A Time Out na sua caixa de entrada

Procurar
Quinta de Villar D'Allen
©António AmenQuinta de Villar D'Allen

As melhores coisas para fazer em Campanhã

No limite oriental do Porto convivem espaços verdes, clássicos da gastronomia e projectos culturais que estão a fazer os portuenses olhar com outros olhos para esta zona da cidade. Próxima paragem: Campanhã.

Escrito por
Mariana Morais Pinheiro
Publicidade

Apanhe o comboio e saia na estação de Campanhã, porque na freguesia mais oriental do Porto há muito para descobrir. Há bonitos espaços verdes por onde a natureza prolifera; uma actividade cultural intensa, com galerias que recebem desde arte contemporânea a espectáculos de teatro; uma fonoteca, um espaço público que funciona como arquivo sonoro, constituído por uma colecção de mais de 35 mil discos; e, claro, bons sítios onde comer. Das clássicas tascas aos restaurantes do mundo, passando pelo fine dining de se lhe tirar o chapéu. Em breve, irá ainda acolher um centro empresarial, cultural e social no antigo MatadouroSe ainda tem dúvidas que esta zona da cidade fervilha, leia esta lista das melhores coisas para fazer em Campanhã.

Recomendado: 61 coisas para fazer na Primavera no Porto

As melhores coisas para fazer em Campanhã

  • Compras
  • Campanhã

Se andar por Campanhã a um sábado de manhã, aproveite para dar um salto até à Feira da Vandoma, um dos melhores mercados da cidade para comprar roupa, livros, louça vintage e até algumas peças
 dignas de coleccionador, como rádios antigos e máquinas de escrever. Foi criada por estudantes nos anos 70 e, já sabe, quanto mais cedo chegar, mais e melhor vai encontrar.

  • Arte
  • Centros de artes
  • Campanhã

É um dos mais bonitos espaços do Porto, que vale mesmo a pena conhecer. A história da Casa São Roque remonta a 1759, altura em que funcionou como mansão e pavilhão de caça. Em 2019 abriu ao público, após dois anos de obras de recuperação, e é hoje um centro de arte contemporânea, que cria um diálogo entre arte e arquitectura. A programação inclui concertos, apresentações de livros e até provas de vinho. Não deixe de passear também pelo jardim: com seis hectares de extensão, é morada de cerca de 200 camélias e de um labirinto construído por sebes, bem ao estilo Alice no País das Maravilhas

Publicidade
  • Atracções
  • Parques e jardins
  • Campanhã

Os jardins da Quinta de Vilar d'Allen que, juntamente com a casa foram classificados como Imóvel de Interesse Público em 2010, são de grande valor patrimonial à conta das várias espécies exóticas e das quase duas centenas de camélias que por lá crescem. O lago, a zona da mata, a estufa, o Jardim dos Cisnes, uma fonte do antigo Mosteiro de Monchique, bem como uma série de esculturas e ornamentos arquitectónicos da autoria de Nicolau Nasoni fazem este espaço ainda mais especial.

  • Coisas para fazer
  • Eventos desportivos
  • Campanhã

A Piscina de Campanhã é a única piscina olímpica do Porto. Tem 50 metros de extensão e é uma das poucas cobertas do país com esta dimensão. Está aberta a toda a população, não sendo exclusiva a sócios, e tem aulas de natação para bebés, crianças e adultos. Do complexo fazem ainda parte balneários, salas de musculação, um gabinete de enfermagem, bem como áreas dedicadas a outras modalidades, como boxe e desporto adaptado. Já não há desculpas para não se manter em forma.

Publicidade
  • 4/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Português
  • Campanhã
  • preço 1 de 4
  • Recomendado

É um clássico de Campanhã e uma razão válida para
 querer perder o comboio (a tasca fica mesmo em frente à estação). É uma das poucas tascas que ainda restam na cidade e na janela que dá para a rua está uma frigideira sempre ao lume, com um molho a fervilhar, onde 
o dono se vai abastecer de carne de porco, cortada fina, para fazer as míticas bifanas, consideradas por muitos as melhores do Porto. Igualmente boas são as moelas, tenras, servidas com pão ao lado, os rissóis e os finos frescos.

  • 3/5 estrelas
  • Restaurantes
  • Africano oriental
  • Taipas
  • Recomendado

Foi com a ideia de trazer a africanidade para o Porto que Orlanda Barbosa abriu as portas deste seu espaço multifacetado em Campanhã. Aqui pode encontrar desde as tradicionais capulanas, estatuetas em madeira, quadros feitos em batique e alguns artigos de marca própria. Se lhe der a fome, tem bons pratos, típicos do seu país, servidos na zona de cafetaria. Gambas fritas, caril de frango com leite de coco, caril de amendoim, matapa (um prato com folha de mandioca e creme de amendoim), e uma opção vegetariana, como feijão com coco e cogumelos, são alguns dos pratos com os quais Orlanda Barbosa brinda quem a visita.

Publicidade
  • Arte
  • Galerias
  • Campanhã

As Galerias MIRA ocupam antigos armazéns com mais de cem anos em Campanhã. O Espaço MIRA dedica a sua programação à arte contemporânea portuguesa. Já o MIRA FORUM é mais ecléctico e recebe com frequência, além do programa expositivo, conferências, ciclos de cinema e de performances, lançamentos de livros, tertúlias, peças de teatro e dança, concertos e serões fotográficos. 

  • Música
  • Campanhã

A Fonoteca é simultaneamente um arquivo sonoro da cidade – representativo de grande parte da produção discográfica em Portugal, assim como de discos importados e obras de conteúdo não musical, como poesia ou discursos políticos – e um espaço público de apreciação musical. Pode ser visitada mediante marcação prévia, para conhecer o espaço e consultar o arquivo, em sessões com a duração máxima de uma hora. O projecto tem a sua génese nos estúdios de gravação Arda Recorders.

Publicidade
  • Música
  • Campanhã

Construída com o objectivo de “proporcionar aos artistas o melhor ambiente para criar e gravar as suas produções”, todos os espaços da Arda Music Hub têm ligação áudio e vídeo, “para que seja possível usar todos esses espaços em gravações criativas”. Possui ainda salas de produção privadas, escritórios para negócios da indústria musical e acolhe nas suas instalações a Fonoteca Municipal do Porto, “arquivo sonoro e espaço público constituído por uma colecção de mais de 35 mil discos”, acrescentam. 

  • Coisas para fazer
  • Campanhã

Quando Travis Cunningham se mudou da Nigéria para a Invicta, trazia, juntamente com a bagagem, a ideia de fazer rum envelhecido em pipas de vinho do Porto. Não perdeu tempo em dar forma a esse desejo e, enquanto esperava que ele amadurecesse nos cascos, ganhasse cor, corpo e sabor, criou uma série de gins – que já receberam vários prémios – e fundou a primeira escola de gin do país. Passe pela Scoundrels para conhecer o seu carismático dono; provar as bebidas; e, quem sabe, para se inscrever nas aulas, que também tem disponíveis, para aprender mais qualquer coisinha sobre o assunto.

Mais coisas para fazer no Porto

  • Coisas para fazer

Somos absolutamente apaixonados por esta cidade. Pelas suas ruas estreitas e casas coloridas, pelos miradouros com vistas de cortar a respiração, pelas galerias cheias de arte antiga e contemporânea, pelos jardins e museus, e pelos restaurantes com comida tradicional ou do mundo. A Invicta é uma caixinha de surpresas, mas estas nem sempre se revelam ao primeiro olhar. É preciso descobri-las. Para que nada lhe escape, aqui tem uma lista com 40 coisas incríveis para fazer no Porto. Leia-a com atenção e partilhe-a com quem mais gosta.

  • Coisas para fazer

Visitar museus e exposições, passear por jardins, admirar a arte que existe pelas ruas, ler um livro na biblioteca municipal e ver o pôr-do-sol com vista para o rio Douro. Estas são apenas algumas das ideias que pode encontrar nesta lista com coisas grátis para fazer no Porto. Por enquanto, vá juntando os trocos para mais tarde, encontre boa companhia e saia de casa sem se preocupar com o dinheiro. Se estiver curioso, também temos muitas ideias para lhe dar de coisas para fazer até 5€.

Publicidade
  • Coisas para fazer

Já diz o ditado: mais vale só do que mal acompanhado. De facto, às vezes não há como uma tarde, ou mesmo um dia inteiro, sem ninguém por perto. É para esses dias que esta lista das melhores coisas para fazer sozinho no Porto dá jeito. E acredite: com tanta coisa para ocupar o tempo e a mente, não vai sentir falta de companhia nenhuma. Calçar as sapatilhas e tratar da saúde com uma boa caminhada, entregar-se aos mistérios dos livros sobre uma bonita paisagem, visitar uma galeria com novas exposições ou encher o papo num restaurante. Estas são algumas das ideias. Mas há mais.

Recomendado
    Também poderá gostar
    Também poderá gostar
    Publicidade