crepe suzette do gambrinus
Fotografia: Manuel MansoCrepe Suzette do Gambrinus

Três sítios para comer crepes Suzette

Um caldo licoroso, açucarado e cítrico numa sobremesa icónica. Encontrámos três sítios onde comer crepes Suzette em Lisboa.

Publicidade

Foi tudo um acidente daqueles que ou resultava em desastre ou numa invenção luminosa. Henri Charpentier incendiou uns crepes e o seu molho, enquanto preparava uma refeição para Eduardo VII, o futuro rei do Reino Unido. Sem tempo para repetir todo o processo provou o molho doce e achou que melhor era difícil. Até eram para ser baptizados com o nome do príncipe, mas — lei universal — para impressionar uma mulher há que lhe dar o seu nome a uns crepes. Se esta jogada correu bem ou não é especulação. Para os crepes sabemos como correu: replicaram-se, tornaram-se famosos ao ponto de a receita original — com raspa de tangerina — ser constantemente modificada.

Em Lisboa comem-se aproximações desta sobremesa com diferentes misturas de espirituosas e laranja. Conheça três sítios para comer estes crepes do século VII que ainda deixam pares românticos de boca aberta.

Três sítios para comer crepes Suzette

  • Português
  • Santa Maria Maior
  • preço 3 de 4

Crepes Suzette em Lisboa são sinónimo de Gambrinus – é pelo menos o que diz a internet, que tem uns quantos vídeos deste espectáculo no histórico da baixa. O chefe de sala traz uma mesa portátil toda artilhada de garrafas de brandy, Grand Marnier, Licor Beirão, Cointreau, sumo de laranja e açúcar e flambeiam-se os crepes à frente do cliente como se fosse um truque de magia.


Preço: 30€

  • Creperias
  • Chiado/Cais do Sodré
  • preço 1 de 4

Aqui a especialidade são as galettes, feitas com trigo sarraceno, sem glúten e sempre salgadas, e à boa moda da Bretanha. Sendo o tema gaulês tão forte – a equipa e menu falam francês – o crepe Suzette era inevitável, feito aqui com Grand Marnier e sumo de laranja, tudo em chamas para impressionar o cliente.

Preço: 6,50€

Publicidade
  • Português
  • Alfama
  • preço 2 de 4

A Casa do Bacalhau é dos clássicos, especialmente se falamos do peixe ex-líbris nacional, já se sabe. A carta atravessa todo o país, com as receitas mais tradicionais e uma ou outra invenção. Quando se chega às sobremesas, os clássicos continuam. Está lá uma adaptação dos clássicos crepes Suzette, feitos com ginja e sumo de laranja. Mas não há cá estrangeirismos: procure no menu por crepes flambeados.

Preço: 10€

Lisboa doce

Publicidade
Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade