A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Pavilhão do Conhecimento, Miúdos
©Gabriell VieiraPavilhão do Conhecimento

Actividades com crianças: as melhores atracções para os dias frios

O frio e a chuva não têm de ser um impedimento: temos muitas sugestões de actividades para crianças em espaços fechados.

Escrito por
Editores da Time Out Lisboa
Publicidade

Ao parque, com este frio? Nem pensar, ainda se constipam. Mas podemos ir andar de bicicleta? Não, que o chão está todo molhado. Afinal de contas, este tempo não dá para grande coisa. Ou dá? Se entreter os miúdos é um desafio nos meses quentes, nos dias de chuva e frio pode ser um pesadelo. Mas só para quem não se quiser inspirar na nossa lista de atracções indoor em Lisboa, com actividades para crianças em espaços fechados e quentinhos. Desde o Oceanário até à Cinemateca Júnior, há escolhas para todos os gostos – e é muito provável que os pais gostem dos programas tanto quanto os filhos.

Recomendado: As melhores coisas para fazer com crianças este mês em Lisboa

Em dias de chuva, também há brincadeiras

  • Miúdos

Há uma infinidade de coisas para fazer com os miúdos em Lisboa durante este mês. Uma delas é ir ao teatro, sabia? Além de os ensinar a estar atentos e a tirar as suas próprias conclusões, ajuda-os a sossegar (bem sabemos como é difícil convencê-los a estar quietos). Desde a adaptação de clássicos até aventuras novinhas em folha, estas são grandes ideias para gente pequena e decorrem em vários cenários espalhados pela cidade e arredores. O que interessa é tirar os gaiatos de casa. Aproveite antes que saiam de cena. Mas, atenção, não se esqueça que agora é obrigatório apresentar testes negativos à Covid-19: um PCR feito até 72 horas ou um antigénio até 48 horas antes.

Recomendado: Fim-de-semana perfeito em família

  • Atracções
  • Parque das Nações

Obrigatório para todas as idades, o Oceanário é especialmente irresistível para os mais novos, com aqueles janelões gigantes para o aquário (com cinco milhões de litros de água salgada), peixes iguais aos d'A Pequena Sereia e do Nemo e actividades divertidas e originais como os concertos para bebés, em que os sentidos da audição e da visão são convidados de honra. Já para não falar das exposições. A permanente agora tem sardinhas da costa portuguesa, para dar a conhecer esta espécie e sensibilizar para a importância das escolhas conscientes no que respeita ao consumo de pescado. Por falar em consumo, no novo restaurante do Oceanário não entra peixe, mas há outras opções bem saborosas e que prometem fazer as delícidas da família inteira.

Publicidade
  • Miúdos
  • Eventos cinematográficos
  • Santa Maria Maior

Nada como combater o frio e a chuva com uma bela sessão de cinema. Se querem fugir das enchentes dos centros comerciais, dos baldes de pipocas e dos refrigerantes cheios de picos – e ainda querem descobrir clássicos da animação, corram para a Cinemateca. O ecrã pode não ser muito grande mas vive para os mais pequenos e, além de filmes, há ateliers e visitas guiadas ao Museu do Cinema. Também já há programação para os sábados em família, que inclui sessões de cinema, mas também uma oficina para crianças dos quatro aos oito anos.

  • Atracções
  • Belém

Mesmo quando não há estrelas no céu, há estrelas no Planetário. Sob a cúpula de 23 metros é possível observar constelações, luas, planetas, nebulosas, galáxias e milhares de estrelas, mas não só. Com um novo sistema de projecção digital, é possível viajar até aos confins do universo. A funcionar há mais de meio século, graças ao empenho de um comandante da Marinha e professor de navegação astronómica, o Planetário da Marinha (antigo Planetário Calouste Gulbenkian) tem tido como objetivo promover a cultura científica e tecnológica e o interesse pela astronomia. Apresenta sessões temáticas para diversas idades, observações astronómicas, programas Ciência Viva no Verão, noites com um astrofísico no último sábado de cada mês, para além de outros Encontros com o Cientista, várias actividades educativas para grupos escolares, comemorações de eventos e efemérides.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Oeiras

Abriu portas em Maio de 1898 e, 120 anos depois, ainda navega firme. É cenário de memórias para sucessivas gerações e continua a ter uma oferta pedagógica inigualável, sobretudo para quem queira aprender alguma coisa sobre a fauna da costa portuguesa, sempre em destaque na exposição permanente. O ponto alto em matéria de espólio é a espantosa colecção oceanográfica que o Rei D. Carlos recolheu nas suas expedições em finais do século XIX. O resultado é uma aula viva sobre os oceanos e a vinha marinha que se confunde com uma lição de história portuguesa. Intemporal e obrigatório, tem ainda várias novidades, entre elas o facto de já não acolher animais de grande parte e do antigo tanque das otárias ter sido convertido num espaço interactivo. 

  • Museus
  • Ciência e tecnologia
  • Parque das Nações

Por um dia, esqueça lá o “Não se mexe aí” ou o “Ver com os olhos e não com as mãos”. O Pavilhão do Conhecimento é um dos museus preferidos das crianças por um motivo: elas podem tocar em tudo (ou quase). Junte-lhes um laboratório que se transforma em cozinha e está resolvido aquele dia de Inverno em que não sabiam o que fazer. Mas há mais: em “Água – Uma Exposição Sem Filtro”, patente até Setembro de 2022, as famílias são desafiadas a reflectir sobre e a lutar contra o stress hidríco e a escassez da água, por um futuro mais azul.

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Campo de Ourique

A história de Tatiana e Filipe, os donos do Espaço Nido Numa Casca de Noz, em Campo de Ourique, é tão cheia de aventuras que não cabe nestas páginas. Para resumir, o importante é ficar a saber que o projecto vai muito além de um cafezinho family-friendly (a onde recomendamos ir brunchar com as crianças). É também um negócio colaborativo com espaço para os projectos infantis de várias pequenas empreendedoras – todas mulheres – que Tatiana foi descobrindo desde que chegou a Portugal, e que fazem companhia à sua própria marca de almofadas de amamentação, A Cor de Abóbora. E conta ainda com uma sala multiusos, que tanto serve para os miúdos brincarem enquanto os pais descontraem no café, como de sala de aula para sessões de leitura, yoga ou dança ou para fazer festas de aniversário quando encerram ao domingo. 

  • Coisas para fazer
  • Grande Lisboa

Herdou a morada e a equipa do Bounce, mas tudo o resto é novidade no Jump Yard. Aqui toda a gente salta nos 3500 metros quadrados de trampolins e outras atracções para quem gosta de adrenalina. Entre a Jump Tower, uma zona em que é possível saltar de uma plataforma para aterrar num colchão de ar, a Clip’Climb, uma área com sete paredes (uma delas dupla) possíveis para escalar, ou o Ninja Park, uma parte do armazém para os cada vez mais fervorosos adeptos do programa American Ninja Warrior, o difícil é escolher por onde começar. 

Publicidade
  • Desporto
  • Alpinismo
  • Marvila

Se a ideia de ficar trancado em casa com os miúdos o faz trepar paredes, então mais vale ir directo para o Vertigo Climbing Center – e levá-los a reboque, claro. O primeiro rocódromo de Lisboa dedica-se à prática de escalada indoor e tem uma área escalável de 300 m2. Se prefere manter-se à distância das alturas, ponha o arnés às crianças e instale-se no café ou na esplanada com vista para o rio. Além disso, o Vertigo também tem uma agenda cultural rica em exposições de fotografia, exibições de filmes, espectáculos e até festas temáticas.

  • Museus
  • Baixa Pombalina

O museu dedica-se ao dinheiro, mas não lhe pede nem um cêntimo para entrar. Inaugurado em 2016, com uma forte aposta na interactividade, convida a percorrer a história do dinheiro e a sua relação com a sociedade, mas também a aceder ao Núcleo de Interpretação da Muralha D. Dinis, contruída no século XIII. Pode também cunhar uma moeda à sua imagem e tocar numa barra de ouro de 12kg. Não faltam actividades para os miúdos se entreterem, incluindo oficinas para pais e filhos, e aos fins-de-semana há vários programas especiais. É a oportunidade perfeita para ensinar aos miúdos a importância de poupar.

Publicidade
  • Museus
  • Ciência e tecnologia
  • Chiado/Cais do Sodré

A exposição permanente chama-se Casa do Futuro e é mesmo uma casa, com porta, cozinha e sala de jantar. Mas até lá vale a pena explorar os meios de comunicação mais antigos, como o excêntrico telégrafo. Haverá melhor forma de dar largas à imaginação? Só aos sábados, com os workshops para miúdos e graúdos, que incluem oficinas de televisão, espionagem com walkie-talkies ou um peddy paper pelo Bairro de São Paulo, para uma tarde diferente. Se as crianças lá de casa têm entre três e 14 anos, lembre-se ainda que também é possível organizar festas de aniversário no museu.

  • Miúdos
  • Grande Lisboa

“O que queres ser quando fores grande?” Se o miúdo nunca sabe o que responder, leve-o a este parque temático, onde ele poderá brincar aos crescidos num ambiente altamente realista. Há mais de meia centena de profissões por onde escolher numa cidade em ponto pequeno, mas com tudo a que eles têm direito: aeroporto, fábricas, teatro, lojas, esquadra da polícia, bombeiros e até um estádio de futebol. Aos domingos, é dia de família para que os pais possam brincar com os seus filhos.

Publicidade
  • Museus
  • História natural
  • Princípe Real

É uma recomendação clássica, mas conquistou o título por mérito próprio. É, habitualmente, uma aposta segura. Qual é o miúdo que não gosta de ir ao Museu Nacional de História Natural e da Ciência? Eles até podem não ir convencidos, mas saem de lá com vontade de voltar. Até há visitas dramatizadas destinadas a famílias com crianças a partir dos seis anos. Já para não falar das exposições, das “Viagens da Ilustração Científica em Portugal” até a uma “Antártica Fora de Equilíbrio”, retratada nas fotografias de Edward Longmire.

  • Coisas para fazer
  • Cascais

São mais de 80 trampolins e nove actividades abertas para todas as idades, no novo espaço UPUP em Rio de Mouro, Sintra. Se pensa que se tratam de meros trampolins, engana-se. Há um espaço para praticar basquetebol e futebol e ainda um recinto dedicado ao dodgeball (o antigo jogo do mata). Há também uma zona de insufláveis e outra chamada de “Saco no Ar”, que conta com quatro pistas de aceleração, com um metro e meio de profundidade, permitindo o aperfeiçoamento da técnica do trampolim. Os miúdos, que são habitualmente quem mais gosta destas coisas, têm também a oportunidade de organizar neste espaço a sua festa de aniversário. Os preços rondam entre os 12€ (preço para uma sessão de 60 minutos), 39,5€ para famílias de dois adultos e duas crianças e 50€ (preço para cinco sessões individuais de 60 minutos).

Publicidade
  • Coisas para fazer
  • Sintra

Parques de trampolins nunca são de mais e este é um dos maiores da Europa. O parque divide-se em três estações distintas, cada uma delas com níveis de dificuldade adaptados à experiência (ou à falta dela) de cada um. À entrada somos bombardeados com um arco-íris transformado em 20 paredes de escalada com nove metros de altura. A prata da casa são, claro, os trampolins, que ocupam a maior área do parque, contando com um campo de basquetebol e outro de dodge ball, uma torre de saltos, para os mais corajosos, e um percurso ninja, com saltos, equilibrismo, corrida, suspensão, a fazer lembrar os Jogos Sem Fronteiras, que fazem parte da memória coletiva sobre as décadas de 80 e 90. Ao fundo do parque, está a zona mais radical com um half-pipe para quem quiser mostrar os dotes em cima do skate, e ao lado está um air bag gigante em forma de rampa para aterrar depois de uma manobra sobre rodas. Quanto aos preços, as actividades são pagas à hora: os trampolins, a escalada e o skate custam 12€, 14€ e 5€ respectivamente.

Anima Park
  • Miúdos
  • Cascais

Basta calçar as meias antiderrapantes para entrar num mundo de brincadeiras cheio de cores. Arborismo indoor, escalada, slide, escorrega de bóias, trampolins e videojogos são algumas das atracções que os miúdos vão encontrar no novo Anima Park, em Cascais. Acha que já chega para lhes gastar a energia toda? Pois fique a saber que há ainda o Brinquedão, um espaço com 175 metros quadrados cheio de obstáculos, um labirinto e um escorrega; e uma cidade em ponto pequeno, com uma oficina, um supermercado e uma cozinha para os miúdos brincarem aos crescidos. Para os pais, há um lounge bar com vista para o parque infantil – além de mesa de snooker, máquina de flipper e petiscos.

Publicidade
Time Out Market Lisboa
  • Restaurantes
  • Cais do Sodré

Se não está tempo para esplanadas, na hora de comer rume ao Time Out Market, onde não faltam opções para os mais novos se deliciarem. A manhã começa logo com as panquecas da Tartine, mas a banca dos melhores hambúrgueres da cidade também não esqueceu as crianças quando se instalou no Cais do Sodré: no menu do Ground Burger está o Kids Burger, com queijo cheddar. Para uma experiência mais típica, procure a Cozinha da Felicidade, onde é servido um belo exemplar de bitoque. Um bife do lombo com ovo estrelado, presunto e batatas fritas. No fim, mesmo que lá fora esteja frio, lambuzem-se com um gelado da Davvero. E, se quiserem encarnar o papel de chef, vale a pena estar atento à agenda de workshops na Academia Time Out, onde os mais novos também podem aprender a ser grandes cozinheiros.

Outras coisas para fazer com miúdos

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade