A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
bombay sapphire
©Tiago MayaHome of Bombay, Whitchurch

Cinco bebidas que valem a viagem

Se é um amante de espirituosas ou cervejas, embarque nestas viagens e descubra mais sobre a sua bebida de eleição.

Escrito por
Inês Garcia
Publicidade

Escapadinha de fim-de-semana ou viagem mais longa, na hora de escolher o destino de uma viagem há muitos factores a influenciar, da comida local às atracções, museus e parques ou jardins. É inevitável. Se é fã de gin, cerveja, whiskey ou vodka, damos-lhe cinco sugestões de viagens para a Europa para juntar ao roteiro de viagem. São cinco bebidas que têm destilarias e museus a contar a sua história e com uma parte interactiva ou até de masterclasses para aperfeiçoar os dotes de bartender em casa. Em Inglaterra, beba gin; em Dublin opte por uma cerveja ou um copo de whiskey; dê um pulinho à Amesterdão para conhecer as raízes de outra cerveja ou faça all in em Varsóvia, no museu da vodka.

Recomendado: Comidas e bebidas fofinhas em Tóquio

Cinco bebidas que valem a viagem

Gin Bombay Sapphire, Whitchurch
©Tiago Maya

1. Gin Bombay Sapphire, Whitchurch

A bebida translúcida que enche um copo de balão tem muito que se lhe diga, e uma das melhores maneiras de perceber como se produz é ir até à boca do lobo ou, neste caso, ao sítio onde se faz o gin da icónica garrafa azul-turquesa. Fica a 100 km de Londres, num antigo armazém vitoriano que produzia o papel para as notas do Banco de Inglaterra , e que, em 2014, foi transformado na fábrica da Bombay Sapphire – cuja receita secreta original é de 1761. A destilaria-museu da marca deu nova vida à aldeia e alia a arquitectura antiga com uma estufa moderna e sustentável envidraçada (bastante instagramável). Lá, pode aprender todo o processo de produção do gin, começando na apanha e secagem dos botânicos: a Bombay trabalha 10 tipos diferentes, seleccionados por Ivano Tonutti. Estes são depois secos na destilaria e suspensos em cestos de cobre perfurados. À medida que os vapores do álcool aquecido sobem, dá-se a infusão com os sabores e aromas que os botânicos libertam. Antes de o gin ser engarrafado, fazem-se vários testes – sempre pela manhã, quando o olfacto está mais apurado. Pode aprender estas e outras coisas na destilaria da Bombay. A entrada normal custa cerca de 17 euros e inclui uma visita guiada de 15 minutos, uma experiência individual com um mapa interactivo e uma bebida, de entre 12 cocktails disponíveis. À parte, tem masterclasses ou o Cocktail Pairing Supper Club, com banquete incluído (90€). Sugerimos que compre os bilhetes antes de viajar.

Laverstoke Mill, Whitchurch, Hampshire. Do centro de Londres, pode apanhar o comboio em Waterloo em direcção a Overton ou Whitchurch. Seg-Dom 10.00-20.00

2. Cerveja Guinness, Dublin

A fábrica da Guiness é uma experiência incrível até para aqueles que não gostam de cerveja (das duas uma, ou passam a gostar, ou ficam a perceber por que é que não gostam). Abriu ao público em 2000 e tem sete pisos: sendo que tudo começa dentro de um copo gigante de cerveja. Ficará a saber mais sobre os ingredientes que a compõem (água, lúpulo, malte e levedura), perceber onde era feita antigamente e a diferença para as actuais maquinarias e conhecer as campanhas publicitárias mais icónicas da marca. Pelo meio, há uma experiência olfactiva (e um shot de cerveja). No final, tem direito a uma pint no bar panorâmico.

St. James’s Gate, Ushers, Dublin. Do centro de Dublin pode apanhar o autocarro 123 na O’Connell Street. Seg-Dom 09.30-19.00. Preço: a partir de 18,50€.

Publicidade

3. Whiskey Jameson, Dublin

Também em Dublin, mas noutro quarteirão, os aficionados de whiskey irlandês vão encontrar a felicidade na destilaria da Jameson. A bebida já não é produzida nesta fábrica desde 1976 (ainda que alguns whiskeys sejam envelhecidos aqui), mas em Cork. É nesta morada, porém, que se guarda a sua história, e se percebe como se fabrica. No fim, pode degustar. Aprenda já: whiskey em irlandês escreve-se “uisce beatha” e significa água da vida.

Bow St, Smithfield Village, Dublin. Do centro de Dublin, pode apanhar a linha vermelha do metro e sair em Smithfield. Seg-Qui 10.00-18.00, Sex-Sáb 10.00-19.00. Preço: 20€.

4. Cerveja Heineken, Amesterdão

Prepare-se para muita animação com a Heineken Experience: foi aqui que a cerveja foi fabricada até 1988 e é este o sítio que mantém todo o historial da marca. O bilhete mais básico inclui uma visita guiada de 90 minutos e duas cervejas. O Rock The City dá acesso à experiência, às bebidas e inclui uma viagem num cruzeiro pelos canais da cidade.

Stadhouderskade 78, Amesterdão. Do centro de Amesterdão, deve apanhar o comboio 7, 10 ou 24. Seg-Qui 10.30-19.30, Sex-Sáb 10.30-21.00. Preço: a partir de 18€.

Publicidade

5. Vodka, Varsóvia

Uma destilaria do século XIX foi transformada, durante o Verão, num museu da vodka. Há cinco exposições temáticas que contam cronologicamente a história de amor dos polacos pela bebida (a vodka é a bebida alcoólica nacional deste país). Num dos pisos, há degustações e workshops. Há também uns óculos especiais que imitam o estado inebriado que o consumo desmedido da bebida lhe podem causar. Nunca se esqueça: beba com precaução.

Centrum Praskie Koneser, Koneser Square 1, Varsóvia. Dom-Qui 10.00-20.00, Sex-Sáb 11.00-21.00. Preço: a partir de 9,50€. 

Porta de embarque Time Out

Porta de embarque Time Out: Londres
  • Viagens

Todas as semanas levamos até si recomendações da nossa extensa família. Caso não esteja lembrado, a Time Out é de Lisboa mas é também de 107 outras cidades espalhadas pelo mundo. E isso faz de nós, provavelmente, a maior e melhor rede global de especialistas locais. 

  • Viagens

Todas as semanas levamos até si recomendações da nossa extensa família. Caso não esteja lembrado, a Time Out é de Lisboa mas é também de 107 outras cidades espalhadas pelo mundo. E isso faz de nós, provavelmente, a maior e melhor rede global de especialistas locais. 

Publicidade
  • Viagens

Todas as semanas levamos até si recomendações da nossa extensa família. Caso não esteja lembrado, a Time Out é de Lisboa mas é também de 107 outras cidades espalhadas pelo mundo. E isso faz de nós, provavelmente, a maior e melhor rede global de especialistas locais. Voamos até aos Estados Unidos e dizemos-lhe o que não pode perder em Chicago. 

Recomendado
    Também poderá gostar
      Publicidade