Os melhores sítios para comer carbonara em Lisboa

Este clássico italiano é fácil de encontrar em Lisboa, mas nem todas as carbonaras valem a pena. Estes são os melhores sítios para comer este prato.
Il Matriciano carbonara
Fotografia: Arlindo Camacho A carbonara do Il Matriciano
Por Mariana Correia de Barros e Inês Garcia |
Publicidade

Um restaurante italiano sem uma boa carbonara é como a Fontana di Trevi sem água, a Capela Sistina sem turistas afogueados ou a Praça de São Pedro sem turistas ansiosos para ver o Papa. Mas desengane-se quem pensa que é fácil encontrar um bom exemplar da receita clássica italiana em Lisboa – se lhe apresentarem um prato de massa com natas, fuja logo a sete pés. Para lhe facilitar o trabalho e não ser uma maçada, reunimos os melhores sítios em Lisboa para comer uma carbonara autêntica e conseguir acabar a refeição a dier: Mamma mia! Che buono! 

Recomendado: As melhores pizzarias em Lisboa

Os melhores sítios para comer carbonara

nova morada 2017
©DR
Restaurantes, Italiano

Bella Ciao

icon-location-pin Chiado

Conta Marcello, o dono e cozinheiro, que carbonara vem da palavra "carvão". E daí se explica a pimenta preta que leva a pasta – aqui bem picante. Explica também que a faz com parmesão e pecorino, ovo e guanciale, uma carne curada tipo pancetta, mas da bochecha de porco, típico de Roma e importado de lá para o Bella Ciao, o restaurante que abriu em ponto pequeno na Rua do Crucifixo e em 2017 se mudou para um espaço maior, a 300 metros do restaurante original mas com a boa oferta de sempre.

Preço: 9,5€.

A Time Out diz
Il Matriciano
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Italiano

Il Matriciano

icon-location-pin Chiado/Cais do Sodré

É um dos italianos mais autênticos de Lisboa e, como não podia deixar de ser, tem um spaghetti alla carbonara, esse clássico da gastronomia italiana que está a voltar às luzes da ribalta, feito como manda 
a tradição. Leva guanciale (bochecha 
de porco italiana, com uma tira fina envolve a massa toda), pimenta preta, queijo pecorino, parmesão e ovo.

Preço: 14€

Publicidade
Casanostra
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

Casanostra

icon-location-pin Bairro Alto

O Casanostra foi, durante vários anos, a única morada para comer bons pratos italianos em Lisboa. E aquele ar de cozinha de casa de avó continua a ser uma boa escolha. A receita de carbonara da casa é diferente da dos seus congéneres, e leva bacon, alho, ovo, alecrim e queijo parmesão por cima.

Preço: 10€.

A Time Out diz
Il Covo - Bolognesa
Fotografia: Francisco Santos
Restaurantes, Italiano

Il Covo

icon-location-pin Estrela/Lapa/Santos

Está entre os restaurantes mais escondidos de Lisboa. É, contudo, uma arca do tesouro que merece ser aberta por todos os apreciadores da vera cucina italiana. Primeiro porque nesta ruela da Madragoa fazem pasta fresca todos os dias das 16.00 às 19.00 e convidam quem quiser a assistir; segundo porque Luca Salvadori, o cozinheiro, traz todos os dias peixe fresco da Costa da Caparica e diverte-se a inventar pratos com ele; terceiro porque a carbonara com guanciale, ovo e queijo é incrível. Assim como o tiramisú caseiro, montado à frente do cliente.

Preço: 8,90€

A Time Out diz
Publicidade
La Pasta Fresca
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes, Italiano

La Pasta Fresca

icon-location-pin São Sebastião

Agnolotti, casarecce, tordelli, sedanini. São os nomes de quatro massas frescas que vai querer ver no seu prato. Stefania Raiola e Giuseppe Godono, napolitanos de gema, abriram em 2015 este restaurante junto ao Campo Pequeno, onde servem e vendem para fora pasta fresca, acompanhada de molhos de tomate e manjericão, cogumelos porcini e brócolos com anchovas, entre outros. A massa é feita no restaurante e produzem cerca de 50 quilos por dia com o auxílio de uma máquina que em dez minutos faz cinco. A nossa crítica Marta Brown deu-lhe 4 estrelas e teceu grandes elogios à carbonara: "Muito boa a carbonara, sem excessos, com pimenta, queijo pecorino, guanciale e ovo". 

Preço: 11,90€

A Time Out diz
Il mercato
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Il Mercato

icon-location-pin Avenida da Liberdade/Príncipe Real

Tanka Sapkota abriu em 2017 um restaurante italiano de massas frescas, com uma componente de mercearia onde um apreciador de charcutaria é capaz de deixar boa parte do ordenado. As pastas existem já feitas para consumo in loco, em receitas do dia (menu de almoço a 11,95€) ou à la carte e existem para take-away, também com molhos do restaurante. O spaghetti carbonara é feito à boa maneira romana, com bochecha de porco curada durante um ano, gema, parmigiano reggiano e pecorino romano DOP.

Preço: 11,25€

A Time Out diz
Publicidade
pasta non basta
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Pasta Non Basta

icon-location-pin Avenidas Novas

É uma espécie de três em um. O Pasta Non Basta  o restaurante que começou junto à Praça de Espanha onde antes funcionou o De Castro Elias, um dos restaurantes de Miguel Castro e Silva, e agora já se expandiu para Alvalade  é uma osteria com petiscos, um ristoranti, com pratos de massa e risotos e, como pasta non basta, é ainda uma pizzaria, com pizzas clássicas e especiais, cozinhadas num forno a lenha virado para a rua. A carbonara leva guanciale, pancetta, ovo, pecorino, parmesão e pimenta preta.

Preço: 11,50€

pátio antico
Manuel Manso
Restaurantes, Italiano

Pátio Antico - Lisboa

icon-location-pin São Sebastião

O italiano de Paço de Arcos chegou ao centro de Lisboa, ao Saldanha, em Maio de 2018. Aqui Rosário Corsa faz fundamentalmente aquilo que já fazia no restaurante de Paço de Arcos: comida italiana como a mãe o ensinou a fazer e massa fresca feita todos os dias. O spaghettoni alla carbonara é com gema de ovo e pancetta. Durante a semana, há pratos do dia com preço fixo (14€) com aquilo que o mercado dá. 

Preço: 14€.

Os melhores sítios para comer..

Marco - Francesinha
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Francesinhas

O tema é controverso e não faltam opiniões sobre boas francesinhas em Lisboa, mesmo que haja quem diga que só no Porto é que se come bem este monumento ao colesterol. Mas que as há, há. E bem boas. Já foi eleita umas das melhores sandes do muito, embora seja muito mais do que uma sandes, ora atente nos ingredientes básicos: bife, lombo assado, salsicha, linguiça, fiambre e queijo (muito queijo!). E depois há o molho – há quem diga que o segredo de uma francesinha está exactamente no molho. Com ou sem ovo, mas sempre em camadas, dizemos-lhe três sítios para comer francesinhas em Lisboa. 

La Puttana - Marinara
Fotografia: Manuel Manso
Restaurantes

Pizza marinara

Há umas quantas teorias populares que explicam a origem do molho marinara e, portanto, da pizza marinara. Umas dizem que era o prato preparado pelas mulheres dos marinheiros para os receber em terra, outras afirmam que este molho simples e saboroso de tomate e alho foi inventado pelos marinheiro de Nápoles no regresso das Américas e que assim que fez a primeira pizza. Em qualquer dos casos a receita está ligada ao mar como o nome revela desde o início: marinara significa "do marinheiro" em italiano. Por Lisboa, não tarda estamos na época do tomate, a melhor ocasião para comer marinaras nestes três sítios. 

Publicidade
Restaurantes

Paella

A receita é espanhola, mas não é por isso que não se comem boas paellas em Lisboa, seja na sua forma mais tradicional ou reinventadas com os ingredientes que por cá se encontram mais frescos como é o caso da paella negra do Tapisco do chef Henrique Sá Pessoa feita com sépia e aioli. Mas se o que procura é a clássica paella, servida num tacho capaz de ocupar a mesa toda, então rume ao Solar dos Presuntos. Nestes três restaurantes, vai encontrar pratos coloridos, bem servidos e, acima de tudo, deliciosos.  

Publicidade
Esta página foi migrada de forma automatizada para o nosso novo visual. Informe-nos caso algo aparente estar errado através do endereço feedback@timeout.com