Três sítios para comer cabidela

Ver o futuro muito negro neste caso é um bom indicador. Não tenha medo do escuro ao comer a cabidela destes três sítios em Lisboa

Fotografia: Arlindo CamachoCabidela da Adega das Mercês

Se é daqueles que desmaia quando vê sangue, nem se aproxime desta lista. Aqui é frango ou galinha, miúdos, arroz caldoso e sangue avinagrado. Conheça três sítios onde pode deliciar-se com cabidela em Lisboa.

Três sítios para comer cabidela

Adega das Mercês

Aqui, às sextas-feiras, a cabidela é feita com galinha do campo marinada em vinho verde antes de ir a cozinhar, explica Alcino Santos, que serve este prato com um claro travo a vinagre, como é tradicional. Apesar de comida de sustento, esta cabidela enche a sala mais à noite do que à hora do almoço.

Preço: 9,50€.

Ler mais
Bairro Alto

Stop do Bairro

O Stop do Bairro deixou este ano Campo de Ourique para se ir meter em Campolide. Muita coisa mudou no espaço, mas nada na equipa e no que chega à mesa. A dona Rosa continua a fazer a afamada cabidela às sextas-feiras, para rematar a semana, e aos amigos da casa continua a servir-se o chá frio (aka aguardente de marmelo) no fim. Se sangue não é o seu forte, saiba que há sempre peixe fresco que garante um grelhado.

Preço: 15€ a dose, 10€ a meia dose.

Ler mais
Campolide
Publicidade

Adega da Tia Matilde

Não procure cabidela na carta ou nunca mais sai do couvert em direcção ao prato principal. Este prato tradicional chama-se aqui arroz de frango à Tia Matilde. É a especialidade da casa (ao lado de pratos como o pato corado ou a caldeirada de frango à Tia Matilde) e tirando o nome, em tudo o resto é igual ao arroz escuro feito com o sangue do bicho.

Preço: 15€ a dose, 11,50€, meia dose.

Ler mais
São Sebastião

O que é nacional, é bom

O melhor da cozinha tradicional portuguesa em Lisboa

Demos uma volta ao país sem sair da cidade e reunimos uma colecção de grandes exemplares da cozinha tradicional portuguesa, região por região, servidos nos restaurantes de Lisboa. É muito provável que a sua comida de conforto esteja aqui. Esta é a nossa zona de conforto. 

Ler mais
Por Inês Garcia

Três sítios para comer polvo à lagareiro

Tem de ser cozido e bem cozido para não ficar tipo pastilha-elástica. Depois segue para a grelha ou para o forno, embebido em azeite e acompanhado com batata à murro. No Natal é rara a mesa do Norte que não tenha polvo, mas se for alfacinha, e enquanto não chega a quadra, é ir a um destes três sítios para comer polvo à lagareiro.

Ler mais
Por Inês Garcia
Publicidade

Três melhores sítios para comer sopa de tomate alentejana

Quando vamos atrás de sopas alentejanas já sabemos que temos de ir de barriga vazia. E estas três não são excepção. Tome nota, estes são os três melhores sítios para comer sopa de tomate alentejana, bem no coração da capital.   Recomendado: As melhores sopas de Lisboa

Ler mais
Por Editores da Time Out Lisboa

Comentários

0 comments