Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Cafés em Lisboa para se abrigar do frio

Cafés em Lisboa para se abrigar do frio

É tempo de procurar abrigo em cafés acolhedores. Partilhamos sugestões para todos os dias da semana e mais além.

Café da Garagem do Teatro Taborda
Fotografia: Arlindo Camacho
Por Editores da Time Out Lisboa |
Publicidade

O Inverno já chegou, as temperaturas baixaram e os planos agora já são feitos a pensar em fugir ao frio e à chuva. Cadeirões, sofás, mantas. Tostas, chás, cappuccinos. É tudo com que sonhamos estar rodeados até à Primavera do próximo ano, certo? Sugerimos então um pacote completo de cafés, desde o melhor para uma manhã com ritmos mais latinos (e huevos bem temperados) até àquele onde pode saborear doces dinamarqueses ou até comprar a louça da casa – nem vai precisar de ir fazer compras para a rua: é um dois em um, com a vantagem de sair de estômago cheio.

Recomendado: Os melhores sítios em Lisboa com lareira

Cafés em Lisboa para se abrigar do frio

Chérie Paloma
©Manuel Manso
Restaurantes, Mexicano

Chérie Paloma

icon-location-pin Santos

A lógica é muito simples: nem todas as manhãs têm de começar com uma meia de leite ou uma bica, também pode pegar numa margarita e dar os buenos dias com sotaque. Chérie Paloma é um café-restaurante mexicano para todas as horas, com ritmos mais latinos – e por isso mais quentes, perfeitos para o Inverno. Há huevos bem temperados, mas também guacamole e um bar de cocktails de autor, com mezcais e tequilas. No menu, haverá polvo na brasa, carnitas de salmão com cinco especiarias, enchiladas ou frango de mole negro, uma receita feita com um molho rico e dezenas de ingredientes.

Para se aquecer: o brunch mexicano inclui uma bebida quente, para além de cocktails, guacamole com tortillas e prato principal. Preço: 18,50€

Landeau
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

Landeau São Bento

icon-location-pin Oeiras

O bolo da Landeau dispensa apresentações e já está em várias partes da cidade: Lx Factory, Chiado e até no topo do El Corte Inglés. Mas Sofia Landeau quis levar a sua marca para outro sítio central: São Bento. Tem várias mesas e uma decoração assente em peças vintage e muitos quadros de António Pinto Macedo nas paredes. Está aberta todos os dias para tornar as tardes da vizinhança mais felizes.

Para se aquecer: a clássica fatia de Landeau (3,70€), com um chocolate quente, puro ou com leite (3€), numa combinação pensada claramente para os mais gulosos.

Publicidade
Heim Café
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafés

Heim Café

icon-location-pin Santos

O simpático Heim, que significa “casa” na Ucrânia, de onde vêm os donos, está sempre cheio de cabelos loiros e peles claras (escaldadas pelo sol), tudo malta nova nos seus 20s-30s, que não traz guias na mão (deve trazê-los no telemóvel). A sala é pequena mas bem aproveitada, a cozinha parece ir pelo mesmo caminho. Por isso avisam, num papel emoldurado e escrito em inglês, que a boa comida demora tempo a ser feita. Ou seja, é ir sem pressa. Entre o pedido e a vinda dos pratos para a mesa contam-se uns 20/25 minutos. Valem a pena? Sim. Tanto para comer a omelete com queijo e salada (5,50€), alta, macia, com fatias de cheddar derretido no interior, como as waffles de fruta e caramelo (5,80€).

Para se aquecer: Qualquer um dos quatro brunches (14-16€). O verde, mais saudável, a trazer uma boa torrada de abacate e ovos estrelados no ponto, além de iogurte com granola, fruta e mel.

A Time Out diz
La Boulangerie
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Francês

La Boulangerie

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

O brunch do La Boulangerie, com uma justificada legião de fãs, é uma das razões pelas quais vale a pena procurar este café-pastelaria em dias de frio. A oferta – com pães variados, croissants, queijos, frutas e ovos  faz com certeza subir a temperatura do corpo. E o tempo que demora a deitar abaixo tudo o que vem para a mesa surte o mesmo efeito. Depois, como a fábrica é aberta para a sala de refeições, há aquele cheirinho a croissants e pães acabados de fazer que, se não traz memórias das míticas idas aos bolos fora de horas na adolescência, pelo menos deixa vontade de nunca abandonar o espaço. 

Para se aquecer: o pain au chocolat, acabado de sair do forno, feito como manda a regra, com sticks de chocolate. Preço: 2,20€

Publicidade
Benard - Croissant
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Benard

icon-location-pin Chiado

A vida do Chiado não existe sem a Benard, que adoça Lisboa há um século e meio. Aliás, a vida dos lisboetas não existe sem os croissants da Benard. É certo que a concorrência é feroz, que a cidade tem outros exemplares dignos de nota, mas estes continuam a manter-se no Top 5 da cidade. E convenhamos: o programa de comer um croissant – servido com faca e garfo, atenção – soa a Inverno. Até porque com ele vêm os chás e outras bebidas quentes, bem como os pastéis de nata, as argolas de ovo, os quindins, o sortido húngaro (vêm eles e vai-se a dieta). Ah! E os ares de salão de chá centenário também ajudam a aquecer o espírito. 

Para se aquecer: o serviço de café com leite de máquina. À mesa chega uma leiteira e uma cafeteira e só tem de misturar. Uma meia de leite DIY, vá. Preço: 2,95€

A Time Out diz
scone café saudade
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Pastelarias

Café Saudade

icon-location-pin Sintra

É costume ver o termómetro do carro descer uns graus significativos à medida que se avança IC19 fora, em direcção a Sintra – o mesmo fenómeno acontece no caminho da serra. É também costume que uma boa parte das horas passadas na vila sejam ao ar livre. Quer se escolha o Castelo dos Mouros, o Palácio da Pena ou Monserrate. O Café Saudade é, então, o sítio ideal para um pré ou pós-passeio. Tanto pelos scones XL que serve, como pelas tostas quentinhas em pão saloio. Isto para não falar dos vários chás da casa e das bebidas com café, servidas em grandes canecas. O espaço tem salas e saletas, algumas só com lugar para duas pessoas, logo, pode bem funcionar como extensão da sua sala de estar.  

Para se aquecer: o chá verde com jasmim, mistura da casa, feito com chá verde da Gorreana. Também vendem para fora. Preço: 2,50€

Publicidade
fauna e flora
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Português

Fauna & Flora

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

O Fauna & Flora serve pequenos-almoços, almoços e brunches à la carte e é grande apologista do brinner (o pequeno-almoço ao jantar). Está no top dos cafés mais instagramáveis da cidade. As panquecas são as grandes estrelas da carta (que tem também uma variedade grande de bowls e tostas): são altas e fofas, há desde as de aveia e banana com iogurte grego e compota caseira da época (6€) às de frutos vermelhos com doce de leite (6,5€). Há também uma versão salgada, com bacon crocante, ovo estrelado, maple syrup e cebola caramelizada (6,5€).

Para se aquecer: a sopa do dia (2,80€) com ingredientes frescos, sazonais e locais.

The Mill
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Pastelarias

The Mill

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

Numa rebuscada associação, a ligação entre o novo The Mill e os países nórdicos poderia ser razão para esta cafetaria do Poço dos Negros entrar na lista (no Norte da Europa faz mais frio, percebe?). Mas não, somos uma publicação muito séria, e o The Mill tem de entrar porque tem uma oferta da família dos cafés que só de ler aquece o corpo e a alma: bicas, pingados, piccolo lattes, galões, cappuccinos, americanos e mochas. Logo ao lado, desfilam bolos caseiros, como o bolo de laranja e amêndoa ou o brownie de alfarroba. Também serve almoços, na onda do saudável e tem à venda a loiça da casa, desenhada pelos donos. Nem precisa de ir fazer compras para a rua, olhe que sorte.

Para se aquecer: um flat white, uma meia de leite semelhante à nossa, mas na versão australiana (um dos sócios é australiano). Preço: 2,50€

Publicidade
Rolls Brunch & Café
©Inês Félix
Restaurantes, Cafés

Rolls Brunch & Café

icon-location-pin Beato

É mais provável que conheça os rolls por caracóis, doces, normalmente com recheio de canela, em versões mais brioche ou mais folhadas, com um topping cremoso no topo. No Rolls Brunch & Café, um café com espaço luminoso e cores pastel na Penha de França, a especialidade é precisamente o roll mas aqui também os há em versões doces e salgadas. Todos os rolls podem ser pedidos individualmente (os preços variam entre os 1,90€ e os 2,70€) ou pode provar incluido nos menus de brunch. Há três menus, disponíveis a qualquer hora do dia.

Para se aquecer: o menu Rollie (8,90€), que inclui uma bebida, dois rolls, ovos mexidos, iogurte com granola caseira e pão torrado com manteiga de alho e compota.

Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Cafés

Break

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

No 71 da Poço dos Negros há um cantinho acabado de florescer para que os dias sejam levados com calma e sabor. Entrar no Break é perceber que podemos esquecer a rotina por uns minutos e apaixonarmo-nos por uma cozinha de conforto, mesmo que a existência de Lisboa seja um alvoroço do lado de lá do vidro. A estética é simples, os azulejos e o inox da anterior existência do espaço, um bar, deram lugar à madeira e ao branco, acolhedor. A cozinha é, também ela, simples, e essa foi sempre a ideia. No menu há brunch, panquecas, iogurte com granola e framboesa, sumo naturais, tostas e tapas. 

Para se aquecer: Panqueca de doce de ovos com nozes caramelizadas (5€) e um latte macchiato (2€).

Publicidade
Café da Garagem do Teatro Taborda
Fotografia: Arlindo Camacho
Bares

Café da Garagem

icon-location-pin Castelo de São Jorge

Não há dias cinzentos que impeçam a luz de entrar pela enorme parede de vidro do Café da Garagem, no Teatro Taborda. A vista sobre Lisboa, com a Senhora do Monte lá em cima, surge logo à chegada. Tem uma esplanada, mas o  ambiente aconchegante lá dentro aquece mais nos dias frios, com uma fila de candeeiros retro a pender por cima de mesas propositadamente improvisadas com portas antigas e cavaletes e um velho piano ao fundo. A lista de torradas, ali uma espécie de bruschettas, inclui opções vegetarianas ou combinações de presunto com queijo de cabra e doce de tomate.

Para se aquecer: Torrada francesa (6,5€) e um cappuccino (2,50€)

Uma senhora bebe um café num café em Lisboa
© Arlindo Camacho
Restaurantes, Cafeteria

A Luz Ideal

icon-location-pin Sete Rios/Praça de Espanha

É o café mais bonito de Benfica 
e aportuguesou o brunch, chamando-lhe o que é realmente: um grande pequeno-almoço. Há a versão doce (8€) e a salgada (10€) e só ao sábado: o primeiro tem chá ou café de filtro, sumo do dia, torrada, bolo, iogurte com granola e fruta; o segundo tem as mesmas bebidas, mas traz ovos mexidos com torrada, uma tiborna e requeijão com doce.

Para aquecer: Scone com manteiga (1,30€) ou doce (+0,30€) e chocolate quente (2,20€)

Publicidade
curva lisboa
©Duarte Drago
Restaurantes

Curva

icon-location-pin São Vicente 

Livros e revistas combinam com café, tostas e comida honesta. No Curva encontra tudo isto, e obras de artistas nacionais numa galeria cuidadosamente curada. Lá dentro, branco a perder de vista. As tostas abertas com pão da padaria Terra Pão e sumos naturais são o forte da casa É assim o café de Daniel e Alex, instalado numa antiga casa na Damasceno Monteiro, quase no Intendente, que antes foi garagem e tipografia.

Para aquecer: Tosta de queijo de cabra, fruta da época, nozes, alecrim, sementes de papoila e mel (6€) e um copo de vinho (2,20-3,50€).

Kit anti-frio

Chocolate quente da Confeitaria Nacional
©Arlindo Camacho
Restaurantes

Os melhores sítios para beber chocolate quente em Lisboa

Cremoso, com ou sem chantilly por cima, quente e bem docinho. Se o que lhe aquece realmente a alma (e as mãos) é o chocolate numa versão líquida, esta é a altura certa para correr as capelinhas todas em busca de uma chávena de chocolate a fumegar e colocar a gulodice em dia. Aqui damos-lhe uma lista de sítios para beber chocolate quente em Lisboa com um grau de cacau mais ou menos elevado, com rum e até com licor de laranja. Mais ou menos doce, estas canecas são um tiro certeiro para curar todos os males. Recomendado: Os melhores cafés em Lisboa

Bounce lisboa
©DR
Miúdos

Especial frio: actividades para crianças em Lisboa dentro de portas

Vamos andar de bicicleta? Não, que o chão está todo molhado. Que tal um piquenique no parque? Dão chuva para a tarde inteira. E se formos todos à praia? Mergulhos, com este frio – nem pensar! Se entreter os miúdos é um desafio nos meses quentes, no Inverno então pode ser um pesadelo. Mas só para quem não se quiser inspirar na nossa lista de atracções indoor em Lisboa, com actividades para crianças em espaços fechados e quentinhos.

Publicidade
Cocktail Cinco Lounge
Duarte Drago
Bares

Sete bares para fugir ao frio e à chuva

Dias de neura e de chuva pedem bares quentinhos e cocktails que aquecem a alma e felizmente, em Lisboa, há cada vez mais opções. Nos últimos meses têm surgido novos bares a juntar-se à lista dos já clássicos onde vale a pena passar um bom bocado a descobrir um cocktail. Puré de ananás, sumo de laranja queimada, infusão de chocolate, pimentos Padrón, cacau ou banana pão são alguns dos ingredientes dos copos que aqui lhe sugerimos. Não desconfie já, vai ver que é bom e que no final até vai querer voltar. Nem se vai lembrar mais do frio que deixou na rua. 

Mostrar mais
Publicidade