito em dias mais cinzentos.

Publicidade