Global icon-chevron-right Portugal icon-chevron-right Lisboa icon-chevron-right Três sítios para comer polvo à lagareiro

Três sítios para comer polvo à lagareiro

É um dos pratos portugueses mais clássicos. Eis três sítios para comer polvo à lagareiro.

Publicidade
Polvo à lagareiro do dom feijão
Fotografia: Manuel Manso Polvo à Lagareiro do Dom Feijão

É um clássico da gastronomia portuguesa e em Lisboa encontramo-lo de várias formas. No entanto, por agora, focamo-nos no polvo à lagareiro. Tem de ser cozido e bem cozido para não ficar tipo pastilha elástica. Depois segue para a grelha ou para o forno, com muito azeite e acompanhado com batata a murro. No Natal é muitas vezes servido, especialmente nas mesas do Norte, mas que a quadra não seja a única desculpa para comer polvo à lagareiro. Prove-o num destes três restaurantes em Lisboa – o melhor é ligar a reservar mesa.

Recomendado: Três sítios para comer salada de polvo

Os melhores três sítios para comer polvo à lagareiro

Dom Feijão
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Dom Feijão

Campo Grande/Entrecampos/Alvalade
4 /5 estrelas

Os pratos à lagareiro são um dos fortes do Dom Feijão, a par do peixe fresco e da carne na grelha. Há as ovas, as lulas, o bacalhau e, claro, o polvo, ou não fosse esta casa de uma família do Norte, de Paredes de Coura.“E fica mesmo muitas horas a cozer para ficar macio antes de ir para a grelha”, garante o responsável de sala. Mas atenção que só há às segundas, sextas e sábados. Se não o apanhar, peça o cherne grelhado.

Preço: 16€.

Adega das Gravatas
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes, Português

Adega das Gravatas

Carnide/Colégio Militar
4 /5 estrelas

É um dos restaurantes mais emblemáticos de Carnide, com boa comida portuguesa, especialmente grelhados, sempre em doses bem servidas. O polvo à lagareiro vem a nadar em azeite quente, alho e batatas a murro. No fim pode deixar a gravata para acrescentar aos bibelôs de tecto.

Preço: 14,95€

Publicidade
zapata
©DR
Restaurantes

Zapata

Chiado/Cais do Sodré

Um primeiro conselho: passe lá ao ao almoço. Ao jantar é raro o dia em que não está cheio com grupos de amigos. O polvo serve-se em dose e meia dose (9,40€) com alho, cebola e batatas a murro.

Preço: 15,60€.

Bom e barato

Jorge d'Amália
Fotografia: Arlindo Camacho
Restaurantes

Tascas a não perder em Lisboa

O que é uma tasca? O dicionário diz-nos que é "um estabelecimento modesto que vende bebidas e refeições", mas também nos ensina que "tasca" é o nome do "utensílio em que se espadela o linho". Para que não haja dúvidas: estamos a falar dos restaurantes. Este roteiro tem atendimento simpático, doses generosas e boa comida portuguesa. Não pagámos mais do que 12€ por refeição.

Food Temple, cozinha
Fotografia: Ana Luzia
Restaurantes

Os melhores restaurantes em Lisboa até 10 euros

A cidade é cada vez mais dos turistas, dizem, mas ainda há sítios que se mantêm com toda a resiliência como cantinas diárias para o almoço dos lisboetas. Comer fora não tem de ser caro e na cidade existem verdadeiros achados entre alguns dos restaurantes baratos em Lisboa. Pense num prato rico, em comida saborosa e atendimento simpático — às vezes até familiar. Fazem-se literalmente negócios da China, da Índia, da Argentina, bem portugueses e outros completamente vegetarianos. Para encher a barriga sem esvaziar a carteira, este barato não lhe vai sair caro: estes são os melhores restaurantes em Lisboa até 10 euros. Ou menos. 

You may also like

    Publicidade