A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Ofício
©Inês Félix

O Ofício mudou: conheça o novo restaurante e os pratos obrigatórios

O Ofício mudou de espaço. Está na mesma rua mas com um ambiente completamente diferente e novos pratos na carta. Prove estes cinco novos pratos.

Escrito por
Inês Garcia
Publicidade

As obras no edifício no número 10 da Rua Nova da Trindade obrigaram o Ofício a mudar de casa – ficaram na mesma rua, mas agora são vizinhos da Cervejaria Trindade, Bairro do Avillez ou Rei da China. Porém, “foi um mal que veio por bem”, acredita Diogo Figueiredo, um dos sócios. Trocaram os dois pisos pelo espaço amplo do antigo Faz Gostos, todo em pedra. À entrada há uma nova zona de bar, que funcionará de forma independente e com uma carta de cocktails perfeita também para começar o jantar, e depois há uma sala com luzes baixas – no Inverno, vão ter a lareira da sala sempre a funcionar, a aquecer e dar outro ambiente à zona de refeições. “É muito mais maduro, tanto a nível de espaço em si como de atendimento e produto”, acrescenta.

Durante os três meses que estiveram de portas fechadas, começaram os testes para a nova carta, agora assinada por Gonçalo Moreno, ex-chef do À Justa, o restaurante da chef Justa Nobre na Ajuda. A ideia é afastarem-se da ideia de steakhouse, apesar de manterem três bons ossos, o t-bone com 30 dias de maturação (65€), o chambão (68€) e o tomahawk (80€). “O nosso propósito é precisamente afastarmo-nos da carne grelhada, reinventar alguns pratos tradicionais portugueses”, reforça, mencionando, por exemplo, o menu executivo (15€) que vai ter pratos como o ensopado de borrego ou a carne de alguidar.

Prove estes cinco novos pratos.

Recomendado: Os melhores novos restaurantes em Lisboa

Cinco novos pratos que tem de provar no Ofício

Taco Time
©Inês Félix

Taco Time

Um dos primeiros twists aparece no capítulo das entradas. O pernil de porco aqui é desfiado e posto em tacos crocantes, cobertos com queijo da Serra. Tem tomate na base, criando uma entrada mais leve. 

Preço: duas unidades, 8€

Torresmos crocantes
©Inês Félix

Torresmos crocantes

Lembra-se daqueles couratos no carvão, feitos nas festas da terrinha? Esta entrada é inspirada nesse petisco. Aqui usam um pedaço de barriga de porco, bem gordinho, com muito sabor e um topo crocante. Leva marmelada e uma redução de vinho do Porto.

Preço: quatro unidades, 8€



Publicidade
Arroz de perdiz à antiga
©Inês Félix

Arroz de perdiz à antiga

É servido numa caçarola vermelha e é uma dose para duas pessoas. Vem com duas "coxinhas" de perdiz e o arroz é bem rico, com enchidos. Tem direito a um acompanhamento à escolha e o aconselhado são estes legumes do Hortelão assados.

Preço: 32€

Costeleta estaladiça
©Inês Félix

Costeleta estaladiça

Esta costeleta de porco generosa é marinada e panada duas vezes, com farinha de trigo, e depois com uma farinha misturada com corn flakes salgado, para ficar com este tom dourado e mais crocante. Está na categoria "por conta própria", ou seja, os pratos apenas para uma pessoa.

Preço: 15€

Publicidade
Soufflé de laranja
©Inês Félix

Soufflé de laranja

Este soufflé chega à mesa numa laranja inteira, com um merengue suave por cima, e gelado de tangerina e rosmaninho a acompanhar. Se for com companhia, peça esta e o bolo de chocolate cremoso, que é uma espécie de petit gateaux com pimenta rosa e petazetas.

Preço: 6€

Os melhores restaurantes em Lisboa

  • Restaurantes
  • Argentino

Dentro da gastronomia mais típica argentina, as carnes são o maior trunfo do país. Há bife chorizo (o chorizo é um dos cortes mais nobres na carne bovina argentina), parrilladas com diversos tipos de carne e linguiças na brasa, o lomo, uma carne macia cozinhado consoante a região ou as empanadas, petisco bem recheado com sabores mais ou menos exóticos (e com q.b de picantinho, mas sempre bem temperado). 

  • Restaurantes

A cidade é cada vez mais dos turistas, dizem, mas ainda há sítios que se mantêm com toda a resiliência como cantinas diárias para o almoço dos lisboetas. Comer fora não tem de ser caro e na cidade existem verdadeiros achados entre alguns dos restaurantes baratos em Lisboa. Pense num prato rico, em comida saborosa e atendimento simpático – às vezes até familiar. 

Publicidade
  • Restaurantes
  • Brasileiro

Diz-se no Brasil que quem tem pressa come cru. Tome o seu tempo apreciar este roteiro, carregadinho de quitutes, petiscos pequeninos para matar a fome aqui e ali, e com uma viagem pela Bahia, com os seus clássicos como o óleo de dendê, o camarão seco, os coentros ou o leite de coco. Temos também os ingredientes brasileiros que nos últimos anos ficaram na moda deste lado do Atlântico, como a tapioca ou o açaí. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade